Nome do Projeto
PROMOVENDO EDUCAÇÃO EM SAÚDE: DA LAVAGEM DAS MÃOS À PREVENÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
02/01/2017 - 02/01/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
É sabido que quando crianças são expostas à convivência em grupo, como em escolas ou creches, podem apresentar vários episódios de infecções, o que gera consequências desfavoráveis ou prejuízos para a saúde indivíduo e/ou da coletividade. Assim, medidas de controle para diminuir a transmissão das doenças infecciosas devem ser adotadas de forma eficiente. Nesta perspectiva, a prática de lavagem das mãos surge como forma de prevenção simples e pouco onerosa, que pode evitar muitas doenças infecciosas. Sendo assim, as crianças devem ser estimuladas e educadas como iniciantes nessa prática, já que elas são mais suscetíveis à morbidade por doenças evitáveis. Dentre estas causas de morbidades, as mais frequentes entre as crianças são as doenças infecciosas e parasitárias, bem como doenças do aparelho respiratório. Neste contexto, a instrução de pais, professores e alunos (crianças ou adolescentes) aparece como sendo elemento indispensável para a prevenção de duas doenças transmissíveis que tem chamado muito a atenção, pelo número de casos e de vítimas: a Dengue e a Gripe H1N1. Estima-se para este projeto a participação de pelo menos 100 crianças de variadas faixas etária. Inicialmente será realizada uma roda de conversa, na qual os alunos serão questionados sobre como percebem sua saúde, de que mais adoecem, e como pensam acontecer a transmissão das doenças infecciosas relacionadas à este projeto. Em seguida, será apresentada uma encenação ou uma história lúdica para demonstrar o adoecimento e a necessidade da lavagem das mãos como forma de prevenção de doenças Infecciosas e do aparelho respiratório. Posteriormente, será utilizada uma dinâmica com tinta guache para ensinar às crianças a forma adequada de executar a lavagem das mãos, focalizando as regiões onde há maior proliferação de patógenos. Na sequência, através do uso de jogos e material didático, serão esclarecidas as principais formas de transmissão, sintomas e cuidados relacionados com a prevenção da Dengue e H1N1. Esta ação é pautada na realidade local, ressaltando a necessidade de medidas simples que possam auxiliar a promoção da saúde do público infantil, como forma de promover o controle/redução das taxas de morbidade e mortalidade encontrada no entorno do Porto. Também estreitará a relação da Universidade com a comunidade, através da realização de mais atividades junto à comunidade, reduzindo as barreiras existentes entre ambas.

Objetivo Geral

- Aplicar estratégias de incentivo à prevenção das doenças transmissíveis (Dengue e H1N1) e conscientização da importância da higienização correta das mãos, através de atividades lúdicas (teatros e jogos educativos).

