Nome do Projeto
Contextos de atuação do Artista
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
08/05/2017 - 30/01/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Meio ambiente
Linha de Extensão
Artes visuais
Resumo
Este projeto de extensão, “Contextos de atuação do artista” (com Código DIPLAN/PREC: 51551046 em 2016 ), visa à criação de eventos, ações, caminhadas e oficinas de reaproveitamento de materiais reutilizáveis da casa, de industrias e lojas locais. O projeto envolve a comunidade nos arredores do Centro de Artes num processo de percepção e conscientização sobre a sustentabilidade do meio ambiente e valores que promovem o pensamento saudável no contexto social, natural, urbano, rural e pessoal, principalmente, para o público alvo da comunidade escolar no entorno próximo ao Centro de Artes/UFPel e buscando a colaboração de alunos do Centro de Artes (particularmente dos curso de Graduação e Pós-graduação em Artes Visuais. Paralelamente, o projeto prevê estimular a produção poética dos alunos colaboradores no uso de materiais reaproveitados e outras ações artísticas que repensam as relações entre o sujeito, a sociedade e o meio ambiente, com uma abordagem que articula estes três elementos, com referência na noção de “ecosofia” do teórico francês Felix Guattari, (citando seu livro “As Três Ecologias” (GUATTARI, 1990, p. 8), disponível em: http://www.zorraquino.com.br/textos/ecologia/as-tres-ecologias-felis-guattari.pdf. Este projeto de extensão se integra diretamente ao projeto de pesquisa que coordeno no PPGAV/CA/UFPel e minha disciplina de Mestrado em Artes Visuais “Contextos de Atuação e Interação do Artista na Contemporaneidade” e ao Grupo de Pesquisa DeslOCC: Deslocamentos, observâncias e cartografias contemporâneas do CNPq/UFPel liderado por mim e pela Profa. Dra. Duda Gonçalves. Este projeto integra ao Programa de Extensão coordenada pela Profa. Dra. Nadia da Cruz Senna “Arte, Inclusão e Cidadania: Consolidação e Novas Ações” que ganhou recursos do ProExt em 2016. No ano passado, o projeto foi criado e realizamos oito encontros no Espaço Cultural Katangas: Nova Geração no Quadrado, Porto de Pelotas para aproximadamente 30 crianças da vizinhança entre as idades de 5 a 14 e frequentemente com a presença das mães. As crianças experimentaram com a fabricação de máscaras, decorações de natal, criação de bonecas e carrinhos, entre outras, a partir de papéis, cordas, lãs, plásticos, cartonas, tintas doadas e outra matéria reaproveitável trazidos das casas dos oito alunos colaboradores. Os materiais utilizados são, na maioria, gratuitos. Alguns materiais - como cola, corda e tesouras foram comprados por mim ou doados pelos colaboradores discentes. Assim, conseguimos ofertar oficinas gratuitas e divertidas para todos os envolvidos e com bastante discussão e liberdade de escolha sobre o que as crianças queriam experimentar e realizar nas aulas artísticas, que aconteceram nos sábados de manhã entre agosto e dezembro de 2016. Também, membros do grupo participaram numa oficina na Biblioteca Pública atingindo um publico de aproximadamente 100 crianças e numa Ação de Limpeza e Caminhada em Laranjal em comemoração no Dia Mundial de Limpeza de Rios e Lagoas em 2016 na qual participou, além dos colaboradores cadastrados no projeto, três estudantes jovens e sua professora de ensino médio de Pelotas.

Objetivo Geral

Realizar práticas artísticas - eventos, ações, caminhadas e principalmente oficinas artísticas de reaproveitamento de materiais - que envolvem a comunidade ao redor do Centro de Artes num processo criativo de percepção e conscientização sobre a sustentabilidade do meio ambiente e os valores que promovem o pensamento saudável, a autoestima, a criatividade e a sociabilidade, principalmente para o público alvo da comunidade escolar(formal e informal) e a comunidade no entorno próximo do Centro de Artes da UFPel, com a colaboração de discentes dos Cursos de Artes Visuais do Centro de Artes da UFPel da Graduação e Pós-graduação, bem como alunos formados que trabalham com questões sociais e ambientais em suas pesquisas e práticas artísticas.

