Nome do Projeto
UM OLHAR SOBRE O FAZER DOCENTE EM TEMPOS DE ENSINO REMOTO EMERGENCIAL: POSSIBILIDADES, DESAFIOS E MUDANÇAS NAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
19/04/2021 - 23/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
A proposta do estudo aqui apresentado, está diretamente ligada ao momento desafiador que vivemos desde o ano de 2020, quando passamos a viver as consequências da pandemia mundial causada pelo Covid-19. No campo da Educação, os efeitos das medidas de isolamento social, quarentenas e a impossibilidade de retorno ao ensino presencial de forma segura, levou as instituições de ensino a adotarem estratégias como a do Ensino Remoto Emergencial (ERE). Nosso objetivo com o estudo é identificar e conhecer práticas pedagógicas no ensino remoto consideradas, na perspectiva dos estudantes, como boas práticas de ensino e aprendizagem, buscando compreender quais são as características destas práticas e o que as tornam significativas para os estudantes. Partindo do pressuposto que o docente é docente, à medida que cria e recria, através de sua prática, os meios para manutenção de sua existência como indivíduo e como grupo profissional, estudar e compreender as transformações que estão ocorrendo no fazer docente neste momento, por vezes, forçadas pelo contexto da pandemia, passa a ser de extrema importância para compreender e explicar o ser/fazer docente no contexto atual. Metodologicamente caracterizamos nosso estudo como de cunho qualitativo, utilizando metodologias que possibilitem um diálogo com os envolvidos, estudantes e docentes, ainda que de forma remota. A partir do projeto inicial serão realizados estudos nos diferentes cursos e unidades da universidade, organizados em etapas e sub-projetos, envolvendo mais colaboradores. Os principais instrumentos que utilizaremos serão questionários online, entrevistas por meio de videoconferência, análise de documentos e observações das práticas.

Objetivo Geral

Nosso objetivo com o estudo é identificar e conhecer práticas pedagógicas no ensino remoto consideradas, na perspectiva dos estudantes, como boas práticas de ensino e aprendizagem, buscando compreender quais são as características destas práticas e o que as tornam significativas para os estudantes.

Justificativa

Considerando que o Ensino Remoto Emergencial na universidade é uma prática nova para grande maioria dos estudantes e docentes, identificar as experiências, na perspectiva que Bondiá (2002) nos provoca a pensar, como algo que efetivamente nos atravessa, nos acontece, que nos toca, tornasse importante para fundamentar novas formas de ser/fazer docente valorizando os saberes que estão sendo construídos.
Identificar as práticas a partir dos estudantes não significa ignorar os conhecimentos, pesquisa e referências já construídas no campo dos estudos da docência e práticas pedagógicas, estes estarão presentes na construção de bases para compreender as escolhas dos próprios estudantes e para o diálogo com as práticas dos docentes, fundamentando nosso olhar e compreensão sobre estas.
Partindo do pressuposto que a prática pedagógica é a concretude e a materialização do trabalho do docente e este é o espaço onde o homem, a partir da sua intervenção voluntária e progressivamente consciente daquilo que a natureza lhe oferece, deixa de ser um produzido puro para se tomar um produzido produtor do que o produz (Vieira Pinto, 1979), o docente é docente, à medida que cria e recria, através de sua prática, os meios para manutenção de sua existência como indivíduo e como grupo profissional, estudar e compreender as transformações que estão ocorrendo no fazer docente neste momento, por vezes, forçadas pelo contexto da pandemia, passa a ser de extrema importância para compreender e explicar o ser/fazer docente no contexto atual.

Metodologia

Metodologicamente, por ser a prática docente complexa, fluida e transitória, ela acontece na relação com o outro e não sobre ele, assim, nos questionamos como essas práticas estão se dando no contexto do ensino remoto emergencial? Como os sujeitos estão se relacionando, como estão acontecendo os processos de ensino, que estratégias, métodos, atividades estão sendo propostos? Quais têm sido as atividades significativas para os estudantes?
Para responder estas questões trabalharemos com estudos de cunho qualitativo, utilizando metodologias que possibilitem um diálogo com os envolvidos, estudantes e docentes, ainda que de forma remota. A partir deste projeto base serão realizados estudos nos diferentes cursos e unidades da universidade, organizados em etapas e subprojetos, envolvendo mais colaboradores.
Quanto às formas de coleta dos dados, a pesquisa poderá incluir análise documental do Projeto Pedagógico dos Cursos, entrevistas e questionários através de formulários eletrônicos e ferramentas de videoconferência, com estudantes e docentes. Considerando a peculiaridade do ensino remoto, estudaremos como poderemos realizar "observações" das aulas, sempre que houver abertura para tal por parte dos docentes e estudantes, pois conhecer a concretude das práticas no ambiente em que elas acontecem trará elementos importantes à nossa análise.
Barros & Lehfeld (2002, p. 41), afirmam que a observação é uma das técnicas de coleta de dados imprescindível em toda pesquisa científica. Observar significa aplicar atentamente os sentidos a um objeto para dele adquirir um conhecimento claro e preciso e, em nosso caso, o ambiente onde essa prática acontece ser significativamente diferente, observar passa ser ainda mais importante e desafiador.
Em relação às entrevistas qualitativas, Gaskell (2004) destaca que estas contribuem para mapear e compreender o mundo da vida [no nosso caso o ambiente universitário de ensino] dos respondentes e o ponto de entrada para o cientista social que introduz, então, esquemas interpretativos para compreender as narrativas dos atores em termos mais conceptuais e abstratos, muitas vezes em relação a outras observações. (p.65)

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se com este projeto identificar práticas desenvolvidas através do ensino remoto emergencial na universidade, partindo das percepções dos estudantes, buscando compreender as características destas práticas e pensar novas formas de ser/fazer docentes em tempos de pandemia.
Como meta do estudo pretendemos também dar voz aos estudantes e docentes sobre o momento que vivemos e as possibilidades e desafios do ensinar e aprender no contexto atual.
Espera-se também a produção de relatórios e artigos de divulgação dos resultados das investigações em eventos e em publicações, contribuindo, assim, para a socialização e propagação de conhecimentos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
MARCELO SILVA DA SILVA10
NAYENE GOUVEA HENRIQUES
THAIS DURO ROSA
VANESSA DOUMID DAMASCENO8

Página gerada em 02/12/2021 01:39:49 (consulta levou 0.329585s)