Nome do Projeto
Comunicação inclusiva em Estudos de caso
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
09/08/2021 - 07/08/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Resumo
Projeto que se desenvolve no tema da Comunicação Assistiva. Dá continuidade a estudos anteriores e apresenta seu objeto de estudo focado nas possibilidades de aplicar os princípios do Desenho Universal ao campo comunicacional dos museus. A ser desenvolvido em parceria com o CRID/IPLeiria – Centro de Recursos para a Inclusão Digital do Instituto Politécnico de Leiria, por meio do Acordo de Cooperação e focado no caso da análise dos atingimentos obtidos no MCCB, sobretudo de comunicação, com vistas ao estudo de possibilidades a serem aplicadas nos museus da UFPel e em outros. O estabelecimento do Acordo de Cooperação leva em conta interesses comuns e a característica do CRID em se constituir por laboratórios aparelhados com recursos de equipamentos, materiais e humanos especializados para o desenvolvimento de produtos inclusivos, sobretudo voltados para educação. Portanto, abriga pesquisas voltadas às questões de inclusão social desenvolvendo e apoiando o desenvolvimento de meios de apoio no âmbito da acessibilidade. O estudo de caso proposto inclui o desenvolvimento de um projeto de doutoramento do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural, na linha de Pesquisa Instituições de Memória e Gestão de Acervo, bem como outras ações decorrentes.

Objetivo Geral

O objetivo geral da pesquisa é desenvolver estudos de caso, iniciando pelo do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha, a fim de evidenciar, por meio de análises específicas, o processo de planejamento e desenvolvimento de um museu inclusivo, tendo como base dos dados a exposição de longa duração e nela observando a forma de comunicação escrita, visual, espacial utilizada e os elementos que fundamentam a acessibilidade comunicacional, na perspectiva do Desenho Universal.


Justificativa

Esta proposta de pesquisa parte dos resultados de um projeto desenvolvido anteriormente (de 2011 a 2015) intitulado "Expografia com desenho universal: experiências e possibilidades em museus do Brasil a partir do modelo do MCCB/Portugal" que pretendeu a partir de estudos de exposições inclusivas em museus brasileiros, observar a aplicação dos princípios do Desenho Universal tendo como parâmetro o conceito de Museu para Todos empregado no Museu da Comunidade Concelhia de Batalha (MCCB) em Portugal. Na ocasião foram avaliados critérios de deslocamento, usabilidade, comunicação, conforto e estratégias de recepção e permanência aplicados na proposta daquele Museu. Entendia-se possível vir a constituir os princípios de um laboratório de pesquisa interdisciplinar em acessibilidade em museus, vinculado ao Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Pelotas na mesma época em que se buscava desenvolver o projeto de implantação de Museu Acessível na Universidade Federal de Pelotas. Foi possível desenvolver o estudo em questão que esclareceu as possibilidades de constituição de um museu universitário inclusivo a partir de um modelo já existente (MCCB). No entanto, a praticabilidade de um museu inclusivo veio a se mostrar no Museu do Doce da UFPel que acabou abrigando o grupo de estudo e de extensão que desenvolveu vários produtos inclusivos, inclusive a primeira exposição de longa duração do referido Museu. A complexidade do laboratório inicialmente intencionado determinou que não viesse a ser constituído. Os recursos humanos e materiais necessários não se mostraram possíveis de serem adquiridos na ocasião. No entanto, ocorreram várias outras ações transversais entre ensino, pesquisa e extensão para o desenvolvimento de técnica, tecnologia e formação de recursos humanos voltados para inclusão e acessibilidade em museus. Inclusive, foram aplicadas no projeto do Memorial do Anglo, inaugurado em 2014 como um espaço expositivo acessível. Graças a essa pesquisa, a UFPel ingressou na Rede Interinstitucional de Acessibilidade Cultural (UFRJ, UFRN, UFRGS e UFPel), desenvolveu outros projetos e eventos na temática e realizou publicações. Destacam-se algumas dessas: criação do Plano de Acessibilidade da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura como resposta à solicitação da Comissão de Apoio ao Núcleo de Acessibilidade e Inclusão – CONAI para o período de 2019/02 a 2021/02. Lançamento do Manual Um museu para todos: manual para programas de acessibilidade, elaborado a partir do trabalho realizado com o CONAI e como decorrência dos estudos feitos para o Plano de Acessibilidade da Prec. Desenvolvimento do Projeto Um Museu para Todos: Programas de Acessibilidade que realizou diagnóstico de acessibilidade com a finalidade de desenvolver programas de acessibilidade junto às equipes dos museus participantes: Museu do Doce, Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter, Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo, Museu Municipal Parque da Baronesa e Memorial do Anglo. Seminário Internacional de Acessibilidade Cultural que reuniu profissionais de diversas áreas da cultura (dança, teatro, audiovisual, museus) que atuam com acessibilidade em ambientes culturais para discutir as pluralidades envolvidas na inclusão das pessoas com deficiência, buscando
ampliar a visibilidade das ações que são desenvolvidas nos mais diversos contextos. Publicação do livro digital Acessibilidade Cultural: Atravessando Fronteiras. Ao longo desses anos, a proponente desta pesquisa e a estudante Desirée Nobre Salasar foram as integrantes que permaneceram com a temática, embora muitas equipes com membros de diferentes unidades (Instituto de Ciências Humanas, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Centro de Artes, Faculdade de Medicina, Centro de Desenvolvimento Tecnológico) tenham participado dos projetos. A retomada do projeto, agora voltado para a Comunicação Assistiva é, portanto, uma continuidade desta trajetória, que no presente, por meio do Acordo de Cooperação que se pretende estabelecer com o Instituto Politécnico de Leiria, através do CRID/IPLeiria – Centro de Recursos para a Inclusão Digital e tendo como escopo a análise dos atingimentos obtidos no MCCB, sobretudo de comunicação, especifica e aprofunda as possibilidades que poderão ser aplicadas nos museus da UFPel e em outros, focando no elemento mais imperativo de instituições dessa natureza: a comunicação ampla com públicos diversos.

