Nome do Projeto
Visitas Monitoradas pelos Prédios da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
02/01/2017 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Educação
Linha de Extensão
Turismo
Resumo
Este projeto tem por objetivo elaborar e realizar visitas monitoradas pelos prédios da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) localizados na cidade de Pelotas e no Campus Capão do Leão, no município de Capão do Leão, visando divulgar, valorizar e preservar o patrimônio edificado da UFPel. Esta atividade é organizada e desenvolvida pelo Curso de Bacharelado em Turismo da UFPel, entendida como um processo de ensino e aprendizagem que tem como foco o patrimônio. O patrimônio edificado deve ser utilizado, apropriado pela sociedade de modo que os moradores sintam-se pertencidos e identificados a ele. A Universidade Federal de Pelotas, fundada em 1969, adquiriu no decorrer dos seus 47 anos de existência um conjunto de prédios que compõe o patrimônio cultural edificado da UFPel. Estes prédios estão localizados no campus Capão do Leão e em diferentes locais no espaço urbano da cidade de Pelotas. As visitas monitoradas possibilitam o conhecimento da história desses prédios bem como dos usos e atividades atuais desenvolvidas nos mesmos.

Objetivo Geral

Elaborar e realizar visitas monitoradas pelos prédios da Universidade Federal de Pelotas, visando divulgar, valorizar e preservar o patrimônio edificado da Universidade.

Justificativa

A Universidade Federal de Pelotas, fundada em 1969, adquiriu no decorrer dos seus 47 anos de existência um conjunto de prédios que compõem o patrimônio cultural edificado da UFPel. Estes prédios estão localizados no campus Capão do Leão e em diferentes locais no espaço urbano da cidade de Pelotas.
Os prédios foram adquiridos através de compra ou doação em dois momentos da história da Universidade. Um conjunto de prédios foi adquirido logo após a sua fundação e foram, na sua maioria, construídos para abrigar as diversas Faculdades, como a Faculdade de Agronomia, a Faculdade de Direito, a Escola de Agronomia e a Faculdade de Odontologia.
Um segundo grupo consiste em prédios que foram adquiridos mais recentemente, principalmente a partir da expansão da UFPel em função de sua adesão ao REUNI e que possuem como característica principal o fato de serem prédios que possuíam outros usos antes de fazerem parte da Universidade. Ou seja, são prédios, principalmente industriais, que estavam sem uso e abandonados e que foram reformados e transformados em diferentes unidades acadêmicas.
Conforme Santos (2013), o passado da UFPel é múltiplo e complexo, com a agregação de um patrimônio construído ao longo de décadas anteriores a criação legal da Universidade. Houve um momento de maior investimento em construções no Campus Capão do Leão até a emancipação deste distrito e o surgimento da cidade do Capão do Leão. E outro ciclo, a partir do ano de 2003, onde, segundo Michelon (2013), é possível observar um patrimônio mais diverso, quando sucessivas gestões da UFPel adquiriram muitas propriedades na cidade.
Ao adquirir estes prédios, a UFPel buscou resolver o seu problema de carência de espaço físico e contribuir para a preservação desses espaços de importante valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e afetivo para a população de Pelotas, devolvendo-os para a sociedade, construindo o conhecimento e a cultura.
Assim, a UFPel demonstra seu compromisso com o patrimônio cultural edificado e com a população pelotense, uma vez que esse investimento da Universidade expressa o “compromisso com esse patrimônio e com a preservação desses bens que possuem valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e também valor afetivo para a população, impedindo a destruição ou descaracterização dos mesmos.” (Reitor da UFPel, citado por MICHELON, 2013, p. 11).
Atualmente a UFPel conta com quatro campi: Campus Capão do Leão, Campus da Saúde, Campus das Ciências Sociais e o Campus Anglo, onde está instalada a Reitoria e demais unidades administrativas. Fazem parte da sua estrutura atual diversas unidades dispersas. Dentre elas, estão a Faculdade de Odontologia, a Faculdade de Direito, o Serviço de Assistência Judiciária, o Conservatório de Música, o Centro de Artes (CA), o Centro de Desenvolvimento Tecnológico (CDTEc), o Centro das Engenharias (CEng), a Escola Superior de Educação Física (ESEF), o Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo (MALG), o Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter e a Agência para o Desenvolvimento da Lagoa Mirim (ALM).
Este patrimônio cultural é divulgado através de visitas monitoradas, organizadas pelo Curso de Bacharelado em Turismo da UFPel, pelos prédios da Universidade, com o objetivo de divulgar, valorizar e preservar o patrimônio cultural da Universidade. O patrimônio edificado deve ser utilizado, apropriado pela sociedade de modo que os moradores sintam-se pertencidos e identificados a ele. Assim, essa ação visa fundamentalmente à difusão, à valorização e à preservação do patrimônio cultural da Universidade.
Como afirma Rangel (2002, p. 16), “trata-se de promover, a partir do meio, sobre o meio e para o meio, a percepção da importância de preservar nosso patrimônio cultural, buscando a apropriação dos bens culturais por parte da sociedade brasileira, co-gestora, fruidora e principal destinatária desses bens, e a sua participação direta e efetiva nas ações de proteção de nossos bens culturais.”
Referências:
MICHELON, Francisca Ferreira. Reunir os tempos: o conjunto edificado do Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas. In: MICHELON, Francisca (Org.). Patrimônio cultural edificado da Universidade Federal de Pelotas: primeiro estudo. Pelotas: Editora da UFPel, 2013.
RANGEL, Marília Machado. Educação Patrimonial. In: Secretaria de Estado da Educação (Org.). Reflexões e contribuições para a Educação Patrimonial. Belo Horizonte: SEE/MG, 2002, p. 15-36.
SANTOS, Luiz Osório Rocha dos. Planejar o futuro considerando o passado: a incumbência do patrimônio cultural para a Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento da UFPel. In: MICHELON, Francisca (Org.). Patrimônio cultural edificado da Universidade Federal de Pelotas: primeiro estudo. Pelotas: Editora da UFPel, 2013.

Metodologia

Organização e realização de visitas monitoradas pelos prédios da UFPel. Inicialmente irá se buscar informações sobre os prédios da Universidade: data de construção, uso inicial, história do prédio, uso e atividades desenvolvidas atualmente nos mesmos. A visita não possui um roteiro fixo, o qual é organizado a partir da demanda, ou seja, de acordo com o público alvo, o interesse do grupo, o objetivo da visita e com a disponibilidade de tempo. Após a elaboração do roteiro, a visita será realizada.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores: número de visitas monitoradas realizadas.

Metas: realização de, pelo menos 4 visitas monitoradas, por ano com diferentes grupos: alunos ingressantes, novos servidores, participantes de eventos realizados pela UFPel, escolas de ensino médio de Pelotas e região, entre outros.

Resultados esperados: realizar as visitas com os diversos grupos, como uma ação de educação patrimonial a partir do entendimento da história da Universidade Federal de Pelotas; elaborar trabalhos e artigos científicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉIA SKUPIEN BIANCHINI
DALILA MULLER3
DALILA ROSA HALLAL2
HELENA DE JESUS ALMEIDA
HELLEN DA SILVA BITENCOURT
PRISCILLA TEIXEIRA DA SILVA3
ÉVERTON FELIPE KAIZER

Página gerada em 23/01/2021 21:30:40 (consulta levou 0.087848s)