Nome do Projeto
Processos de trabalho e saúde de profissionais de enfermagem na pandemia de COVID-19: estudo de métodos mistos
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
02/06/2022 - 31/08/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Introdução: a pandemia do novo coronavírus impactou nas atividades sociais, econômicas e laborais, em especial sobre o processo de trabalho dos profissionais de saúde, os quais precisaram se adaptar ao convívio com o risco de exposição ocupacional, novas ferramentas de trabalho e as consequências decorrentes da circulação do vírus nas instituições de saúde. Objetivo: Analisar o processo de trabalho e as alterações de saúde entre profissionais da enfermagem hospitalar, diante às condições de trabalho impostas pela pandemia de Covid-19. Método: estudo de métodos mistos, com etapas quantitativa e qualitativa, a ser desenvolvido nos quatro hospitais de universidades federais do Rio Grande do Sul. Os participantes serão Enfermeiros e Técnicos/Auxiliares de enfermagem que atuem na assistência direta aos pacientes nestes hospitais. Os dados serão coletados em duas etapas, a primeira quantitativa com aplicação de formulário pré-codificado com variáveis sociodemográficas, laborais, de saúde e a escala Maslach Burnout Inventory, versão Human Services Survey. Posteriormente será desenvolvida a etapa qualitativa com entrevista semi-estruturada. A análise dos dados quantitativos será realizada aplicando-se estatística inferencial e os dados qualitativos será utilizada a análise de conteúdo modalidade temática. Resultados esperados: apontar as modificações nos processos de trabalho percebidas pelos profissionais de enfermagem, bem como os impactos em relação à saúde dos mesmos. Além de clarear as necessidades e expectativas deste grupo profissional em relação ao seu trabalho para além do período de pandemia. Palavras-chave: Enfermagem; Saúde do trabalhador; Processo de trabalho; Condições de trabalho; Hospital.

Objetivo Geral

Analisar o processo de trabalho e as alterações de saúde entre profissionais da enfermagem hospitalar, diante às condições de trabalho impostas pela pandemia de Covid-19.

Justificativa

A respeito das históricas demandas da profissão enfermagem no que diz respeito às condições de trabalho e a invisibilidade social, associado ao fato da pandemia de Covid-19 ser um evento recente, que impactou diretamente o processo de trabalho e na saúde dos profissionais de enfermagem, e ainda não foi amplamente explorado. Somando-se a complexidade do processo de trabalho da enfermagem e as adequações necessárias diante a assistência direta aos usuários na pandemia, justifica-se a validade para a realização do presente estudo.

