Nome do Projeto
Aplicação da Teoria do Comportamento Planejado na intenção de consumo de doces em Pelotas, RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
25/06/2021 - 30/10/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Pelotas, uma cidade do Sul do Brasil é reconhecida nacionalmente como a “Capital do Doce” e recebe este título em função da tradição na produção de doces coloniais e doces finos. Existem alguns modelos teóricos de intenções comportamentais com o objetivo de explicar o comportamento humano, focando na intenção comportamental que antecede imediatamente o comportamento real e, dessa forma, podendo prognosticá-lo. Um destes modelos é a Teoria do Comportamento Planejado, que é um dos modelos de valor esperado mais utilizados na literatura, especialmente quando se quer explicar o comportamento humano na área de alimentos. O objetivo deste estudo é investigar os determinantes que influenciam na intenção de consumo de doces finos e doces coloniais, com base na Teoria do Comportamento Planejado e seus preditores: atitude, norma subjetiva e controle do comportamento percebido. O questionário final será aplicado de forma online, por meio de formulários do Google Forms®. Os participantes serão abordados por meio de listas de e-mail (sendo o email enviado na forma de lista oculta) e sites de redes sociais, serão convidados a participar da pesquisa e incentivados a espalhar a pesquisa entre seus conhecidos, a fim de aumentar a diversidade e abrangência do estudo. O questionário será construído com base nas construções da Teoria do Comportamento Planejado e requer uma fase de investigação formativa em que as crenças da população alvo sobre os comportamentos específicos são determinadas utilizando perguntas abertas. O modelo TCP será usado para avaliar o impacto relativo. As respostas serão codificadas e os dados inseridos no programa Statistical Package for the Social Sciences, (SPSS) Version 23. Testes de frequência serão empregados para analisar as características dos participantes. As correlações entre os componentes TCP testarão pressupostos do modelo e a regressão será utilizada para identificar a intenção. O teste T será utilizado para comparar os dados obtidos nos questionários, considerando um grau de 5% de significância.

Objetivo Geral

O objetivo deste estudo é investigar os determinantes que influenciam na intenção de consumo de doces finos e doces coloniais, com base na Teoria do Comportamento Planejado e seus preditores: atitude, norma subjetiva e controle do comportamento percebido.

Justificativa

A execução do projeto se justifica pelos resultados esperados:

- Identificar os determinantes e quais dos preditores podem apresentar maior ou menor influência na intenção de consumo de doces finos e coloniais, bem como fatores sociodemográficos, por meio de um questionário autoaplicável, com obtenção de no mínimo 500 respostas.

- A partir dos resultados obtidos com as entrevistas e análises estatísticas dos dados, será possível traçar um perfil dos consumidores e sua intenção de consumo de doces finos e coloniais.

- Espera-se fornecer os resultados obtidos à administração municipal para que possam servir de base para impulsionar o turismo, visto a importância do comércio e consumo de doces para a região, contribuindo para o desenvolvimento econômico e cultural de toda região

Metodologia

Coleta das amostras e instrumentos de coleta de dados
Baseado nos estudos sobre o tema (Clayton e Griffith, 2008; Mullan e Wong, 2010; Phillip e Anita, 2010; Mari et al., 2011) estima-se que o questionário deva ser respondido por no mínimo 250 pessoas. Estima-se que em torno de 500 questionários respondidos possam formar a amostra final. O questionário final será aplicado de forma online, por meio de formulários do Google Forms®. Os participantes serão abordados por meio de listas de e-mail (sendo o email enviado na forma de lista oculta) e sites de redes sociais, serão convidados a participar da pesquisa e incentivados a espalhar a pesquisa entre seus conhecidos, a fim de aumentar a diversidade e abrangência do estudo. Menores de 18 anos e pessoas que não consomem doces em sua dieta habitual serão excluídos do estudo. Critério de inclusão é ser consumidor doces finos e/ou doces coloniais e suas variações.

