Nome do Projeto
Produção e avaliação de compostos vegetais associados a adjuvantes para o desenvolvimento de novos insumos contra a otite externa canina
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/07/2020 - 30/06/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Otite externa canina é caracterizada como uma inflamação do conduto externo, que apresenta causa multifatorial, desenvolvendo sinais clínicos como otalgia, otorréia, eritema e prurido. Visando utilizar tratamentos menos nocivos e evitar o uso de antimicrobianos a terapia com o uso de extratos de plantas torna-se uma opção para busca de novos princípios ativos. Dessa forma, o objeto do presente projeto é avaliar o potencial terapêutico de duas formas farmacêuticas otológicas com extratos vegetais das plantas Bixa orellana e Triticum aestivum no tratamento da otite externa canina. Para a formulação do composto LCFO 1003 serão utilizados os extratos etanólicos de trigo e urucum juntamente com o adjuvante TRIS EDTA, já para o composto LCFO 1004 serão utilizados os extratos etanólicos de urucum e trigo juntamente com o adjuvante N-acetilcisteína e para o grupo controle será utilizado um produto comercial de tratamento otológico. Para o estudo serão utilizados 45 cães com sinais clínicos de otite externa, todos os animais serão tratados uma vez ao dia durante 10 dias, sendo avaliados durante cinco momentos (D0, D3, 24 D5,D7 e D10). Serão avaliados os sinais clínicos de otalgia, prurido, reflexo otopodal, eritema, quantidade de cerúmen e coloração e temperatura auditiva. Posteriormente serão coletadas amostras para cultura bacteriana, fúngica e citologia. As lesões receberão um score que serão estatisticamente avaliados ao finalizar o estudo. Com esta abordagem, espera-se obter um novo produto à base de urucum e trigo como uma alternativa viável ao combate da otite externa canina.

Objetivo Geral

Desenvolver e avaliar a eficiência dos compostos terapêuticos à base de extratos vegetais de urucum e trigo associados a adjuvantes para tratamento da otite externa canina.

Justificativa

Tendo em vista a alta casuística de otites em cães, existe a necessidades de produtos com menos efeitos deletérios, menor custo e redução da frequência de uso, assim o desenvolvimento de novos produtos com base em extratos vegetais em adjuvantes são uma alternativa viável para o tratamento da otite externa em cães.