Justificativa

Saúde é qualidade de vida e, portanto, encontra-se vinculada aos direitos humanos, ao direito ao trabalho, à moradia, à educação, à alimentação e ao lazer. A escola é um espaço onde se constituem os cidadãos desses direitos, por meio de práticas realizadas por sujeitos sociais críticos e criativos, capazes de construir conhecimentos, relações e ações que fortalecem a participação das pessoas na busca de vidas mais saudáveis. Na relação entre saúde e escola surge a possibilidade de construirmos juntos a "escola que produz saúde": uma proposta que envolva estudantes, trabalhadores da educação, comunidade escolar, órgãos governamentais de educação, gestores de sistemas de saúde e educação, movimentos sociais, associações, grupos, famílias e toda a população. Assim, por ser tanto a saúde como a educação áreas estratégicas da sociedade, quando bem trabalhadas já na infância, permitem preparar o cidadão para assumir a sua parcela de responsabilidade por sua saúde e condições de vida.
Educação para a saúde na escola significa a formação de atitudes e valores que levam a criança ao comportamento inteligente. Não se limita a dar conhecimentos, mas sim, preocupa-se em motivar a criança para aprender, e torná-la capaz de desenvolver novos hábitos. Para tanto, as atividades lúdicas tem muito a contribuir, uma vez que garante a criança o seu direito de brincar, bem como, estimula o desenvolvimento sócio-cognitivo das mesmas. São utilizados métodos e processos participativos e problematizadores, preconizados e consolidados, buscando práticas inovadoras a partir da realidade num processo dialógico e horizontalizado de construção e reconstrução compartilhada do conhecimento e na ação coletiva para a transformação social. Os profissionais dos serviços, os parceiros e a população são sujeitos (atores), que debruçados sobre a realidade procuram conhecê-la, compreendê-la, desvendá-la e atuar sobre ela para transformá-la. E à medida que vão transformando-a, os sujeitos se transformam dentro deste processo, num respeito mútuo de saberes (científico e popular) que não sobrepõe um ao outro, mas se reconstroem. E é baseado nesta premissa que o presente projeto de extensão é concebido.
Soma-se a isso a instalação da UFPel em uma área da cidade de alta vulnerabilidade econômica e social, o que requer da universidade uma função pró-ativa no sentido de disponibilizar o acúmulo acadêmico, com vistas a revitalizar a área e a melhorar a qualidade de vida daqueles que ali residem.
Por outro lado, há um consenso mundial na necessidade de se formar profissionais, particularmente da área da saúde, com uma visão e prática muito mais abrangentes, ou seja, próximas da realidade social. Entretanto, não se pode esperar que tal formação se concretize apenas por meio das disciplinas curriculares normais. Devem-se desenvolver atividades diferenciadas através de projetos que impactem de forma mais direta as demandas sociais brasileiras, sejam eles de pesquisa ou extensão. De forma integrada e articulada, dentro e fora da Universidade, o Projeto de Extensão “PROMOVENDO EDUCAÇÃO EM SAÚDE: DA LAVAGEM DAS MÃOS À PREVENÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS” propõe aos estudantes que participarão do mesmo conhecer a realidade social e atuar nas áreas de saúde e educação, garantindo a indissociabilidade do eixo pesquisa-ensino-extensão.

Metodologia

O projeto de extensão “PROMOVENDO EDUCAÇÃO EM SAÚDE: DA LAVAGEM DAS MÃOS À PREVENÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS” irá trabalhar dentro das dependências Escola Municipal Ferreira Viana. Esta é uma Instituição Municipal de Ensino que compreende cerca de 600 alunos de ensino fundamental. Oferece excelente espaço e desenvolve uma parceria com UFPel no campo da educação e da capacitação.
O trabalho a ser desenvolvido voltar-se-á para uma complementação educacional das crianças na área da saúde, através de atividades lúdicas, como teatro ou jogos, que estimulem a aprendizagem e o desenvolvimento individual de cada criança. Serão realizados teatros e jogos, os quais serão apresentados aos alunos da Instituição em horários disponibilizados pela Coordenação da Escola. Os temas a serem desenvolvidos envolverão assuntos como as prevenção, formas de controle, formas de contágio, sinais e sintomas e tratamento da Dengue e da Gripe H1N1, já que estas são recorrentes na nossa região e ambas encontram-se dentro das prioridades do Ministério da Saúde, devido à sua fácil disseminação. A higiene básica será abordada através do tema “Higienização das mãos”.
Os jogos supracitados ocorrerão na semana seguinte ao teatro e buscarão reforçar conceitos vistos nas apresentações. Acredita-se que a participação ativa das crianças; os teatros como um método educativo; e um contato mais individualizado nos jogos entre o público alvo e os proponentes do projeto proporcionará uma troca de experiências intensas, beneficiando ambas as comunidades acadêmicas e extra-acadêmicas.
Uma vez estabelecido o cronograma de ação, o grupo se reunirá periodicamente, para planejar, preparar o material e/ou avaliar. As atividades ocorrerão em dias e em horários a serem definidos, e são resumidas a seguir:

TEATRO 1 – HIGIENE BÁSICA
A importância da higiene básica das crianças é imprescindível em uma melhor inserção social das mesmas. A higiene das mãos e a higiene são dois assuntos a serem desenvolvidos neste teatro. De forma específica, a higiene corporal abrangerá e retratará situações do dia-dia, como o banho, a lavagem das mãos e a importância de manter ou usar as roupas limpas.

