Nome do Projeto
Ensino Médico à Distância em tempos de COVID-19
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
15/06/2020 - 18/09/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Endemias e epidemias
Resumo
Educação médica a distância tem sido referida como uma importante ferramenta para auxiliar a graduação em clínica médica. Como cidadão, percebi desde o início da pandemia da COVID19 no nosso meio, especialmente a partir do dia 16 de março de 2020, com as orientações oficiais para o distanciamento social, a necessidade de comunicar para a população em geral alguns conceitos básicos como a higienização das mãos, o uso de máscaras caseiras e a importância do distanciamento social. Comecei, pessoalmente, a publicar textos e vídeos nas redes sociais, utilizando minha página pessoal no Facebook, a página do LABENSIM e meu canal no YouTube. Como professor do DCM da FAMED da UFPel e como professor coordenador da Liga de Educação Médica (LEM), passei a observar, por um lado, a ansiedade crescente dos estudantes com o avanço da pandemia e com a imposição do distanciamento social e, por outro lado, a necessidade de lhes oferecer alguma atividade de ensino qualificada (NEIVA, L. Impactos na Saúde Mental e Intervenções Psicológicas Diante da Pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19), “no prelo”). Um dos resultados dessa necessidade identificada inicialmente foi um pequeno vídeo gravado no LABENSIM sobre Sequência Rápida de Intubação, produzido a partir de uma demanda para os clínicos da microrregião de Pelotas, trazida pela Dra. Fripps. Ainda em março de 2020, um colega médico apresentou-me um programa de computador, o Zoom, que permitia videoconferências com apresentação de slides. Em seguida, constituí um grupo de colegas médicos e convidei um estudante de medicina da UFPel, Erick, para dar início a produção de videoconferências sobre assuntos relacionados com a COVID-19. Nesse mesmo período, a estudante Denise, apresentou-me o projeto da professora Blank, da Faculdade de Letras, que tem por objetivo utilizar o Moodle como recurso de Ensino à Distância para levar conceitos relevantes às professoras da rede estadual de ensino. A partir desse momento, utilizando o Zoom para as videoconferências e o Moodle como plataforma, eu reuni um grupo de alunos, a maioria integrantes da Liga de Educação Médica, e começamos a produzir material educativo para as professoras. Como o núcleo do que estava sendo trabalhado era educação em saúde em tempos de COVID-19 para, no final, atingir os estudantes da rede estadual de ensino, a doutora em filosofia da educação, Beatriz de Freitas, que acompanhava os trabalhos, teve a ideia de desenvolver um currículo de escola caseira e começou a produzir áudios e vídeos com historinhas para crianças com assuntos relacionados e passou a integrar esse grupo transdisciplinar interessado em ajudar as pessoas durante esses tempos tão complicados do ano de 2020. Eu tenho sido o responsável por definir os assuntos prioritários. Para os clínicos da linha de frente, selecionei a Sequência Rápida de Intubação como primeiro tópico. Para os estudantes prepararem as videoconferências direcionadas às professoras, selecionei a Prevenção de Acidentes Domésticos com crianças, com idosos e Primeiros Socorros. Alguns estudantes e alguns colegas do grupo trazem sugestões interessantes que são analisadas e devolvidas para o grupo definir a ordem cronológica de produção.

Objetivo Geral

• Produção de textos e de videoconferências em português e atualizadas sobre assuntos prioritários para o clínico que esteja atuando na linha de frente de atendimento à pacientes com a COVID-19, seja em nível ambulatorial, hospitalar ou de cuidados intensivos.
• Produção de videoconferências dirigidas ao público em geral sobre assuntos relevantes sobre a compreensão e sobre os cuidados necessários durante a pandemia de COVID-19.
• Produção de videoconferências dirigidas à estudantes de medicina, abordando conhecimentos relativos às ciências básicas da graduação médica e que são importantes para a prática de atendimento às diversas apresentações clínicas dos pacientes com COVID-19.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Especificamente, o professor espera com o presente projeto:
1. Divulgar material de Educação Médica à Distância embasado em evidências e adequadamente apresentado para clínicos, para estudantes de medicina e para o público em geral.
2. Oferecer uma oportunidade para os estudantes vinculados ao projeto se envolverem com uma atividade produtiva e útil durante o período de distanciamento social.
3. Contribuir com a saúde mental dos estudantes por meio do envolvimento em uma atividade interessante para sua própria formação e socialmente útil durante o período da COVID-19.
4. Criar ambiente para a aprendizagem de todos os integrantes no sentido de operar os recursos tecnológicos de Educação à Distância.
5. Gerar a oportunidade para reflexão sobre os assuntos que mais interessam à prática do futuro profissional.
6. Verificar, a partir dos assuntos elencados, aqueles que tem sido cobrados nos últimos concursos para Residência Médica e na avaliação do ENADE.

