Nome do Projeto
LEITURAS DO PRESENTE
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
30/08/2021 - 30/08/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Artes visuais
Resumo
O projeto de extensão – Leituras do Presente – pretende dar continuidade as interlocuções entre universidade e sociedade, no campo da Arte e da Cultura. Tem como objetivo possibilitar espaços-tempos para a formação contínua e permanente dos jovens artistas, educadores e educadoras da arte e da comunidade da Região Austral do Rio Grande do Sul]; socializando saberes e experiências entre os sujeitos envolvidos. Estimular o debate sobre questões emergenciais que se apresentam na sociedade culturalmente globalizada e hipercultural para entendimento do sujeito contemporâneo e suas inquietações, a sedução pelos meios eletro-eletrônicos, da sociedade hedonista e os novos ensaios de sociabilidade inscritos nos enunciados da discursividade das tipologias da arte vigente e seus dispositivos, que requerem uma disponibilidade intelectual para manter uma relação dialógica entre seus propositores, dispositivos de arte e o público.

Objetivo Geral

Analisar através de uma abordagem dialogada – com artistas em formação, artistas, educadores e educadoras e, a comunidade regional, – a formação discursiva que está associada à articulação de três domínios da arte: o espaço público, as histórias da arte que emergem e, os enunciados que se projetam com os dispositivos da arte de agora.

Objetivos Específicos

Produzir e socializar saberes e metodologias de pesquisa em arte que contribuam para a formação de educadores e educandos e a comunidade regional, articulando ações de extensão universitária no âmbito da educação pela arte;

Refletir sobre as implicações das várias áreas do conhecimento para a formação discursivo em torno da arte presente, experienciando propostas de ensino-aprendizagem;

Oportunizar aos educandos e pesquisadores da UFPel o desenvolvimento de atividades pedagógicas nas escolas e na sociedade, contribuindo para a troca de saberes e experiências;

Contribuir para a qualificação do debate em torno da formação discursiva, no que tange a aproximação da arte contemporânea, envolvendo os sujeitos que dele participam;

Dimensionar o contexto da arte contemporânea e seu ensino no município de Pelotas e na Região Austral do Rio Grande do Sul, no que se refere aos lugares de exposição, as disciplinas das ciências da arte e as discursividades presentes nos dispositivos e tipologias da arte vigente.

