Nome do Projeto
ASSESSORIA TÉCNICA EM SAÚDENA PRODUÇÃO LEITEIRA DE BASE AGROECOLÓGICA EM ASSENTAMENTOS DA REFORMA AGRÁRIA NA REGIÃO SUL DO BRASIL
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/01/2017 - 31/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Saúde
Linha de Extensão
Saúde Animal
Resumo
O projeto busca realizar diagnóstico da situação sanitária da produção leiteira nas áreas de reforma agrária do Sul do Brasil. Em especial, qualidade do leite, doenças da reprodução, mastite. Além, de promover ações que melhore,m a compreensão e situação sanitária com vistas a contribuir com o processo de produção de base agroecológica nas áreas de R.A

Objetivo Geral

Diagnosticar aspectos relacionados à saúde coletiva e animal, com ênfasena produção leiteira, em projetos de reforma agrária na região sul do Brasil e propor modelos de desenvolvimento sustentável com qualidade sanitária em base agroecológica.
Para atender ao objetivo geral do projeto, apresentam-se oito objetivos específicos que se subdividem conforme sua necessidade, sendo eles:
1. Realizar o diagnóstico da situação de questões sanitárias da produção animal com risco a saúde pública:
a. Zoonoses: Monitoramento de Brucelose e Tuberculose dos bovinos;
b. Condições sanitárias da água de consumo e daquela utilizada na produção animal;
c. Qualidade do leite produzido nos assentamentos da reforma agrária;
d. Produzir um plano de melhoria das condições sanitárias das unidades de produção.
2. Realizar o diagnóstico da situação do desempenho reprodutivo dos bovinos leiteiros nos assentamentos da reforma agrária:
a. Avaliação de taxas de desempenho reprodutivo;
b. Prevalência das principais enfermidades transmissíveis;
c. Produzir um plano de melhoria nas condições reprodutivas das unidades de produção.
3. Acompanhar e avaliar a qualidade damatéria prima nos assentamentos da reforma agrária e o fluxo de produção em cinco usinas de leite.
4. Discutir e projetar um campo de recria de novilhas leiteiras para reposição.
5. Discutir e propor conteúdo programático sobre SaúdeAnimal aos cursos de formação de técnicos com ênfase em agroecolgia.
6. Introduzir e avaliar a estratégia do “Agente Comunitário de Saúde Animal” em vinteprojetos de assentamento da reforma agrária.
7. Determinar índices de produção, incidência de enfermidades, indicadores de saúde animal e condições de desenvolvimento humano nos vinte assentamentos assistidos.
8. Elaborar e implantar plano de controle populacional de animais de companhia para reduzir impacto em saúde pública.

Justificativa

Desde 1999, a Faculdade Veterinária está apoiando diversos projetos para o desenvolvimento e qualificação sanitário da produção de leite em projetos de assentamentos e agricultura familiar em geral. Apoio a formação de técnicos e agricultores junto aos projetos em desenvolvimento como Leite Sul e outros, tem permitido compreender a dinâmica deste sistema de produção, onde o leite contribui como importante e estável fonte de renda ao agricultor.
Em 2010, concluímos projeto de pesquisa financiado pelo CNPq/MDA com ótimos resultados na melhoria da qualidade do leite produzido pelos agricultores, projeto centrado no desenvolvimento humano e coletivo dos atores principais do processo que são os agricultores (Meireles, 2010 - relatório técnico de projeto de pesquisa número 559913/2008-7, CNPq – Edital 07/2008).
A experiência e qualificação técnica do grupo de docentes e técnicosda UFPEL permite, agora, propor este projeto que tem por meta principal realizar uma leitura do sistema de produção dos projetos de assentamentos da reforma agrária localizadas na metade sul do Estado do Rio Grande do Sul, mais propriamente das questões sanitárias de produção, e, como conclusão, propor alternativas coletivas de avanço do sistema produtivo na área da produção de leite na região.
Essa qualificação para análise e síntese dos resultados, esbarra na limitação de atuação que a Universidade possui. A demanda de trabalho para coleta de dados, atuação direta e constante junto aos agricultores, define a necessidade de equipes de campo, devidamente qualificadas e treinadas para execução de tarefas.
Nos trabalhos que temos realizado fica clara a dificuldade de compreensão de técnicos e agricultores dos dados populacionais gerados pelos vários projetos de assistência técnica é um entrave ao planejamento estratégico de ações de ATER. A experiência de planejamento que a saúde pública tem gerado será de grande valia na atuação técnica na agricultura familiar. Os PAs são locais privilegiados de atuação coletiva devido a sua organização interna que facilita a discussão e a apropriação pelo agricultor da informação, se ela chegar qualificada, e da tomada de decisão. Desta, forma propomos a estratégia dos “agentes comunitários de saúde animal”, nos moldes dos agentes comunitários de saúde como forma de obtenção e sistematização de informações, o que dá condição de otimizar a prática preventiva e planejada dos técnicos em ATER de Nível Superior (NS).
Acrescente-se a isso, a disponibilidade de técnicos oriundos da reforma agrária em formação nos vários projetos de educação, tanto no nível médio e, agora, também no nível superior. Temos a convicção que esse projeto oportunizará uma formação mais qualificada da turma especial de medicina veterinária que iniciou emmarço de 2011 e se encontra no terceiro semestre do curso.

