Nome do Projeto
As reservas técnicas em Museus: um estudo sobre os espaços de guarda dos acervos
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
30/06/2020 - 30/06/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Resumo
O projeto de pesquisa teve início em 2013 dentro da linha de pesquisa “Instituições de memória e gestão de acervos” do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural do ICH/UFPel com a realização da pesquisa de doutorado. Teve sua renovação em agosto de 2017. Portanto, agora seria um novo pedido de renovação, o sistema de cadastro mudou para os projetos unificados, então realiza-se este cadastro na nova plataforma. O projeto visa a discussão principalmente sobre aspectos relacionados à conservação de acervos e também busca por levar em conta os estudos e aplicabilidades de procedimentos de conservação e guarda de acervos em instituições museais. Trabalha-se diretamente com a conservação de acervos de diversas instituições no Estado do Rio Grande do Sul, e da a necessidade de estudos na área de reservas técnicas, pela carência enorme de estudos relativos à viabilização de reservas técnicas e espaços de guarda de acervos, que sejam sustentáveis e viáveis para as instituições. As reservas técnicas deveriam ser um dos itens prioritários na política de conservação e difusão da informação de um museu, por ser o local de guarda e principalmente de cuidados especiais para a preservação dos objetos do acervo. Nota-se que isto na prática não ocorre por falta de conhecimento, por falta de profissionais capacitados nas instituições ou mesmo por negligência. Importante lembrar que a implantação da Lei nº 11.904, de 14 de Janeiro de 2009, que instituiu o “Estatuto dos Museus” diz em seu Artigo 21 que os museus garantirão a conservação e a segurança de seus acervos. Para que isto, efetivamente ocorra, as instituições museais deverão estar organizadas e que haja políticas de inventimentos para a implementação de reservas técnicas. De acordo com os conceitos estabelecidos pelo Conselho Internacional de Museus – Comitê de Conservação (ICOM-CC), as reservas técnicas são tratadas dentro da área da conservação preventiva. As reservas técnicas são os ambientes de guarda dos acervos e são o tema central deste projeto de pesquisa, para isto é preciso um acompanhamento das instituições estudadas no projeto de doutorado, é necessário uma avaliação das necessidades das instituições, um diagnóstico aprofundado do acervo e das condições de armazenamento e guarda, e por fim a aplicação de uma metodologia de gerenciamento e sustentabilidade dos ambientes de guarda das coleções dentro das instituições. Com o projeto de pesquisa percebe-se a necessidade ampliar as discussões relativas à conservação de acervos dentro das instituições museais.

Objetivo Geral

O objetivo geral deste projeto de pesquisa é desenvolver estudos sobre as condições de conservação de acervos em áreas de guarda em instituições museais.
São os objetivos específicos:
Realizar uma pesquisa bibliográfica sobre o tema no Brasil e também no exterior.
Acompanhar as instituições museais para fazem parte do projeto.
Aplicar as ferramentas diagnósticas que se encontram validadas na literatura.
Realizar um diagnóstico das instituições em relação à conservação e guarda de seus acervos.
Fazer uma comparação entre as instituições selecionadas.
Entrevistar profissionais das instituições museológicas, diretores, técnicos, museólogos, conservadores-restauradores.
Entrevistar especialistas da área de conservação.
Realizar visitas em reservas técnicas dos museus, nacionais e internacionais.
Investigar e analisar as condições que proporcionarão a implementação e reorganização de reservas técnicas sustentáveis e aplicação da metodologia do RE-ORG.
Realizar possível estágio pós-doutorado junto as instituições que tenham aplicado a metodologia RE-ORG do ICCROM, idealizado pelo conservador senior Gael de Guichen.

Justificativa

O projeto de pesquisa visa a discussão sobre aspectos relacionados à conservação de acervos e também por levar em conta os estudos e aplicabilidades de procedimentos de conservação e guarda de acervos em instituições museais, assuntos de maior interesse dentro da área da museologia e da conservação e restauração de bens culturais.
O projeto esta trabalhando com acervos de diversas instituições no Estado do Rio Grande do Sul, percebe-se a falta de estudos relativos à viabilização de reservas técnicas e espaços de guarda de acervos, que sejam realmente sustentáveis e viáveis para as instituições.
As reservas técnicas deveriam ser um dos itens prioritários na política de conservação e difusão da informação de um museu, por ser o local de guarda e principalmente de cuidados especiais para a preservação dos objetos do acervo. Nota-se que isto na prática não ocorre por falta de conhecimento, por falta de profissionais capacitados nas instituições ou mesmo por negligência. Importante lembrar que a implantação da Lei nº 11.904, de 14 de Janeiro de 2009, que instituiu o “Estatuto dos Museus” diz em seu Artigo 21 que os museus garantirão a conservação e a segurança de seus acervos. Para que isto, efetivamente ocorra, as instituições museais devem estar se organizadas e que haja investimentos para a implementação de reservas técnicas.
De acordo com os conceitos estabelecidos pelo Conselho Internacional de Museus – Comitê de Conservação, ICOM-CC, as reservas técnicas são tratadas dentro da área da conservação preventiva. As reservas técnicas são os ambientes de guarda dos acervos e são tema central deste projeto de pesquisa, para isto será importante conhecer as instituições realizando uma avaliação das suas necessidades, um diagnóstico aprofundado dos acervos e das condições de armazenamento e guarda, e aplicar uma metodologia de de gerenciamento e sustentabilidade dos ambientes de guarda das coleções dentro das instituições.
Percebe-se a necessidade ampliar as discussões relativas à conservação de acervos dentro das instituições museais.