Justificativa

O projeto Leituras do Presente pretende abranger a Organizações não governamentais, grupos e coletivos que representem a sociedade pelotense e, indiretamente, a comunidade da Região Austral do Estado do Rio Grande do Sul. E neste sentido, visa contribuir para a formação contínua e permanente dos sujeitos envolvidos, trocando saberes e experiências entre os agentes envolvidos, atendendo um dos compromissos da universidade pública, conforme estabelece seu Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI).
Ressalta-se que o referido projeto vem atender a uma demanda recentemente levantada pelos artistas em formação, a comunidade, educadores e educadoras, no que se refere a uma aproximação com os conteúdos presentes na arte de agora e, a aprendizagem que o ensino da arte do presente e, todas as extensões conceituais que deslocaram o foco da atenção dos artistas e da esfera da arte para um entendimento voltado a compreender a sociedade culturalmente globalizada, seus diferentes escopos formativos, teorias e analises sobre sua constituição e, conseqüente, como as tipologias da arte de agora se metamorfoseiam com o cotidiano e embaralham a relação arte-vida, gerando outras formas de aproximação de seus enunciados que não raro requer a formação discursiva e a disponibilidade intelectual.
É diante deste cenário que projeto de extensão universitária Leituras do Presente insere-se na formação do sujeito contemporâneo estimulando a reflexão e a problematização acerca dos agentes sociais na contemporaneidade, bem como suas relações composicionais, cognitivas, teóricas e/ou estéticas, com as tipologias da arte do presente se instalam sobre recortes da vida real, exigindo a construção de outras formas de proximidade entre propositores, dispositivos de arte, equipamentos culturais e o público.
Busca-se a consolidação da prática implícita na concepção da Estética Relacional, do filósofo francês Nicolas Bourriaud para atenuar e apresentar algumas direções sobre algumas transformações que haviam ocorrido junto ao sistema das artes desde a década de 1990.
Para apreender a estética relacional, serão abordados alguns conceitos, momentos, personalidades, tipologias artísticas e referenciais teóricos que antecederam a arte do presente, a fim de problematizar sua ascendência. Pretendemos, não obstante, tomar distância de uma tendência analítica de caráter meramente historiográfica, a fim de percorrer outras direções que estabeleceram epistemologias e ampliaram asserções sobre a produção em arte e seus possíveis vínculos e/ou distanciamentos com o nosso tempo.
Como bem nos lembra Nicolas Bourriaud (2009, p.9) que o distanciamento e repulsa sobre os dispositivos da arte vigente deve-se a falha no discurso teórico, porquanto foram decupados alguns vetores conceituais surgidos durante o período moderno, como é o caso das narrativas que legitimaram a arte até meados dos anos de 1960.
Para entendermos o paradigma conceitual inscrito na arte pós 1960, recorremos às noções de discurso e sua composição, em Michel Foucault (2008) que fortaleceram e indicaram os recortes e seleção dos autores, cujas reflexões elucidaram questões relevantes para apreender a tese sobre a estética relacional de Bourriaud.
Os elementos que compõem a formação discursiva Foucaultiana serviram para traçarmos analogias com o objeto de estudo – a estética relacional e a arte contemporânea e o que se pode aprender com ela – quando tensionados apresentam relações entre a discursividade filosófica e os dispositivos da arte vigente. Com o entendimento da formação discursiva de Foucault, poderão estreitarem-se justaposições dos discursos conceituais da arte e algumas tipologias relacionais supracitadas por Bourriaud e, por alguns artistas nacionais e internacionais que transitam sobre os mesmos enunciados.
Isto indicaria alguns caminhos a serem seguidos, pautados na dialogicidade e na problematização educador-educando e educando-educador em que ambos desenvolvem uma postura crítica frente ao mundo e ao conhecimento.
Desta ação, constrói-se o processo de aprendizagem, em que “só aprende verdadeiramente aquele que se apropria do aprendido, transformando-o em apreendido, com o que pode, por isso mesmo, reinventá-lo; aquele que é capaz de aplicar o aprendido-apreendido a situações existenciais concretas” (Freire, 2002, p. 28).
Desta forma, compreende-se a importância do diálogo e da comunicação com as comunidades educacional e com os movimentos sociais em vista da construção do saber.
Com essa concepção de extensão e a inserção deste debate, surge o projeto Leituras do Presente, com uma proposição sobre a Estética e a arte relacionais, emergentes na década de 1990: o estudo sobre os dispositivos de arte que apresentaram novas formas e tipologias que inserem os movimentos sociais e as ações humanas, como um dos principais disparadores para a produção de arte contemporânea
O presente projeto constituirá um espaço fecundo de novas aprendizagens, conhecimentos tecidos no cotidiano de uma sociedade culturalmente globalizada e na inserção do sujeito contemporâneo, como o principal agente para a elaboração de novas tipologias artísticas, que requerem outras aproximações, neste caso uma leitura dialógica sobre a formação discursiva da arte do presente, que raramente são contemplados pelo ensino instituído; saberes que ultrapassam a dimensão metodológica ou científica e alcançam a dimensão dos sentidos existentes nas vivências dos educandos e das comunidades.
Destacamos que, da troca de experiências entre educadores, educandos, acadêmicos e docentes, emergem ações dialógicas e colaborativas, baseadas na solidariedade e nas coletividades.
Assim, esse espaço pode oportunizar, no processo de formação da comunidade pelotense e da Região Austral do RS, educandos da Universidade Federal de Pelotas, o contato com diversas leituras sobre o presente pensamento dos conceitos, vetores e produção de sentido e suas visualidades, constituindo-se em um espaço/tempo alternativo e de avaliação permanente das relações de ensino/aprendizagem em torno da arte vigente.
As universidades públicas têm desenvolvido, nas últimas décadas, importantes ações extensionistas que socializam conhecimentos, metodologias e tecnologias produzidos em seu interior para as populações urbanas, sobretudo das grandes cidades. Por outro lado, são ainda limitadas as ações implementadas que visam oferecer essa produção à comunidade, tão carente de políticas públicas culturais, no âmbito da educação pela arte. No intuito de contribuir para superar essa lacuna e atendendo ao Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFPel e sua Política de Extensão, propomos a implantação desse projeto.

