Nome do Projeto
SONS E SILÊNCIOS BRINCANTES: O MUSICAR DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/10/2020 - 31/12/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O projeto “Sons e silêncios brincantes: o musicar das crianças na Educação Infantil” investiga o fazer musical ou o “musicar” (MORENO, 2017, p. 24) no cotidiano da Educação Infantil. O projeto está amparado nos estudos da infância e de musicalização na primeira infância e será desenvolvido em diferentes escolas de Educação Infantil, conforme o contexto de atuação das professoras participantes da pesquisa. Caracterizado como pesquisa etnográfica e observação participante, o objetivo é compreender o que as crianças escutam, manifestam, expressam, contam, cantam, tocam em seu musicar. A metodologia de pesquisa envolve realizar encontros com as crianças explorando jogos musicais, atividades de percepção da paisagem sonora, improvisação e composição musical, apreciação ativa, execução de canções de roda, exploração e uso de instrumentos musicais, participação em recitais ao vivo. O registro dos dados acontecerá por meio de diários de bordo dos educadores e educadoras participantes da pesquisa e de registro audiovisual de todas as atividades realizadas. A análise dos dados seguirá os pressupostos da interpretação hermenêutica em educação.

Objetivo Geral

Compreender o que as crianças de quatro e cinco anos de idade expressam no seu musicar (observação da paisagem sonora; participação em jogos musicais; execução de canções infantis; apreciação de obras de diversos gêneros) em contexto de práticas educativas conduzidas pelas professoras.

Justificativa

A música é parte constitutiva da formação humana ao lado das outras linguagens que compõem nossas formas de comunicação e expressão. Essa essencialidade da música como expressão humana necessita ser valorizada também no contexto da Educação Infantil. Mais do que acessória, a linguagem musical é essencial na formação de cada pessoa desde o seu nascimento.
Mais do que ensinar música para as crianças, a proposta da pesquisa é fazer música com as crianças e compreender, a partir de suas reações e expressões, o que esse fazer musical tem a dizer para ela em seu contexto escolar, familiar e comunitário. Assim, a musicalização das crianças pretende ser um musicar presente, para o agora, não para o futuro. Segundo a educadora e pesquisadora da infância Adriana Friedmann, “escutas e pesquisas com crianças constituem uma pauta urgente para adentrar e compreender seus universos e poder (re)conhecê-las em suas diversidades e singularidades” (2020, p. 19).
A criança explora a musicalidade desde os primeiros meses de vida. Essa habilidade de se comunicar por meio de sons está inserida numa perspectiva multimodal de interagir com as pessoas a sua volta e vai se desenvolvendo na convivência da criança com seu ambiente sociocultural. Nesse sentido, a criança é autora do seu fazer musical, expressando-se e interagindo através dos sons de forma intencional. Tendo a brincadeira como uma de suas atividades principais, o musicar também acontece nos momentos de interação lúdica com seus pares e com as pessoas adultas. Daí a necessidade de compreender o musicar infantil através de sons e silêncios brincantes.
A pesquisa pretende escutar as crianças manifestando-se em experiências musicais nas quais estão envolvidas. Assim, no lugar de uma pesquisa sobre as crianças e seu desenvolvimento musical, pretende-se pensar o fazer musical com as crianças, procurando entender qual o sentido do fazer musical para elas. Segundo Scramingnon (2019, p. 64), “[o] com é o reconhecimento de que as crianças são pessoas como os adultos, que merecem respeito e ética no trato com elas”.
Nesse sentido, enquanto pesquisadores e pesquisadoras do musicar das crianças na Educação Infantil, esta pesquisa desenvolve-se a partir de um conjunto de perguntas:
Para que ensinamos música para as crianças? O objetivo da musicalização é projeto para o futuro ou proposta de expressão do hoje, do aqui e do agora?
O que o som da cidade, da escola, da casa, do bairro diz para as crianças? O que elas gostariam de expressar musicalmente em resposta a essas sonoridades?
O que o corpo sente quando ouve os sons musicais ou não musicais? De que forma o som de uma obra instrumental afeta as crianças? O que elas expressam com os sons que produzem? O que as colegas e os colegas ouvem nos sons que as colegas e os colegas produzem?
A valorização da música na Educação Infantil tem como pressuposto a valorização da criança enquanto ator social, sujeito e produtor de culturas. Nas últimas décadas, a sociologia e a antropologia vêm desenvolvendo estudos sobre a participação efetiva das crianças em pesquisas nas quais elas se constituem como agentes sociais. Nasce o que hoje denominamos estudos da infância. “O reposicionamento das crianças nos últimos vinte anos tem contribuído para consolidar um movimento investigativo com e não para ou sobre as crianças” (ROCHA; NORNBERG, 2021, p. 906).