Consumo de doce
Questionário
Questões sócio demográficas
Gênero: (0) feminino (1) masculino
Idade: (em anos)
Nível educacional: (0) nenhum (1) Ensino Fundamental (2) Ensino Médio (3) Graduação (4) Pós-graduação
Você consome doces tradicionais (doces finos, doces coloniais ou suas variações) de Pelotas: (0) sim (1) não
Com que frequência você consome doces tradicionais? (0) uma vez por semana (1) duas vezes por semana (2) mais de duas vezes por semana (3) uma vez por mês (4) mais de uma vez por mês

Questionário baseado na Teoria do Comportamento Planejado (TCP)
O questionário será construído com base nas construções da Teoria do Comportamento Planejado e requer uma fase de investigação formativa em que as crenças da população alvo sobre os comportamentos específicos são determinadas utilizando perguntas abertas. O modelo TCP será usado para avaliar o impacto relativo de diferentes influências sobre as intenções das pessoas em consumir doces tradicionais.
Os participantes serão inicialmente contextualizados sobre o comportamento a ser estudado, o consumo de doces tradicionais de origem portuguesa. As questões em aberto serão concebidas para identificar as consequências salientes (vantagens e desvantagens) em consumir doces tradicionais, assim como determinar os potenciais facilitadores e barreiras e identificar a pressão social em realizar esses comportamentos (Ajzen & Fishbein, 1980; Clayton et al., 2002; Phillip & Eves, 2010).
Esse questionário inicial contendo as questões abertas será respondido por no mínimo 20 consumidores. As respostas mais citadas serão utilizadas na construção do questionário principal TCP.

Questões abertas (Clayton et al., 2002):
Especificação do comportamento de consumo de doces tradicionais
Considerando os doces finos (camafeu, quindim, bem casado, ninho, papo de anjo, olho de sogra, queijadinha, broinha de coco, beijinho de coco, amanteigado e doces cristalizados) e suas variações (brigadeiro, bombom de morango, doces caramelizados, bombom de nozes) e os doces coloniais (doces cristalizados e/ou compotas de frutas), responda as questões sobre o consumo de doces tradicionais.

Consequências importantes:
- Por favor, liste quaisquer vantagens ou coisas boas que poderiam acontecer se você consumir doces tradicionais?
- Por favor, liste quaisquer desvantagens ou coisas ruins que poderiam acontecer se você consumir doces tradicionais.
Consequências facilitadoras ou barreiras:
- O que, se existe alguma coisa, pode incentivá-lo ou tornar mais fácil para você consumir doces tradicionais.
- O que, se existe alguma coisa, faz com que seja difícil ou o impede de consumir doces tradicionais.
Pressão social:
Quem aprovaria ou desaprovaria o seu consumo de doces tradicionais?

Análise dos dados
As respostas serão codificadas e os dados inseridos no programa Statistical Package for the Social Sciences, (SPSS) Version 23. Testes de frequência serão empregados para analisar as características dos participantes. As correlações entre os componentes TCP testarão pressupostos do modelo e a regressão será utilizada para identificar a intenção. O teste T será utilizado para comparar os dados obtidos nos questionários, considerando um grau de 5% de significância.

Indicadores, Metas e Resultados

Metas:
- Identificar os determinantes e quais dos preditores podem apresentar maior ou menor influência na intenção de consumo de doces finos e coloniais, bem como fatores sociodemográficos, por meio de um questionário autoaplicável, com obtenção de no mínimo 500 respostas.

- A partir dos resultados obtidos com as entrevistas e análises estatísticas dos dados, será possível traçar um perfil dos consumidores e sua intenção de consumo de doces finos e coloniais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLARA LEDEZMA GREINER DE SOUZA
CAROLINE PEREIRA DAS NEVES
GABRIEL GUIMARAES LEAO
HELENA PEGORARO EINHARDT
JULIA BARDOU YUNES CARDOSO
KELLY LAMEIRO RODRIGUES3
PATRICIA ZARDINELLO
VITÓRIA AMARAL VAHL

Página gerada em 28/06/2022 15:05:55 (consulta levou 0.066072s)