Metodologia

A presente proposta trata-se de uma pesquisa com utilização de métodos mistos, sendo a coleta de dados em duas etapas sequenciais, iniciando pelos dados quantitativos, seguida da etapa qualitativa, com estratégia de triangulação durante a análise e interpretação dos resultados (CRESWELL, 2011).
A coleta de dados será realizada com profissionais de Enfermagem (Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de enfermagem) que atuem nos quatro hospitais escola federais do Rio Grande do Sul (MEC, 2021). A etapa quantitativa terá a coleta de dados realizada por meio de formulário pré-codificado, auto aplicado, a qual poderá ocorrer de forma on-line, por intermédio de envio de link para acesso, no caso de ainda haverem restrições de contato por motivos da pandemia de Covid-19; ou, preferencialmente, será presencial, com entrega de formulário impresso (idêntico ao virtual), auto aplicado, havendo período, acordado com os respondentes, para o preenchimento e recolha dos formulários. A etapa qualitativa igualmente, será preferencialmente presencial, mas em caso de impossibilidade as entrevistas semi-estruturadas serão aplicadas utilizando-se sala de conferência virtual.
Para a etapa quantitativa serão utilizados dois formulários estruturados autoaplicáveis à população elegível. Um deles corresponde a um levantamento dos dados sociodemográficos, laborais e de saúde, o qual foi elaborado pelo grupo de pesquisadores (APENDICE A). O outro corresponde ao instrumento Maslach Burnout Inventory (MBI), versão Human Services Survey (HSS), o qual permite verificar a percepção, de profissionais da área da saúde, sobre seu trabalho em três dimensões, a exaustão emocional, a despersonalização e a realização profissional (ANEXO I). A escala é composta por 22 itens, em forma de afirmativas com opções de resposta em escala likert, sendo 1 (nunca), 2 (raramente), 3 (algumas vezes), 4 (frequentemente), 5 (sempre) - (MASLACH e JACKSON, 1981).
Os participantes serão contatados por e-mail ou telefone, em caso de coleta online, a partir da lista de contatos disponibilizada pela instituição hospitalar; ou presencialmente em suas unidades de trabalho, caso seja permitida a coleta de dados presencial. Os pesquisadores apresentarão o estudo convidando os profissionais a participarem, estando em concordância os profissionais receberão o link de acesso ao Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) (APENDICE B) e formulário eletrônico (em caso de coleta online), ou o TCLE e formulário impresso (em caso de coleta presencial).
Para atender aos objetivos específicos quantitativos, os dados serão transferidos para o formato do software Stata 17, no qual será aplicada estatística descritiva com distribuição de frequências simples e absolutas e medidas de tendência central. A escala MBI-HSS será analisada por meio dos escores médios obtidos pelos participantes, sendo possível classificar o burnout em baixo, médio e alto. Na dimensão exaustão emocional é considerado alto, com valores acima de 27 pontos, médio entre 17 e 26 pontos e igual ou abaixo de 16 pontos considerado baixo. Para a dimensão desresponsabilização será alto valores iguais ou acima de 13 pontos, de 7 a 12 nível médio e igual ou abaixo de 6 nível baixo. Quanto a dimensão realização pessoal, quanto mais alto o resultado menor o nível de burnout, sendo maior ou igual a 39 baixo, entre 32 e 38 médio e menor ou igual a 31 alto ((MASLACH e JACKSON, 2010).
Aplicar-se-á testes estatísticos Kruskal-Wallis e Mann-Whitney para testar as diferenças estatísticas na distribuição dos resultados obtidos na escala MBI-HSS pelas características sociodemográficas, laborais e clínicas. Adotando o p-valor<0,05 para assumir a hipótese de que há associação entre as variáveis estudadas.
Será realizado o controle de qualidade durante coleta de dados da etapa quantitativa, ao serem recebidos os formulários, os mesmos serão checados quanto a sua completude, pelos pesquisadores, em caso de inconsistências o entrevistado será contatado para checagem da resposta. Em caso de coleta de dados em formulário impresso haverá controle de qualidade na entrada de dados, através da dupla digitação, checagem e mapa de consistência.
A coleta de dados da etapa qualitativa, será realizada com a aplicação de entrevista semiestruturada (APENDICE C), realizada com profissionais de enfermagem, os quais serão sorteados de forma aleatória simples na lista de profissionais atuantes nas quatro instituições selecionadas para o estudo. Incialmente serão sorteados cinco profissionais, por categoria de nível médio e superior, de cada uma das instituições participantes (40 no total), após realizadas as entrevistas os dados serão submetidos a pré-análise, se obtida a saturação teórica a coleta de dados será encerrada. Entretanto, não havendo ainda a constatação de que os objetivos tenham sido atendidos a contento, haverá o sorteio de um novo profissional representando cada uma das instituições, realizadas as entrevistas o mesmo processo será realizado até obter-se a saturação teórica (FONTANELLA et al., 2011).
Para atender aos objetivos específicos qualitativos, os questionamentos serão realizados no intuito de “Conhecer a percepção dos profissionais de enfermagem sobre seus processos de trabalho frente a pandemia de Covid-19”; “Descrever a percepção sobre as condições de trabalho dos profissionais de enfermagem que atuaram durante o período da pandemia de Covid-19”; “Elucidar a percepção dos profissionais de enfermagem sobre as relações entre as condições de trabalho impostas pela pandemia de Covid-19 e a presença de alterações de saúde”; “Reconhecer as necessidades e as expectativas dos profissionais de enfermagem quanto às condições de trabalho para além da pandemia de Covid-19”.
Em caso de haverem medidas preventivas de Covid-19 que impeçam a entrevista presencial, a coleta será realizada de forma virtual, em sala de webconferência, com gravação de áudio e vídeo, de acordo com a disponibilidade do participante. Destaca-se que apenas serão utilizadas as transcrições das entrevistas sem associação de imagem ou voz dos respondentes. Havendo viabilidade da realização presencial, as entrevistas ocorrerão em local previamente acordado com a instituição utilizando-se gravador de áudio. Aplicar-se-á análise de conteúdo, modalidade temática (BARDIN, 2010), para o tratamento dos dados qualitativos utilizar-se-á software Nvivo.
A triangulação dos dados quantitativos e qualitativos será realizada durante a etapa de interpretação dos resultados. Com o intuito de utilizar os dados qualitativos para auxiliar na explicação e na interpretação dos dados quantitativos, possibilitando explorar casos discrepantes e evidenciar outras informações negligenciadas na etapa quantitativa (CRESWELL, 2011).

