Nome do Projeto
OFICINAS DE MÚSICA DO LAPIS- Laboratório de Artes Populares Integradas
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
05/06/2017 - 15/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Cultura
Linha de Extensão
Música
Resumo
O LAPIS - Laboratório de Artes Populares Integradas, o LIFE das artes que foi idealizado pelos Professores do Curso de Licenciatura em Dança e do Curso de Licenciatura em Música da UFPel, aprovado pela CAPES, com crédito do recurso em abril de 2014. LIFE - Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores - é um Programa da CAPES de apoio a criação de laboratórios. "O edital do LIFE selecionou propostas que tivessem por objetivo a criação de laboratórios interdisciplinares de formação de educadores. Com o recurso adquirimos equipamentos, móveis e diversos materiais imprescindíveis ao pleno desenvolvimento de atividades artísticas e pedagógicas no âmbito da dança e da música, focando nas características predominantemente associadas ao universo das artes populares. O LAPIS está se constituindo num "espaço físico" de integração dentro da universidade, desenvolvendo ações que integram ensino, extensão e pesquisa por meio de atividades compartilhadas, prioritariamente, entre as áreas de Dança e Música. A SALA DE PERCUSSÃO do LAPIS, local onde serão realizadas as OFICINAS DE MÚSICA, está localizada no Campus 2 da Almirante Barroso, em local apropriado, com tratamento e isolamento acústico, equipada com mesa de som, caixas acústicas, microfones, instrumentos de percussão sinfônica e percussão popular, violões, contrabaixo, cavaquinho, acervo de Cd's DVD's, livros, métodos e partituras, material este que possibilita a realização de diferentes atividades voltadas à música. A primeira oficina à sera sobre o SOPAPO E A CULTURA POPULAR. Ao propor as OFICINA de MÚSICA DO LAPIS/UFPel, estimula-se a ampliação das relações entre universidade e comunidade, uma vez que a proposta consiste em, realizar oficinas direcionadas à grupos de professores e alunos de escolas públicas, participantes de projetos sócio-musicais, alunos de outros cursos da ufpel. Será possível ofertar aos estudantes, aos profissionais da educação básica e aos interessados da comunidade em geral a possibilidade de acesso e uso de multimeios vinculados a experiências de ensino-aprendizagem que privilegiem relações humanas através da música com aparatos de tecnologia multimídia e equipamentos e instrumentos musicais de alta qualidade. Alguns resultados importantes já foram conquistados e as expectativas para as ações futuras são imensamente positivas, uma vez que o LAPIS tem potencial inovador para ser um protagonista no desenvolvimento de atividades educativas com a área das artes populares dentro da universidade e para além dela.

Objetivo Geral

Realizar ações de extensão utilizando a estrutura do LAPIS para oportunizar um espaço de conhecimento por meio de OFICINAS DE MÚSICA e da prática musical coletiva, direcionando suas ações à grupos de alunos e professores das escolas públicas de Pelotas e Região, participantes de projetos sócio-musicais, alunos de outros cursos da UFPel e comunidade Geral interessada, tendo como dispositivo o instrumento sopapo e a sua relevância para a cultura local.

Justificativa

Este projeto justifica-se por oportunizar á comunidade de Pelotas um espaço qualificado para a realização de oficina e para a prática musical coletiva, Traremos como tema inicial deste projeto a replicação da oficina: “O sopapo e a cultura popular”. Esta oficina foi criada pelos alunos do Programa de Extensão em Percussão da UFPel – PEPEU, e realizada pela primeira vez durante o 34º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul – SEURS, 2016, – IFC-SC. A oficina de percussão “O sopapo e a cultura popular” teve como objetivo apresentar um pouco da música de percussão e resgatar aspectos da cultura popular local, utilizando como protagonista o instrumento Tambor de Sopapo, instrumento afro-brasileiro que num determinado período remoto era o responsável por características singularidade do carnaval da região sul do estado do Rio Grande do Sul. Acredita-se que o sopapo foi desaparecendo por influencia da padronização do carnaval, seguindo o modelo carioca.
Desde 2013 quando de sua criação, o Programa de Extensão em Percussão da UFPel – PEPEU, vem realizando sistemáticas ações que trazem o sopapo para o centro do palco. Podemos destacar a abertura da Semana Integrada no Teatro Guarany em 2017, apresentação do Encontro Latino-americano de Percussão de Uberlândia, Concerto didático em Curitiba, no Encontro da Associação Brasileira de Educação Música, no 34º SEURS, na posse do atual reitor da UFPel, entre outras ações. Entendemos que mesmo sendo de percussão esta oficina deverá desencadear um conjunto de demandas das pessoas/grupos, porque a partir da contextualização, do estudo da técnica do sopapo e do desenvolvimento do tema da cultura popular outros instrumentos e temas deverão compor cronograma de oficinas à serem ofertadas, porque hoje dispomos de estrutura adequada para receber as pessoas no Laboratório e oportunizar um espaço de conhecimento e para o desenvolvimento das relações humanas através da música.

Metodologia

A proposta consiste na realização de OFICINAS DE MÚSICA, que acontecerão na Sala de Percussão do Laboratório de Artes Populares Integradas, o LAPIS, que está localizado no Campus 2 da UFPel, na rua Almirante Barroso.

No ano de 2018 as atividades serão direcionadas "prioritariamente" à professores e alunos de escolas públicas, e alunos de outros cursos da ufpel.

A primeira oficina à ser realizada é O SOPAPO E A CULTURA POPULAR, está oficina teve início com estudos realizados ao longo dos últimos três anos pelos participantes do PEPEU, sobre o tambor de sopapo, sua história, influencia e relevância para a cultura local.

O cronograma de atividades será definido posterior a seleção dos bolsista que atuarão no projeto.

A intenção é oportunizar que pessoas da comunidade interessada no SOPAPO possa estudar a maneira de tocar o instrumento e sua relação com os demais instrumentos de percussão utilizados numa bateria de escola de samba e sua importância pra a cultura local e regional. A partir desta oficina, teremos na sequencia oficinas sobre os outros instrumentos de escola de samba; Também serão realizadas oficinas de percussão sinfônica direcionada aos participantes da Orquestra Estudantil do Areal

Indicadores, Metas e Resultados

Realizar 12 OFICINAS DE MÚSICA no ano de 2018.
Atender em média 20 pessoas p encontro.
Estreitar e fortalecer as relações de parceria entre UFPel e escolas públicas;
Fortalecer o LAPIS como um espaço de produção de conhecimento.
Oportunizar aos alunos bolsistas um espaço de dedicação ao estudo, ao planejamento e a realização de Oficinas. Manter o Laboratório em funcionamento todos os dias da semana

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADEMIR BELCHIOR MOTTA
DESIRÉE SALLES DA COSTA GONÇALVES
JOSE EVERTON DA SILVA ROZZINI4
OTAVIO AUGUSTO ZANIN DELEVEDOVE1

Página gerada em 19/10/2020 19:32:47 (consulta levou 0.083055s)