Nome do Projeto
ATLAS GEORÁFICO ESCOLAR DO MUNICÍPIO DE PELOTAS RS: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2022 - 31/12/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O uso de mapas, atlas e mais recentemente as tecnologias provenientes do sensoriamento remoto tem se constituído importantes ferramentas na formação dos educandos e que fazem parte do currículo escolar. Na ciência geográfica e na Cartografia as noções espaciais constituem-se num alto potencial formador do raciocínio lógico dos alunos, independentemente do nível de ensino ao qual este aluno está inserido. Porém, os alunos precisam aperfeiçoar a aquisição do conhecimento da realidade bem como compreender e utilizar de forma correta, as representações espaciais. Nesse sentido, o uso de Atlas Escolares, mais especificamente os Atlas Geográficos Escolares, podem contribuir de forma direta, uma vez que essa proposta, busca apontar para um trabalho conjunto de formação entre alunos e professores, que se materializa, por intermédio de uma linguagem gráfica e de conteúdos adaptados ao nível de ensino a que se destinam, bem como às especificidades da realidade local. Nesse sentido, o presente projeto visa à elaboração de um Atlas Geográfico Escolar sobre o município de Pelotas-RS, composto por capítulos, os quais abordam conteúdos referentes aos aspectos físicos, ambientais, culturais e socioeconômicos, podendo serem trabalhados de forma independente, a partir de uma proposta dinâmica, participativa e interativa com professores, alunos de graduação e pós-graduação, de cursos de Licenciatura em Geografia

Objetivo Geral

Objetivo geral
Investigar o processo formativo do professor do Ensino Fundamental, que atua na rede pública de ensino, bem como a construção dos saberes geográficos, a partir da mediação com o Atlas escolar municipal de Pelotas-RS.
Objetivos específicos
a) Organizar um conjunto de informações atualizadas e georeferenciadas referente ao município de Pelotas-RS, dentro de uma sistematização gradativa do conhecimento, para a elaboração do atlas escolar;
b) Construir um banco de dados digital em Sistema de Informações Geográficas (SIG);
c) Analisar, tratar e interpretar dados provenientes de observações, de registros estatísticos ou de qualquer outra fonte de informação;
d) Elaborar, com apoio de professores da rede pública de ensino, um Atlas escolar que permita ao aluno e ao professor, perceber, representar e conhecer o espaço geográfico em que está inserido, numa visão curricular regional e contextualizada;
e) Contribuir com a formação continuada dos professores envolvidos no trabalho com o material didático elaborado;
f) Avaliar, através de oficinas temáticas, os saberes geográficos dos professores do Ensino Fundamental;
g) Ampliar a parceria com as instituições envolvidas, no desenvolvimento de pesquisa sobre o Ensino de Geografia e cartografia escolar;
h) Divulgar os resultados da pesquisa, através dos Atlas escolares, em eventos científicos e periódicos, bem como em debates com os professores do Ensino Fundamental da rede pública de ensino.

Justificativa

Os Atlas escolares constituem materiais didáticos interessantes no ensino de Geografia, na medida em que localiza, representa e contribui na leitura e análise espacial de lugares distintos. Além de serem utilizados nas aulas de Geografia pelos alunos do Ensino Fundamental, podem também, ser abordados em outras disciplinas, numa proposta de trabalho interdisciplinar (BUENO e BUQUE, 2017, p. 236).
Na ciência geográfica e na Cartografia as noções espaciais constituem-se num alto potencial formador do raciocínio lógico dos alunos, independentemente do nível de ensino ao qual este aluno está inserido. Portanto, conforme as autoras citadas acima, aprender Geografia não significa, simplesmente, memorizar nomes, mas, perceber, entender e apropriar-se do mundo em que se está inserido por meio da compreensão das relações sociais e espaciais de seu cotidiano. Por isso, reforça-se que os alunos precisam aperfeiçoar a aquisição do conhecimento da realidade bem como, compreender e utilizar de forma correta e consciente, as representações espaciais.
Para contribuir com esse processo de aprendizagem torna-se fundamental desenvolver materiais que potencializem a participação dos alunos e professores. Nesse caso, os Atlas escolares municipais são um exemplo pertinente para integrar os conhecimentos geográficos e cartográficos com uma ação mais integrada dos docentes e estudantes na construção desse material didático.
Dentro do que preveem os documentos oficiais, os Atlas escolares apresentam uma proposta mais ampla do que simplesmente os Atlas geográficos. Bueno (2002, 2003) destaca que os atlas geográficos propõem um trabalho conjunto de formação, não somente do aluno, mas também do professor. Os Atlas escolares trazem linguagens gráficas e conteúdos adaptados ao nível de ensino a que se destinam, bem como às especificidades da realidade local. A elaboração de Atlas escolares municipais constitui-se numa proposta construtivista, uma vez que parte do princípio de que o aluno e o professor vão “aprender fazendo”. Trata-se de um material interativo, que possibilita e incentiva a pesquisa pessoal e esclarece ao professor e ao aluno a importância de sua participação na construção do saber.
Com base nas explanações acima e compreendendo que as escolas da educação básica do município de Pelotas ainda não contam com material didático, elaborado em parceria com professores das escolas, considerando o lugar como objeto de estudo, é que justificamos a proposição de elaboração do Atlas escolar municipal de Pelotas-RS.

