Nome do Projeto
IntegralMente: Ações de Humanização e Acolhimento no cotidiano da Faculdade de Odontologia
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/09/2020 - 31/08/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Saúde
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
O projeto ilustra-se através do desenvolvimento de ações informativas, campanhas e atividades de acolhimento aos/as usuários/as da Faculdade de Odontologia. Levando em consideração o estímulo à reflexão, capacitação e treinamento de profissionais e acadêmicos universitários como estratégia de ações de aprimoramento do serviço oferecido pela Faculdade de Odontologia da UFPel com foco no acolhimento e humanização, a partir das diretrizes da Política Nacional de Humanização do Sistema Único de Saúde (BRASIL, 2003). Sob a ótica politizada do contexto social e humanizada do ponto de vista das relações, levando em consideração os aspectos determinantes no processo de saúde/adoecimento e acesso aos serviços e bens públicos, que envolvem fatores sociais, econômicos, políticos, culturais, ambientais e biológicos. Possibilitando deste modo, a promoção de um ambiente ambientes humanizados e acolhedores, com a premissa do atendimento integral da pessoa humana, nos diversos espaços de saúde do município. Para o alcance dos objetivos serão desenvolvidas atividades sociais, campanhas, cursos, palestras e sala de discussões dos diferentes temas que compõem a diversidade humana. As ações têm como público alvo discentes, servidores e usuários dos serviços da Faculdade de Odontologia, além de profissionais de saúde, com ênfase na rede pública do município de Pelotas.

Objetivo Geral

Realizar ações, campanhas e atividades com foco na promoção, prevenção e recuperação de saúde, acesso a direitos e serviços destinados ao/às usuários/as da unidade, visando a humanização e o acolhimento no âmbito da Faculdade de Odontologia. Promovendo ainda atividades de capacitação de profissionais de saúde do SUS e acadêmicos oportunizando a reflexão acerca do contexto social a que pertencem os usuários dos serviços da Faculdade de Odontologia para o desenvolvimento de práticas humanizadas e acolhedoras sob a ótica da ampliação da capacidade de atendimento do setor público das necessidades da população, de forma integral, ativa e preventiva.

Justificativa

O projeto justifica-se pela necessidade de qualificação do atendimento oferecido, pois ao mesmo tempo que a Faculdade de Odontologia tem por finalidade principal a formação acadêmica de Odontologia, presta serviço essencial a população de Pelotas e região. Embora haja tentativa de superação da atenção em saúde no modelo biomédico, restrito e focalizado na doença, desde o Movimento de Reforma Sanitária na década de 80 – movimento que culminou na criação do SUS -, são percebidos poucos avanços efetivos na atenção em saúde, principalmente no contexto da odontologia, fortemente centrada na tecnicidade da atuação. Levando-se em consideração a concepção ampliada de saúde, adotada na 8ª Conferência Nacional de Saúde em 1986 que expõe


a saúde é resultante das condições de alimentação, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra e acesso a serviços de saúde. É, assim, antes de tudo, o resultado das formas de organização social da produção, as quais podem gerar grandes desigualdades nos níveis de vida. A saúde não é um conceito abstrato. Define-se no contexto histórico de determinada sociedade e num dado momento de seu desenvolvimento, devendo ser conquistada pela população em suas lutas cotidianas (Anais da 8a CNS, 1986).


O projeto justifica-se pela necessidade de qualificação do atendimento oferecido, pois ao mesmo tempo que a Faculdade de Odontologia tem por finalidade principal a formação acadêmica de Odontologia, presta serviço essencial a população de Pelotas e região. Há também forte interação entre os acadêmicos da Faculdade de Odontologia e a rede pública de atendimento odontológico, onde esses realizam muitas de suas horas de estágio. Embora haja tentativa de superação da atenção em saúde no modelo biomédico, restrito e focalizado na doença, desde o Movimento de Reforma Sanitária na década de 80 – movimento que culminou na criação do SUS -, são percebidos poucos avanços efetivos na atenção em saúde, principalmente no contexto da odontologia, fortemente centrada na tecnicidade da atuação. Levando-se em consideração a concepção ampliada de saúde, adotada na 8ª Conferência Nacional de Saúde em 1986 que expõe.


a saúde é resultante das condições de alimentação, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra e acesso a serviços de saúde. É, assim, antes de tudo, o resultado das formas de organização social da produção, as quais podem gerar grandes desigualdades nos níveis de vida. A saúde não é um conceito abstrato. Define-se no contexto histórico de determinada sociedade e num dado momento de seu desenvolvimento, devendo ser conquistada pela população em suas lutas cotidianas (Anais da 8a CNS, 1986).


Ou seja, a atenção em saúde de forma humanizada e acolhedora não se resume a adoção de atitudes de respeito e sorriso por parte dos profissionais, mas envolvem ainda, a compreensão das condições de vida da população atendida, nos determinantes e condicionantes da vida cotidiana. Desta forma, temáticas de discussão que envolve as desigualdades sociais, o contexto político e econômico, as questões culturais e a organização social na conjuntura da sociedade brasileira são fundamentais para a efetivação de um ambiente acolhedor, humanizado e que considere os usuários agentes principais e centrais nos espaços de atendimento da Faculdade de Odontologia rede de saúde do município de Pelotas. Ao adotar a Política Nacional de Humanização (BRASIL, 2003) como ferramenta principal de orientação, também tem por finalidade permitir à comunidade acadêmica dos prestadores de serviços em saúde espaços para reflexão sobre a necessidade, finalidade e efetividade de políticas públicas que favorecem ou dificultam o oferecimento de serviços de qualidade à população e o atendimento a necessidades específicas desta, e a partir disto construir espaços de participação, análise e atendimento integral no espaço da odontologia.