Justificativa

Este projeto foi criado, originalmente, como consequência do meu projeto de pesquisa no Mestrado e a vontade de estimular a produção de pesquisa em artes na Graduação e Pós-graduação de obras de arte que reaproveitam materiais reutilizados (ou “recicláveis”). Este tipo de material é chamado “sobras do cotidiano” que inclui materiais baratos e gratuitos (porque são encontrados em casa) e que podem ser transformados pelo processo criativo. Hoje, é cada vez mais importante que as pessoas percebem o problema do lixo para seu próprio contexto social e para o mundo, e refletem sobre a necessidade de reduzir a produção do lixo na casa de cada um. As oficinas de reaproveitamento de materiais para crianças podem estimular tal consciência de modo lúdico e divertido. Por outro lado, este projeto (e a pesquisa que o gerou) visa estimular a produção de obras de arte a partir de materiais recicláveis em relação aos alunos do Centro de Artes que colaboram com este projeto de extensão e também com meu projeto de pesquisa em artes visuais. Assim, podemos aproximar as comunidades vizinhas no entorno do Centro de Artes, bem como formar cidadãos e alunos da área de arte que pensam sua vida de forma mais integrada, sem separar o contexto social local e mundial, sem separar as ações realizadas no espaço doméstico das atividades que são realizadas em outros espaços, (i.e. em lugares que chamamos “naturais” ou “meio ambiente”). Através da realização de atividades artísticas, as necessidades individuais e coletivas cotidianas podem ser equilibradas e relacionadas com as necessidades do meio ambiente (promovendo reflexão, por exemplo, sobre o uso de matéria prima e as consequências para o meio ambiente ao invés de reciclar). É de maior importância que buscamos atingir modos de pensar a arte em aproximação com modos de pensar a sustentabilidade e a sociabilidade e desenvolver, ludicamente, experiências para jovens artistas que cursam Artes na universidade. Assim com é importante atingir o público mais jovem - as crianças de idade escolar fundamental e média - porque são estas pessoas que vão formar nosso futuro e o do mundo. Por isso é essencial este contato dialógico e artístico entre a universidade e a comunidade tão perto do Centro de Artes, estimulando, quem sabe, futuros artistas e professores, através da continuação das oficinas no Espaço Cultural Katangas: Nova Geração, no Porto de Pelotas e em outras escolas locais ao longo do ano.

Metodologia

A metodologia deste projeto de extensão é planejar, organizar e realizar oficinas de reaproveitamento de materiais recicláveis com o estudantes do ensino formal e informal nas escolas e espaços culturais perto do Centro de Artes da UFPel. Outras ações que podem ser planejadas incluem caminhadas com crianças e com os membros do Grupo de Pesquisa Deslocamentos, Observâncias e Cartografias Contemporâneas. Outro tipo de ação que impressione a criança e adulto é o ato de Caminhar e Limpar um local, por exemplo, isto já foi realizada na praia de Laranjal, no Barro Duro, Praças públicas em Pelotas e em jardins no espaço público urbano – ações realizadas em 2015 e 2016.
Os materiais utilizados nas oficinas com crianças são coletadas nas casas dos colaboradores discentes. Todo o material é lavado se for necessário. Mas os materiais não são ainda “lixo” e nem “sujos”. São considerados “sobras do cotidiano”. Este termo se refere aos métodos de selecionar materiais que poderiam se tornar lixo dentro da casa. Os materiais utilizados para criar brinquedos, máscaras e outros objetos são colecionados ANTES de ser colocados no lixo. Estas “sobras” ( materiais reaproveitáveis) implicam a ideia de reutilização e transformação de um material que “poderia ter tornado lixo”. Assim, o artista-universitário e o estudante jovem começam a perceber o valor deste tipo de resíduo doméstico que não é “sujo” e nem “insalubre”, mas um material limpo, barato e de alta valor plástico.
Outro ponto importante para notar é o método utilizado para "gerar publico" que pode ser através da organização mais formal nas escolas locais, ou pode envolver o ato de bater de porta em porta e conhecer as pessoas na comunidade (que foi feito através do contato com uma aluna da Dança na UFPel que é uma das donas do Espaço Katangas e membro da comunidade do Quadrado no Porto de Pelotas - na Rua Alberto Rosa).

Observou que não foi possível preencher adequadamente o cronograma, as categorias não são adequadas para adaptar às atividades que serão realizadas, pois, quando trabalhar com o ensino informal e mesmo com o ensino formal escolar, por causa das greves constantes, não é possível ter ideia de uma cronograma. è necessário constante contato e mudança de horário conforme às necessidades do publico, portanto, o cronograma nestas situações de precariedade social precisa ser flexível. Mas, planejamos realizar as oficinas semanalmente, nos sábados, no espaço cultural Katangas no Porto (o Quadrado) e se for possível, organizar encontros nas escolas locais, que não era possível no ano passado devido às greves e três cancelamentos na Escola Felix da Cunha, na rua Benjamin Constante, Centro, Pelotas.