Justificativa

Ao receber o seu diploma, o estudante de medicina precisa trazer conhecimentos adquiridos, habilidades psicomotoras desenvolvidas e atitudes construídas durante sua formação. A questão é: que conhecimento? Quais habilidades? E quais atitudes precisam ser desenvolvidas para a formação de um clínico competente? A estrutura da formação médica clássica e o seu objetivo final, que é o bem estar do ser humano. Entretanto, sem uma definição clara desse objetivo final, o desafio dos seis anos de faculdade pode parecer distante demais. A sobrecarga de informações pode ser prejudicial para alguns estudantes. Formar um bom clínico é um desafio, mas pode ser menos assustador com uma definição clara de onde se quer chegar. Por um lado, alguns assuntos têm pouca probabilidade de se tornarem úteis para a prática do clínico. Por outro, muitos assuntos fundamentais são deixados de lado, como a desfibrilação elétrica. Saber mais interessa menos do que saber o que interessa mais. Nesse sentido, defini como um dos principais referenciais teóricos de trabalho no projeto os Sete Saberes para a Educação do Futuro de Edgar Morin.

Metodologia

Do ponto de vista metodológico, as atividades de educação do projeto são preparadas de acordo com os Conceitos Educacionais Essenciais da American Heart Association (AHA) para Cuidados Cardíacos de Emergência (ECC), os quais se aplicam a todos nossos tópicos de ensino. Os oito Conceitos Educacionais Essenciais estão listados e explicados abaixo e, obviamente, precisam ser adaptados para cenário de distanciamento social imposto pela pandemia.
1. Simplificação - O conteúdo do curso deve ser simplificado tanto na apresentação do conteúdo quanto na amplitude do conteúdo em um único curso, a fim de facilitar o cumprimento dos objetivos do curso.
2. Consistência - O conteúdo do curso e as demonstrações de habilidades devem ser apresentadas de maneira consistente. A instrução mediada por vídeo e prática enquanto assiste é o método preferido para o treinamento de habilidades psicomotoras básicas, porque reduz a variabilidade do instrutor e as possíveis distrações que se desviam do plano pretendido para o curso.
3. Baseado em objetivos - Objetivos cognitivos, psicomotores e afetivos devem ser incluídos em todos os cursos.
4. Prática - É necessária prática substancial para atender aos objetivos de desempenho das habilidades psicomotoras.
5. Contexto - Os princípios de aprendizagem de adultos devem ser aplicados a todos os cursos, com ênfase na criação de cenários de treinamento relevantes que possam ser aplicados praticamente ao cenário do mundo real dos alunos, como fazer com que os alunos hospitalares pratiquem a reanimação cardiopulmonar (RCP) em um leito hospitalar, em vez de no chão.
6. Baseado na competência - A conclusão bem-sucedida do curso deve basear-se na capacidade do aluno em demonstrar a consecução dos objetivos do curso, em vez da participação no curso.
7. Prática de excelência - Habilidades-chave e conteúdo do curso devem ser repetidos a exaustão para maximizar o aproveitamento.
8. Avaliação - As estratégias avaliativas devem aferir a competência e promover o aprendizado. Os objetivos de aprendizagem devem ser claros e mensuráveis e servirem como base de avaliação.

