Nome do Projeto
Flora do Pontal da Barra do Laranjal, Pelotas, Rio Grande do Sul
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
28/04/2020 - 27/04/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
Segundo o Ministério do Meio Ambiente, o estado do Rio Grande do Sul possui 63% do território ocupado pelo bioma Pampa. Dentre as paisagens naturais do Pampa, predominam os campos nativos, também sendo presentes as matas ciliares e de encostas, matas de pau-ferro, formações arbustivas, afloramentos rochosos, butiazais e banhados. O litoral do estado é composto por uma planície costeira que inclui paisagens diversas, como lagoas, dunas, matas de restinga, áreas úmidas e banhados. É neste contexto que está inserido o Pontal da Barra do Laranjal, no município de Pelotas, Rio Grande do Sul. A região está localizada na margem oeste da Laguna dos Patos, no encontro com o canal São Gonçalo, e apresenta variadas fisionomias vegetais, dentre as quais estão dunas, turfeiras, campos úmidos e secos, banhados e florestas de restinga. Graças à paisagem diversa, o Pontal da Barra apresenta uma rica biodiversidade, incluindo diversas espécies de plantas e animais endêmicos e/ou ameaçados de extinção. A área em torno do Pontal da Barra do Laranjal apresenta intensa atividade antrópica que acarreta em sérias ameaças à biodiversidade local, principalmente aterramentos para loteamento imobiliário. Portanto, trabalhos como levantamentos florísticos que visam compreender a composição e a dinâmica da flora do local em questão são de extrema importância para que ações de preservação possam ser tomadas com o devido embasamento. Recentemente, a Universidade Federal de Pelotas, em colaboração com outras instituições de pesquisa, como a Embrapa Clima Temperado, por exemplo, divulgou um documento justificando a implementação de uma Unidade de Conservação na região, para preservar este ambiente único. Desta forma, o presente projeto visa inventariar e evidenciar a importância da flora local, compreender e identificar a diversidade de espécies existentes no Pontal da Barra, bem como demonstrar a relevância de levantamentos florísticos para a elaboração de estratégias de conservação.

Objetivo Geral

Elaborar uma lista de espécies da flora ocorrentes no Pontal da Barra do Laranjal, Pelotas, Rio Grande do Sul.

Justificativa

Estudos sobre biodiversidade, como levantamentos de fauna e flora, são fundamentais para fornecer dados qualitativos e quantitativos sobre as espécies e, desta forma, possibilitar a compreensão da composição e dinâmica dos ambientes (CHAVES et al., 2013). Além de fornecer dados relevantes para auxiliar na justificativa para implementação de uma Unidade de Conservação, estudos desta natureza são cruciais para a elaboração de estratégias que tornem a conservação mais eficiente.

Metodologia

Local de Estudo
O estudo será desenvolvido na região do Pontal da Barra do Laranjal no município de Pelotas, Rio Grande do Sul. A localidade estudada compreende a área entre margem do canal São Gonçalo, da Laguna dos Patos e do arroio Pelotas, sendo assim delimitada ao leste pelas coordenadas 31°47'3.18"S, 52°13'14.03"O e oeste pelas coordenadas 31°45'47.96"S, 52°17'17.58"O. Ao longo de sua extensão, o Pontal da Barra do Laranjal é marcado por possuir uma diversidade de ambientes, como banhados, turfeiras, campos úmidos e secos, dunas campestres e florestais, e até florestas de restinga paludosas e arenosas (VENZKE et al., 2018).

Coleta e Identificação
Serão realizadas no mínimo duas expedições de coletas por mês, durante o período de um ano, totalizando pelo menos 24 expedições. As saídas de campo serão realizadas seguindo o método de caminhamento (FILGUEIRAS et al., 1994). A coleta e herborização do material será realizada segundo os procedimentos descritos no Manual Técnico da Vegetação Brasileira (2019) e depositadas no acervo do Herbário da Universidade Federal de Pelotas (PEL) e da Embrapa Clima Temperado (ECT). Duplicatas serão enviadas para herbários de instituições colaboradoras.
As identificações serão realizadas por meio de chaves de identificação para famílias, tribos, gêneros e espécies presentes na literatura especializada, com o auxílio das descrições originais e material-tipo e comparação com fotos e exsicatas disponíveis online no Herbário Virtual do REFLORA (FLORA DO BRASIL 2020 em construção, 2020). O material será primeiramente identificado ao nível de família, logo após tribo, quando pertinente, posteriormente gênero e por fim espécie. Os nomes científicos das espécies e nomes de autores serão revisados no The International Plant Names Index (IPNI).

Organização do bancos de dados
Será realizado um levantamento das coletas realizadas previamente para as famílias elencadas na área de estudo nas plataformas virtuais Herbário Virtual REFLORA e speciesLink (2020) e também depositadas no Herbário PEL (IB-UFPel), com a finalidade de localizar outras coletas eventuais realizadas no Pontal e assim complementar o levantamento das espécies ocorrentes na região.
Os dados da caderneta de campo serão digitados em um planilha do Excel. A partir dos dados tabulados serão confeccionadas as etiquetas das exsicatas que serão depositadas nos herbários.

