Nome do Projeto
COVID19 e Odontologia - Avaliação das condições de atendimentos de Saúde Bucal das Unidades de Saúde na visão dos cirurgiões dentistas após o surgimento do COVID-19 e Teletriagem na Faculdade de Odontologia
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
06/07/2020 - 31/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O presente estudo tem por objetivo identificar como estão sendo implementados os protocolos de Biossegurança para os profissionais da área de odontologia das Unidades Básicas de Saúde do Brasil desde o surgimento do COVID-19 na visão dos cirurgiões dentistas que atuam no setor público de saúde. O Estudo transversal será realizado com dentistas que atuam no serviço público de saúde na Atenção Básica no Brasil. Serão avaliados 635 cirurgiões dentistas de todas as regiões do Brasil que atuem em Unidades Básicas de Saúde no setor público. Serão convidados a participar do estudo e preencher o Formulário Google Docs, os cirurgiões dentistas participantes de grupos de odontologia - “Odontologia do Brasil” e Dentistas & Estudantes de Odontologia” nas redes sociais (Facebook) entre outras mídias (WhatsApp e Instagram) que tenham a participação de grupo de cirurgiões dentistas). O formulário irá inicialmente apresentar os objetivos do estudo e o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Serão obtidas informações socioeconômicas, as rotinas de Biossegurança da unidade, tipos e quantidade de Equipamentos de Proteção Individual - EPIs, infraestrutura disponível para diminuir o risco de contaminação dos profissionais de saúde, conhecimento dos principais protocolos e diretrizes que foram publicadas para organização dos serviços odontológicos, as ações adotadas na unidade de saúde relacionadas à infraestrutura após o aparecimento do COVID-19 e a adoção de protocolos de identificação dos usuários com suspeita de COVID-19 que procurarem os serviços de saúde. Os dados obtidos nos Formulários do Google Docs serão organizados numa planilha Excel e após analisados por meio do pacote estatístico Stata® 12.0. Inicialmente serão realizadas as análises descritivas por meio de médias, desvio-padrão e frequências relativas e absolutas. Após, serão realizados testes de qui-quadrado ou Exato de Fischer. Os resultados do estudo serão apresentadas a comunidade odontológica nos jornais de grande circulação, nos grupos de participantes dos cirurgiões dentistas nas redes sociais e por meio de artigos científicos na área de saúde bucal coletiva. O estudo será enviado ao Comitê de Ética e Pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas – UFPel. Todos os participantes do estudo serão esclarecidos dos objetivos do estudo e assinarão o Termo de Consentimento Livre Esclarecido.

Objetivo Geral

Identificar como estão sendo implementados os protocolos de Biossegurança para os profissionais da área de odontologia das Unidades Básicas de Saúde do Brasil desde o surgimento do COVID-19 na visão dos cirurgiões dentistas que atuam no setor público de saúde.

Justificativa

Necessidade de identificar se as unidades básicas de saúde estão adotando os protocolos propostos pela entidades nacionais e internacionais de saúde bucal após o surgimento do COVID-19 para diminuição da chance de contágio dos pacientes e profissionais de saúde. Com essas informações alertar os gestores municipais e estaduais das ações que estão e não estão sendo implementadas e qual o impacto de não se adotar determinadas ações para a saúde da população e dos profissionais de odontologia.