Metodologia

A investigação desenha-se como uma pesquisa etnográfica e de observação participante. Conforme Angrosino (2009, p. 20), esta metodologia de pesquisa, “na tradição interacionista, busca desvelar os significados que os atores sociais atribuem às suas ações”. Nesta perspectiva, serão propostas atividades que promovam o fazer musical para, junto com as crianças, identificar os sentidos e as intencionalidades de seus sons e silêncios brincantes.
A proposta teórico-metodológica embasa-se em elementos de diferentes teorias como: a) a teoria histórico-cultural de Vigotski (MARTINEZ e PEDERIVA, 2020; VIGOTSKI, 2014; VIGOTSKI, 2018); b) a proposta de jogos musicais desenvolvida por Teca Alencar de Brito (BRITO, 2019); c) a proposta de educação musical de Gluschankof e Perez-Moreno (2017); d) os estudos da infância (CORSARO, 2011; SARMENTO E GOUVEA, 2009; FRIEDMANN, 2020).
O projeto está voltado para a observação e análise da produção musical de crianças de quatro e cinco anos de idade. Essa observação contará com a participação das professoras de Educação Infantil, de professores e professoras de música e de estudantes das licenciaturas em Pedagogia e Música, que receberão orientação através de encontros de estudo e formação sobre pesquisa com crianças e musicalização infantil. Para tanto, o projeto prevê a formação de estudantes e/ou licenciados em música e/ou pedagogia no campo dos Estudos da Infância; da formação musical e pedagógico-musical; e da avaliação e reflexão sobre as experiências musicais das crianças no cotidiano da Educação Infantil.
O registro de dados para a análise decorrentes das atividades realizadas com as crianças (jogos musicais, atividades de percepção da paisagem sonora, improvisação e composição musical, apreciação ativa, execução de canções de roda, exploração e uso de instrumentos musicais, participação em recitais ao vivo) será feito em diários de bordo, a serem elaborados pelas professoras envolvidas com a pesquisa, e por meio de registros audiovisuais. Em relação à gravação audiovisual, Corsaro (2011, p. 67) defende que ela “é útil para documentar as culturas infantis porque muitas de suas brincadeiras são não verbais, mas rápidas e altamente complexas”. No contexto do fazer musical ou do musicar, essas nuances multimodais presentes na comunicação infantil são ainda mais sensíveis e importantes.

Indicadores, Metas e Resultados

O projeto reunirá estudantes de licenciatura em Pedagogia e Música e de especialização em Educação, além de professoras da Educação Infantil. Essa aproximação entre Música, Pedagogia e profissionais da educação enriquecerá a reflexão e a prática de todas as pessoas envolvidas.
A pesquisa também contribuirá para a aproximação entre os estudos da infância e a música, contribuindo para a compreensão do fazer musical das crianças.
Nesse sentido, o projeto terá como resultados:
A formação pedagógico-musical de estudantes e profissionais para promover e compreender o musicar das crianças na Educação Infantil.
A realização de palestras e seminários sobre o fazer musical das crianças.
A elaboração de Trabalhos de Conclusão de Curso de graduação e especialização.
A produção de artigos para revistas e de trabalhos a serem apresentados em congressos de educação, arte-educação e educação musical, envolvendo estudantes e professoras.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
Angélica Helena Sanches Suzigan
EDSON PONICK8
Gabriela Toledo de Anastacio
JULIANA ALOY BERNY
JULIANA DANIEL RIBEIRO
LELIA NEGRINI DINIZ2
REGIANA BLANK WILLE2
Roberta Domingues Machado
TAMARA INSAURIAGA BUENO

Página gerada em 28/02/2024 16:05:52 (consulta levou 0.352028s)