Nome do Projeto
Tatá - Núcleo de Dança-Teatro - 2021-2025
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
15/04/2021 - 14/04/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Educação
Linha de Extensão
Artes cênicas
Resumo
Tatá – Núcleo de Dança-Teatro se constitui como um grupo de criação artística e existe como projeto de extensão desde 2009. Tem como foco a criação de obras cênicas para apresentação em escolas e espaços da comunidade de Pelotas e região, principalmente escolas públicas. O grupo já realizou três montagens “Tatá Dança Simões”, “Terra de Muitos Chegares” e “Quando Você me Toca”. Esses trabalhos realizaram diversas apresentações em escolas, espaços da comunidade e eventos acadêmicos. Em 2020 estreou sua primeira videodança: “Endelss - ou esqueci de lembrar”. O atual projeto, com duração de cinco anos, é composto de ações de manutenção do grupo, do seu processo de criação e de suas obras artísticas, bem como das ações de circulação, que implicam produção executiva e apresentações. Ao longo desses anos se espera intensificar as trocas com a comunidade, ampliando sua participação nos processos de criação do grupo. As ações de pesquisa (no campo de conhecimento da dança, dos estudos da performance e dos estudos culturais), que compõe o projeto, emergem da prática artística e das atividades realizadas em escolas e comunidades, tais como apresentações, oficinas de dança e desenvolvimento de material pedagógico relacionados às obras cênicas. Em 2021, planeja-se iniciar três novos processo de criação: da obra cênica “Inservíveis”, da obra cênica e websérie “Shirley & Deisê”, e de performances, videodança e videoperformance na ação MULHERADA.

Objetivo Geral

Este projeto objetiva contribuir com o fomento da criação nas artes da cena e com a democratização do acesso à arte. Portanto, visa a formação de agentes e de público em arte contemporânea, em específico a dança-teatro, a performance e suas articulações com vídeo. Ainda, busca fomentar experiências de criação em espaços da comunidade, com pessoas da comunidade que estabeleçam trocas artísticas com o grupo Tatá e que possam integrar os processos de criação do grupo. Ao mesmo tempo, objetiva promover a problematização de concepções de corpo, bem como de práticas do corpo, isto é, a problematização dos discursos sobre e do corpo. Busca trazer essa problematização por via de obras cênicas que coloca o corpo como elemento e tema de criação. Também objetiva contribuir com a discussão sobre o currículo de dança na escola e sobre o lugar do corpo no currículo escolar.