Metodologia

3. Metodologia
3.1 Desenho do estudo e participantes
O presente estudo transversal será realizado com cirurgiões dentistas atuantes nas Unidades Básicas de Saúde do serviço público de saúde do Brasil. Dados recentes indicam que o Brasil tem mais de 274 mil dentistas atuam no setor público de saúde.
3.2 Amostra
, e destes aproximadamente 35%
A amostra final do estudo considerando que atuam no setor público de saúde aproximadamente 95 mil cirurgiões dentistas será de 635 indivíduos (prevalência 50% e alfa de 5%) e 30% de perdas. Considerando que os dentistas estão distribuídos de forma desigual por região do Brasil16 serão necessários que 56% da amostra sejam da região Sudeste (353 dentistas), 16,9% do Sul (107 dentistas), 6,4% do Centro-Oeste (41 dentistas), 5,1% do Norte (33 dentistas) e 15,6% do Nordeste (101 dentistas).
3.3 Logística
A carta de apresentação da pesquisa e o formulário Google Docs serão depositados em grupos específicos do Facebook, cuja proposta desses seja discutir aspectos relacionados a Odontologia, como os grupos: “Odontologia do Brasil” (30.000 membros), e “Dentistas & Estudantes de Odontologia” (1.600 mil membros). Somado a isso, será solicitado aos cirurgiões dentistas com perfis profissionais nas redes sociais (Facebook, Instagram e Whatssapp) que divulguem o convite para a participação dos colegas que atuem no setor publico de saúde para participar da pesquisa.
3.3.1 Instrumento de coleta do cirurgião dentista
Um questionário estruturado (APÊNDICE A) será aplicado aos dentistas
unidades básicas de saúde do Brasil com questões relacionadas à infraestrutura e Biossegurança depois do aparecimento do COVID-19. O questionário tem os seguintes objetivos:
- Identificar o perfil sociodemográfico (sexo, idade, renda, estado cível, ter filhos, tempo de formado em odontologia, universidade de onde se formou, especialidade, atuação no setor público (tempo) e atuação no setor privado (tempo))
- Identificar as rotinas de Biossegurança adotadas por cada profissional na unidade de saúde antes, durante e depois de cada atendimento (barreiras e condutas durante o atendimento).
- Identificar quais tipos e quantidades de EPIS são disponibilizados para o atendimento odontológicos.
- Identificar a infraestrutura disponível que auxilia na organização das atividades de Biossegurança (por exemplo a presença de vestiários ou local para troca de roupas dos funcionários da UBS)
- Conhecimento sobre as diretrizes do Conselho Federal de Odontologia - CFO, do Ministério da Saúde - MS e da Organização Mundial de Saúde- OMS sobre atendimento odontológica durante o atendimento do COVID-19.
- Identificar as ações adotadas na unidade de saúde relacionadas às melhorias na infraestrutura após o aparecimento do COVID-19.
- Identificar a adoção de protocolos de identificação dos usuários com suspeita de COVID-19 que procurarem os serviços de saúde na unidade de saúde.
3.3.2 Estudo Piloto
Para verificar se os cirurgiões dentistas compreendem as perguntas que serão realizadas no estudo será realizado um estudo piloto com 10 cirurgiões dentistas que atuam no setor público, mas em serviços de média complexidade.
3.3.2 Desfecho do Estudo
O desfecho do presente estudo será avaliar a qualidade das condições de Biossegurança das Unidades Básicas de Saúde para a realização dos atendimentos odontológicos.
3.4 Análise dos resultados
Os dados obtidos nos formulários do Google Docs serão organizados numa planilha Excel e após analisados por meio do pacote estatístico Stata® 12.0. Inicialmente serão realizadas as análises descritivas por meio de médias, desvio-padrão e frequências relativas e absolutas. Os testes estatísticos serão baseados no teste de qui-quadrado ou Exato de Fischer. Serão calculadas as razões de prevalência com intervalos de confiança de 95%.
3.5 Apresentação dos resultados do estudo
Os resultados do estudo serão apresentadas a comunidade odontológica nos jornais de grande circulação, nos grupos de participantes dos cirurgiões dentistas nas redes sociais e por meio de artigos científicos na área de saúde bucal coletiva
3.6 Considerações Éticas
Esse estudo será enviado ao Comitê de Ética e Pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas – UFPel. Todos os participantes do estudo serão esclarecidos dos objetivos e assinarão o Termo de Consentimento Livre Esclarecido (APÊNDICE C).

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que 90% dos cirurgiões dentistas desde de março de 2020 até o presente momento tenham propostos para os seus gestores mudanças relacionadas à biossegurança nas suas unidades de saúde.
Espera-se que desde de março de 2020 até o presente momento de 50 a 60% tenham adotados protocolos de triagem para a identificação do COVID-19
Espera-se que desde de março de 2020 até o presente momento 90% dos dentistas estejam atendendo urgências utilizando todos os EPIS, incluindo a mascara N95 ou PFF2.
Espera-se que 60-70% tenham receio de se contaminar ou contaminar o paciente durante os atendimentos odontológicos

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXANDRE EMIDIO RIBEIRO SILVA5
CAROLINE DE OLIVEIRA LANGLOIS2
JÚLIA FREIRE DANIGNO
MANUELA GONÇALVES DE SOUZA E SILVA SILVEIRA
MANUELA GONÇALVES DE SOUZA E SILVA SILVEIRA
MARIANA SILVEIRA ECHEVERRIA
MARIANE BALTASSARE LAROQUE
MATHEUS DOS SANTOS FERNANDEZ
THAIS FREITAS FORMOZO

Página gerada em 05/12/2020 13:06:00 (consulta levou 0.120862s)