Metodologia

1 - Constituição da equipe investigadora
Constituir-se-á uma equipe investigadora composta por professores da Rede Pública de Ensino do município de Pelotas, por professores e alunos do curso de Licenciatura em Geografia e mestrado em Geografia da Universidade Federal de Pelotas-RS; professores da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas, e professores do Instituto de Estudos Socio-ambientais da UFG.

2 - Pesquisa bibliográfica e levantamento de dados
Considera-se esta etapa da pesquisa como fundamental em que será realizado levantamento bibliográfico, sendo consultados os referenciais teórico-metodológicos, focados em cartografia escolar, formação de professores e ensino de Geografia.
Também será realizado levantamento de dados atualizados do município de Pelotas para a elaboração do Atlas. As fontes de informações buscadas para a organização destes dados serão: censos, secretarias e órgãos administrativos do município e do estado. Sites: IBGE, FEE e FEPAM. Os dados também serão buscados em livros, artigos, dissertações e teses ou quaisquer materiais publicados por escritores e geógrafos.
Os aspectos a serem considerados no levantamento de dados gerais, são: Área (km²), latitude, longitude, clima, relevo, temperatura, altitude, precipitação pluviométrica, tipo de solo, tipo de vegetação, população, estabelecimentos econômicos, espaços culturais, áreas de lazer, pontos turísticos, tipos de transporte, rodovias federais, estaduais e municipais, fronteiras municipais, atividades econômicas, potencialidades de investimento entre outros. Além do levantamento de dados, serão realizadas análises, tratamento e interpretação dos mesmos.
Importante considerar que, a proposta do Atlas Escolar não é trazer estes dados municipais prontos. Mas, possibilitar o acesso a informações atualizadas e levar a criança a formar opiniões e tomar atitudes, como futuro cidadão responsável, através do conhecimento do espaço no qual vive. Essas informações a serem coletadas têm o fim de levar o aluno (sujeito da pesquisa) a analisar, tratar e interpretar os dados provenientes de suas observações, de registros estatísticos, ou de qualquer fonte de informação.