Justificativa

Embora Pelotas seja reconhecida por uma tradição em dança e tenha várias escolas (academias) de dança, a grande maioria da população, por motivos econômicos, sociais e culturais, não tem acesso, nem à fruição desta arte, nem ao fazer artístico. O Tatá – Núcleo de Dança-Teatro se apresenta como modo de contribuir com a democratização do acesso à fruição, levando as obras em escolas públicas e espaço da comunidade e construindo estratégias de trazer a comunidade (principalmente aquelas com maior índice de vulnerabilidade social) até os espaços cênicos consagrados da cidade.
O novo projeto do Tatá - Núcleo de Dança-teatro, que inicia em 2021, tem o desafio de criar estratégias para que a troca entre universidade e comunidade inicie desde os processos de criação artística. O projeto se dedicará a construir meios para que o grupo possa fomentar experiências de criação com pessoas da comunidade, de forma que essas experiências interfiram nas criações do grupo e que, inclusive, as pessoas da comunidade possam integrar o grupo - com a consciência de que, num primeiro momento, o trabalho será remoto.
Ao longo dos seus mais de 10 anos, o Núcleo sempre enfrentou a dificuldade da permanência de pessoas de fora da universidade, em função da demanda de horas de envolvimento no projeto. Tal como é característico de processos colaborativos nas artes da cena, os processos de criação das obras cênicas são longos - cerca de um ano preparação corporal, experimentações e definição dos materiais cênicos - e a circulação dos trabalhos demanda compromisso semanal com uma agenda grande de apresentações. Participar do grupo exige dedicação e compromisso de forma voluntária. Entretanto, algumas experiências, iniciadas em 2019, mostraram a possibilidade de tornar viável a participação dessas pessoas. Tais experiências, somadas com as inúmeras adaptações realizadas em 2020, devido as medidas de distanciamento social para o controle do corona vírus, produziu diferentes dinâmicas de trabalho e apontou para possibilidades de reinvenção do modo de criação e condução dos processos artísticos.
Destas experiências, destacamos: 1) o projeto piloto no loteamento Dunas, com a criação de um grupo cênico de mulheres, realizado em 2019; 2) a criação do videodança “Endless - ou esqueci de lembrar”, em 2020, que contou com a participação de artistas de diversos estados do país e possibilitou reintegrar ex-integrantes do grupo; 3) a participação na criação de “Axêro”, uma obra cênica profissional, que trata da perspectiva do negro/negra em Pelotas, criada por ex-integrantes do grupo; 4) a parceria iniciada com o sindicato de empregados domésticos de Pelotas, em debate realizado em 2021 sobre a websérie “Shirley & Deisê”, para criação de dramaturgia e obras de performance; 5) a participação no projeto Mata Sensorial Cuidativa, que programa a extensão das atividades do Tatá para pacientes e familiares em Cuidados Paliativos da Faculdade de Medicina da UFPEL.
Assim, o projeto tem a característica de estar constantemente se reinventando, movido pelas temáticas e questões de investigação artística que vão sendo apresentadas pelos diferentes contextos nos quais atua.
As obras que estão projetadas para serem desenvolvidas ao longo desses 5 anos (obra cênica “Inservíveis”; obra cênica e websérie “Shirley & Deisê”; performances, videodança e videoperformance na ação MULHERADA) nos apontam para temáticas que serão trabalhadas: crítica ao modo de vida contemporâneo que valoriza o produtivismo e a eficiência em contraposição à conexão do ser humano com outros sentidos para a vida; crítica ao descarte de objetos e pessoas consideradas “não úteis”, com base em perspectivas decoloniais; questões de gênero e questões étnicas que visibilizem a crítica ao machismo e ao racismo.
Também são os temas e as questões artísticas das obras a serem criadas que guiam as proposições pedagógicas do projeto, tal como se deu desde 2009. Trata-se de desenvolver materiais pedagógicos gerados nos processos de criação do grupo, de maneira evidenciar a relação intrínseca entre criação e formação em arte. Ao propor materiais pedagógicos em parceria com professoras de dança, em escolas de educação básica, o projeto também contribui com a discussão no campo dos estudos do currículo.
As ações de pesquisa deste projeto unificado são construídas para dar continuidade ao Projeto de pesquisa da coordenadora, denominado “Produção do corpo sujeito em práticas de dança”, e, assim, se configuram de maneira a intensificar a integração entre pesquisa e extensão. O projeto de pesquisa citado já vinha sendo desenvolvido tendo como objeto as ações do Tatá. As diferentes investigações acadêmicas decorrentes das experiências artístico-pedagógicas do Tatá seguem a pergunta norteadora: Que seres humanos, que corpos, que modos de existência estão sendo produzidos pelos saberes que constituem as práticas da cena? Nessa pergunta está implícita a ideia de que as práticas são, elas mesmas, concepções e projetos de seres humanos. Essa pergunta se refaz em diversas outras, dependendo da experiência específica a qual de debruça para estudar.
De modo geral, as questões de pesquisa percorrem diferentes espaços de práticas cênicas, a saber: a dança e o teatro como componente curricular obrigatório na educação básica; processos de criação de artistas da cena; processos de criação nas artes da cena com a comundade. O estudo foca os cruzamentos e intercâmbios entre esses três espaços, para pensar conceitos e abordagens de corpo e sujeito na cena e na escola. Este estudo inscreve-se na perspectiva dos estudos da performance e estudos foucaultianos e entende, assim, a prática como discurso. Fazem cruzamentos com esses, a perspectiva decolonial e feminista.
A experiência que o projeto tem proporcionado aos alunos do curso, tem se mostrado importante nas suas formações. Esses alunos, além de desenvolver suas possibilidades de criação, têm ampliado suas reflexões sobre abordagens pedagógicas, ampliado suas possibilidades como professores e sua responsabilidade com relação à educação. O Núcleo, portanto, tem se mostrado um espaço importante para refletir e problematizar as competências e habilidades necessárias ao professor-artista-pesquisador, perfil que se espera do graduado de Curso de Dança-Licenciatura, conforme o projeto pedagógico. Tal formação se diferencia por ocorrer num projeto extensionista, justamente porque o foco é a relação com a comunidade e a democratização dos saberes.
O fato da dança-teatro necessitar de diversos pontos de vista e diferentes olhares como sua fonte de criação, está implícito no processo criativo – e na obra – uma percepção sobre a vida e a realidade que desmistifica preconceitos e aponta para a importância da diferença (os corpos em cena evidenciam isto). O Tatá se estrutura no modo de trabalhar como grupo, com divisão de tarefas e responsabilidades, co-responsabilidades, e, principalmente uma constante reflexão sobre ética. Em diferentes momentos de avaliação do Projeto, realizada pelos integrantes do grupo, surgiram como questões fundamentais aquelas relacionadas com a vida em grupo e a ética construída nessa relação.

