Nome do Projeto
MODOS DE APRENDER NA UNIVERSIDADE: DA AUTORREGULAÇÃO AOS PROJETOS DE VIDA
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2020 - 31/07/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Nos últimos anos, os estudantes enfrentam grandes dificuldades na aprendizagem de conteúdos disciplinares. Este fato marcante na UFPel inquieta a todos e nos instiga a encontrar alternativas para superá-lo. A presente proposta de pesquisa, a ser realizada com estudantes interessados de diferentes cursos de graduação, coloca ênfase na aprendizagem autorregulada. Intenciona-se coletar e analisar as Estratégias de Estudo e Aprendizagem por meio da escala – Learning and Study Strategies Inventory (LASSI), mobilizadas pelos estudantes da Universidade Federal de Pelotas, além das escalas de estratégias de autorregulação da aprendizagem e inventário de autorregulação da aprendizagem. Será organizado um banco de dados, os quais serão submetidos ao programa IBM SPSS Statistics Version 22 para efetuar a análise estatística. Prevê-se, posteriormente, a realização de oficinas a serem realizadas com os estudantes, respectivamente no Circuito de APRENDIZagem. Ao final da pesquisa espera-se construir conhecimento teórico/prático sobre a realidade dos estudantes da UFPel, intencionado que estudantes e professores mobilizem diferentes estratégias para autorregular o ensino e a aprendizagem. A pesquisa contará com a colaboração da Profa. Dra. Ana Margarida Veiga Simão, da Universidade de Lisboa e com a Profa. Dra. Evely Boruchovitch da UNICAMP, com as quais estabeleceu-se uma rede. Acredita-se que pensar a aprendizagem autorregulada numa perspectiva transcultural e em redes de colaboração com experts na temática, fortalecerá a cooperação científica entre grupos dos Programas da Pós-Graduação. Espera-se levantar dados para compreender a realidade dos estudantes e avaliar a eficácia do programa de intervenção, verificando se os estudantes ativam, monitoram e gerenciam suas aprendizagens.

Objetivo Geral

- Analisar o modo como os estudantes ingressantes da UFPel mobilizam as estratégias de autorregulação da aprendizagem e os hábitos de estudos em suas atividades acadêmicas, buscando encontrar, por meio de um programa de intervenção, alternativas para a superação de obstáculos e desafios enfrentados no contexto universitário.

Justificativa

Ao atuar no Ensino Superior há mais de 20 anos e percebo múltiplas dificuldades apresentadas por estudantes universitários relacionadas à aprendizagem de conteúdos e no desenvolvimento de competências para superação de obstáculos encontrados em suas trajetórias acadêmicas. Atualmente, os estudantes são ‘bombardeados’ por informações advindas dos mais diversos canais de comunicação, entre os quais a internet e as redes sociais tomam destaque. Além disso, no Brasil, após o REUNI (2007), chegam ao ambiente universitário estudantes com muitas dificuldades para aprender, situação que eleva os índices de reprovação e de abandono no Ensino Superior. Este fato é marcante na Universidade em que atuo, mas não só, é um fenômeno observado nas demais Universidades do Brasil. Essa problemática instiga pensar em alternativas de superação. Sendo assim, ressalto a importância dessa pesquisa, considerando que, por meio dela, se possa propor e implementar estratégias de aprendizagem autorregulada. A teoria da aprendizagem autorregulada tem atraído o interesse de muitos pesquisadores em diversos estados, mas, poucos geraram produção de conhecimentos necessários à sua aplicação no contexto universitário. Considerando esses fatos, viso mapear as estratégias autorregulatórias reveladas por estudantes universitários e, posteriormente, ao realizar intervenções, coletar dados que possam contribuir para que os professores e estudantes monitorem e gerenciem com mais eficácia processos de ensino e de aprendizagem. Cabe ainda destacar que pesquiso sobre fatores associados à autorregulação da aprendizagem, desde 2003 ao ingressar no doutorado, complementando com estudos aprofundados no Estágio Sênior em 2015, na Faculdade de Psicologia, da Universidade de Lisboa. Sou líder do Grupo de Estudos e Pesquisa da Aprendizagem Autorregulada (GEPAAR) e pesquisadora Pq2/CNPq em Educação, com ênfase na autorregulação da aprendizagem. Neste sentido, a pesquisa será realizada com estudantes de diferentes cursos de graduação da UFPel. Intenciona-se, além de contribuir para o avanço do conhecimento em relação a realidade contextual da UFPel, se possa fortalecer melhores índices de aproveitando universitário potencilizados pela implementação de novas práticas pedagógicas. Os benefícios de se promover a autorregulação da aprendizagem no contexto acadêmico têm sido amplamente discutidos e todas pesquisas mostram-se favoráveis ao processo da autorregulação como meio de promover o sucesso acadêmico dos estudantes. Esses estudos mostram que estudantes mais autorregulados tendem a se mostrarem mais autoeficazes e apresentam mais estratégias de aprendizagem, o que se relaciona com melhores desempenhos. Portanto, a intenção é investir fortemente no ensino de estratégias, as quais são consideradas como motor para a promoção da aprendizagem autorregulada, além de aumentar as crenças de autoeficácia e motivação quando recebem um retorno positivo das estratégias que utilizaram, empenhando-se ainda mais nos estudos, aumentando assim o seu desempenho.