Metodologia

De acordo com os objetivos propostos, apresentam-se as metas e as metodologias a seremutilizadas, com sua respectiva descrição, indicadores de execução, período de execução e o público beneficiário das ações previstas.
6.1 Realizar o diagnóstico da situação de questões sanitárias daprodução animal com risco à saúde pública
Considera-se de fundamental importância conhecer o status sanitário dos rebanhos por dois motivos: (1) desenvolvimento da produção e; (2) saúde pública. Para tanto, esta meta se subdivide em três ações principais descritas a seguir.
6.1.1 Determinação da prevalência de brucelose e tuberculose
Por meio de metodologia específica, utilizando-se uma amostra de 7.880 animais em um universo de cerca de 80.000 bovinos estimados para a área de abrangência, pretende-se realizar levantamento epidemiológico objetivando determinar a prevalência das enfermidades brucelose e tuberculose.
6.1.2 Avaliação da qualidade da água
A água configura-se como o principal meio para o desenvolvimento da vida. Com isso, configura-se também, em um importante veículo na cadeia de transmissão e perpetuação de enfermidades infecciosas em animaisdomésticos e humanos. Avaliar e determinar a qualidade da água é fundamental para se estabelecer um plano sanitário que objetive desenvolver a produção de leite conforme princípios de sustentabilidade. Para tanto, serão realizadas coletas e exames de análise da qualidade da água em 9851 famílias.
6.1.3 Plano sanitário para PA´s
A partir dos resultados encontrados nos levantamentos de campo e exames laboratoriais, será elaborado o Plano Sanitário, considerando as especificidades, potencialidades e limites encontrados nos PA´s. O Plano Sanitário constará de medidas e ações necessárias a assegurar padrões de saúde condizentes com o previsto na legislação.
6.2 Realizar o diagnóstico da situação do desempenho reprodutivo dos bovinos leiteiros nos assentamentos da reforma agrária
Os índices produtivos e reprodutivos nas áreas de reforma agrária, apesar da escassa informação, indicam problemas dessa ordem. Fato explicitado quando se aponta um alto número de vacas secas em comparação com a quantidade de animais lactantes. Determinar parâmetros reprodutivos existentes, bem como a prevalência de enfermidades transmissíveis da reprodução, nas áreas de reforma agrária é fundamental para se estabelecer um Plano de Desenvolvimento Reprodutivo. Para tanto, esta meta esta composta por três ações principais.
6.2.1 Determinação dos parâmetros reprodutivos para os bovinos de leite
Serão obtidas informações e realizados diagnósticos de gestação e outros, combinados com a aplicação de questionários, em cerca de 1.000 famílias, atingindo-se uma amostragem de aproximadamente 8.000 animais.
6.2.2 Prevalência de enfermidades transmissíveis da reprodução
Em uma amostra de 195 famílias, em cerca de 1.650 animais, será realizada a coleta de material para realização de exames laboratoriais com o objetivo de determinar a prevalência de enfermidades transmissíveis da reprodução.
6.2.3 Plano de Desenvolvimento Reprodutivo
Com base nas informações e resultados das duas ações anteriores, será elaborado um Plano de Desenvolvimento Reprodutivo. Este plano terá por objetivo, melhorar o desempenho reprodutivo dos rebanhos nas áreas de reforma agrária. Com isso, pretende-se melhorar o desempenho produtivo e os resultados econômicos de cada família produtora de leite.
6.3 Acompanhar e avaliar a qualidade da matéria prima nos assentamentos da reforma agrária e fluxo de produção de cinco usinas de leite
A qualidade do leite que chega a plataforma industrial indica os problemas existentes nas unidades de produção. Por conseqüência, tem condições de indicar as ações necessárias a melhorar os processos de produção e sanitários nas unidades de produção, além de, monitorar aspectos sanitários e da qualidade dos produtos finais.
A amostragem para prevalência será realizada utilizando os mesmos parâmetros já descritos – 985 famílias. Nos vinte assentamentos a serem acompanhados, serão realizadas análises da qualidade do leite bimestral.
Serão acompanhadas e monitoradas cinco indústrias de beneficiamento de leite em diferentes regiões do estado nos municípios de Piratini, Santa Maria, Sarandi, Nova Santa Rita e outra na região centro-sul do Estado do Paraná. Os dados serão comparados e analisados com o objetivo de verificar se os problemas de qualidade encontrados são da mesma ordem e grandeza ou, se diferem e, em que diferem. Após análise e interpretação dos resultados, será elaborado um parecer com recomendação de ações para a melhoria ou manutenção da qualidade.
6.3.1 Análise da qualidade do leite
O leite das famílias localizadas na área de abrangência do projeto, também serão analisados na origem e comparado com o leite que chega a plataforma. O produto será a análise de qualidade do leite produzido nas usinas de leite.
6.3.2 Avaliação do fluxo de trabalho das usinas