Metodologia

- Ações de socialização de informação com o corpo discente, como espaços, listas e fluxograma de atendimento em atividade a ser desenvolvida no início de cada semestre, propiciando discussões e ampliação do pertencimento acerca do serviço prestado pela FO;
- Atividade semestral de acolhimento aos alunos ingressantes e aos servidores ingressantes na Unidade;
- Realização de campanhas e ações educativas e informativas, para qualificação e otimização das salas de espera de atendimento dos espaços de atendimento na Faculdade de Odontologia e no município;
- Criação do Observatório Social da Odonto, que visa o monitoramento de trabalhos acadêmicos que analisem temas relacionados a concepção ampliada de saúde, tais como, violência, acolhimento, prevenção, conjuntura social, políticas geracionais, entre outros. Tal base de dados poderá ser acessada externamente à Faculdade de Odontologia;
- Fomento de discussões sobre a gestão e organização da FO e da rede de saúde pública, de modo a garantir um atendimento humanizado e acolhedor na perspectiva de garantia de direitos dos usuários da unidade;
- Atividades de mobilização e participação social dentro da FO por meio de palestras, eventos e capacitações que permitam espaços de reflexão e debate sobre temáticas de interesse social direta ou indiretamente ligado ao contexto de saúde, educação e políticas públicas, pertinentes ao escopo da Faculdade de Odontologia em especial e aos serviços de saúde conforme demanda.
- Pesquisas qualitativas junto aos usuários a fim de diagnosticar a sensação de pertencimento ao serviço e ao contexto de atendimento humanizado em saúde, a serem conduzidas na Faculdade de Odontologia e nos serviços de saúde do município, conforme demanda e oportunidade.
-Utilização dos dados obtidos nas pesquisas e base de dados a fim de aprimorar o atendimento do serviço e saúde em questão.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores

- Números absolutos e relativos de discentes e servidores e profissionais externos participantes das atividades associadas ao projeto;
- Número de usuários dos serviços da Odontologia atendidos e participantes das atividades, campanhas e ações desenvolvidas pelo projeto;
- Avaliação da percepção dos participantes e os usuários de serviços de saúde sobre a satisfação, pontos positivos e negativos das atividades desenvolvidas;


Metas

- Acolhimento incremental objetivando 100% da comunidade acadêmica;
- Acolhimento de 100% dos servidores ingressantes na Unidade;
- Divulgação das atividades junto à secretaria de saúde do município e discussão come sta da necessidade de reciclagem humanizadora de seus profissionais, acompanhando as discussões sociais que pautam a sociedade brasileira;
- Identificação, principalmente pela comunidade discente, dos espaços de acolhimento e atendimento das suas necessidades e de atendimento das situações de risco.
- Realização mensal de campanhas e ações de prevenção e promoção de saúde;
- Realização de no mínimo 2 palestras semestrais sobre temáticas de relevância social e pertinência ao atendimento humanizado e integral, como violência de gênero, inclusão, Pessoa com deficiência, saúde mental, violência em ciclos geracionais (criança e adolescente e idosos);


Resultados

- Qualificação do atendimento nos serviços ofertados à comunidade através das ações de acolhimento e humanização;
- Aproximação dos discentes da Faculdade de odontologia e outros profissionais de saúde com a realidade social, econômica e cultural da comunidade onde está inserida, propiciando ao acadêmico a participação em ações de promoção e prevenção à saúde nos seus diferentes determinantes;
- Apresentação de trabalhos em semanas acadêmicas locais e congressos de extensão;
- Criação de espaços de debate, monitoramento e qualificação permanente de discentes e servidores da Faculdade de Odontologia/UFPel e dos serviços públicos municipais de saúde, conforme demanda e possibilidades;
- Diagnóstico das atividades acadêmicas extra-curriculares exercidas na FO que contribuem na promoção e prevenção da saúde, observando as áreas e enfoques mais proeminentes e as deficiências possíveis.
- Identificação de linhas de pesquisa e abordagens acadêmicas que supram as deficiências e contribuam nos objetivos supracitados

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA VALADAO FOUCHY
GLORIA MARIA GOMES DRAVANZ18
JOSE RICARDO SOUSA COSTA6
JULIO CESAR EMBOAVA SPANO6
KATIA CRISTIANE HALL
LORI ALTMANN1
MARIANA SCHARDOSIM TAVARES
PATRICIA RODRIGUES CHAVES DA CUNHA1
RENATA ROSA DE ALBUQUERQUE
RENATO FABRICIO DE ANDRADE WALDEMARIN15
SANDRO LUIS DUARTE MESQUITA
STEFANI GOULART DA SILVEIRA

Página gerada em 20/01/2021 13:37:38 (consulta levou 0.118218s)