Nome do Projeto
Hortas urbanas: do diagnóstico à uma proposta para o espaço urbano.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
04/05/2020 - 04/05/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O presente projeto de pesquisa situa-se no campo da sustentabilidade ambiental urbana, desejando-se avançar do tradicional diagnóstico e caminhando para construção de uma proposta para as cidades. Concentra-se na avaliação dos fatores que levaram ao êxito das hortas urbanas que se desenvolvem, no município de Pelotas. Parte de um projeto de extensão, já desenvolvido no âmbito do UFPEL, que incentiva organização de hortas urbanas. A partir desta experiência verificou-se que as categorias trabalho, solidariedade, capital, equipamentos e busca de insumos são importantes para organização de hortas urbanas, despertando o interesse em investigar qual destes elementos é mais importante para o sucesso ou fracasso do projeto, hierarquizando estas categorias. São referências no projeto Porto Gonçalves, Enrique Leff, Santos. A metodologia usada é da pesquisa ação, aos moldes do que anuncia Thiollent, juntamente com entrevistas semiestruturadas com os grupos de hortas, tanto da equipe acadêmica UFpel que participam do Projeto como da comunidade pelotense. Como resultados espera-se incentivar mais hortas urbanas e hierarquizar os fatores entre capital, trabalho, equipamentos, insumo e solidariedade para o êxito do projeto, identificando alternativas para fortalecer estas categorias na execução do projeto.

Objetivo Geral

-Apoiar a organização de hortas urbanas e avaliar quais categorias entre trabalho, solidariedade, capital, equipamentos e busca por insumos para o sucesso ou fracasso das hortas urbanas, visando contribuir para elaboração de políticas públicas sobre o tema.

Justificativa

Atualmente muitos teóricos tem diagnosticado os problemas ambientais urbanos decorrentes da nossa relação equivocada entre nós e com a natureza. O que nos resta no atual momento é pesquisar alternativas que possam reverter o quadro de insustentabilidade ambiental que vivemos. O projeto que é apresentado aqui é uma proposta para analisar o processo de organização de hortas urbanas e contribuir para que uma política pública de hortas urbanas seja efetivada no país, e que política seja implementada e ganhe êxito. Já existem políticas desta ordem tramitando no país, como é o caso da PL 303/19 que a Câmara está analisando, que permite que áreas públicas sejam utilizadas para hortas comunitárias de produção orgânica que serão cuidadas por famílias de baixa renda organizadas em associações, cooperativas ou sindicatos. Considera-se que ao evidenciar estas categorias que mais interferem na organização das hortas, a evidência terá impacto busca de alternativas na relação sociedade e natureza. Além disso, o projeto incentiva a organização de hortas, que por si, já gera experiências para o país que contribuam na melhor relação sociedade e natureza.

Metodologia

A pesquisa está integrada a ação na extensão, onde se apoia hortas urbanas. A pesquisa será um estudo de caso de natureza qualitativa, realizada com hortas existentes, que continuam poiadas pelo projeto nas comunidades pelotenses Tablada e PY Crespo, com uma horta apoiada pelo Centro de Atendimento ao Pequeno Agricultor na comunidade Pestano e com hortas que serão incentivadas, ainda em 2019.
Se utilizará da pesquisa-ação para apoiar as hortas e analisar as categorias trabalho, solidariedade, capital, busca por insumos e equipamentos e sua importância na organização das hortas. Além disto, será utilizado entrevistas qualitativas semiestruturadas com as comunidades envolvidas e com os profissionais envolvidos nas hortas.
A pesquisa ação como metodologia do projeto possibilita está em estreita associação com uma ação onde os pesquisadores estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo. THIOLLENT (1986). Os princípios ancorado pelo tipo de pesquisa permitem que possamos refletir, planejar a ação, dialogar sobre a ação com os participantes e propor novas ações. Nesse processo é possível fazer um histórico do processo de cada de constituição de cada horta e identificar as categorias que mais interferem no processo.
A entrevista semiestruturada, partirá de questionamentos básicos envolvendo as categorias trabalho, solidariedade, capital, busca por insumos e equipamentos aos informantes, que estão apoiadas em hipóteses levantadas durante a atuação na extensão. Os informantes devem seguir livremente sua linha de seu pensamento e suas experiências dentro das hortas. A partir das respostas será analisado de forma geral as dificuldades na organização das hortas, categorizado segundo as premissas iniciais do trabalho, acrescentado ou subtraído categorias se necessário e após hierarquizado as categorias.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que:
- Materialização de um ou mais horta com realização de colheita.
- Organização de um histórico sobre as hortas incentivadas antes e durante o projeto.
- Identificação e hierarquização das categorias importantes para realização de hortas urbanas

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BETIELE BADIA
EMILIA ESTEFANIA VILLALBA MORINIGO
GIOVANA MENDES DE OLIVEIRA36
KAROLINE PORCIUNCULA DA SILVA
LUIZ HENRIQUE SANTOS DE SOUZA
LUIZA HELENA CORREA TYBUSCH
MARIA CAROLINA GOMES SILVA E SILVA
NISCHA MAENO SILVA
PEDRO DE MOURA ALVES
SAMUEL MOREIRA SILVEIRA FERNANDES
TEILA CEOLIN

Página gerada em 13/04/2024 10:14:25 (consulta levou 0.166499s)