Análise dos dados
Com o resultado dos levantamentos florísticos, utilizando planilhas do Excel, serão elaboradas listas de espécies das plantas que ocorrem no Pontal da Barra do Laranjal. Esta lista será organizada de acordo com as famílias, tribos, gêneros e espécies encontradas. A partir da lista de espécies, serão realizadas buscas por avaliações do estado de conservação das espécies através de plataformas digitais como o REFLORA, do Livro Vermelho da Flora do Brasil (2013) e da Lista da Flora Gaúcha Ameaçada de Extinção (SEMA, 2020). Além disso, através do REFLORA serão consultadas as suas distribuições geográficas a fim de identificar espécies endêmicas e ameaçadas de extinção.
Também serão elencadas espécies para realizar uma avaliação do seu estado de conservação seguindo as categorias e critérios da IUCN (International Union for Conservation of Nature) e categorizando-as dentro das seguintes categorias: segura ou pouco preocupante (LC), quase ameaçada (NT), vulnerável (VU), em perigo (EN), criticamente em Perigo (CR), extinta na natureza (EW), extinta (EX), dados deficientes (DD) e não avaliada (NE) (MARTINELLI et al., 2013). As espécies endêmicas e/ou ameaçadas identificadas nas buscas ou nas avaliações serão somadas a listas preexistentes já publicadas em Barcellos (2019), colaborando assim para a justificativa de proteção da região do Pontal da Barra do Laranja
A divulgação dessa lista será realizada através da publicação de artigos científicos para cada grupo botânico, abordando, assim, as particularidades de cada um. Além da eventual publicação dos dados em plataformas virtuais, outras formas mais acessíveis de divulgação também serão realizadas, como a elaboração de um site de divulgação científica onde será detalhado o estudo e disponibilizadas as listas de espécies e seu nível de ameaça. O site levará informações para o público em geral de forma mais acessível e didática, permitindo uma maior aproximação da comunidade com a biodiversidade que a cerca.

Indicadores, Metas e Resultados

Ao final do projeto é esperado produzir um inventário das famílias, tribos, gêneros e espécies de plantas que ocorrem no Pontal da Barra do Laranjal. É esperado ainda, verificar o estado de conservação das espécies encontradas e demonstrar a importância ecológica da região, fornecendo dados e subsídios para a sua conservação e a formação de pessoal na área da botânica abordando aspectos de prática de campo, taxonomia e sistemática vegetal.
A partir do inventário das espécies que ocorrem no Pontal da Barra do Laranjal será possível obter novos dados de distribuição destas espécies bem como ampliar o acervo de exsicatas dos herbários aos quais as plantas serão depositadas, expandindo assim, o conhecimento acerca da biodiversidade da região.
Tendo em vista a presença da UFPel no município de Pelotas, é de extrema importância que a universidade contribua e se conecte com a comunidade através de trabalhos que beneficiem tanto a própria população como também seus alunos e servidores. A justificativa para a criação de uma unidade de conservação, conjuntamente com outras organizações, é um exemplo disso. Um trabalho que envolve servidores, alunos e comunidade em geral também beneficia a todos estes.
Outro benefício importante que o projeto vai trazer para a cidade se trata do conhecimento que pode ser levado para sua população, conscientizando-a acerca da biodiversidade que a cerca e da importância de preservá-la. Além disso, outro fator de importância que a região de estudo proporciona, são os serviços ecossistêmicos, tendo como principal serviço, o de evitar alagamentos na cidade (BARCELLOS, 2019). Com o embasamento dos dados desta pesquisa, essas ações de conscientização poderão ser realizadas através de estandes informativos em locais públicos, divulgação em redes sociais, ou até mesmo através de veiculação da mídia.
Dessa forma, com o conhecimento mais específico a respeito da flora da região é possível contribuir com projetos que visam a conservação da área, sendo possível promover práticas sobre educação ambiental tanto para a comunidade em geral quanto para estudantes de nível básico e superior. Isso também abre caminho para futuros projetos acerca de ecoturismo na região, resultando em um desenvolvimento sustentável para a cidade, complementando sua economia. Ações como essas poderão promover a interação das pessoas com o meio no qual elas vivem, tendo um importante papel para que todos possam conhecer e entender a dinâmica da grande biodiversidade que envolve o Pontal da Barra do Laranjal.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DEBORA PRESMINI DALZOTTO
EMANUEL SCHERDIEN DA ROSA
FERNANDO FERNANDES DE OLIVEIRA NETO
GIOVANNI NACHTIGALL MAURICIO1
GUSTAVO HEIDEN
JOÃO RICARDO VIEIRA IGANCI2
TACIANE SCHRODER JORGE

Página gerada em 01/12/2021 23:59:21 (consulta levou 0.221710s)