Nome do Projeto
Projeto HAEL-extensão
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
04/05/2018 - 15/12/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Saúde
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
O projeto HAEL-extensão (Hypertension Approaches in the Elderly: a Lifestyle study) é oriundo de um projeto de pesquisa intitulado “Treinamento físico combinado e educação em saúde para idosos com hipertensão arterial: um ensaio clínico randomizado e multicêntrico”, o qual está ocorrendo em Pelotas e Porto Alegre e tem suas atividades previstas até o ano de 2019. Para tanto, em Pelotas o HAEL-extensão irá atender 92 idosos hipertensos, os quais participarão de treinamento combinado (exercícios aeróbios e de força) três vezes na semana ou palestras de educação em saúde uma vez na semana, durante 12 semanas. As atividades sempre serão ministradas por no mínimo uma aluno vinculado ao pós-graduação, acompanhado de um bolsista vinculado ao curso de graduação da ESEF/UFPel. As atividades de treinamento combinado irão ocorrer sempre nas segundas, quartas e sextas-feiras no turno da manhã (9 às 10 h) e da noite (19 às 20 h). As palestras irão ocorrer sempre nas quartas-feiras também no turno da manhã (9 às 10 h) e da noite (18 às 19 h).

Objetivo Geral

Oferecer um programa de treinamento combinado (exercícios aeróbicos e de força) e/ou um programa de educação em saúde para indivíduos idosos com hipertensão arterial, com intuito de impactar positivamente os níveis ambulatoriais de pressão arterial e marcadores de saúde dessa população.

Justificativa

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é o fator de risco mais importante para o aumento independente da mortalidade global, responsável por 9,4 milhões de mortes anuais. Neste contexto, estima-se que 51% dos óbitos decorrentes de acidente vascular encefálico e 45% dos decorrentes de cardiopatia isquêmica sejam atribuídos a níveis inadequados de pressão arterial (PA). A HAS facilita a incidência das doenças cardiovasculares (DCVs) e de eventos vasculares, além de ser fator de risco para outras condições patológicas, como a insuficiência renal e a doença vascular periférica. O aumento da PA sistólica (PAS) e diastólica (PAD) para níveis acima de 115 e/ou 75 mmHg, respectivamente, eleva exponencialmente o risco para desfechos relacionados às DCVs. Assim sendo, o controle da HAS é de suma importância para a redução dos gastos com saúde pública, redução das comorbidades e melhora da saúde e qualidade de vida da população.
Pessoas idosas compõem o grupo mais afetado pela HAS. A população senescente apresenta alta prevalência da doença, que no Brasil varia de 52 a 63% para idosos acima de 65 anos das diferentes regiões do país, com prevalência geral para este grupo de 59,2%. Por outro lado, valores de PA mais baixos resultam em reduções no risco de eventos cardiovasculares e cerebrovasculares também nesta faixa etária.
O tratamento da HAS é norteado por estratégia farmacológica, porém, o paciente hipertenso é também amplamente beneficiado por mudanças no estilo de vida. Nesse contexto, o controle nutricional e a prática de exercícios físicos reduzem a PA e o risco de eventos clínicos indesejáveis, além de terem impacto positivo para a efetividade da terapia anti-hipertensiva. No âmbito da atividade física, a literatura demonstra de forma consistente a eficácia do exercício regular, com evidências de redução dos níveis de PA sistólica e diastólica tanto pelo treinamento aeróbico, como também pelo treinamento resistido.
Dos tipos de intervenções em treinamento físico, o exercício aeróbico tem recebido mais atenção em relação às outras modalidades no que diz respeito ao auxílio no controle e tratamento da HAS. Esta modalidade de exercício está associada com reduções em médio e longo prazos nos valores basais de PA. No entanto, há evidências demonstrando benefícios da inclusão de exercícios de força no programa de treinamento de hipertensos, com a indução de reduções crônicas da pressão arterial, porém de menor magnitude em relação ao treinamento aeróbico. Especialmente para a população idosa, a inclusão de exercícios de força em um programa de exercícios é essencial para a manutenção ou aumento da autonomia funcional e condicionamento musculoesquelético, sendo também endossado para indivíduos com HAS.


Metodologia

O Projeto HAEL-extensão irá atender 92 idosos hipertensos, os quais participarão de treinamento combinado (exercícios aeróbios e de força) três vezes na semana ou palestras de educação em saúde uma vez na semana, durante 12 semanas. As atividades sempre serão ministradas por no mínimo uma aluno vinculado ao pós-graduação, acompanhado de um bolsista vinculado ao curso de graduação da ESEF/UFPel. As atividades de treinamento combinado irão ocorrer sempre nas segundas, quartas e sextas-feiras no turno da manhã (9 às 10 h) e da noite (19 às 20 h). As palestras irão ocorrer sempre nas quartas-feiras também no turno da manhã (9 às 10 h) e da noite (18 às 19 h).

• Programa de treinamento combinado (12 semanas):
Indivíduos randomizados para o programa de treinamento combinado conhecerão tal designação somente após a conclusão das avaliações iniciais. Ao longo das 12 semanas de intervenção, os sujeitos serão solicitados a preencher uma rotina com frequência de três sessões por semana. O treinamento será progressivo, compreendendo duas partes principais: (1) meta de 30 minutos de exercício aeróbico de intensidade moderada (controlada a partir de escores 12-13 na escala de Borg), e (2) aproximadamente 10 minutos de exercícios de força baseados na sustentação do peso do corpo ou em tarefas funcionais. Previamente a essas partes principais da sessão, aquecimento de 5 minutos será oferecido, ao passo que volta à calma de 5 minutos será conduzida ao final da sessão.
Componente de educação no programa de treinamento combinado: Durante o aquecimento e volta à calma, serão abordados pelo profissional de Educação Física temas idênticos aos abordados no programa de educação para a saúde;
• Programa de educação em saúde:
Encontros semanais com palestras interativas, realizadas por profissionais diversos com expertise nos temas abordados, com a duração de 1h.
Conteúdo programático elaborado por especialistas e embasado pelas informações de educação para a saúde fornecidas ao paciente pelas seguintes instituições: Center of Diseases Control, American Heart Association, National Institute of Health:

Indicadores, Metas e Resultados

A meta central do presente projeto é de produzir evidências relacionadas a intervenções de treinamento combinado e de educação em saúde para a população de idosos com hipertensão. O planejamento do estudo e das características metodológicas visa também que tais evidências possuam aplicabilidade prática, alto impacto científico, confiabilidade de resultados, e ampla validade para a população de estudo.
Acredita-se que, na obtenção da meta central do presente projeto, as informações científicas serão relevantes no contexto da saúde pública, com potencial aplicação em serviços de saúde, bem como no contexto da literatura científica internacional, sendo a evidência de referência na área de estudo de exercício físico e hipertensão arterial.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CIANA ALVES GOICOCHEA
CRISTINE LIMA ALBERTON1
DAVI BERGMANN DOLINSKI
ELISA GOUVEA PORTELLA
EURICO NESTOR WILHELM NETO
GRACIELE FERREIRA DE FERREIRA
GUSTAVO ZACCARIA SCHAUN
HECTOR KERCHIRNE FERREIRA
LAURA DOS REIS NANINI
LEONY MORGANA GALLIANO
MARIA LAURA DUTRA RESEM BRIZIO
MICHEL BRUNO JANTZEN GASPAR
PAULA CAROLINI CONCEIÇÃO CAMPELO
STEPHANIE SANTANA PINTO1

Página gerada em 13/11/2019 08:01:40 (consulta levou 0.077871s)