Metodologia

A metodologia empregada nesse projeto será baseada no levantamento bibliográfico e estudos relacionados à conservação preventiva, de reservas técnicas e em pesquisa de campo, que consiste em visitas a reservas técnicas e na elaboração de diagnóstico de conservação nas instituições selecionadas para fazer parte do projeto.
A coleta de dados será feita através da aplicação de uma ferramenta para analisar a conservação das coleções nas áreas de guarda dos acervos para montagem de um diagnóstico preciso sobre a conservação.
Existem na literatura alguns exemplares de instrumentos diagnósticos para área da conservação para aplicação em museus.
Uma das ferramentas que oferece, de forma clara e objetiva, uma serie de referências para formular um diagnóstico de cada instituição, foi publicada em 2004, sendo revisada e traduzida para o português por dois profissionais da área da conservação, Dra.Teresa Cristina Toledo de Paula e Dr. Gedley Belchior Braga, que tentaram em “Parâmetros para Conservação de Museus, Arquivos e Bibliotecas” estabelecer um contato com a realidade brasileira já que o texto original traz referências às normas e padrões ingleses.
Outra ferramenta, desenvolvida pelo Laboratório de Ciência da Conservação (LACICOR) da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, coordenado pelo Prof. Dr. Luiz Antônio Cruz Souza e Ms. Wivian Diniz é o “Manual de Conservação Preventiva do Patrimônio Cultural”, publicado em 2002, que contém um conjunto de medidas e práticas que visam à manutenção dos bens culturais.
Deve-se acrescentar outra ferramenta do LACICOR, publicada em 2008, coordenada pelo Prof. Dr. Luiz Antônio Cruz Souza e pela Dra. Yacy-Ara Froner, “Roteiro de avaliação e diagnóstico de conservação preventiva” o qual foi traduzido e adaptado do modelo original de diagnóstico utilizado pelo Getty Conservation Institute (GCI), “The Conservation Assessment: A Proposed Model for Evaluating Museum Environmental Management Needs” (1999), coordenado por Kathleen Dardes, que tem o objetivo de diagnosticar e desenvolver soluções apropriadas e sustentáveis para problemas que afetam as coleções.
Serão realizadas consultas e entrevistas com especialistas da área da conservação de acervos e com profissionais das instituições museais selecionadas.
A ferramenta desenvolvida pelo programa RE-ORG do ICCROM-UNESCO, para reorganização de reservas técnicas apresenta quatro áreas de ação: gestão, edificação/espaço, coleção e mobiliário/equipamentos e orientará a intervenção que se pretende realizar em uma reserva técnica.
E finalmente, a aplicação da ferramenta de organização de reservas técnicas e organização de todo material coletado e os resultados serão analisados à luz da bibliografia, para o desenvolvimento de um documento norteador para organização das reservas técnicas das instituições.

Indicadores, Metas e Resultados

Realizar uma pesquisa bibliográfica sobre o tema no Brasil e também no exterior.
Selecionar instituições museais e culturais para fazerem parte do projeto.
Selecionar a ferramenta diagnóstica a ser utilizada, entre as que se encontram validadas na literatura.
Realizar um diagnóstico das instituições em relação à conservação e guarda de seus acervos.
Fazer uma comparação entre as instituições selecionadas.
Entrevistar profissionais das instituições museológicas, diretores, técnicos, museólogos, conservadores-restauradores.
Entrevistar especialistas da área de conservação.
Realizar visitas em reservas técnicas dos museus, nacionais e internacionais.
Investigar e analisar as condições que proporcionarão a implementação e reorganização de reservas técnicas sustentáveis.
Espera-se ao final da pesquisa fornecer as instituições um manual de organização e gerenciamento das reservas estudadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CAROLINA FERNANDES DA SILVA
ANDREA LACERDA BACHETTINI5
ANNELISE COSTA MONTONE4
BRUNA DE OLIVEIRA AVILA
ISIS FÓFANO GAMA
KELI CRISTINA SCOLARI
KERLLEN PERES CAVALHEIRO
Letícia Quintana Lopes
MARIA IDALINA FERREIRA MENDES
NORIS MARA PACHECO MARTINS LEAL1

Página gerada em 30/06/2022 23:04:41 (consulta levou 0.085118s)