Nome do Projeto
Memórias e Histórias sobre a Guerra do Contestado: o caso da colônia de Rio das Antas (1911-1916).
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
03/12/2021 - 03/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
A presente pesquisa irá elaborar uma investigação acerca da colônia de Rio das Antas, que posteriormente tornou-se vila e hoje se trata de município localizado no interior de Santa Catarina. Tendo surgido no ano de 1911, esse vilarejo encontra-se localizado na margem esquerda do Rio do Peixe. Durante a Guerra do Contestado (1912-1916), a vila foi alvo de um ataque rebelde em novembro de 1914, sendo abandonada por parte dos colonos (sobretudo imigrantes) que ali haviam adquirido terras. O atual estudo deseja averiguar com maior detalhe os primeiros momentos de sua formação e demais aspectos relevantes, contribuindo assim para aprofundar conhecimentos sobre a história regional e, sobretudo, para traçar relações significativas com a ocorrência da Guerra do Contestado. Para tanto, irei utilizar referenciais teórico metodológicos oriundos da micro história italiana, através de autores como Carlo Ginzburg, Giovani Levi, dentre outros. Através desse estudo, abrem-se perspectivas de investigação acerca do processo de ocupação da terra na região e sobre o Movimento do Contestado, bem como de outras temáticas relevantes da história regional. As bibliografias que abordam os primórdios da formação da Vila de Rio das Antas o fazem de maneira breve e superficial. É interessante notar que uma boa parte das obras posiciona temporalmente o início da colonização da Região a partir dos anos 1920, ou mesmo a partir de 1916, após a ocorrência da Guerra do Contestado. Desconsideram-se, assim, as tentativas anteriores de colonização, bem como se minimizam as consequências do conflito sobre a história regional. Justamente por esse motivo, o recorte temporal da presente pesquisa irá de 1911 (ano das primeiras tentativas de colonização feitas pela empresa americana Brazil Railway Company) até 1916, quando tem fim a Guerra do Contestado. A carência de fontes certamente ajuda a explicar a dificuldade em abordar o período em questão, que carece de um maior aprofundamento analítico.

Objetivo Geral

Objetivo Geral: Estudar em detalhe a primeira formação da colônia de Rio das Antas, identificando seus
colonizadores e investigando sua participação durante a Guerra do Contestado. Objetivos específicos: -
Detalhar os episódios que culminaram no combate de Rio das Antas, bem como os desdobramentos
posteriores relacionados à Guerra; - Estudar a formação da colônia de Rio das Antas, conjugada a um
processo de inserção capitalista na região e expulsão dos caboclos de suas terras; - Compreender quais
foram os agentes históricos efetivamente expulsos da terras e quem eram os novos ocupantes,
mapeando sua origem; - Buscar determinar a destinação dos colonos após o combate; - Analisar
processos de construção da memória local acerca da primeira formação da Vila de Rio das Antas e sobre
o combate ali ocorrido

Justificativa

O Movimento do Contestado, como um todo, e a Guerra do Contestado, mais especificamente, é tema de pesquisa que atualmente goza de grande vitalidade nos estudos historiográficos. Além de vasta produção acadêmica, expressa em livros, artigos, dissertações e teses, o assunto vem ganhando cada vez mais visibilidade através de eventos voltados não apenas para o público acadêmico, mas também para a comunidade em geral, sobretudo na região de ocorrência do conflito. O tema da presente pesquisa relaciona-se com os estudos sobre o Contestado, mas vai além ao aprofundar um aspecto "pequeno", ou micro, que se relaciona com outros debates relevantes, como a história da imigração e colonização na região e as relações sociais existentes na época.
A escolha por um tema específico, recortado de um contexto generalizante, faz-se na perspectiva de uma pesquisa intensiva, influenciada por elementos teóricos decorrentes da micro história italiana.
A presente temática mostra-se relevante não apenas ao traçar relações com o Movimento do Contestado, mas também ao dialogar com a história regional. A vila de Rio das Antas é objeto, até aqui, pouco explorado historiograficamente. Sendo assim, deseja-se preencher lacunas importantes, no escopo da história local e também na história mais ampla da região do Contestado.

Metodologia

Metodologicamente, serão utilizados aportes teóricos da micro história italiana, em especial as discussões referentes à redução da escala de análise, ao uso intensivo de fontes e à valorização do agente histórico.
A redução da escala de observação qualifica-se como um procedimento útil a fim de se atingir a riqueza de um tema e desvendar aspectos que de outra forma não seriam alcançados. A valorização do sujeito histórico, trazida pela micro história, tenta perceber como as transformações ocorrem ao nível dos comportamentos concretos e individuais (seja do indivíduo uno ou coletivo).
Outro vetor metodológico relevante para a reflexão a ser realizada será dado pelas discussões sobre memória e pelo uso da metodologia da história oral. A memória possui características de espontaneidade e de seletividade. A seletividade da memória atua não apenas para o encobrimento de lembranças dolorosas, tais como aquelas referentes ao combate, mas também através da positivação das experiências e vivências dos primeiros colonos na Vila.

Indicadores, Metas e Resultados

Historiograficamente, espera-se atingir o aprofundamento dos estudos acerca da temática, e o preenchimento de lacunas, contribuindo para a produção e disseminação do conhecimento histórico.
Nesse percurso, acredita-se ao longo do desenvolvimento do projeto serão produzidos ao menos cinco artigos e uma publicação autoral no formato de livro.
Apresentações em eventos e palestras também são esperadas durante o andamento da pesquisa.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JOAO PEDRO CANEZ DA SILVEIRA
Jordan Brasil dos Santos
MARCIA JANETE ESPIG18

Página gerada em 20/05/2024 19:13:01 (consulta levou 0.133586s)