Nome do Projeto
Gestão na unidade produtora de leite com ênfase nas boas práticas agropecuárias
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
16/09/2019 - 15/09/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Tecnologia e Produção
Linha de Extensão
Desenvolvimento Rural e Questão Agrária
Resumo
A principal função da Gestão da Propriedade é auxiliar o produtor, a tornando-se um empresário rural, oferecendo suporte administrativo para a sua propriedade, o que confere uma melhor qualidade de vida para ele e sua família. As Boas práticas agropecuárias compõem o conjunto de atividades, procedimentos e ações adotadas na propriedade rural com a finalidade de obter um produto de qualidade e seguro ao consumidor (BRASIL, 2018). O projeto será desenvolvido em unidades produtoras de leite (UPL) das regiões Sul, Sudoeste e Centro-oeste do Brasil, seja pela assessoria realizada na propriedade ou por estudo de caso, realizado através de dados colhidos ou enviados por colegas da assistência técnica no país. Os objetivos são: proporcionar a melhoria da atividade leiteira e seus subprodutos em termos técnicos e de gestão da produção; desenvolver melhorias na atividade leiteira, uma fonte alternativa de renda para os agricultores e suas famílias, visando incrementos na sua qualidade de vida; promover o contato dos acadêmicos do Curso de Agronomia, Medicina Veterinária, Zootecnia e Administração de Empresa com a realidade do meio rural fomentando a análise, discussão e construção de propostas alternativas e viáveis de geração de renda para os agricultores; e integrar o meio acadêmico com as instituições e agências municipais de Desenvolvimento Rural com o intuito de promover a inclusão social dos agricultores participantes. Os dados das propriedades serão adicionados em planilhas de Excel ou em softwer de gerenciamento para que possamos dar o suporte da melhoria. As ações a serem realizadas serão: planejamento de dieta das diferentes categorias, reprodução, sanidade, qualidade do leite e econômica. As respostas geradas pela implantação de Boas Práticas Agropecuária são de médio e longo prazo, sendo implantadas de forma lenta e gradativa na propriedade. Na parte técnica, o acadêmico de graduação e/ou de pós-graduação serão colocados diante da racionalidade com que trabalha o produtor e do desafio de oferecer ou melhorar as tecnologias adotadas por ele em termos de produção leiteira. Em termos socioeconômicos, o acadêmico é desafiado a compreender a necessidade de viabilizar economicamente a unidade produtora de leite, a importância de ter uma renda familiar satisfatória para garantir a reprodução social da família, ou seja, a garantia que os filhos permaneceram no meio rural dando continuidade à propriedade familiar ou empresarial. Sob essa ótica, o aluno torna-se um técnico, mas também um extensionista porque compreende a realidade do meio rural e a formas de intervir nesse meio a partir da situação socioeconômica do agricultor. O projeto visa, através do desenvolvimento das suas ações, a unificação dos eixos de ensino, pesquisa e extensão com o intuito de proporcionar aos alunos de graduação e pós-graduação o contato com a teoria e prática relacionada à produção leiteira bem como atender a demanda de assistência técnica, que não é atendida no atual currículo de Graduação dos cursos de Ciências Agrárias da UFPEL.

Objetivo Geral

Avaliar e implantar, dentro da propriedade rural, o uso de Boas Práticas Agropecuárias (BPA) em um sistema produtivo visando à segurança e qualidade da produção de leite.

Justificativa

O mercado consumidor, nacional e internacional, está se tornando cada vez mais exigente em relação aos produtos de origem animal, cobrando da indústria, e por conseqüência do produtor rural, um alimento que apresente alta qualidade, seguro e livre de resíduos. Os critérios de qualidade compreendem: composição, higiene e segurança na obtenção da matéria-prima. E este resultado só é alcançado se no processo de produção boas práticas sejam implantadas, tais como: cuidado com a saúde animal, higiene na ordenha, nutrição animal e qualidade e conservação da água, condições de trabalho, higiene e saúde dos trabalhadores.

