Nome do Projeto
Desenvolvimento de bolus para tratamento de diarreia neonatal bovina
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2020 - 01/08/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
A proposta desse projeto é o desenvolvimento de um produto para auxiliar no tratamento da diarreia em bezerros. O bolus intraruminal é um dispositivo de administração oral com liberação lenta, elaborado com minerais e compostos energéticos que irão auxiliar no restabelecimento do equilíbrio eletrolítico fornecendo assim energia necessária para o neonato reconstituir a homeostase do organismo no tratamento da diarreia neonatal em ruminantes. O dispositivo apresenta compostos importantes que auxiliam na melhor ativação das vias gliconeogênicas, ajudando na redução do balanço energético negativo que estes animais enfrentam quando apresentam diarreia, auxiliando e acelerando a sua recuperação. Em relação aos diferenciais do nosso produto aos que já existem no mercado podemos citar o prolongado período de suporte fornecido com menor número de aplicações culminando com diminuição dos manejos, além da possibilidade de inovação no mercado nacional, tendo em vista que um produto semelhante existe somente fora do Brasil, resultando em menores custos para produção. O dispositivo tem como benefícios: facilidade de aplicação, maior espaçamento entre doses, aporte energético, aporte de minerais, diminuição do estresse, diminuição do número de manejos e redução do balanço energético negativo. Nosso produto possui tecnologia ligada a inovação farmacêutica, com princípios ativos diferentes dos já existentes no mercado, através da formulação de um bolus com constituintes que proporcionam uma liberação lenta do princípio ativo contido no produto. Nossa ideia já possui testes e patente publicados com a solução base, em que houve resposta nos animais testados. Pensando em diminuir o estresse causado por manejo dos animais juntamente com a diminuição da mão-de-obra e custos, nosso objetivo é criar uma nova forma de apresentação da solução, agora como bolus intraruminal.

Objetivo Geral

Este projeto tem como objetivo desenvolver um dispositivo de liberação lenta que vise a restauração dos eletrólitos perdidos em doenças neonatais, aumentando a glicemia e reduzindo a desidratação, além de prover uma melhor imunidade do animal contra infecções de bactérias patogênicas.
• Desenvolver um veículo que possibilite a liberação lenta dos princípios ativos componentes do bólus.
• Desenvolver uma formulação auxiliar para o tratamento de doenças neonatais, visando aumentar a glicemia e reduzir a desidratação.
• Desenvolver um fármaco que seja d fácil aplicação e que diminua a quantidade de manejos realizados com os neonatos.

Justificativa

A diarreia neonatal é uma das doenças mais comuns que acomete animais de produção nos primeiros 28 dias de vida, sendo uma das principais causas de perda econômica em rebanhos de bovinos. Esta é uma doença que apresenta diversos fatores de risco, como por exemplo, má colostragem, colostro de má qualidade, superlotação dos alojamentos, intempéries, dietas de baixa
qualidade e também, sendo um dos principais fatores, os cuidados que o criador tem com o animal. Normalmente, a doença envolve a interação destes fatores em concomitância a infecções causadas por bactérias, vírus e protozoários. Esta doença é caracterizada por diarreia aquosa profusa, desidratação acentuada e aumento progressivo de acidose metabólica, que caso não tratado adequadamente pode levar o animal a óbito em questão de horas, dependendo da severidade do problema. Em relação ao seu tratamento, o maior problema é que, muitas vezes os tratamentos são baseados somente na utilização de antibióticos, deixando de lado a correção da desidratação e acidose.
Os fatores de maior importância para a diminuição da perda econômica com a diarreia neonatal é a utilização correta de meios de reidratação, sendo eles os principais, fluidoterapia endovenosa e fluidoterapia oral. Tais tratamentos visam a reidratação, recomposição de eletrólitos, homeostase do balanço ácido-base e também para fornecimento de energia metabolizável para o animal.
A terapia endovenosa é mais usada em casos de grave desidratação do animal, pois é mais rapidamente absorvida uma vez que é inserida direta na circulação sanguínea, entretanto a utilização deste tratamento é mais complicada de ser realizada à campo, devido à necessidade de mão de obra especializada.
Tendo em vista estes fatores o dispositivo de administração oral com liberação lenta, elaborado com minerais e compostos energéticos que irão auxiliar no restabelecimento do equilíbrio eletrolítico fornecendo assim energia necessária para o neonato reconstituir a homeostase do organismo no tratamento da diarreia neonatal em ruminantes. O dispositivo apresenta compostos importantes que auxiliam na melhor ativação das vias gliconeogênicas, ajudando na redução do balanço energético negativo que estes animais enfrentam quando apresentam diarreia, auxiliando e acelerando a sua recuperação. Em relação aos diferenciais do nosso produto aos que já existem no mercado podemos citar o prolongado período de suporte fornecido com menor número de aplicações culminando com diminuição dos manejos, além da possibilidade de inovação no mercado nacional, tendo em vista que um produto semelhante existe somente fora do Brasil, resultando em menores custos para produção. O dispositivo tem como benefícios: facilidade de aplicação, maior espaçamento entre doses, aporte energético, aporte de minerais, diminuição do estresse, diminuição do número de manejos e redução do balanço energético negativo.