Metodologia

Pesquisa básica com segunda etapa de desenvolvimento de protótipos (aplicada), de natureza qualitativa busca conforme busca a análise científica dos fenômenos (KNECHTEL, 2014) e processos comunicativos em museus e conforme atenta-se para as qualidades dos processos, e os modos como se dá a experiência comunicativa em museus. Realiza-se sob métodos interpretativos sobre o estudo de um caso específico. Utiliza questionários, observação em campo, estudo documental e revisão literária.

Indicadores, Metas e Resultados

Meta 01: Organização de um banco de dados contendo as informações levantadas do acervo histórico de trajetória do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB)
Resultado esperado: Com o levantamento do histórico da trajetória de criação e desenvolvimento do MCCB, espera-se que ao organizar estes dados em um banco, estes serão melhor visualizados, indicando quais foram os caminhos percorridos, bem como as escolhas e profissionais envolvidos no processo de tornar um museu inclusivo.
Meta 02: Traçar um registro histórico da trajetória do MCCB
Resultado esperado: Com base na finalização da meta anterior, buscar-se-á através de um registro histórico dos fatos essenciais ocorridos no MCCB assinalar como ocorreu o processo de escolha dos elementos que foram priorizados na expografia da exposição de longa duração do MCCB, apontando as principais características da comunicação inclusiva.
Meta 03: Fazer um estudo de público do MCCB
Resultado esperado: Através do estudo de público acredita-se que será possível verificar se os elementos identificados pelos profissionais como fundamentais para a comunicação inclusiva também são os mesmos apontados pelos visitantes. O estudo de público permitirá conhecer as diferentes formas de recepção de um conteúdo comunicacional no museu.
Meta 04: Desenvolvimento de materiais em comunicação inclusiva para o museu
Resultado esperado: Serão desenvolvidas quatro pranchas de comunicação alternativa para o MCCB, com linguagem simples e sistema pictográfico para a comunicação, com o objetivo de ampliar os recursos de tecnologia assistiva do museu e, por consequência, observar como os recursos serão implementados para públicos diversos.
Meta 05: Identificar os elementos essenciais para a comunicação para todos em um museu
Resultado esperado: Após todas as etapas anteriores serem cumpridas, a pesquisa identificará os elementos essenciais para a comunicação em um museu para todos, possibilitando assim replicar nos museus da UFPel os recursos de comunicação inclusiva.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
Célia Maria Adão de Oliveira Aguiar de Sousa
DESIRÉE NOBRE SALASAR
FRANCISCA FERREIRA MICHELON2
JOAO FERNANDO IGANSI NUNES2

Página gerada em 17/04/2024 15:36:34 (consulta levou 0.141653s)