Por isso, optei para o ensino informal para poder atingir a comunidade alvo (entre 5 e 15 anos) e procurei realizar os encontros no Espaço Cultural Katangas e com a colaboração da Aida Oliveira que é aluno da Dança/UFPel e também coordenadora do espaço.
Outros horários deste projeto serão utilizados para realizar reuniões com os colaboradores e preparar um texto para o CEC/UFPel 2017 e 2018, para a revista extensionista da UFPel e outros eventos que divulgam esta produção extensionista artística-ambiental e comunitária.



CURSO: Oficinas de reaproveitamento artístico de materiais serão realizadas numa CRONOGRAMA flexível: O curso tem um fluxo contínuo de participantes, nos sábados às 8:00 às 12:00 no período letivo da UFPel; 1/6/17 a 31/12/2018, excluindo feriados e dias de chuva (devido a dificuldade de locomover na zona do Porto e no Quadrado e, normalmente, a comunidade não comparece nestes dias).

As ações de Caminhadas e Manutenção de um Local Rural ou Urbano serão realizadas em datas comemorativas de conscientização do meio ambiente entre o inicio do projeto até 31/12/2018, modificando a data, caso de chuva.




Indicadores, Metas e Resultados

As metas deste projeto de extensão incluem, em primeiro lugar, o desenvolvimento de uma reflexão sobre a relação entre o fazer artístico e os materiais que podem ser utilizados respeitando os valores de sustentabilidade ambiental e também promovendo a interação entre alunos do Centro de Artes e a comunidade local no Porto de Pelotas, particularmente as crianças e pessoas jovens, entre 5 e 16. O fato que muitas crianças que participaram no projeto em 2016 me passam na rua e perguntam: “Quando vai voltar professora?” - já é um bom indicador que as oficinas com a comunidade jovem do Porto foi um sucesso. Também espero estimular maior produção artística, por parte de alunos do Centro de Artes, que versa sobre as questões levantadas por este projeto de extensão, em termos de nossa relação com o meio ambiente, os materiais de segunda-mão que podemos reaproveitar na arte e experimentar com nossos vizinhos mais próximos que nem sempre tenham muito contato com as pessoas do Centro de Artes, embora somos vizinhos e parte da mesma comunidade geográfica da zona do Porto de Pelotas. Por isso, a continuação deste projeto não somente estimule uma conscientização sobre nossas práticas cotidianas e o entorno ambiental mais sustentável, mas também pode aproximar contextos sociais distintos, através de metas artísticas, sociais e ambientais em comuns. Noto também que planejo produzir publicações sobre as ações sendo realizadas no CEC UFPel, em periódicos qualis, bem como em eventos de pesquisa e/ou extensão.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AIDA ALVES OLIVEIRA
ALICE JEAN MONSELL13
AMANDA CARNEIRO MACHADO
ANDRE GUSTAVO DE CAMPOS
BRUNO BAIRON SCHUCH
CLÁUDIA DA SILVA PARANHOS
CÁSSIO BACCHIERI DUARTE CAVALHEIRO
DARA DE MORAES BLOIS
DIOGO DOS SANTOS GONÇALVES
EDUARDA AZEVEDO GONCALVES2
EDUARDO TOLEDO SILVA
ELISA MONTAGNA AGUIAR
FRANCISCO FURTADO CAMARGO
GABRIELA FARIAS MUNIZ KACELNIKAS
GRACIA CASARETTO CALDERON
GRAZIELA CECÍLIA DA SILVA CANEZ BRODA
HELENE GOMES SACCO
ISADORA CAMPOS BORGES
LARA CAIRO RIBEIRO GODOY
LIÉGE BUDZIAREK ESLABÃO
MARA REGINA DA SILVA NUNES
MARA REGINA DA SILVA NUNES
MAÍRA PEREIRA MAKIYAMA
MILENA CRISTAL MOREIRA DE OLIVEIRA
MIRIANNE MONQUELAT TAVARES ARMENDARIS
MÁRIO SÉRGIO PIZARRO SCHUSTER
NADIA DA CRUZ SENNA2
PAOLA WICKBOLDT FREDES
PATRICIA KHALIL
PATRÍCIA ANDRÉ DOS SANTOS
PEDRO CINI SILVA
RAFAEL DA SILVA GONCALVES
RAFAEL DE SOUZA
RAFAEL DOS SANTOS ROSA
RAFAEL SANTOS DA ROSA
RANGEL CARRARO TOLEDO BORGES
RAQUEL SANTANA BETUN
RITA DE CASSIA MEDEIROS RICKES
RODRIGO D'AVILA GOMES
ROGGER DA SILVA BANDEIRA
VIVIAN MAURER PARASTCHUK
WILLIAM ALEXSANDER SILVA DE SIQUEIRA

Página gerada em 03/12/2020 22:31:22 (consulta levou 0.149849s)