Nome do Projeto
Pesquisa de anticorpos anti- Trypanosoma cruzi na população do município de Canguçu, Rio Grande do Sul, Brasil
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/09/2022 - 01/03/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
A doença de Chagas (DC) é causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi. A infecção tem duas fases, levando o paciente a mudanças morfológicas no trato gastrointestinal e cardíaco, sobretudo em casos crônicos. A transmissão pode ser de forma vetorial (insetos hematófagos da subfamília Triatominae), congênita, oral, sanguínea, dentre outras. O estado do Rio Grande do Sul tem histórico de alta prevalência de T. cruzi, sendo a região sul endêmica para esta doença infectoparasitária. Estudos comprovam a presença frequente de vetores na cidade de Canguçu, bem como, o fato de ser proveniente do município de Canguçu, normalmente eleva as chances de ser positivo para DC. Com isso, o objetivo da pesquisa é avaliar a prevalência de anticorpos anti-Trypanosoma cruzi na população do município de Canguçu, a partir de 18 anos de idade, residentes ou não da zona rural do município que utilizam o sistema público de saúde (Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimento, etc.). Será realizado o teste sorológico de Imunoensaio Quimioluminescente de Micropartículas (CMIA) para triagem e, quando este for reagente, será confirmado por meio da Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI). A execução do projeto terá duração de setembro de 2022 a março de 2024. As coletas de sangue serão precedidas pela aplicação de questionário para avaliação dos conhecimentos que os pacientes apresentam sobre a moléstia e seus vetores, sendo realizadas nas Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimentos e laboratórios, naqueles pacientes que se dispuserem a participar da pesquisa. Após o teste de positividade para T. cruzi, os dados obtidos serão estatisticamente analisados. Com isso, se procurará atualizar a prevalência da sorologia humana para DC na região, o que, por sua vez, poderá servir de base para prevenção de novos casos e acompanhamento médico dos casos pré-existentes.

Objetivo Geral

Avaliar a prevalência de anticorpos anti-Trypanosoma cruzi na população do município de Canguçu, a partir de 18 anos de idade, residentes ou não da zona rural do município, que utilizam o sistema público de saúde do município (Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimento, etc.), para estimar a abrangência do problema e sua relação com possíveis fatores de risco.

Justificativa

Na região Sul do Brasil, o estado do Rio Grande do Sul (RS), historicamente, é o que apresenta maiores problemas relacionados à DC e seus vetores, já que estudos realizados por Brandt et al., (1957); Camargo et al. (1984), Baruffa e Alcântara (1985), apontaram altas taxas de soroprevalência para a doença entre as décadas de 1950 e 1980. Quando foram realizadas avaliações sorológicas mais recentes com o público da região sul do RS, encontrou-se elevada frequência de pacientes positivos para anticorpos anti - T. cruzi, sendo diagnosticado índice de 5% em indivíduos HIV+ de Pelotas (STAUFFERT et al., 2017), e esta mesma prevalência repetiu-se na população em tratamento de câncer do mesmo município (ROSENTHAL et al., 2016). Para a coinfecção HIV/T. cruzi, cumpre salientar que a prevalência encontrada foi 3,8 vezes mais alta do que a encontrada pelo Ministério da Saúde. Já para o estudo de ROSENTHAL et al., (2016), percebeu-se que o fato de ser proveniente do município de Canguçu, elevou as chances de ser positivo para doença de Chagas. A partir disso, diante da carência de uma abordagem sorológica específica aos indivíduos de Canguçu, juntamente à elevada presença de triatomíneos nessa localidade, torna-se imperativo o aprofundamento do conhecimento sobre a prevalência da DC nos moradores desta cidade do sul do RS.