Indicadores, Metas e Resultados

d. Metas

Conseguir aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa para iniciar a execução do projeto em junho de 2022;
Obter, no mínimo, 70% de taxa de resposta na etapa quantitativa do público alvo do estudo até a data de 31/08/2022;
Obter, no mínimo, 80% de participação na etapa qualitativa do público alvo do estudo até a data de 31/10/2022;
Produzir conhecimento na área em estudo para divulgação em eventos científicos nacionais e internacionais, e publicação de artigos em periódicos da área da saúde até a data de 30/05/2024;
Apresentar os resultados do estudo as instituições participantes até junho de 2023;
Possibilitar a problematização e a discussão sobre a temática da vivência da enfermagem na pandemia de Covid-19, entre profissionais e gestores de saúde durante a apresentação dos resultados às instituições participantes, assim como pela divulgação em eventos científicos e periódicos da área da saúde ao longo dos anos de 2023 e 2024;

RESULTADOS ESPERADOS
A partir dos resultados do presente estudo pretende-se realizar um levantamento da realidade do processo de trabalho da enfermagem ocasionadas pelas condições de trabalho decorrentes da pandemia de Covid-19, assim como identificar a presença de acometimentos físicos e mentais nesse período. Espera-se oferecer espaço de fala para os profissionais de enfermagem expressarem-se a respeito das situações vivenciadas, e sobre suas expectativas e necessidades no que se refere ao processo e às condições de trabalho durante e após a pandemia de Covid-19. Para tanto, serão utilizadas diferentes fontes de evidência o que permitirá a compreensão do evento de modo global.
Os resultados do presente estudo serão de grande valia para os profissionais de enfermagem, mantendo aceso o holofote sobre as necessidades desta categoria, a qual representa 70,2% da força de trabalho da saúde no Brasil (OMS, 2020) e é historicamente negligenciada em suas demandas, tais como a determinação de um piso salarial e quanto a invisibilidade social.
Para as instituições de saúde possibilitará ampliar a discussão dos impactos da pandemia sobre o processo e as condições de trabalho desta categoria dando visibilidade as demandas da enfermagem e favorecendo o enfrentamento da crise, por meio da elaboração de estratégias que possam tornar os ambientes de trabalho mais saudáveis.
Quanto as instituições dos proponentes, haverá a aproximação com os serviços de saúde e a equipe de enfermagem assistencial, permitindo a inserção dos pesquisadores e discentes de graduação e pós-graduação nos serviços de saúde. O que possibilitará o estreitamento de vínculos e a elaboração de novas proposições de trabalho em conjunto, que sejam de interesse de ambas partes e permitam a integração ensino serviço.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIÉLE MADRUGA MONTELLI
ANA PAULA MOUSINHO TAVARES3
ANDRIELE DE SOUZA SIMOES
ANDRIELE DE SOUZA SIMOES
AURÉLIA DANDA SAMPAIO
CAMILA CAMARGO
CAROLINA BADIM DE OLIVEIRA
CLARICE ALVES BONOW4
DAGOBERTA ALVES VIEIRA
DANIEL DE SIQUEIRA MOREIRA
EDA SCHWARTZ
FERNANDA LISE
HENRIQUE LASYER FERREIRA COSTA
JADE MAUSS DA GAMA
JANAÍNA SUZIELI PINTO
JÉSSICA OLIVEIRA TOMBERG
JÚLIA MESKO SILVEIRA
JÚLIA MESKO SILVEIRA
LARISSA FIALHO MACHADO
LETHICIA VINHAS TAMBASCO DA SILVA
LILIAN MOURA DE LIMA SPAGNOLO15
MARIA CLARA MARCELINA DAS NEVES CHAGAS
MARIANA SOUZA ZAGO DE MEDEIROS
MATHEUS DOS SANTOS RODRIGUES
MILENA HOHMANN ANTONACCI4
NATALIA DE RODRIGUES GONCALVES
NICOLE DE SOUZA HUBER
Plauto Werle Filho
ROSIANE FILIPIN RANGEL
TUANY NUNES CUNHA
TUANY NUNES CUNHA
VANIA GREICE DA PAZ SCHULTZ

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPES / Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível SuperiorR$ 3.288,85Coordenador

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339033 - Passagens de Despesas de LocomoçãoR$ 1.500,00
339014 - Diária Pessoa CivilR$ 1.788,85

Página gerada em 22/07/2024 01:20:56 (atualização a cada 5 minutos)