TEATRO 2 – SOBRE A DENGUE
Neste teatro será abordada a Dengue, enfatizando o desenvolvimento do mosquito transmissor, as formas de evitar a proliferação do mesmo, os sinais e sintomas observados nas pessoas contaminadas, além das formas de tratamento.

TEATRO 3- SOBRE A “GRIPE A”
Neste teatro será abordada a gripe A, visto que ao final do primeiro semestre
é esperado um aumento da incidência de tal infecção viral. Serão abordadas,
portanto, várias formas de prevenção à doença, mostrando a importância de uma boa alimentação e retomando alguns aspectos da higiene pessoal.

JOGO 1 – MICROVILÕES EM AÇÃO
O objetivo principal do jogo é vincular os patógenos causadores das doenças com as respectivas formas de transmissão e de prevenção das doenças. Como instrumento pedagógico, o uso de jogos possibilita trabalhar conjuntamente conceitos de higiene, saneamento, poluição, vacinas, saúde, etc. Os materiais necessários para o jogo serão adaptados segundo o modelo criado Cibele C. Berto e Maria Lígia Coutinho Carvalhal, ambas professoras de Microbiologia da USP, e que se encontra disponível on line no link .

ATIVIDADE 1- LAVAGEM DE MÃOS APÓS USO DE TINTA GUACHE
Inicialmente será feita uma demonstração de como devemos executar adequadamente a higienização das mãos. Após, as mãos dos participantes serão sujas com tinta guache e, de olhos vendados, eles farão a lavagem das mãos conforme a técnica aprendida. Quando acharem que foi suficiente tirarão a venda e verão se o resultado foi satisfatório.

Indicadores, Metas e Resultados

Com a execução do projeto espera-se mobilizar os alunos e seus familiares, bem como a comunidade onde vivem para a observação e execução dos cuidados básicos de higiene, na busca da prevenção das doenças trabalhadas, bem como na erradicação das suas formas de disseminação. Além disso, o desenvolvimento do projeto propicia a divulgação das ações extensionistas da UFPel, além de promover a inserção do aluno na comunidade local.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE DA CUNHA BITENCORT
ALINE MULLER DOSTATNI
ALINE SANTOS DE ALMEIDA PAZ DIAS
ANDREW SACILOTTO DE BAIRRO ROMANCINI
BRUNA VOIGT RODRIGUES
Berenice Brandão Schwab
CAROLINA PEREIRA FERREIRA
DEBORAH KATHARINA MARTINS RODRIGUES
DEBORAH KATHARINA MARTINS RODRIGUES
DEBORAH KATHARINA MARTINS RODRIGUES
Daniela Almeida
FELIPE BARBOZA DA SILVA
FELIPE DE OLIVEIRA MOLON
GIOVANA DUZZO GAMARO6
IASMINE DA SILVA CARDENAS ROCHA
ISADORA GOMES ALIENDE
JOSIANE KÖNZGEN SCHNEID
KARINA DOS SANTOS ALVES
KARINA PEGORARO DE MOURA
LIZANDRA SELAU SANTOS
MARCIA REGIANE NORBERTO CAMPOS
MARIA EDUARDA TAVARES DUTRA
MILENA LOPES DE PAULA
NARRYMAN PINTO ZUGE
RAFAELA BUSS MEDEIROS
RAFAELA RODRIGUES MACHADO
REJANE GIACOMELLI TAVARES9
TAIS DA SILVA TEIXEIRA RECH
TAMIRES DUARTE GOMES
THALIA GABRIELA TORBES DE OLIVEIRA
TIFFANY ALMEIDA DUARTE
VICTORIA RICARDO FROELHICH

Página gerada em 21/11/2019 17:05:00 (consulta levou 0.099571s)