Nome do Projeto
Direito e Estado
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2021 - 28/02/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O presente projeto visa ser uma continuação do projeto “Direito e Estado” (cadastrado no antigo "projeto de pesquisa" do Cobalto) desenvolvido nos últimos anos. Contudo, o enfoque dado a este projeto, leia-se, “Direito e Estado” visa buscar os fundamentos políticos do Estado bem como entender as formas de a democracia ser exercitada. Além disso, busca-se compreender o papel do Estado de direito e sua legitimação. Desta esteira, ausculta-se aqui a ligação fundamental entre o Estado, enquanto administrador e garantidor da Democracia, com o Estado de Direito. Para isso, será necessário demonstrar como o direito é necessário para manter a coordenação social em Estados democráticos, uma vez que a Democracia pressupõe pluralidades e não unanimidade.

Objetivo Geral

Problema de Pesquisa:
Dado a forma de governo democrática: Quais os processos para legitimar as decisões políticas? O que é e como garantir a opinião pública?
• Estado liberal ou intervencionista: qual desses está em conformidade à forma Democrática de governo?
• Dado o Estado de Direito: Qual a legitimidade/fundamentação das leis instituídas? Quais direitos, sociais/coletivos e/ou liberais/individuais?

OBJETIVOS
Em consonância com os problemas inter-relacionados acima segue:
• Demonstrar que a fundamentação do Estado de Democrático está sob algum tipo de consenso (contratual ou linguístico);
• Evidenciar que a legitimidade legal precisa ter reconhecimento da população sob a qual vigora;
• Mostrar que as leis jurídicas não devem ter uma preocupação com o foro consciencial do indivíduo e devem versar sobre a responsabilidade jurídica-política;
• Verificar como é possível fundamentar direitos individuais e sociais;
• Averiguar como a linguagem pode desempenhar um papel de “liga” coordenadora das ações intersubjetivas;
• Entender como o direito pode exercer a função de medium social;
• Analisar e compreender o que é a razão pública;

Justificativa

JUSTIFICATIVA
O homem não vive sem a política. Compreende-se este termo política como tudo aquilo que diz respeito à vida intersubjetiva regida por normas, quer dizer, o Estado, as leis, a administração pública, etc. O constante mal entendido entre público e privado, o qual gera corrupção e má administração pública, é uma mal que se enraizou no contexto político, o qual traz problemas em relação à função correta do Estado, além de confundir a finalidade com que as leis devem ser promulgadas. Desta forma, sem dúvida, precisa-se revitalizar hoje a discussão sobre a legitimidade do Estado e suas leis, bem com sua melhor forma de regime.
Para buscar, entender, analisar e propor a legitimidade do Estado, vale-se aqui dos filósofos políticos contemporâneos como John Rawls, Robert Nozick, Jürgen Habermas e Klaus Günther, os quais são nomes consagrados na discussão acima já listada (no problema). Além destes filósofos contemporâneos, vale-se, nesta pesquisa, das bases jurídicas e morais propostas no séc. XVIII por Immanuel Kant. A partir de Kant pretende-se, então, realizar estudos sobre cada uma das perguntas-problema. No entanto, o diálogo com os pensadores atuais é indispensável visto que muitos deles atualizaram a filosofia política e moral kantiana para séc. XX e XXI. Em outras palavras, Kant será a base da pesquisa a qual estará sempre em relação direta com os pensadores contemporâneos, sem deixar a possiblidade de estudar unicamente um, dois ou a relação entre os pensadores contemporâneos supracitados.
Pode parecer presunção trabalhar com tantos autores; mas, isso não está correto. A preocupação é temática e não a preocupação da compreensão de todas as esferas que os autores trabalharam e trabalham. As perguntas-problema garante que haja uniformidade e objetividade na pesquisa. Deste modo, os autores são chamados ao debate público em vista da temática Direito, Sociedade e Estado, o qual enfoca nas perguntas-problema já referenciadas.
Disso segue, é fato que se precisa de um melhoramento na ordem política atual. No entanto, quando não há ideias e propostas alternativas aquelas efetivas, não se sabe para onde melhorar justamente por não se ter parâmetros sob os quais é possível afirmar um melhoramento. Pensa-se que os pensadores políticos aqui listados juntamente com as perguntas-problema possibilitam uma reflexão profunda e frutífera sobre a sociedade, o modo da organização política e social, bem como das normas jurídicas e morais.

Metodologia

7 METODOLOGIA
7.1 TIPO DE PESQUISA
O trabalho será elaborado através de pesquisas com a utilização de fontes literárias. Portanto, a pesquisa caracteriza-se como pesquisa bibliográfica, ou seja, faremos uma ampla e abrangente pesquisa sobre livros, artigos e sites para a corroboração ou rejeição dos argumentos encontrados.

7.2 MÉTODO UTILIZADO
Será realizado uma ampla e profunda busca pela literatura já existente sobre a temática proposta e em relação aos pensadores políticos acima listados. Utilizar-se-á alguns livros como fontes primárias – livros dos próprios filósofos. Da mesma forma, outros materiais coletados, desempenharão um papel secundário, recorrendo-se a eles para ajuda secundária de fundamentação. Com o material, parte-se para o segundo passo, a saber, a leitura do mesmo em busca dos tópicos e enfoques que dizem respeito à temática da legitimação e fundamentação do Estado e das leis. Depois disso, visa-se produzir artigos com as reflexões e argumentos alcançados.
Entretanto, cabe ainda destacar que todos os texto e artigos serão sempre abordados por meio do método analítico-crítico para que tudo possa ser minuciosamente examinado por meio de um viés crítico. Ter-se-á o cuidado para não utilizar pesquisas e dados com origem desconhecida, visto o ônus visível que este trabalho sofrerá.

Indicadores, Metas e Resultados

. Demonstrar sobremaneira que o Estado Democrático de direito é a melhor opções entres as formas de governos, mesmo com seus problemas;
. Evidenciar que os processos políticos e jurídicos precisam de dispositivos de justificação pública;
. Demonstrar com Robert Alexy e Habermas que a linguagem pode ser o único instrumento por meio do qual o entendimento pode ser atingido;
. Considerando que em questões juspolíticas nunca haverá uma resposta absoluta, mostrar que facticidade e normatividade devem permanecer em constante tensão a fim de compatibilizar justificação e positividade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
EDERLENE DE FATIMA WELTER SOZIN
GILBERTO STARCK
ISRAEL RAMOS VENÂNCIO
KEBERSON BRESOLIN10
PALOMA MARQUES DA SILVA
VÍTOR ELIAS SANCHES GONÇALVES

Página gerada em 22/05/2024 20:53:07 (consulta levou 0.127130s)