Através de visitas técnicas será realizada análise do fluxograma das usinas. A partir desta análise, será efetuada um programa de melhoria da qualidade do produto otimizando o uso das instalações e força de trabalho, identificando perigos e pontos críticos de produção e possibilidades de expansão da produção. O produto será um relatório de fluxo de produção e o apoio técnico na implantação e avaliação de melhorias nas usinas.
6.4 Discutir e projetar um campo de recria de novilhas leiteiras para reposição
Entre os principais motivos relacionados aos baixos índices de produção e reprodução de bovinos leiteiros, está a deficiente criação e recria de animais jovens. A utilização de reprodutores de duvidosa qualidade corrobora ao fracasso da melhoria da qualidade das futuras matrizes. É fato conhecido a incapacidade de muitos produtores conseguirem repor suas fêmeas e, com isso, buscarem no mercado animais para reposição, onde na maioria das vezes também não encontra animais adequados ou, quando os encontra, acaba pagando um alto preço.
Como resultado, o produtor se descapitaliza e acaba dependente do ingresso de animais com qualidade produtiva muitas vezes duvidosa e elevando o risco sanitário da produção
Experiências com campos de recria não são novidades. Entretanto, existem inúmeras formas de organizar e administrar. Pretende-se projetar um campo de recria em que a administração do campo se de por meio da cooperação.
Como modelo tecnológico, a produção de base agroecológica será proposta, com pastagens melhoradas para PRV, manejo sanitário adequado, livre de enfermidades como brucelose e tuberculose. A proposta será organizada para produção em escala, com capacidade de produção de 1500 novilhas ano e incluirá instalações, manejo alimentar e higiênico-sanitário e distribuição dos animais.
6.5 Discutir e propor conteúdo programático sobre Saúde Animal aos cursos de formação de técnicos
Nos estados da região sul, existemescolas, onde estudam filhos e filhas de agricultores assentados, por intermédio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA). Qualificar a formação técnica dos jovens na área da saúde é fundamental para a melhoria das condições sanitárias na produção de leite nas áreas de reforma agrária, utilizando-se o potencial multiplicador da ação destes jovens.
Com base no levantamento epidemiológico a ser realizado, será produzido um novo conteúdo programático, orientado a combater os principais problemas encontrados e, a promoção da saúde. O conteúdo programático será elaborado com a participação dos docentes que atuam na área, utilizando-se metodologia participativa com o envolvimento dos agentes de saúde comunitária atuantes nos PA´s.
6.6 Introduzir e avaliar a estratégia do “Agente Comunitário de Saúde Animal” (ACSA) em vinteprojetos de assentamento da reforma agrária
Essa estratégia será desenvolvida através da seleção, treinamento e atividade de vintepessoas das próprias comunidades. Esses ACSA trabalharão integrados com os veterinários e demais técnicos do projeto e inseridos na comunidade. Sua atividade incluirá: a organização dos agricultores, identificando demandas e fazendo a interlocução dentro do assentamento; o acompanhamento das unidades de produção de leite, dando suporte aos trabalhos de diagnóstico a serem executados; a obtenção de informação de produção, alimentando um sistema de informação sanitária dos assentamentos; apoiando atividades de formação e de desenvolvimento a serem executados nas unidades de produção.
A maior contribuição esperada é a de ampliar a capacidade do técnico de nível superior de interceder de forma efetiva nas comunidades, otimizando a ação técnica e de organização produtiva do projeto de reforma agrária, reduzindo o custo do técnico de nível superior.
6.7 Determinar índices de produção, incidência de enfermidades, indicadores de saúde e condições de desenvolvimento humano nos vinte assentamentos assistidos
Durante o período de execução do projeto, vinte assentamentos da reforma agrária serão acompanhados, utilizando os técnicos agrícolas como primeira linha de contato com os agricultores e os veterinários como suporte técnico, diagnóstico das enfermidades e na implementação de técnicas. O objetivo será avaliar a incidência de enfermidades através de testes específicos para mastite, brucelose, tuberculose, herpesvírus bovino, diarréia viral bovina, leptospirose e cetose clínica e subclínica. Controle reprodutivo através de diagnóstico por ultrassonografia será realizado. Avaliação das condições da água utilizada na produção animal também será realizada.
Através da organização coletiva dos agricultores e de ações técnicas, se pretende interferir nas unidades de produção, em especial no segundo e terceiro ano do projeto. Para isso, os técnicos estarão em constante atividade nas comunidades.
Informação a cerca da produção, práticas de manejo alimentar e reprodutiva e condições sanitárias dos animais, serão obtidas via instrumentos de pesquisa. O avanço dos agricultores ao final do projeto se