Metodologia

A pesquisa será desenvolvida com estudantes de diferentes cursos de graduação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Os participantes da pesquisa serão os estudantes que aceitarem o convite para responder, de forma voluntária os instrumentos; escala – Learning and Study Strategies Inventory (LASSI); Inventário de Autorregulação da Aprendizagem e o Questionário de Estratégias de Autorregulação do Controle do Desempenho. Após a coleta e análise dos instrumentos será realizada a intervenção APRENDIZagem: Circuito de Autorregulação para aprender. Neste Circuito serão realizadas oficinas de (auto)formação para estudantes interessados realizadas a partir dos dados coletados. Os dados obtidos por meio de instrumentos, coletados via Cobalto/UFPel, serão organizados em um banco, utilizando o programa IBM SPSS Statistics Version 22, e analisados através de procedimentos da estatística descritiva e inferencial. Os dados coletados na intervenção, em depoimentos e registros serão submetidos à análise de conteúdo, o que permitirá compreender amplamente os fenômenos investigados. A metodologia de coleta de dados da intervenção ocorrerá nas oficinas, que exigirão dos estudantes autorreflexão sobre as aprendizagens e os métodos por eles utilizados para aprender. Serão realizadas escritas narrativas autorreflexivas sobre o tema da intervenção; relatos de situações de aprendizagens vivenciadas com sucesso e/ou fracasso; estudo e exposição de conteúdos teóricos sobre a motivação e o uso da autorreflexão para aprender, entre outras que se fizerem necessárias. Esse conjunto de instrumentos permitirá perceber se houve sinais de mudanças evidenciados pelos estudantes na utilização das estratégias autorregulatórias para aprender na universidade. Intenciona-se examinar as relações e interações sociais ou interpessoais e os comportamentos que evidenciam a autorregulação da aprendizagem. Prevê-se a participação de estudantes de mestrado, doutorado, iniciação científica, bem como de pesquisadores em estágio de pós-doutorado, para a coleta e análise dos dados.

Indicadores, Metas e Resultados

Acredita-se que a pesquisa trará contribuições significativas, na medida em que os estudantes identificarão as estratégias de aprendizagem que utilizam ou não e, por meio da reflexão sobre o processo de sua aprendizagem pessoal, possam contribuir para promover novas estratégias de ensino e aprendizagem aos envolvidos. Espera-se que com resultados dessa investigação, se possa criar um programa que contribua para que os estudantes ativem, monitorem e gerenciem suas aprendizagens e que estimule os professores a desenvolverem com mais intensidade a consciência de seu poder e de sua responsabilidade, em termos individuais e coletivos, no investimento da aprendizagem autorregulada, para poder ultrapassar as dificuldades que persistem no meio universitário.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA MARGARIDA DA VEIGA SIMÃO
CAROLINA BORBA DOS SANTOS
CELIA ARTEMISA GOMES RODRIGUES MIRANDA
JULIA GUIMARÃES NEVES
LARISSA PIRES BILHALBA
LIZ CRISTIANE DIAS4
LOURDES MARIA BRAGAGNOLO FRISON4
LUCIANO DE VASCONCELLOS CORREA2
PEDRO CASTILHOS DA ROSA
VERA LUCIA DOS SANTOS SCHWARZ
ÍGOR MENDES KRÜGER

Página gerada em 03/07/2022 04:44:57 (consulta levou 0.079474s)