Metodologia

O projeto é composto por diferentes ações de extensão e pesquisa que se interrelacionam, abaixo descritas.

1 - Mulherada (ênfase em extensão)
A ação Mulherada consiste na criação de um grupo de mulheres, pertencentes à comunidade do loteamento Dunas, em região descentralizada da cidade de Pelotas, no espaço do CDD (Comitê de Desenvolvimento do Dunas), para realização de atividades de formação e criação em dança e performance. Também prevê o desenvolvimento de atividades de criação de dramaturgia e obras cênicas com outros grupos de mulheres, tendo como estímulo a websérie Shirley & Deisê. Compõe esta ação, a realização e participação em debates e estudos sobre questões relacionadas ao feminismo. O procedimentos desta ação são os que seguem:
- Realização de aulas e processo de criação em performance duas vezes por semana: Aulas ministradas pela coordenadora e alunas extensionistas e de iniciação científica. Processo de criação colaborativo sob orientação da coordenadora e suas alunas.
- Criação de obra(s) cênica(s) do grupo.
- Divulgação das aulas do grupo MULHERADA, com foco em mulheres com mais de 30 anos, moradoras do Loteamento Dunas.
- Desenvolvimento de atividades remotas, com auxílio da tecnologia, enquanto estivermos em trabalho remoto na UFPEL.
- Organização para participação do grupo em outros cursos de formação, eventos, palestras e atividades artísticas (presenciais e remotas).
- Após a criação de obra(s) cênica(s), organização de apresentações para a comunidade.

