Nome do Projeto
Capoeira Ginga Pelotas
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
23/10/2023 - 23/10/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Esporte e lazer
Resumo
A capoeira é patrimônio cultural do povo brasileiro. Trata-se de uma manifestação cultural afro-brasileira que mantém viva em seus gestos, musicas, rituais, toda a memória de opressão e resistência das populações escravizadas desde o Brasil colônia. Uma prática corporal tão complexa em enraizada na historia do povo brasileiro não pode ser estudada, senão numa perspectiva aberta e interdisciplinar, onde se cruzam a arte, a luta, o esporte, a música, a saúde, a política, a educação, a história e a cultura. A capoeira é aqui entendida como linguagem, como saber e conhecimento, e é tematizada nos seus aspectos históricos e sociais, mas também no âmbito das técnicas corporais. O eixo do trabalho está orientado em temas históricos, mas também ensinam a movimentação da capoeira, bem como os rituais relacionados a roda, os cuidados com o corpo, e discutem princípios e valores relacionados ao tema principal. Este projeto objetiva desenvolver aulas e oficinas de capoeira para a comunidade de Pelotas, proporcionando não apenas a promoção da saúde através dos exercícios físicos mas também conhece-la como uma das mais importantes manifestações culturais do Brasil.

Objetivo Geral

Este projeto de extensão tem objetivo de desenvolver aulas e oficinas de capoeira para a comunidade de Pelotas, proporcionando não apenas a promoção da saúde através dos exercícios físicos mas também contribuir para um resgate histórico e cultural do jogo da capoeira enquanto manifestação cultural afro-brasileira e patrimônio brasileiro.

Justificativa

A capoeira possui um histórico de lutas e acentuadas diferenças sociais, seu passado confunde-se com a própria cultura brasileira, pois sua origem data da época de imigração da mão de obra negra e escrava. As verdadeiras origens da capoeira estão nas próprias senzalas, onde os negros, relembrando suas velhas danças rituais da África passaram a se exercitar, procurando desenvolver uma forma de luta que lhes permitissem derrubar os feitores e fugir. A maioria dos golpes de capoeira foi baseada nas defesas e ataques de animais: a marrada do touro, o coice do cavalo, a fisgada do rabo da arraia, ou então na observação direta dos seus instrumentos de trabalho, cuja ação procurava imitar, usando o corpo: o martelo batendo, a foice roçando o mato, etc.
A Capoeira surge em um contexto de discriminação, sendo decretado pelo Marechal Deodoro da Fonseca o decreto Lei 487 que dizia: A partir do dia 11 de outubro de 1890, todo Capoeira pego em flagrante será desterrado para a Ilha de Fernando de Noronha, por um período de dois a seis meses de prisão. Parágrafo Único: É considerado circunstância agravante pertencer o Capoeira, a alguma banda ou malta, aos chefes impor-se-á a pena em dobro.
A capoeira continuou assim, marginal e lendária, até que em 1937 atendendo a uma representação de Mestre Bimba da Bahia, Getúlio Vargas revogou a lei Sampaio Ferras, passando a permitir a capoeira como manifestação folclórica. Segundo VIEIRA, 1990 apud FALCÃO, 1996, a capoeira surge no Brasil nas cidades do Rio de janeiro, Recife e Salvador, e se distingue, no início do século XX, em dois grandes estilos: a Capoeira de Angola e a Capoeira Regional.
No ano de 1936 Manuel dos Reis Machado, Mestre Bimba, recebe a permissão da Secretaria Estadual de Saúde e Educação para lecionar capoeira, associada à permissão recebe a habilitação em Educação Física e o alvará da primeira academia registrada da Bahia, a 5ª do Brasil (ALMEIDA, 1982), a Capoeira Regional, assim designada, possui influencia forte das artes marciais, seu jogo é rápido, acrobático e atlético, e seus golpes são rápidos. Em Contraposição ao movimento, surge com o apoio dos intelectuais na década de quarenta o Centro Esportivo de Capoeira Angola de Vicente Ferreira Pastinha, Mestre Pastinha, caracterizado por seus movimentos mais lentos e furtivos, executados perto do solo.
Surge então no Brasil os dois estilos de Capoeira a Regional, e a Capoeira de Angola do Mestre Bimba e Mestre Pastinha respectivamente. Em ambos as atividades da capoeira passam a ser executadas com metodologias pedagógicas. Constituem-se então em referências para Capoeira no Brasil e na atualidade, nos mais de 132 países em que se praticam a Capoeira (VIEIRA, 1990 apud FALCÃO, 1996).
Ao avaliar o processo de construção de identidade da Capoeira ao longo de tantos anos, percebe-se a consistência da prática e evidente influência positiva no desenvolvimento de seus praticantes.
A Capoeira, como exercício de luta, possui um viés filosófico e cultural extremamente importante na formação de crianças e jovens, tornando-se por si só uma atividade educacional.
Neste sentido, este projeto tem a intenção de desenvolver aulas de capoeira para a comunidade de pelotas, resgatando não apenas os aspectos relacionados ao exercício físico da luta, mas também trabalhando seus aspectos histórico-culturais.

Metodologia

O projeto de extensão será desenvolvido na sala de dança da ESEF/UFPel;
Os seguintes procedimentos metodológicos serão realizados para a realização deste projeto:
- Serão realizadas uma reunião com equipe executora para verificar a estratégia de divulgação do projeto;
- Serão ministradas aulas práticas de capoeira para a comunidade na ESEF/UFPel;
- Poderão participar do projetos qualquer pessoa da comunidade de Pelotas, interessado em aprender a cultura da capoeria.

Indicadores, Metas e Resultados

Formar um grupo para desenvolver aulas de capoeira na ESEF.
Despertar o interesse da comunidade para a cultura popular brasileira.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CESAR AUGUSTO OTERO VAGHETTI8
Fábio Machado Pinto6
ISRAEL ISAQUE ARMSTRONG LOBATO LA BANCA

Página gerada em 18/05/2024 07:29:18 (consulta levou 0.179753s)