Metodologia

Obtenção dos extratos vegetais e fitoterápicos As amostras vegetais utilizadas para produção dos extratos serão adquiridas comercialmente de uma empresa distribuidora de produtos naturais, com certificação de origem das sementes e ficha técnica. Para compor o produto foram produzidos extratos oleosos e etanoicos das plantas Bixa orellana e Triticum aestivum. Para a obtenção dos extratos etanoicos, as sementes serão pulverizadas em moinho de facas sendo pesadas e acondicionadas em um balão de Erlenmeyer e, adicionado Etanol PA ao balão e este levado ao ultrassom e sonificado por 30 minutos. Ao final da extração os extratos de ambas as plantas foram filtrados em rotaevaparodor para retirar o solvente. Após a extração os extratos serão armazenados em frascos âmbar hermeticamente fechados e conservados a -4ºC até sua utilização.
Confecção dos produtos Para a formulação do composto LCFO 1003 serão utilizados os extratos etanólicos de trigo e urucum juntamente com o adjuvante TRIS EDTA, já para o composto LCFO 1004 serão utilizados os extratos etanólicos de urucum e trigo juntamente com o adjuvante N-acetilcisteína, para o grupo controle será utilizado um produto comercial de tratamento otológico.
Estudo experimental em cães Serão incluídos neste estudo 45 cães jovens e adultos, com orelhas pendulares e semi-pendulares, sem raça definida de ambos os sexos com sinais clínicos de otite externa apresentando na citologia a presença de bactérias ou leveduras. São excluídas do estudo as fêmeas gestantes, otite externa de origem parasitária, cães com estenose de conduto e com presença de massas nodulares no conduto auditivo externo. Este estudo foi aprovado pela comissão de ética em experimentação animal (CEEA Nº 9055/UFPEL).
Tratamentos tópicos Os cães naturalmente acometidos por otite externa serão divididos em três grupos de forma aleatória conforme o tratamento. Os animais serão tratados uma vez a cada 24 horas durante 7 dias consecutivos, sempre pela mesma equipe previamente treinada e cega quanto aos tratamentos. A cada 24 horas, o conduto auditivo será previamente limpo com o próprio produto com auxilio de gaze e após serão aplicadas quatro gotas para cães com até de 15kg e oito gotas para cães com mais de 15kg. Todos os animais serão avaliados antes do tratamento (D0), no terceiro (D3) e sétimo (D7) dias de tratamentos. Serão realizadas a inspeção e palpação do conduto auditivo, sendo observados a morfologia do conduto a qual foi classificada como pendular e semi-pendular, sinais clínicos de otalgia e prurido os quais foram classificados como ausente (0) leve (1) moderado (2) intenso (3), e o reflexo otopodal será classificado como ausente (0) presente (1). Será realizada a otoscopia, sendo analisados os sinais clínicos de eritema o qual foi classificado de acordo com uma escala de cores em ausente (0), leve (1), moderado (2) e intenso (3), quantidade de cerúmen a qual será avaliada de acordo com o grau de obstrução do cone do otoscópio sendo classificada como leve (0), moderado (1) e grave (2). Também serão observadas presença de lesões ausente (0) presente (2) e estenose ausente (0) presente (2). Após a avaliação, cada sinal clínico receberá uma pontuação em escore de 0 a 3, o qual 0 era considerado ausente e 3 a forma mais grave de aparecimento, a partir desta pontuação será gerado um somatório por animal e por grupo durante cada dia de avaliação. Após a avaliação otoscópica será aferida a temperatura auditiva com termômetro Geratherm Rapid ® e coletadas amostras para citologia, micologia e bacteriologia.
Citologia Para a citologia os swabs serão rolados sobre lâminas de vidro e corados com panotico rápido e secas. Após serão avaliadas no aumento de 1000x, sendo visualizados 5 campos microscópicos para presença de bactérias (cocos ou bacilos), leveduras e células inflamatórias
Cultura bacteriana As amostras do conduto autidivo colhidas em swab estéril serão semeadas em placas de Petri contendo ágar sangue e ágar MacConkey e serão incubadas em estufa bacteriológia a uma temperatura de 37º durante 48 horas. O crescimento bacteriano será submetido a coloração de gram. Conforme a observação morfológica e de coloração das bactérias serão realizados testes bioquímicos para a classificação das bactérias.
Cultura Fúngica Para o isolamento as amostras serão cultivadas em ágar saboraud acrescidas de cloranfenicol e mantidas em estufa microbiológica há uma temperatura de 37ºC durante 48 horas e posteriormente será realizada a citologia das colônias que apresentaram crescimento para confirmar o isolamento da levedura Malassezia pachydermatis
Análise estatística Para as análises estatísticas será utilizado o software SPSS ® 20.0, considerando um nível mínimo de significância de 95%. Todos os grupos serão comparados entre si utilizando o teste de Kruskal-Wallis. Para a avaliação da temperatura auditiva entre os grupos será utilizado ANOVA e para citologia será utilizado teste de Tukey e para a analise da redução dos microrganismos será o teste de McNermar.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que o uso dos compostos estudado demonstrem eficácia para a otite canina. Assim se tem como meta o desenvolvimento dos compostos otológicos com os extratos vegetais e os adjuvantes; a utilização dos compostos nos cães com otite, demionstrando a diminuição dos sinais clínicos e o efeito antimicrobiano.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXSANDER FERRAZ
AMANDA DIAS STUMPF
ANTONIO GONCALVES DE ANDRADE JUNIOR
BRUNO CABRAL CHAGAS
CAMILA MOURA DE LIMA
CLÁUDIA BEATRIZ DE MELLO MENDES
ELIEZER MONTEIRO DA COSTA
FABIO RAPHAEL PASCOTI BRUHN1
MARCIA DE OLIVEIRA NOBRE2
MARIANA TIMM KROLOW
MARTHA BRAVO CRUZ PIÑEIRO
MÁRCIA KUTSCHER RIPOLL
RENATA COSTA SCHRAMM1
RENATA OSORIO DE FARIA1
RENATO VIANNA
RISCIELA SALARDI ALVES DE BRITO
ROGERIO ANTONIO FREITAG1
SERGIO JORGE2

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPES / Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível SuperiorR$ 3.200,00Coordenador

Página gerada em 15/06/2021 04:36:08 (consulta levou 1.792893s)