2 - Processo de criação e pesquisa em obras cênicas (ênfase em pesquisa)
Desenvolvimento de processo de criação nas artes da cena (entendida aqui como campo expandido, que funde práticas dos demais campos artísticos) e análise dos dados que emergem de tais criações artísticas. Esta ação envolve atividades de ensaios, preparação corporal e investigação de linguagem artística. São previstos encontros semanais entre os integrantes do grupo de criação, composto por alunos e ex-alunos dos cursos de Dança – Licenciatura e de Teatro – Licenciatura, e pela coordenadora. Esta ação também conta com a participação de professores colaboradores que se integram na investigação da linguagem artística do grupo. Destaca-se nessa ação, a elaboração da articulação de todos os elementos que compõe a dramaturgia das obras e que implicam na participação de outros artistas e colaboradores do projeto: trilha sonora, figurino, vídeo, iluminação, elementos cênicos e fotografia.
Planeja-se dar continuidade ao processo de criação da obra cênica “Inservíveis”, para o qual já conta com a parceria do projeto de extensão “Núcleo da Canção”, coordenado pelo professor Leandro Maia, e com a pesquisa sobre práticas corporais do samba do aluno de Especialização Robson Porto. Projeta-se dar continuidade para “Shirley & Deisê”, trabalho de criação dramatúrgica e de atuação, com participação dos professores Marina Oliveira e Paulo Gaiger, que se configurou como uma websérie em 2020 - cujo material ainda poderá ser desdobrado em obra cênica presencial e em filme.
A pesquisa é desenvolvida desde a perspectiva de saberes artísticos-pedagógicos desenvolvidos no grupo: saberes dos estudos labanianos, da educação somática e dos estudos da performance. A metodologia situa na pesquisa de prática artística e se caracteriza como um composto de elementos da Etnografia Performativa, da Cartografia e da Genética Teatral: imersão corporal completa no trabalho de campo, atitude de cuidado, plano comum heterogêneo, espaço de fragilidade e intimidade, e a impossibilidade da neutralidade dos(as) pesquisadores(as).

3 - Apresentação de obras cênicas (ênfase em extensão)
Esta ação se refere às atividades de fruição das obras criadas no projeto. Além das obras ainda não finalizadas, espera-se a oportunidade para retomar as apresentações da obra “Quando Você me Toca”, que foram interrompidas em função da pandemia do coronavírus. Para realização dessa ação é necessária a articulação com os espaços de apresentação: contatos com as escolas e espaços da comunidade, apresentação do projeto e definição da agenda de apresentações do grupo. O contato com as escolas e espaços da comunidade (teatros, associações, CTGs) irá privilegiar os caminhos institucionais existentes na UFPEL, por exemplo: contatos articulados com as ações do PIBID UFPEL; contatos por via da comissão de integração do Fórum de Integração entre Ensino Superior e Educação Básica; contatos a partir de Programas de Extensão de Desenvolvimento Social da Região Sul.
Pretende-se, a partir do segundo semestre de 2021, com a situação da pandemia do coronavírus regularizada, retomar as apresentações em escolas de Pelotas e, em 2022, organizar uma agenda de apresentações nas cidades da Região Sul. Espera-se criar m roteiro de espaços cênicos para posteriormente retornar com o novo trabalho finalizado.
Assim, compõe esta ação, a produção executiva da circulação das obras, isto é, o gerenciamento das apresentações do trabalho: conhecer o espaço de apresentação; definir com a escola melhor horário e turmas de alunos; preparação do local de apresentação a partir das necessidades da obra (som e luz, cenário, espaço mínimo); agendamento de transporte para o grupo. Tal operação se torna mais complexa quando se trata de apresentações na região, o que demanda contatos com a gestão municipal, escolas, grupos artísticos e comunitários dos municípios, divulgação nos meios de comunicação e, ainda, a execução da logística de alimentação e transporte.
Enquanto não for possível a realização de apresentações presenciais, o projeto se manterá ativo participando de mostras e eventos online. No momento, duas obras podem atuar no espaço virtual: “Endless - ou esqueci de lembrar” e “Shirley & Deisê”.

4 - Criação de material pedagógico em artes da cena e oficinas para/com professores/as (ênfase em extensão)
Em 2020, a presença do grupo nas escolas foi interrompida pelas medidas de distanciamento social. Devido a isso, o projeto se desafiou a encontrar outras maneiras de estar presente nas escolas e continuar contribuindo com temáticas de estudo e propostas pedagógicas. Iniciou, assim, a criação de audio-aulas de dança, materiais pedagógicos para contribuir com o ensino de dança emergencial remoto e auxiliar as professoras de escolas públicas e privadas. Até o momento o grupo criou 5 audio-aulas que serão testadas em aulas de três professoras que serão convidadas a participar do projeto. A seguir, será realizada análise crítica da experiência para reelaboração e produção de mais material.
Além das áudio-aulas, outros dois materiais estão em fase de elaboração de seu projeto: 1) Material pedagógico em composição coreográfica, com base no video-dança Endless; 2) Documentário fílmico sobre o processo de criação da obra Quando Você me Toca.