Do ponto de vista de sistematização, eu tenho orientado os alunos a definirem os assuntos prioritários a partir de questões relativas à COVID-19, estrategicamente definidos em função do momento da curva em que nos encontramos e de especificidades regionais. Além disso, a abordagem deve ser adequada ao público alvo. Dessa forma, para os clínicos, a prioridade foi Sequência Rápida de Intubação. Já, para as professoras, a prioridade foi Prevenção de Acidentes Domésticos com Crianças e com Idosos.
Uma vez que o assunto tenha sido definido, inicia-se uma revisão da literatura científica. Temos utilizado como principais referências o UpToDate, o Harrison e o livro da doutora Bates. Mas também são revisados artigos científicos encontrados pela Pubmed. Para os assuntos das cadeiras básicas, temos utilizado o Moore de anatomia, o Guyton de fisiologia, o Netter como atlas de anatomia entre outros.
A seguir, os estudantes montam a apresentação no Power Point com o design definido por eles mesmos. Cada videoconferência tem uma cor diferente para facilitar o reconhecimento do assunto. Então, a videoconferência é agendada e apresentada como ensaio na primeira vez. O professor envia pelo WhatsApp as observações e, no próximo encontro, ocorre a gravação. Daí, o vídeo com a apresentação é disponibilizado no YouTube e no Moodle. Dependendo do assunto, estão sendo produzidos textos de revisão a partir da videoconferência, para servirem de apoio aos interessados em aprofundar o assunto.

Algumas sugestões de assuntos a serem abordados pelos integrantes do projeto:
1. RCP adulto.
2. RCP pediátrico.
3. Primeiros socorros.
4. Higiene das mãos.
5. Acesso venoso periférico
6. Abordagem sistemática do paciente adulto grave em tempos de COVID-19.
7. Técnicas de estudo.
8. Módulo de Propedêutica Médica.
9. Módulo de Como Revisar a Literatura Técnica.
10. Módulo sobre as bases da informática para médicos.
11. Ausculta cardiopulmonar.
12. ABC do eletrocardiograma.
13. As bases racionais do diagnóstico clínico.
14. Exame neurológico padrão.
15. Contenção e Imobilização.
16. Avaliação das funções mentais.
17. Como dar más notícias e preencher a Declaração de Óbito.
18. Sedação e analgesia procedimental.
19. Punção arterial e gasometria arterial.
20. Ventilação bolsa-máscara.
21. Sequência rápida de intubação.
22. Acesso intraósseo.
23. Atendimento padrão da parada cardíaca – adulto.
24. Atendimento padrão da parada cardíaca – pediátrico.
25. Emergências cardiovasculares.
26. Emergências pediátricas.
27. Emergência psiquiátricas.
28. Abordagem do trauma grave em nível pré-hospitalar.
29. Acesso venoso central.
30. Vias aéreas difíceis e Cricotireoidotomia.
31. Situações especiais de parada cardíaca – adulto.
32. Fundamentos de ventilação mecânica não invasiva – adulto.
33. Fundamentos de ventilação mecânica invasiva – adulto.
34. Ultrassom para clínicos POCUS e FAST.
35. Aspectos éticos e legais da prática médica.
36. “Crisis Resource Management” e “Resilience Training” para clínicos em tempos de COVID-19.

O projeto necessita de três bolsas de monitoria para os acadêmicos que participam ativamente da programação de ensino, pesquisa e extensão.

Indicadores, Metas e Resultados

As metas, os módulos de ensino, estão listadas abaixo. Os resultados são aferidos por meio de formulários de avaliação dos módulos preenchidos pelos alunos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLAUDIA CALDEIRA GOMES25
DENISE BLANK CORRÊA
ERICK RODRIGUES FREITAS
GABRIELLE DE SOUZA SANTOS DA SILVA
IGOR SEDREZ DE MEDEIROS
MURILO SILVEIRA ECHEVERRIA
OLIVIA ABRANTES BORGES
PEDRO HENRIQUE EVANGELISTA MARTINEZ
RAFAELA DOS SANTOS SCHNEID
SAMIR LUIZ DOS SANTOS SCHNEID48
SANDRIELY TEIXEIRA RAMIRES
VICTOR ESPINDOLA VIEIRA DA SILVA

Página gerada em 29/06/2022 15:58:44 (consulta levou 0.080185s)