Nome do Projeto
Errando se aprende a errar
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
02/04/2020 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Resumo
Partindo da expressão Errando, errando se hace el hombre sabio o projeto de ensino pretende ser a oportunidade para experimentar o conhecimento nas suas práticas. O projeto se insere dentro da proposta pedagógica da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo gerando um laço entre o Centro de Artes e o GEEUR – Grupo de Estudos Etnográficos Urbanos, dentro de uma abordagem multidisciplinar. Com especial direcionamento as artes urbanas como formas de relacionamento em aberto entre cidade e sociedade, o projeto se desenvolve dentro das disciplinas de História das Artes e Estética, sendo organizado em oficinas práticas, com uma metodologia extemporânea (atelier de prática em grupos), caminhadas exploratórias na cidade e eventos/oficinas públicos. O projeto de ensino se apoia ao projeto de pesquisa Explorações Urbanas Errar no Limiar, que visa uma pesquisa com abordagem exploratória, construindo o conhecimento juntamente a uma experiência sensorial e corporal com/na cidade. As atividades propostas serão organizadas dentro do projeto de extensão Da arquitetura Ociosa ao Urbanismo Interativo que pretende contribuir para a ativação de lugares ociosos na cidade de Pelotas, experimentando a arte urbana como ferramenta ágil ao evidenciar as forças de poderes que constroem e destroem o urbano. A participação de artistas e professores na proposição de atividades práticas sempre visa estimular reflexões urbanas atuais e palpáveis. O projeto quer aproximar os estudantes as diferentes realidades contemporâneas onde a arte consegue perceber e comunicar utilizando ferramentas mutáveis e estratégicas em contínua evolução. Esse projeto destina-se a ser um espaço aberto a alunos e professores que, para além das disciplinas, tenham como experimentar a errância entendida como se perder, ir a deriva e aprender com a possibilidade de errar, equivocar-se como construção de uma crítica contemporânea e ferramenta didático-pedagógica inovadora no campo do urbanismo contemporâneo.

Objetivo Geral

Proporcionar atividade práticas de ensino-aprendizagem utilizando as ferramentas artísticas.
Estimular o interesse em conhecer nosso entorno e a complexidade da cidade contemporânea.
Desenvolver a construção de uma leitura crítica das ferramentas urbanísticas tradicionais na abertura a novos paradigmas de conhecimento.
Desenvolver capacidade criativa de produção qualificada e tecnológica.
Estimular a pesquisa e extensão tanto na graduação quanto na pós-graduação.

Justificativa

O projeto de ensino quer proporcionar um espaço neutro externo a sala de aula, um lugar outro de observação e discussão das teorias e práticas atuais. A importância que as ferramentas artísticas representam dentro da produção arquitetônica e urbana como linguagens e processos comuns e divergentes. A oportunidade de experimentar novos lugares, criando relações afetivas urbanas e momentos de reflexão e debates sobre o rol das artes integradas. O projeto quer ser também a possibilidade do aluno se experimentar com técnicas artísticas contemporâneas.

Metodologia

Através de grupo de estudo, criação, produção, e apresentações, em parceria com professores colaboradores, receberemos alunos que queiram desenvolver pesquisa artística, material didático ou projeto gráfico nesse espaço, além da organização das oficinas práticas e pós produção das mesmas.
A metodologia de desenvolvimento do ensino prevê 4 movimentos : 1- A exploração como reaproximação da cidade, do nosso entorno, ainda incomunicável as nossa ferramentas de análise científica. 2- Entendimento da problemática espacial e artística. 3-Proposição de uma interação 4- Experimentação com possibilidade de erro.

Indicadores, Metas e Resultados

A ampliação de conhecimento técnico e científico no campo das ciências integradas.
Estimular novas formas de entendimento e interações a curto efeito na cidade de Pelotas, onde os estudantes sejam convidados a sair da zona de conforto como metodologia pedagógica de aprendizado.
Estimular novas temáticas de pesquisa interdisciplinar.
Estimular novas dinâmicas de ações universitárias na cidade de Pelotas.
Criar um lugar de encontro de práticas nas diferentes áreas que estudam o urbano em sua construção utópica e distópica.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
EMANUELA DI FELICE4
FLAVIA MARIA SILVA RIETH2
FRANCISCO LUIZ PEREIRA DA SILVA NETO2
HELENE GOMES SACCO2
LEONARDO SCHERER
THIFANI GOMES ORTIZ MACHADO

Página gerada em 03/12/2020 22:58:07 (consulta levou 0.105196s)