Nome do Projeto
Valor, Arte e Decadência na Filosofia tardia de Nietzsche
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
14/05/2021 - 31/12/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Conforme pesquisamos até agora (projeto Nietzsche e a naturalização da moral), o projeto nietzschiano de naturalização da moral apresenta seus resultados mais relevantes nas obras A gaia ciência, Para além de bem e mal e a Genealogia da moral, assim como nos escritos póstumos do período de 1882 -1887. Chegamos ao resultado de que não há um naturalismo, em sentido forte, como supõem algumas abordagens naturalistas contemporâneas de Nietzsche (como a de B. Leiter). Isso porque a naturalização dos valores pretensamente morais pode ser efetivada somente com meios artísticos (não há uma distinção relevante entre arte e estética em Nietzsche). A partir de 1887, Nietzsche propõe a Fisiologia da arte, segundo a qual a arte e todas as criações artísticas possuem pressupostos fisiológicos. Aplicado à arte, o método genealógico-naturalista de Nietzsche, está a serviço das tarefas terapêuticas do Filósofo Nietzsche, a saber, a criação de novos valores e de formas de vida ético-estéticas. O problema de nossa pesquisa é: A partir das implicações relativistas e perspectivistas da fisiologia da arte nietzschiana, com sua remissão a condições e fatos fisiológicos, como o seu proponente conseguiria fornecer uma resposta ética e/ou estética afirmativa ao problema do valor, sem sucumbir às ameaças da decadência (décadence), por ele denunciadas e experimentadas? Nossa hipótese de pesquisa é: A partir da Terceira Dissertação da Genealogia da moral (1887), ao atribuir valor superior às ilusões artísticas, Nietzsche fortalece malgré lui-même as implicações niilistas de seu pensamento, que ele tenta superar nos escritos de 1888, como O crepúsculo dos ídolos, O caso Wagner e Ecce homo, e nos escritos sobre a fisiologia da arte e da vontade de poder como arte. Procuramos investigar, desse modo, as implicações para o pensamento tardio da introdução da noção de décadence, proveniente da literatura, da cultura e da ciência natural da segunda metade do século XIX. Interessa-nos investigar como Nietzsche transpõe a noção de decadência (décadence) para o âmbito da arte e para o problema do valor, no sentido de permitir uma singular intersecção entre ética e estética.

Objetivo Geral

- Analisar o problema do valor da moral e de formas ético-estéticas de vida, a partir da arte e do problema da décadence, nas obras Genealogia da moral, Crepúsculo dos Ídolos, O caso Wagner, O Anticristo e Ecce homo e nos fragmentos póstumos de 1887-1888. O foco está nas implicações relativistas e perspectivistas da fisiologia da arte nietzschiana, com seus pressupostos fisiológicos.

Justificativa

Justificamos a relevância e atualidade de Investigar as implicações éticas e estéticas da Fisiologia da arte, na época de elaboração dos projetos da Vontade de poder e das obras de 1888. Nesse sentido, será dada continuidade à análise do problema do valor em A genealogia da moral, a partir da ênfase na Fisiologia, em sua relação complexa com a Psicologia e com a História. Além das duas obras tardias: A genealogia da moral e Crepúsculo dos ídolos, justificamos a necessidade de um estudo criterioso dos fragmentos póstumos de 1888 a 1888, as novas formulações da fisiologia da arte, assim como o vínculo da noção de valor com o conceito de poder. Assim, será possível determinar em que medida os valores naturalistas propostos por Nietzsche extrapolam o campo da ética. E também, possibilitaremos questionar se as compreensões de estética e de arte são compatíveis com a naturalização da moral e com um projeto ético mínimo, discutindo com autores como G. Moore, S. Robertson, C. Janaway, Ch. Piazzesi, W. Schmid, M. Clark (ver bibliografia). Por fim, traremos como resultado o vínculo da arte com o problema da ausência de valor (niilismo) e com o estabelecimento de novas formas não morais de vida, com auxílio de autores como J. Richardson, M. Foucault, Ch. Janaway e J. Constâncio.

Metodologia

- Leitura, análise, comparação e interpretação de textos filosóficos.
- Elaboração de textos e construção de argumentos filosóficos a partir de pesquisa
bibliográfica.
- Discussão e encontros de investigação com membros do Grupo de Pesquisa “Estética e
crítica da modernidade”, com pesquisadores de outros grupos de pesquisa,
principalmente com membros do GEN (Grupo de Estudos Nietzsche), do GT-Nietzsche
(ANPOF), do International Research Group HyperNietzsche e do GIRN, Groupe
International de Recherches sur Nietzsche.

Indicadores, Metas e Resultados

- Publicação de artigos em revistas brasileiras e internacionais de filosofia;
- Exposição dos resultados da pesquisa em eventos de filosofia nacionais e locais (no âmbito
do Curso de Filosofia e no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFPel);
- Debate dos aspectos mais relevantes da pesquisa com pesquisadores de grupos de pesquisa
afins, principalmente com integrantes do GT-Nietzsche (no encontro previsto para setembro
de 2019), do GEN – Grupo de Estudos Nietzsche (nos Encontros Nietzsche de 2019 ss.), e
do GIRN Groupe International de Recherches sur Nietzsche, do HyperNietzsche (no qual
ingressei em julho de 2018), na II Bienale Nietzscheana, prevista para novembro de 2019,
além de outros eventos nacionais e internacionais de Filosofia.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLADEMIR LUIS ARALDI8
DANILO ROSA GONÇALVES
Leandro Kim Pereira dos Santos

Página gerada em 21/04/2024 14:32:16 (consulta levou 0.166359s)