Metodologia

O presente projeto propõe-se trabalhar em suas linhas de ação através do método qualitativo. Em cada ação desenvolver-se-á metodologias de acordo com os objetivos propostos, o que se constituirá: debates, leituras dirigidas, narrativas, observação e percepção.
Compreendemos o trabalho de ‘extensão’ como uma contribuição substancial na reflexão acerca do significado e dos valores implícitos na formação do professor. O debate no ambiente universitário, contribui para o processo dialético da construção de uma educação pela arte. Para Freire (2002, p. 79) “na educação que seja verdadeiramente uma situação gnosiológica, não há, para o educador, um momento em que, sozinho, em sua biblioteca (...) conheceu...”, ou seja, não há possibilidade de aprender sozinho e de forma isolada. Precisa-se estar em constante diálogo, na troca de saberes e no conhecer a realidade do outro.
O projeto articula-se, também, com os projetos pedagógicos dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Artes Visuais da UFPel, que pretendem formar artistas e professores em nível superior para a docência na educação básica; aprofundar o conhecimento sobre a complexidade da educação no contexto sociocultural; desenvolver conhecimentos teóricos e práticos sobre o processo educacional de modo abrangente e flexível, possibilitando que a formação esteja em interface com as transformações dos contextos sociais e educacionais; formar um profissional capaz de agir nas mais diferentes modalidades de ensino na busca de soluções dos problemas complexos da realidade educacional de forma preventiva, favorecendo a reflexão crítica acerca dos valores éticos que devem permear o pensar e o agir profissional.
Nesse sentido, entende-se que os objetivos e metas do projeto ora apresentado estão em consonância com o PDI e os Projetos Pedagógicos dos Cursos. Contribuindo na formação do sujeito, na preparação para futura atuação profissional, sobretudo ao proporcionar o contato e a prática em ambientes educacionais diferenciados.
Concebe-se, neste projeto, que a interdisciplinaridade “impõe a cada especialista que transcenda a sua própria especialidade, seus próprios limites, para colher contribuições das outras disciplinas” (Japiassu, 1979: p.26). As possibilidades de troca de experiências são ampliadas quando acontecem as parcerias e os conhecimentos específicos de cada disciplinas não são negados ou colocados em segundo plano, mas sim possibilitam que se colham contribuições para que o conhecimento seja ampliado porque ele é compartilhado entre todos.
A interdisciplinaridade será desenvolvida através de oficinas, palestras, seminários, cursos, estágios e outras atividades integradas aos temas geradores ou planos de ação. Na perspectiva dessa metodologia, torna-se necessário à mudança de atitude, exigindo do pesquisador a mudança de concepção de educação pela arte, pois torna-se necessário o envolvimento coletivo, pesquisa, análise, discussão de vivências e uma prática real e contextualizada.
A UFPel envolve-se no referido projeto com a sua infraestrutura física constituída de salas, equipamentos multimídia, transporte e também através de apoio técnico, se necessário.
Através do projeto pretende-se desenvolver um trabalho coletivo de troca de saberes entre os pesquisadores da UFPel, artistas em formação, a comunidade pelotense, e os educadores e educadoras de arte e a comunidade da Região Austral do Rio Grande do Sul.
Assim, incluem-se na ação proposta as seguintes atividades:
- planejamento coletivo das atividades com professores e estudantes credenciados ao projeto;
- planejamento e execução de oficinas pedagógicas, on line para o público-alvo a que o projeto se destina;
- seminário de debate, on-line em plataforma de fácil acesso a todos os participantes e reflexão conjunta sobre as temáticas relacionadas ao projeto.
Portanto, reafirma-se a pertinência deste projeto, pois o mesmo advém de uma necessidade percebida em diferentes ocasiões, espaços de construção de conhecimento e lugares em que a arte se faz manifesta.
Tem-se a pretensão de atender as demandas dada comunidade pelotense e das comunidades escolares implicadas através de uma diversidade de instrumentos e ações cuja execução assegurará a qualidade da proposta.

Indicadores, Metas e Resultados

Resultados Esperados

Espera-se que as ações realizadas através deste projeto possibilitem a qualificação de artistas em formação, dos educadores, educadoras e da comunidade da Região Austral do Rio Grande do Sul. Com isso, articula-se a possibilidade de realizar uma leitura em torno dos novos escopos e formação da sociedade contemporânea e, consequentemente, relacioná-la com as tipologias artísticas vigentes e os novos discursos sobre a arte contemporânea.
Esse movimento pressupõe a interlocução entre pesquisadores da universidade, educadores de arte e a comunidade, diálogo este que possibilita a ressignificação dos saberes e das práticas de todos os sujeitos envolvidos. Nesse contexto, os conceitos relacionados às temáticas da educação e ensino sobre a arte contemporânea e movimentos sociais serão pauta das discussões. Além disso, espera-se que tais reflexões fomentem experiências práticas entre os agentes envolvidos e, também, na universidade.
Nesse sentido, o desenvolvimento de oficinas, palestras, cursos e seminários de formação pedagógica a jovens artistas, aos educadores, educadoras e a comunidade resultem em formação complementar sobre os discursos da arte vigente como reflexo de uma sociedade multicultural, dinâmica e plural.
Pretende-se, também, produzir e socializar, saberes e reflexões que contribuam para a formação de artistas, educadores e educadoras, publicizando relatórios, artigos científicos e outras produções para que se tornem referência para os demais estados, inclusive a respeito das articulações das ações de extensão universitária no âmbito da educação pela arte, cuja metodologia propiciaria a formação de uma rede de grupos de pesquisa e extensão.
O envolvimento de professores, acadêmicos da universidade, voluntários e a comunidade, neste projeto, possibilitará o fortalecimento do debate sobre a arte contemporânea e seu ensino em diferentes instancias sócio-educacionais.

