Nome do Projeto
Estudo de inibidores orgânicos de corrosão
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/07/2020 - 31/07/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Resumo
Este projeto trata do estudo de inibidores de corrosão ambientalmente amigáveis. Neste sentido, será estudado o uso de inibidores orgânicos também conhecidos como inibidores ecológicos. O estudo se dará primeiramente fazendo-se uma extensa revisão bibliográfica sobre o estado da arte destes produtos. Posteriormente, se escolherá os inibidores orgânicos mais adequados e serão feitas deposições via imersão, pintura e eletrodeposição. Parâmetros de deposição serão avaliados. A avaliação da corrosão se dará por estudos eletroquímicos, ensaio de corrosão em câmara de névoa salina e ensaio de corrosão em câmara de intemperismo acelerado.

Objetivo Geral

O objetivo geral desse projeto consiste em estudar diferentes inibidores orgânicos para a corrosão metálica.

Justificativa

A proteção de substratos metálicos com revestimentos é uma importante área de pesquisa tanto para a indústria para a ciência dos materiais. Há cerca de 10 anos os gastos associados à corrosão no Brasil estavam por volta dos US$10 bilhões, principalmente na indústria petrolífera. Para se ter ideia da dimensão do problema, a entidade International Zinc Association (IZA) com apoio da USP-SP publicou um estudo concluindo que os gastos com corrosão são equivalentes a 4% do PIB do Brasil, o que em dados de 2017, corresponde a cerca de 264 bilhões de reais. No intuito de prevenir a corrosão, o uso de componentes orgânicos como inibidores de corrosão é uma das mais simples, efetivas e rentáveis alternativas. Nos dias de hoje, as sínteses tradicionais desses inibidores geram problemas ambientais pela liberação de químicos no ambiente. Para contornar esse problema existem tecnologias sustentáveis com a chamada “química verde” que incluem a utilização extratos de plantas. Estes extratos fitoquímicos oferecem fortes interações com metais que conferem sua eficiência na inibição da corrosão. Além do mais, estes fitoquímicos são sintetizados naturalmente usando dióxido de carbono (CO2) atmosférico e água na presença de luz solar sem o uso de solventes ou outros produtos químicos danosos ao meio ambiente.

Metodologia

Este projeto pode ser dividido em 3 fases:
1- Escolha das plantas a serem utilizadas e dos métodos de extração dos fitoquímicos de interesse.
Nesta primeira etapa, uma vasta pesquisa bibliográfica deverá ser realizada para a escolha das plantas e métodos de extração mais adequados. Com as plantas e métodos definidos, deverá ser realizado em laboratório a extração dos fitoquímicos.
2- Escolha do método de deposição sobre o substrato metálico.
A escolha do método de deposição também ocorrerá com base em pesquisa bibliográfica, no entanto, planeja-se avaliar a eficácia de diferentes métodos.
3- Ensaios de corrosão.
Para avaliação da eficiência na prevenção da corrosão, serão realizados testes eletroquímicos, testes em câmara de névoa salina e testes de corrosão em câmara de intemperismo acelerado.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se através desse projeto:
Desenvolver recursos humanos na área de corrosão;
Desenvolver produtos e métodos de combate à corrosão que levarão à artigos e/ou patentes;
Contribuir para o desenvolvimento de produtos menos nocivos ao ambiente.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE GONCALVES OSORIO6
AUGUSTO SANTOS DO NASCIMENTO
CAMILA MONTEIRO CHOLANT
EDILSON NUNES POLLNOW
ERIKA VASQUES SCHNEIDER
FERNANDO MACHADO MACHADO2
FRANTCHESCOLE BORGES CARDOSO
LEANDRO LEMOS SILVEIRA
NICHOLAS FERNANDES DE SOUZA
RUBENS CAMARATTA8
TIAGO MORENO VOLKMER4
UILLIAN DA PORCIUNCULA NUNES

Página gerada em 04/08/2021 13:46:33 (consulta levou 0.154596s)