Nome do Projeto
Formação continuada de professores: Encontros sobre o Poder Escolar
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/04/2019 - 31/03/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Formação de professores
Resumo
Resumo O projeto tem como propósito promover ações de formação continuada que contribuam para a qualificação do trabalho docente e cooperem na construção de projetos político-pedagógicos autônomos e democráticos. Foi iniciado no ano de 2001 em parceria com sete instituições, as quais possuem representantes na comissão organizadora das ações do projeto. São elas: Universidade Federal de Pelotas, Universidade Católica de Pelotas; Conselho Municipal de Educação; Secretaria Municipal de Educação de Pelotas; 5ª Coordenadoria Regional de Educação; IFSul-Rio-Grandense e 24º núcleo do CPERS-Sindicato. No ano de 2018 passou a integrar a parceria a Universidade Federal do Pampa. Desenvolve-se através de ações com toda a comunidade escolar, conforme demandas identificadas. A culminância é um evento bianual chamado Encontros sobre o Poder Escolar, com a presença de, em média, 1000 docentes. Nele os professores e professoras, através das mesas de apresentação de experiências, tornam-se protagonistas da sua formação e, também, participam de conferências, painéis e atividades culturais. A proposta fundamenta-se em quatro pressupostos: os docentes, na sua prática pedagógica, produzem saberes; os professores aprendem na troca de experiências, no encontro, no trabalho conjunto e colaborativo; o exercício da reflexão crítica sobre a prática é uma exigência da relação entre a teoria e a prática na qual evita-se tanto o ativismo quanto o discurso descolado da realidade objetiva; e o entendimento de que as mudanças desejadas na educação escolar dependem da construção coletiva, democrática e autônoma de seus projetos. Ao longo de mais de uma década, já faz parte da cultura de formação das escolas da rede pública de Pelotas e região. Envolve alunos da graduação como bolsistas e monitores. O projeto faz uma articulação com as escolas de educação básica da rede pública, possibilitando aos alunos do Curso de Pedagogia referentes de articulação entre a teoria e prática escolar. O projeto tem, pelo seu tempo de duração e importância, um acervo depositado no Centro de Estudos e Investigações em História da Educação (CEDOC) da UFPel. São anais dos eventos, fichas de avaliação dos participantes, vídeos e áudios de conferências e atas de reuniões.

Objetivo Geral

Valorizar os profissionais do ensino; contribuir para a sua formação e, consequentemente, para a qualificação do trabalho docente; assim como, cooperar para que a escola, no exercício de sua autonomia, possa construir um Projeto Pedagógico de acordo com as necessidades da sua comunidade a fim de atingir o foco principal: a qualificação da educação escolar.

Justificativa

O evento faz parte de uma proposta que objetiva potencializar espaços de discussões coletivas, dar visibilidade às necessidades e dinâmicas locais, promover reflexões sobre o trabalho pedagógico e possibilitar suporte teórico-prático e investigativo para ações escolares cotidianas ancoradas na autonomia profissional e em diálogo com a universidade.
A escolha do seu nome traz consigo a ideia-força do empoderamento da escola e de seus agentes. Foi inspirada em um trecho constante na contracapa da obra Quem manda na educação no Brasil?, de João Monlevade e Maria Abádia da Silva (2000), no qual asseguram que “a democratização da sociedade e da escola exigem outro enfoque, o da construção dos processos decisórios que lentamente estão constituindo um novo poder, o poder escolar”.
Ao longo de 18 anos a proposta foi gerada e ganhou força. Consolidada, terá a sua 14º edição, cujo tema é a relação entre escola e comunidade.

Metodologia

O projeto tem, desde seu início em 2001, uma metodologia de trabalho colaborativa entre as instituições parceiras, com coordenação da FaE/UFPel. Nas ações colaborativas destacamos as reuniões com representantes das instituições para tomadas de decisões coletivas sobre as ações do bem projeto, bem como para as deliberações e processos avaliativos. Através das instituições participantes são feitas consultas aos docentes da educação básica para definição de temas de interesse e e áreas de estudo e de investimento formativo. A culminância é um evento bianual chamado Encontros sobre o Poder Escolar. Nesse evento os profissionais da educação, através das Mesas de Apresentação de Experiências, tornam-se protagonistas da sua formação e, também, participam de conferências, painéis e atividades culturais. Assim, os Encontros sobre o Poder Escolar se caracterizam por reunir os saberes acadêmicos em conferências e painéis, nos quais participam professores pesquisadores de reconhecida relevância de diversas universidades do Brasil e de outros países, e os saberes da prática com a apresentação de experiências e projetos de professores e de gestores de escolas. Na dinâmica do evento os docentes das escolas de educação básica inscrevem seus trabalhos fundamentados em práticas pedagógicas realizadas e refletidas. Não são aceitos trabalhos originados e desenvolvidos em pesquisas acadêmicas sobre a escola e a sala de aula, mas aqueles com a escola e a sala de aula. Esta orientação tem uma dimensão política, a de garantir espaços de socialização e de valorização das ações refletidas e dos saberes produzidos nos contextos escolares, frutos de uma práxis pedagógica. Professores universitários são convidados a dialogarem com essas experiências e não sobre elas, na perspectiva de se apreciarem e qualificarem mutuamente.

Indicadores, Metas e Resultados

No ano de 2019, com a 14ª edição dos Encontros sobre o Poder Escolar, desenvolveremos nossos propósitos considerando:
a) A contribuição na formação docente de Pelotas e região, registrada nos anais do evento e em artigos científicos (CARLOS E DALLIGNA, 2014; DAMIANI e DALLIGNA, 2017; CARLOS e PEREIRA, 2018);
b) O seu reconhecimento como espaço e tempo de formação por parte de instituições formadoras de profissionais e mantenedoras da educação básica, explicitado na parceria interinstitucional existente desde a primeira edição;
c) O seu potencial de qualificar práticas pedagógicas e impulsionar pesquisas no campo do ensino e da formação de professores;
d) A sua capacidade de pôr em diálogo professores pesquisadores e professores da rede básica através da discussão das experiências apresentadas, fomentando processos de reflexão sobre a própria prática e propiciando novas iniciativas de pesquisa.

Deste modo, temos como resultados esperados:
Possibilitar reflexões teóricas, entre professores de diferentes níveis de ensino, através das conferências, mesas de discussão e rodas de conversa;
Promover a socialização e a qualificação de saberes e práticas profissionais entre os pares, através das mesas de apresentação de experiências pedagógicas e investigações escolares;
Proporcionar diálogos entre professores da rede básica e professores pesquisadores do ensino superior nas mediações realizadas nas mesas de apresentação de trabalhos;
Divulgar experiências escolares, na interface com estudos e pesquisas acadêmicas;
Propiciar a interação de professores e estudantes com expressões artísticas através das atividades culturais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRO CARVALHO BICA
Amanda da Silva Brod
BENTO SELAU DA SILVA JUNIOR
CAMILA CORRÊA PIERZCKALSKI
DIANA PAULA SALOMÃO DE FREITAS
DIRLEI DE AZAMBUJA PEREIRA5
GEORGINA HELENA LIMA NUNES8
LIGIA CARDOSO CARLOS6
LUCIA MARIA VAZ PERES42
MARIÂNGELA GONÇALVES TESSMANN
VALDELAINE DA ROSA MENDES8

Página gerada em 22/11/2019 15:52:19 (consulta levou 0.103189s)