5 - Produção do corpo-sujeito em práticas cênicas (ênfase em pesquisa)
Esta ação de pesquisa está articulada com as ações de apresentação das obras cênicas e de criação de material pedagógico. Também contempla a investigação e análise de práticas de professoras(es) de dança na escola de educação básica. Traz como questão central, a problematização do conceito e das práticas do corpo que emergem dessas ações. A metodologia se situa como Etnografia Performativa.

Indicadores, Metas e Resultados

O projeto espera, ao longo dos 5 anos, atingir as seguintes metas:
1) criação do grupo de criação cênica Mulherada, no loteamento Dunas
2) desenvolvimento de atividades de criação de dramaturgia em parceria com o Sindicato dos Empregados Domésticos de Pelotas.
3) realização de debates online (live) sobre temas que emergem da websérie Shirley & Deisê
4) apresentações da obra Quando Você me Toca:
- 10 apresentações em escolas de Pelotas
- 10 apresentações em escolas e espaços da comunidade em diferentes cidades da Região Sul: Rio Grande, São Lourenço do Sul, Canguçu, Capão do Leão, Jaguarão, Candiota, Pinheiro Machado, Pedro Osório, Piratini e Pedras Altas.
- 2 apresentações em eventos acadêmicos
5) estreia e apresentações da obra Inservíveis:
- temporada de estreia
- 20 apresentações em escolas de Pelotas
- 10 apresentações em escolas e espaços da comunidade em diferentes cidades da Região Sul: Rio Grande, São Lourenço do Sul, Canguçu, Capão do Leão, Jaguarão, Candiota, Pinheiro Machado, Pedro Osório, Piratini e Pedras Altas.
- 6 apresentações em eventos acadêmicos
6) Desenvolvimento de material pedagógico em parceria com professoras/es de dança do ensino básico.
7) Publicação de compilação dos materiais pedagógicos desenvolvidos no projeto
8) 10 apresentações de trabalhos acadêmicos em eventos
9) publicação em revista científica de 4 artigos

Além desses indicativos qualitativos, espera-se, como resultado: o fomento das artes da cena na região; ampliação do acesso às artes da cena na região; ampliação da troca artística entre universidade e comunidade; contribuição com debate sobre o machismo e racismo em escolas e na comunidade; desenvolvimento de empoderamento e autonomia das mulheres do grupo MULHERADA; construção de condutas de apoio, de colaboração e de diálogo entre as pessoas participantes das ações do projeto; contribuição com os estudos do currículo desde a perspectiva das artes da cena; contribuição com o campo de estudo da dança e da performance.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
Angelita Vieira das Neves
BIANCA MENDES ASCARI
CAROLINA PINTO DA SILVA
CATIA FERNANDES DE CARVALHO1
GESSI DE ALMEIDA KÖNZGEN
HIGOR ALENCAR DE CARVALHO
INDA RULIO BAJAR
JANETE RODRIGUES DA SILVA
JOÃO LUCAS DA CRUZ
JÉSSICA NADYNE AGUIAR OLIVEIRA
KAROLINA DA ROSA MENDES
LEANDRO ERNESTO MAIA1
LORENA BETANIA OLIVEIRA FONTES
MARIA FONSECA FALKEMBACH16
MARINA DE OLIVEIRA6
NATIELE MEIRELLES MARTINS
PAULO JOSE GERMANY GAIGER5
RAISSA BANDEIRA DA LUZ
RAYSSA DE OLIVEIRA FONTOURA
ROBSON TEIXEIRA PORTO
SARAH LEÃO LOPES
STEPHANIA FITARONI BATISTA LENGRUBER
TAINÁ MADRUGA ROMERO

Página gerada em 03/07/2022 18:31:16 (consulta levou 0.105628s)