3 - Elaboração do atlas escolar municipal
O atlas escolar municipal será elaborado, atendendo às demandas gerais do município. Esse material será destinado aos professores que atuam no Ensino Fundamental I, especificamente do 3º ao 5º ano, para auxiliar a construção dos conceitos no Ensino de Geografia. O atlas é composto de 3 partes:
Nas primeira e segunda parte, apresenta-se inacabado um conjunto de pranchas sobre os bairros da cidade e as localidades. O aluno tem participação efetiva no processo de construção do conhecimento porque, em cada prancha, é convidado a buscar respostas, pesquisar informações complementares e verificar a exatidão daquelas apresentadas na prancha. As pranchas podem servir de suporte para um trabalho diferenciado e atualizado sobre o município. O professor pode utilizar as pranchas da maneira que julgar mais oportuna, mudando, eventualmente, a ordem de apresentação das mesmas, em função do interesse e do andamento da turma. Podem ser desenvolvidas pesquisas paralelas e complementares, sobre os assuntos tratados. Por exemplo, no decorrer do estudo do tema população, o professor pode trabalhar os conceitos: população, crescimento natural, migração, etc., a partir de uma pesquisa feita pelos alunos, na família, na rua ou no bairro no qual moram.
Na terceira parte, são dadas orientações precisas de como trabalhar paralelamente ao Atlas, desenvolvendo pesquisas, organizando trabalhos em campo, elaborando questionários e diagramas.
Os procedimentos para a elaboração do atlas escolar municipal se dividem em três momentos:
1) Primeiro momento: refere-se à parte textual, onde são desenvolvidos os trabalhos de campo, as entrevistas, as pesquisas em fontes secundárias, a montagem do banco de dados e a elaboração dos textos das pranchas. Esse trabalho é realizado por uma equipe de pesquisadores, previamente selecionados e orientados para tal atividade. Ao final desse trabalho, os textos serão apreciados e revistos pelos professores da rede pública de ensino do município, para que os mesmos possam apresentar suas críticas e sugestões.
2) Segundo momento: destina-se à parte gráfica, onde é feito o levantamento dos mapas topográficos existentes, das plantas do núcleo urbano, e toda a parte de representações geradas pela equipe de geoprocessamento, trabalhando-se, inclusive, com imagens de satélite e fotografias. Também nesse momento é feita toda a formatação do material, dentro de programas específicos para esse fim.
3) Terceiro momento: é o da capacitação dos professores para a utilização do material, experimentação e avaliação dos atlas produzidos. Este é um dos momentos mais importantes, pois se trata de uma metodologia de formação continuada e desenvolvimento profissional dos professores. Esse trabalho será realizado pela equipe de bolsistas-pesquisadores, sob orientação geral da coordenação do projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

Como resultados espera-se que, a partir dos encaminhamentos feitos nesta proposta, se possa fortalecer os estudos do GESFOP e do grupo de pesquisadores do IESA/UFG e FAE/UFPel, aproximando, aprofundando e expandindo ainda mais as temáticas voltadas a pesquisa, ensino e extensão nessa área. (Previsão de execução: ao longo do desenvolvimento da pesquisa)
• Divulgação da pesquisa nos eventos vinculados à área afim, em especial nas áreas de ensino de geografia e Cartografia Escolar. (Previsão de execução: ao longo do desenvolvimento da pesquisa)
• Publicação de artigos em periódicos Qualis. (Previsão de execução: ao longo do desenvolvimento da pesquisa)
• Disponibilização do material didático (Atlas Geográfico Escolar) para as escolas de ensino fundamental de Pelotas-RS. (Previsão de execução: ao longo do desenvolvimento da pesquisa)

O projeto ora proposto visa colaborar para a ciência na medida em que:
• Ampliará o banco de dados sobre a Geografia de Pelotas-RS e possibilitará a elaboração de um atlas escolar que virá contribuir, juntamente com outros materiais didáticos complementares, a formação continuada de professores do Ensino Fundamental I, que trabalham com a área de Geografia.
• Favorecerá a sistematização das informações sobre o espaço de vivência dos moradores do município, contribuindo para uma compreensão maior acerca do espaço em que vivem.
• Contribuirá com o processo de formação continuada de alunos do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de Pelotas, bem como de professores que atuam na Rede Pública de Ensino.
• Instrumentalizará professores do Ensino Fundamental I para trabalhar conteúdos de Geografia, de maneira transversal, exercitando esta prática salutar de transitar de maneira segura entre as diversas áreas do conhecimento, aproximando os conteúdos da realidade local e construindo uma relação mais integrada do aluno com a escola e o meio onde vivem.
• Incentivará a divulgação dos resultados da pesquisa realizada junto à comunidade científica e aos professores do Ensino Fundamental I, fato que possibilitará o desenvolvimento de mais pesquisas na área de Ensino de Geografia.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FERNANDA PUGLIA VIEIRA DIAS
ROSANGELA LURDES SPIRONELLO6
VINICIUS ALBUQUERQUE DE LIMA

Página gerada em 03/07/2022 06:32:34 (consulta levou 0.053039s)