Indicadores, Metas e Resultados

7.1 Monitoramento e avaliação
O projeto será monitorado pela apresentação de relatórios de campo, relatórios técnicos de evolução do projeto e pela prestação de contas parciais. A avaliação se dará em espaços coletivos com participação do INCRA, e dos Conselhos estaduais de ATER ao longo do desenvolvimento do projeto. Ao final, serão apresentados os produtos gerados pela execução das metas.
7.2 Resultados esperados
Com este projeto far-se-á uma leitura da realidade existente nos assentamentos da região do ponto de vista sanitário. O impacto imediato deve ser a melhoria da qualidade do produto – leite – obtido das unidades de produção com acompanhamento direto, buscando a adequação a IN51. Além disso, a presença de técnicos atuando nas comunidades, com realização de diagnóstico e acompanhamento dos sistemas de produção, deve resultar numa melhora da produtividade em, ao menos, 30%, redução da ocorrência de mastite em até 50% e nos índices de contagem de células somáticas e contagem bacteriana total para aquém dos limites legais (Meireles, 2010). O dimensionamento do “problema reprodutivo” e a sua correção é outro fator que gerará aumento da produtividade, já que a redução do intervalo entre partos levam a maior produção de leite e a aumento na produção de terneiros que se transformam na “poupança viva” dos agricultores. Espera-se que este projeto possa resultar em um aumento de mais 20-30% na produção de leite por atuar neste item.
O relatório final a ser apresentado deve conter uma avaliação detalhada dos avanços e métodos aplicados, a fim de subsidiar a generalização da metodologia aplicada para outras áreas de assentamentos. A introdução do “agente de saúde animal” deverá resultar numa melhor comunicação entre os técnicos de ATER e as comunidades, otimizando a aplicação de metodologias de produção nas unidades de produção. A questão sanitário e a execução da estratégia do agente comunitário de saúde animal devem gerar duas publicações importantes para a produção animal no que se relaciona com os programas de reforma agrária.
O acompanhamento nas agroindústrias resultará em melhoria da qualidade do produto obtido. A aplicação da análise de perigos e pontos críticos gerará um plano de ação nas plantas otimizando o seu fluxo e a facilitando a implementação de diversificação da produção, com a introdução de novos produtos lácteos. Ainda, a contribuição na execução de uma planta de produção orgânica certificada é uma experiência extremamente importante na evolução da produção leiteira brasileira nesta linha.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA JACOMELLI TELES
BRUNO DE SOUZA SANTOS
CLEITON CONCEIÇÃO ALMEIDA
CLEVERSON DEOCLICIANO DE TOLEDO
DANIELE BONDAN PACHECO
DELVÂNIA GONÇALVES DA SILVA
DIEGO MOSCARELLI PINTO1
ELIELSON NUNES PEREIRA
FERNANDA DE REZENDE PINTO1
FERNANDO DA SILVA BANDEIRA1
FERNANDO VIEIRA DA SILVA
FLÁVIA BÁRBARA RIBEIRO
GEFERSON FISCHER1
GIOVANA PAULA PIVOTTO
GIOVANI GIROLOMETTO
GIOVANI GIROLOMETTO
INDIANA DOS SANTOS MAIA
JACKELINE VIEIRA LIMA
JOAO LUIZ ZANI1
JÚLIO CÉSAR GARROSO DE ALMEIDA
LEDEI RODRIGUES DA SILVA
LUIZ FILIPE DAME SCHUCH1
MARCO ANTONIO HEILMANN FRAGATA
MARGARIDA BUSS RAFFI1
MARIO CARLOS ARAUJO MEIRELES1
MIRIANE MENDES PEREIRA
NATIELE ISAURA DE ALMEIDA VEECK
NIEVERSON VICENTIN PERSIO
RENATA COSTA SCHRAMM1
RODRIGO BOZEMBECKER DE ALMEIDA
WILHAN GOMES DE OLIVEIRA
WILTON VENTUROSO ALMEIDA

Página gerada em 14/12/2019 06:29:18 (consulta levou 0.133427s)