Assim sendo, propõe-se alcançar as seguintes metas:

1. Planejar e organizar as ações tendo em vista os objetivos propostos;
2. Desenvolver oficinas, palestras, cursos e seminários de formação pedagógica aos educadores, educadoras e a comunidade sobre os objetos de pesquisa desse projeto;
3. Discutir os conceitos relacionados à temática estética relacional e da arte do presente e suas implicações em diferentes níveis de ensino;
4. Relatar e publicar periodicamente as atividades desenvolvidas e seus resultados.


Indicadores de Avaliação

O objetivo geral que é proporcionar a jovens artistas, aos educadores e educadoras e a comunidade em geral uma leitura sociológica e reflexiva em torno das tipologias da arte do presente, através de uma abordagem dialogada sobre a formação discursiva que está associada à aproximação dos dispositivos da arte de agora. Será considerado atingido se na conclusão dos trabalhos forem apresentadas sínteses, relatórios e artigos.
Em relação aos objetivos específicos, pretendemos discutir a produção de sentindo em torno da discursividade da arte do presente e socializar saberes, experiências e estratégias que contribuam para uma aproximação dos enunciados prescritos juntos as tipologias da arte.
Quanto a reflexão a respeito das implicações das várias áreas do conhecimento que se entrecruzam no projeto Leituras do Presente será considerado atendido se alguns vetores conceituais que distinguem a arte do presente sejam apreendidos à luz das discussões levadas a cabo pelos sujeitos envolvidos, do mesmo modo, em relação as experiências inovadoras serão organizadas e difundidas através de web site e blogs.
No que diz respeito às metas, essas serão acompanhadas e avaliadas segundo o que segue:
O planejamento e a organização das ações propostas serão considerados satisfatórios se as atividades ocorrerem dentro do cronograma do projeto e atenderem aos objetivos pelas quais foram formuladas.
As oficinas, palestras, cursos e seminários com os envolvidos no projeto será uma constante e seu acompanhamento será através de através de relatórios, filmagens e fotografias das práticas produzidas no decorrer dos trabalhos. Também, após cada uma dessas ações, os participantes preencherão uma ficha de avaliação e auto-avaliação, em que responderão se os objetivos foram alcançados e manifestarão suas críticas e sugestões.
Ao organizar e publicar o web site e o blog do projeto atenderemos a meta de relatar permanentemente as atividades desenvolvidas e seus resultados, ao que se soma a publicação de artigos de divulgação científica em revistas conceituadas e em livros que serão organizados para este fim.
A avaliação será um processo contínuo e permanente, abordando os aspectos qualitativos desenvolvidos em cada uma das ações, seguindo a metodologia proposta. Sua efetivação, também se dará através de seminários quinzenais entre a equipe de execução do projeto, com o objetivo de discutir as questões emergentes, os resultados alcançados e encontrar soluções para os problemas detectados. Além disso, a participação das comunidades envolvidas será objeto de acompanhamento sistemático, permitindo a integração entre as várias ações propostas e a compreensão das realidades numa perspectiva interdisciplinar, coletiva e integral.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE LEAL BONILHA9
CLARICE REGO MAGALHAES7
LETÍCIA BECK FONSECA
MARIA JOANA MAYER DE MATTOS
NEIVA MARIA FONSECA BOHNS9
PATRICIA CASTRO PEDROSO
RICARDO HENRIQUE AYRES ALVES
ROGERIO VANDERLEI DE LIMA TRINDADE24
THAIS CRISTINA MARTINO SEHN
Ìsis Pinheiro Corvello

Página gerada em 02/07/2022 13:44:35 (consulta levou 0.085408s)