Nome do Projeto
Grupo de estudos em Bioquímica
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
12/09/2022 - 12/09/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
O aprendizado na disciplina de Bioquímica comumente não é uma tarefa fácil durante a formação universitária, muito em decorrência da necessidade de compreensão de muitos conceitos, da dificuldade no entendimento de mecanismos básicos e da complexidade dos eventos estudados. Assim, o reforço no ensino da Bioquímica através de atividades complementares e correlacionadas com a futura atuação profissional dos alunos torna esse processo mais interessante e dinâmico para os discentes. Este projeto de ensino visa encurtar essas lacunas, de maneira a permitir a ampliação de conhecimentos e desenvolvimento do protagonismo discente, com base na criação de argumentos, raciocínio lógico e interrelação entre a teoria da Bioquímica e a sua aplicação no cotidiano e atividade profissional.

Objetivo Geral

- Possibilitar a melhoria do ensino/aprendizagem do ensino de Bioquímica através da criação de grupos de estudo, utilizando artigos científicos/ pesquisas/vídeos/ casos clínicos como base para a solidificação de conceitos teóricos.

Justificativa

A disciplina de Bioquímica nos currículos tradicionais, apesar de ser apresentada com coerência e organização, normalmente é definida pelos estudantes como uma coleção de estruturas químicas e reações, dificilmente assimiladas e desintegradas de sua prática profissional. Apesar da sua inegável necessidade, há muito tempo que o ensino-aprendizagem da Bioquímica tem sido um desafio constante para alunos e professores. Os alunos muitas vezes apresentam dificuldades na compreensão do conteúdo exposto pelo professor. O professor, por sua vez, muitas vezes encontra dificuldades no estabelecimento de métodos que consigam atingir de maneira efetiva o aluno, mesmo usando formas diferentes de ensinar. Muitas vezes este processo encontra como dificuldades iniciais desmotivação de alunos e professores e vários outros problemas que estão dentro ou fora das salas de aula. A sensação do professor é de que o aluno não quer aprender e a sensação do aluno é de que ele é incapaz de aprender ou de que o professor não sabe ensinar, ocasionando, desta forma, um falso ensino e um falso aprendizado (MOURA, 2009). Porém quando relacionado estes fatos com o ensino da Bioquímica, especialmente para os cursos relacionados com a área da saúde, a incompreensão de determinados conteúdos apresenta relação direta com a formação dos profissionais egressos das Universidades. Se a Bioquímica está presente na grade curricular de todos os cursos relacionados com a área da saúde e biológicas, se é tão útil na vida de todos, por que existe tanta resistência em aprendê-la? Por que muitos alunos não gostam dela ou até mesmo sentem aversão por ela? Por que ela não é desafiadora e interessante aos alunos? Este motivo pode estar atrelado à forma de ensino expositivo, que muitas vezes ignora os recursos da curiosidade, da experimentação e da concretização. Entretanto, é possível encontrar uma alternativa para se pensar um possível caminho para solução, ou minimização, deste problema: O estabelecimento de relações é fundamental para que o aluno compreenda efetivamente os conteúdos pois, abordados de forma isolada, eles não se tornam uma ferramenta eficaz para resolver problemas e para a aprendizagem/construção de novos conceitos (FAVERO, 2011). FREIRE (1996) concordava com o estabelecimento de relações entre o que é ensinado e o que é vivido, entre teoria e prática: “O conhecimento não deve ser só transferido, também testemunhado e vivido, para que o aluno se envolva com motivação e eficácia”. Ensinar Bioquímica combinando pesquisa cientifica, teoria e atuação profissional é uma forma facilitada e diversificada de falar o mesmo conteúdo com percepções variadas, permitindo que o aluno construa a sua própria base de conhecimentos. Assim, percebe-se que o ensino tem que ser estruturado de forma que o aluno seja capaz de perceber de forma clara e objetiva a ligação entre teoria e prática. O professor deve procurar alternativas que relacionem os conteúdos com a realidade do aluno, pois dispensar o conhecimento prévio e a situação social que os alunos possuem é tornar inútil o que é ensinado. A ideia desse projeto, que visa a utilização de discussão de artigos científicos (e associação de metodologias ativas, como ensino baseado em problemas), em horário alternativo àquele das aulas teóricas e práticas da disciplina, como uma forma de consolidação de conhecimentos teóricos básicos, veio da busca em unir a parte funcional de algumas formas de ensino já trabalhadas e, ao mesmo tempo, poder dar uma resposta ao aluno das aplicações práticas da Bioquímica, envolvendo-o na execução de estudos práticos.

Metodologia

As atividades terão periodicidade semanal (1 hora) e será desenvolvida da seguinte forma:
1ª Etapa – Formação dos Grupos de estudo e dos tópicos a serem trabalhados;
2ª Etapa – Treinamento dos alunos na busca dos materiais a serem utilizados ( seleção de artigos, videos, outros materiais);
3ª Etapa – Execução –Discussão dos materiais selecionados, e estabelecimento de relação com conteúdos teóricos vistos em aula e também com a futura atividade profissional.
4ª Etapa – Análise – Avaliação das percepções dos alunos acerca do incremento de conhecimento, bem como avaliações do que foi coletado e observado pelo professor durante a execução do projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se, como resultado da participação no grupo de estudos, que o discente aprofunde seus conhecimentos em Bioquímica e desenvolva a capacidade de aplicação da teoria em casos práticos, através da associação dos conhecimentos atualizados obtidos pelas publicações científicas e a atuação profissional. Almeja-se ainda estimular que os integrantes do grupo ,a partir dos estudos, sintam-se imbuídos a redigir artigos sobre os casos propostos e a produzir documentos de trabalho, com o intuito de colaborar com o debate e socialização do conhecimento. Associado a isso, a geração de pensamento crítico reflexivo, externada através de questionamentos e busca de material auxiliar para aprendizado também configura-se como resultado desejado.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLARA DOS ANJOS ALVARENGA
ANDRINE BECKER PETER
ARTHUR GARCIA SATTE ALAM SOUZA
BEATRIZ CORVELLO VITOLA PIZANI
Dionessa Winter Leitzke
EDUARDA PALUDO DAL POZZO
FRANCIELI MORO STEFANELLO1
GABRIEL JUNKER DA ROSA OLIVEIRA
ISADORA LEIVAS DA SILVA
LETICIA LARA KUTER
LUISA VIEIRA BECKER
LUIZA RODRIGUES THUROW
REJANE GIACOMELLI TAVARES4
ROSELIA MARIA SPANEVELLO1
SOFIA ALVES MACHADO

Página gerada em 16/04/2024 02:11:34 (consulta levou 0.196039s)