Metodologia

A metodologia adotada tem um caráter interdisciplinar baseada numa triangulação que correlaciona os conhecimentos técnicos da produção leiteira, os conhecimentos da Extensão Rural (FONSECA, 1985) e os conhecimentos empíricos dos produtores e empresários. Nesse sentido, busca-se trabalhar através de uma metodologia que valoriza tanto o conhecimento acadêmico (graduação e pós-graduação) como o saber-fazer do produtor de leite. O projeto de extensão será conduzido em propriedades de leite e empresas comerciais dos municípios da região Sul, Sudeste e Centro-oeste do Brasil. O período de coleta de dados será de setembro de 2019 a agosto de 2023, onde as Unidades Produtoras de Leite (UPL) receberão visitas mensais.
Ao trabalhar na dimensão da integração dos saberes busca-se incluir o produtor e o empresário como um agente do seu processo de mudança de vida, através do melhoramento da atividade leiteira da sua propriedade ou da sua empresa. Ao dar “voz” aos produtores tem-se a oportunidade de saber quais são as suas reais necessidades, suas dificuldades e quais aspectos da produção leiteira podem ser melhorados, bem com as necessidades em termos da gestão da produção.
Além disso, torna-se fundamental o contato do futuro profissional das Ciências Agrárias (Engenharia Agronômica, Medicina Veterinária e Zootecnia) com o produtor. Na parte técnica, o acadêmico (graduação e pós-graduação) é colocado diante da racionalidade com que trabalha o produtor e do desafio de oferecer ou melhorar as tecnologias adotadas em termos de produção leiteira. O mesmo se aplica na gestão da produção. Em termos socioeconômicos, o acadêmico é desafiado a compreender a necessidade de viabilizar economicamente a propriedade familiar ou empresarial, a importância de ter uma renda satisfatória para garantir a reprodução social da família, ou seja, a garantia que os filhos permaneceram no meio rural dando continuidade à propriedade familiar. Os principais instrumentos metodológicos que serão utilizados no decorrer do projeto são os seguintes: realização de diagnósticos junto às empresas, grupos de estudo e discussão entre todos os envolvidos, reuniões com os produtores/empresários dos resultados do diagnóstico, encontros de capacitação com os mesmos, elaboração de relatórios mensais, aplicação da avaliação e monitoramento ou acompanhamento das ações realizadas nas propriedades. A seguir é detalhado cada item: 1) Diagnóstico: serão realizados primeiro a nível macro, ou seja, serão levantados dados sobre a produção leiteira em termos de região e do município, chegando até as propriedades (nível micro feita junto aos produtores), conforme propõem Flores et al. (2001) e Antunes & Ries (2001). Além disso, dados sobre mercados para o leite, renda agrícola e não-agrícola das famílias, tamanho das famílias, êxodo rural, perspectivas dos filhos de ficar ou sair do campo, entre outras, farão parte do diagnóstico. Essa etapa será desenvolvida por todos os participantes. 2) Reunião com os produtores/empresários: retorno do diagnóstico e verificação dos principais pontos a serem abordados na capacitação técnica e de gestão. 3) Grupos de estudo: análise do diagnóstico, organização e discussão e construção do material técnico para as capacitações. Essa etapa é feita por todos os participantes. 4) Encontros de capacitação: será realizado um encontro mensal com os produtores/empresários para dialogar e repassar conhecimentos sobre a parte técnica e de gestão da atividade leiteira. Essa etapa será realizada pelos acadêmicos e demais parceiros com acompanhamento do coordenador. A cada capacitação, os ministrantes de cada etapa vão produzir um relatório que será entregue ao coordenador. Após cada capacitação, os capacitadores farão uma visita técnica mensal em cada propriedade para o acompanhamento da aplicação dos conteúdos repassados nas etapas de capacitação. 5) Avaliação e monitoramento: essa etapa será realizada pelos acadêmicos e coordenador.

Indicadores, Metas e Resultados

Os indicadores serão os índices zootécnicos colhidos nas propriedades leiteiras pelos acadêmicos de graduação e pós-graduação orientados pelo coordenador e as publicações (Congressos, cursos, palestras e dias de campo) que proporcionarão. A meta é atingir o máximo de propriedades da região Sul, Sudoeste e Centro-oeste do Brasil e proporcionar palestras nas regiões onde ocorrer o projeto de extensão. Os resultados esperados é que ocorra melhoria na produção e qualidade de leite nas propriedades leiteiras acompanhadas pelo grupo de professores, acadêmicos e pós-graduandos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE BIANCA BERVIAN
ANDRESSA MIRANDA CHAVES
BRUNA ZART
CARLA JOICE HARTER3
CARLOS HENRIQUE SILVEIRA RABELO3
DANIEL JOSE CAVALLI VIEIRA
EDUARDO DA SILVA AVILA
ERICK TONELLO BARRETO
GIOVANA WINK FALEIRO
GIOVANI FIORENTINI3
GUILHERME POLETTI
LARISSA RIOS OSWALDT
LUCAS CAVALLI VIEIRA
MATHEUS RAMOS FARIA
MELINA CALEGARO TAMIOZZO
MORGANA ROHR
RODRIGO CHAVES BARCELLOS GRAZZIOTIN
ROGERIO FOLHA BERMUDES4
TARSO SOARES ROSA
VERLISE LUCENA ROQUE DA SILVA
VITORIA MENDONCA DA SILVA

Página gerada em 19/11/2019 08:46:07 (consulta levou 0.107891s)