Metodologia

O estudo ocorrerá em Unidades Básicas de Saúde (UBS), bem como, Pronto Atendimento (PA), clínicas e laboratórios públicos do município de Canguçu, aos quais a população local utiliza para realização de consultas e exames diagnósticos.
Será realizado um estudo transversal da população alvo, homens e mulheres maiores de 18 anos, abarcando todas as especialidades clínicas disponíveis nos locais de consulta, durante o período de setembro de 2022 a março de 2024.
Serão realizadas reuniões com o Secretário Municipal de Saúde do município de Canguçu, com profissionais das Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimentos e Laboratórios, para esclarecimentos sobre a pesquisa e sua importância, objetivando a consolidação desta colaboração. Após esta confirmação, os indivíduos maiores de idade que realizam consulta nas instituições supracitadas, serão convidados a participar da investigação, o que será permitido após aceite e assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido.
O processo de pesquisa e a coleta dos dados terá duração de um ano, tendo como meta alcançar um “n” de aproximadamente 200 pacientes.
Será coletada amostra de sangue venoso para a realização das provas sorológicas para o protozoário T. cruzi. É importante enfatizar que o sangue será coletado apenas por enfermeiros e técnicos capacitados para o desenvolvimento dessa atividade. Para a pesquisa de anticorpos anti-T. cruzi no soro dos indivíduos se adotará os testes sorológicos de Imunoensaio Quimioluminescente de Micropartículas (CMIA) para triagem e, quando reagente, o mesmo será confirmado por meio da Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI).
O estudo utilizará um questionário (Apêndice 02) contendo questões abertas e fechadas, sendo este, adaptado de dois questionários utilizados previamente em dois estudos publicados, o Censo Sociodemográfico Brasileiro (IBGE, 2010) e a Avaliação de Conhecimentos, Práticas e Controle da Doença de Chagas em Região Endêmica de Minas Gerais (VILLELA et al., 2009).
Serão coletadas variáveis socioeconômicas e de conhecimento sobre a doença, na tentativa de identificar fatores associados à presença da DC, como: idade, sexo, cor da pele, escolaridade, renda familiar, número de moradores na casa, local da moradia, tipo de moradia, presença de animais domésticos, conhecimentos gerais e percepções sobre a moléstia e seus vetores. Cumpre salientar que a aplicação do questionário ocorrerá apenas no ambiente de consulta do paciente.
A partir de eventual resultado positivo na sorologia, com a devida autorização prévia do paciente, será realizado um esfregaço sanguíneo busca de formas tripomastigotas circulantes (caracterizando parasitemia e fase aguda). Além disso, serão realizados exames clínicos por uma médica infectologista da Faculdade de Medicina da UFPel, e os pacientes receberão instruções quanto as principais alterações associadas a presença de DC e o devido tratamento quando necessário.
Todos os dados obtidos serão inseridos e computados no programa Epi Info Versão 6.04, (CDC). O teste de χ2 com intervalo de confiança de 95% será utilizado para avaliar a soroprevalência da DC em relação aos diferentes fatores socioepidemiológicos aferidos, como: idade, sexo, escolaridade, renda, tipo de moradia, características do peridomicílio, reconhecer os triatomíneos no mostruário, saberes sobre a moléstia de Chagas, já ter visto “barbeiros” na residência, ter sido picado por insetos “barbeiros”, etc.
Após aprovação da secretaria municipal de saúde, o projeto será submetido à Comissão de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Pelotas. Será solicitado consentimento informado por escrito às pessoas entrevistadas e será assegurado o direito de não resposta de parte ou de todo o questionário.

Indicadores, Metas e Resultados

Como resultados esperados, baseando-se em dados previamente avaliados para a zona sul do RS, acredita-se que a prevalência deva ficar entre 5 e 8% para as pessoas provindas da zona rural e que possuam 40 anos ou mais de idade; A partir dos resultados do estudo da soroprevalência da DC em pacientes pertencentes ao município de Canguçu, tem-se como metas se priorizar o tratamento precoce da infecção e o acompanhamento clínico desta moléstia, bem como, estruturar propostas relacionadas a prevenção da doença associadas com os fatores de risco detectados. Ademais, serão oferecidas palestras e material educativo à população, visando o reconhecimento da importância da enfermidade para moradores deste que é tido como um dos municípios que, provavelmente, apresenta os maiores índices humanos para a DC do Rio Grande do Sul.
Como contribuição científica, pretende-se publicar artigos, em periódicos de bom impacto e elevada circulação, que abarquem a prevalência e a importância clínica desta infecção na região sul do RS. A partir da positividade sorológica para a moléstia, é possível produzir materiais e projetos educativos que contemplem medidas profiláticas e de controle da endemia.
Ainda, pretende-se utilizar os resultados parciais, na forma de apresentação e discussão nas Reuniões Anuais de Pesquisa Aplicada em Doenças de Chagas e nos Congressos Brasileiros de Parasitologia e da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical visando à troca de experiências, e a obtenção de possíveis respostas para inúmeros questionamentos que certamente surgirão nesta abordagem.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRE LUIS BARTZ VOIGT
DANISE SENNA OLIVEIRA2
DULCE STAUFFERT2
GUILHERME LUCAS DE OLIVEIRA BICCA2
MARCOS MARREIRO VILLELA3
ÍTALO FERREIRA DE LEON

Página gerada em 08/02/2023 00:28:09 (consulta levou 0.086213s)