Nome do Projeto
Indústria 4.0 e as perspectivas na região Sul do Rio Grande do Sul
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
11/05/2021 - 11/05/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Resumo
A expansão do mercado internacional e as constantes mudanças no ambiente externo fazem com que as organizações busquem incorporar no seu dia a dia sistemas e processos inovadores para torná-las mais flexíveis e competitivas. No mundo globalizado um dos sistemas mais difundidos para gerar competitividade, atualmente, é chamada de quarta revolução industrial ou indústria 4.0. Sendo assim, o presente projeto apresenta uma proposta para investigar as iniciativas da indústria 4.0 no Brasil e no Sul do Rio Grande do Sul. A motivação deste projeto está em pesquisar conceitos sobre o sistema atual de produção e constatar na prática como as organizações trabalham com esses conceitos no seu dia a dia.

Objetivo Geral

O objetivo do presente projeto de pesquisa é investigar desafios e perspectivas da indústria 4.0 no Brasil
e na região Sul do Rio Grande do Sul. Para atingir o objetivo geral, são propostos os seguintes objetivos
específicos: • promover a reflexão do sistema através da realização de levantamentos bibliográficos sobre
o tema; • identificar os elementos estruturantes que suportam o modelo e como as organizações estão
aplicando no seu dia a dia; • verificar oportunidades para melhorar sistemas produtos na área industrial e
no setor de serviços através do uso de conceitos da indústria 4.0.

Justificativa

Os autores Junior & Saltorato (2018) apud (Buhr, 2017; Drath; Horch, 2014; Schwab, 2016) comentam que a revolução que se presencia agora teve início em 2011 quando o governo alemão apresentou na Feira de Hannover uma série de estratégias voltadas à tecnologia capazes de transformar a organização das cadeias de valor globais por meio do surgimento de “fábricas inteligentes”. Tais estratégias são citadas por Sacomano et al. (2018) como sendo a aplicação das tecnologias digitais, IoT (internet das coisas), big data, analytics, cloud computing, robótica avançada e colaborativa, novos materiais (como fibras de carbono e grafeno), manufatura aditiva e híbrida, realidade aumentada e realidade virtual, o ciberespaço, sensores em rede, entre outras. Essas tecnologias são combinadas com a automação industrial, conectando mundo real e virtual, proporcionam a melhoria da produtividade pela otimização de processos e novos modelos de negócios. Slack et al. (2018) relatam que a muito tempo (décadas e séculos) a fabricação de produtos físicos tem sido dominada pelos princípios de produção em massa. Porém, a maioria das tecnologias de processo convencionais é mais eficiente quando produtos padronizados são fabricados em grandes lotes. A inserção de novas tecnologias de processos como a da impressão 3D traz economia ao fabricar pequenas quantidades de itens complexos. Além disso, por ser uma tecnologia “aditiva”, reduz significativamente o desperdício; por exemplo, às vezes, cerca de 90% de material é desperdiçado na fabricação de algumas peças aeroespaciais. Com base na disponibilidade dessas tecnologias, Santana et al. (2019) apud Schuh et al. (2017) informam que o índice de implantação da Indústria 4.0 é medido em seis estágios de maturidade vinculados ao planejamento estratégico. Ainda relatam que as empresas enfrentam, até então, desafios para desenvolver os requisitos básicos/fundamentais (estágios 1 e 2: informatização integrada e conectividade) para posteriormente suportar a implantação dos estágios avançados da Indústria 4.0: visibilidade, transparência, capacidade preditiva e adaptabilidade. Sacomano et al. (2018) descrevem que o Brasil não está preparado para operar no sistema 4.0, cita que a qualidade da educação e o desenvolvimento de tecnologia sendo trabalhados de forma isolada não são suficientes para o desenvolvimento da indústria 4.0. Além disso, destacam que as políticas brasileiras não priorizam o aprendizado tecnológico, como temos exemplos em países como o Japão e Coréia. A respeito do papel humano nesse contexto tecnológico Barr (2018) afirma que manufatura 4.0 também será uma era de locais de trabalho dinâmicos que desafiam os trabalhadores. Esse sistema irá atrair novos trabalhadores para a fabricação; esses terão novas habilidades e talentos. Ainda comenta que a capacidade de analisar, raciocinar, adaptar e criar, será essencial para levar adiante a fabricação. Sendo assim, o presente projeto apresenta uma proposta para investigar as iniciativas da indústria 4.0 no Brasil e no Sul do Rio Grande do Sul.

Metodologia

Para abranger a proposta do trabalho, será necessário identificar os aspectos metodológicos necessários para a obtenção da pesquisa. Segundo Marconi & Lakatos (2017), é através da pesquisa científica que se descobrem novos fatos ou dados, relações ou leis, em qualquer campo do conhecimento.
A presente pesquisa é classificada como uma pesquisa exploratória e descritiva. Conforme Triviños (1992), os estudos exploratórios podem basear-se em uma hipótese ou teoria que permite ao pesquisador aumentar sua experiência em torno de um determinado problema, enquanto os estudos descritivos pretendem descrever, com exatidão, os fatos e fenômenos de determinada realidade. Desse modo, este trabalho é caracterizado como um estudo exploratório-descritivo.
Os estudos científicos apoiam-se em diversos procedimentos técnicos de pesquisa. Entre eles estão: técnica bibliográfica, documental, observacional, experimental, ex-pos-facto, levantamentos, estudo de campo, estudo de caso, pesquisa-ação e pesquisa participante. Esta proposta de projeto de pesquisa pretende buscar informações e gerar conhecimento através de pesquisa bibliográfica, documental, observacional, experimental e levantamentos.
A primeira etapa busca-se realizar um estudo aprofundado sobre o tema. Após, será realizada uma investigação na região Sul do Rio Grande do Sul (Pelotas) para identificar os elementos estruturantes que suportam o modelo e a como as organizações vem implementando práticas da indústria 4.0. Na etapa 3 verificar oportunidades para melhorar sistemas produtos através do uso de conceitos da indústria 4.0.

Indicadores, Metas e Resultados

O presente projeto deverá gerar resultados que contribuirão em uma série de pontos, dentre os quais é possível citar:
a) Fomentar a área de pesquisa e gerar aprendizado para os integrantes da pesquisa;
b) Envolver e motivar os alunos do curso de Engenharia de Produção e/ou áreas afins para pesquisa;
c) Conhecer novas tecnologias e sistemas produtivos utilizados no país e no mundo, baseados na indústria 4.0, e investigar a aplicação prática destes no dia a dia das organizações da região Sul do Rio Grande do Sul;
d) Elaboração de artigos científicos a ser publicado em periódicos na área relacionada com o tema da pesquisa;
e) Apresentação em eventos científicos na área do tema desta pesquisa.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEJANDRO MARTINS RODRIGUEZ3
ALINE SOARES PEREIRA4
CATARINA DE QUADROS MACEDO
DAVID FERNANDES DE AVILA
ELKA CAROLINA OJEDA
GUSTAVO MARQUES DO PRO
Guilherme Schäfer Maron
JEREMIAS ASAF DOS SANTOS BASSO
JULIANA DO AMARAL MARTINS GRIMMLER2
LUCAS DA CAS RUY
MOISES RIBEIRO FERREIRA
PATRICIA SOARES BILHALVA DOS SANTOS
VICTOR AUGUSTO GEISS MATTIONI
VITHORIO DA CONCEICAO DUTRA
WILLIAM DIETRICH KLUG

Página gerada em 03/07/2022 15:46:32 (consulta levou 0.090901s)