Metodologia

Recursos Humanos
O projeto está vinculado à linha de pesquisa de “Metabolismo e Saúde" do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Pecuária (NUPEEC), mais especificamente na área de “NeonatoIogia” e " Inovação Farmacêutica Veterinária". Neste projeto, alunos dos Programas de Pós-Graduação em Biotecnologia, Veterinária, Zootecnia; além de alunos de iniciação científica dos cursos de graduação de Medicina Veterinária e Zootecnia, serão envolvidos. Todos estes alunos fazem parte da equipe do grupo NUPEEC, sendo estas atividades um importante instrumento para a formação pessoal.

Animais e Manejo
O experimento será realizado em uma fazenda comercial de sistema intensivo de produção de leite, tendo sido aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal da Universidade de Pelotas, com código 55203-2019. Serão utilizadas fêmeas da raça Holandês, acompanhadas desde o nascimento até 4 semanas de vida ou finalização do tratamento. Após o nascimento os animais serão separados da mãe e receberão o colostro de acordo com o manejo instituído pela propriedade. Os animais serão alojados em baias suspensas individuais e alimentados 2 vezes ao dia com leite e terão ração, volumoso e água ad Libitum. Os animais que apresentarem diarreia irão receber a uma administração do bolus e serão acompanhados por 72h. Serão realizadas coletas de sangue para verificar a concentração do princípio ativo, além disso também serão realizados escore de fezes e avaliações clinicas uma vez ao dia para acompanhamento do quadro clínico dos animais.

Avaliações clinicas

Os animais serão acompanhados diariamente e, após o aparecimento de qualquer alteração no comportamento, condição física e desempenho, um exame clínico minucioso será realizado na busca de sinais que indiquem problemas no trato digestório. Serão avaliados sinais vitais como frequência cardíaca através da auscultação da área cardíaca, usando estetoscópio, frequência respiratória (movimentos respiratórios por minuto) por auscultação pulmonar, temperatura corporal medida por termômetro de mercúrio inserido na ampola retal, coloração das mucosas, tempo de perfusão capilar avaliado pela pressão sobre a mucosa oral, e o grau de desidratação observando a profundidade ocular e o tempo de pregueamento da pele na tábua do pescoço, considerando parâmetros propostos por Smlth (2009).
Serão coletadas amostras de fezes por estimulação retal, observando o grau de fluidez, coloração, odor, quantidade e presença de substâncias anormais. Os animais com defecação voluntária, será observado presença de disquezia. O escore fecal será observado diariamente e classificado de 0 a 3, de acordo com a sua fluidez, da seguinte forma: 0 - fezes normais, 1 - tendendo a pastosas, 2 - pastosas ou 3 - aquosas/diarreia intensa de acordo com Leal et al (2008).
Para o experimento serão selecionados os animais com fezes aquosas ou diarreia intensa.

Indicadores, Metas e Resultados

Desenvolver um produto que seja eficiente no tratamento da diarreia neonatal e que além disso promova o reestabelecimento do animal. Além disso por sua forma de apresentação ser um dispositivo de liberação lenta promoverá a diminuição dos manejos, sendo necessário apenas uma aplicação do dispositivo para a melhora do quadro clinico do animal.
A facilidade de aplicação e sua aplicação única, proporciona diminuição dos erros de tratamento e também diminui os custos de mão de obra.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE DALLA COSTA DE MATOS
JOSIANE DE OLIVEIRA FEIJÓ
MARCIO NUNES CORREA2
RITIELI DOS SANTOS TEIXEIRA
VIVIANE ROHRIG RABASSA2

Página gerada em 25/10/2020 03:10:57 (consulta levou 0.205357s)