Nome do Projeto
Aquisição do Léxico Bilíngue: criação e compreensão de neologismos e expressões idiomáticas
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
31/01/2023 - 28/02/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
Este estudo situa-se na área da descrição e análise de fenômenos linguísticos, em especial de fenômenos lexicais em sujeitos bilíngues. Isso colocado, a definição de léxico mental é fundamental aqui. De acordo com Papafragou et al (2022), trata-se da “representação da linguagem na mente/cérebro no nível dos morfemas e palavras individuais” e envolve uma série de processos complexos, que vão desde o conhecimento dos morfemas individuais que compõem as palavras de uma determinada língua até seu conhecimento referencial e extensional, i.e., seus antônimos, sinônimos, hipônimos. No léxico mental bilíngue, tais processos se complexificam devido ao acréscimo de pelo menos um novo sistema linguístico. Isso colocado, podemos melhor especificar os objetos específicos deste estudo, que são a criação e a compreensão de neologismos motivados por relações morfológicas entre o sistema da língua-fonte (L1) e da língua-alvo (LA), bem como a (re) criação e compreensão de expressões idiomáticas na LA.

Objetivo Geral

Identificar os processos de aquisição de vocábulos caracterizáveis como neologismos e expressões idiomáticas (Eis) em grupos de aprendizes de uma ou mais LAs, a partir da análise de suas produções faladas ou escritas.

1.2 Objetivos específicos:
Neologismos:
a) identificar se há uma categoria específica de neologismos que se destaque pelo número de ocorrências: neologismos interlinguísticos, neologismos intralinguísticos ou neologismos semânticos;
b) verificar se a língua mais empregada nos neologismos por empréstimos é a L1 ou uma outra LE previamente adquirida;
c) verificar se a interferência da L1 ou de outra LE na formação dos neologismos ocorre mais no nível das bases das palavras ou no domínio afixal.

Expressões idiomáticas:
a) identificar se o nível de opacidade entre as EIs na L1 ou na(s) LA(s) interfere na compreensão da EI na língua-alvo.
b) identificar o percentual dos aprendizes que utilizam EIs da língua-alvo.

Justificativa

Booij (2005, p. 248) sustenta que o processo de criação de neologismos pode ocorrer de duas formas: a primeira delas baseada em analogias, e a segunda, em exemplares de esquemas mentais de construção. De acordo com o autor, o primeiro modelo parte do princípio de que uma nova palavra é formada com base em uma palavra existente, sem a necessidade de um padrão morfológico como suporte. Paralelamente, ao adquirir uma língua, o falante inicialmente faz a representação de casos concretos de formação de palavras (ou seja, relação entre uma unidade lexical e um esquema) para, gradualmente, iniciar a fazer generalizações a partir de formas linguísticas com propriedades idênticas, formando assim um sistema abstrato subjacente a esses constructos linguísticos. Assim, o fator determinante para a construção de subgeneralizações é sempre o conhecimento lexical do falante. Na realidade, o segundo modelo também pressupõe que a formação de novas palavras ocorra por analogia com o conjunto de palavras armazenadas no léxico mental, mas apresenta como diferença principal o fato de assumir que as palavras complexas se constituem em exemplares de categorias específicas de palavras (ou seja, os compostos formados por “nome + nome” são exemplares de um esquema de formação para novas palavras).
A construção de novas palavras, segundo Booij (2005, p. 264), é de especial interesse para a linguística na medida em que os processos através dos quais são formadas, seja na L1 ou em LE, representam uma janela para a representação mental da linguagem natural e da mente humana. E aqui residem tanto a justificativa com a motivação maiores para a condução desta pesquisa.

Metodologia

Sujeitos: sujeitos adultos, com nível de proficiência variada em uma língua adicional.
Corpus I, já disponível: será avaliado um corpus de textos orais (entrevistas) de aprendizes de português como LA (proficientes), cuja L1 é o inglês.
Corpus II, já disponível: será avaliado um corpus de textos orais (entrevistas) de aprendizes de português como LA (proficientes), cuja L1 é o espanhol.
Corpus III, já disponível: será avaliado um corpus de textos escritos (textos de opinião) de aprendizes de português como LA (proficientes), cuja L1 é o italiano.


Instrumentos de pesquisa:
Corpus: Corpora I, II e III. Todos os corpora já estão disponíveis, mas não foram ainda sistematizados para as análises. Além disso, novos corpora poderão ser coletados/selecionados, dependendo do desenvolvimento da pesquisa.
Procedimento: Análise dos dados, de acordo com os objetivos apresentados neste projeto.
Organização e tabulação dos dados: Os dados serão organizados em duas categorias principais: neologismos e expressões idiomáticas. A depender do número de ocorrências encontradas no corpus, a metodologia mais apropriada para a tabulação dos dados será adotada.

Indicadores, Metas e Resultados

Final 06 meses: seleção dos alunos integrantes da pesquisa e encontros semanais para conhecimento da literatura sobre o tema. Definição de taxonomias e datas para início das análises do corpus.
Final 12 meses: Finalização da análise do corpus I.
Final 18 meses: Análise do corpus II.
Final 24 meses: Finalização da análise do corpus 2 e da análise contrastiva dos resultados entre o corpus 1 e corpus 2 (sendo duas línguas de origens diversas – inglês e espanhol –, espera-se que esse fato possa influenciar nos resultados encontrados).
(Prevista renovação por mais 24 meses, para alcançar seguintese metas):
Final 30 meses: Análise do corpus III.
Final 36 meses: verificação de possíveis semelhanças entre o corpus escrito e o falado no que diz respeito à criação de neologismos e de expressões idiomáticas. Divulgação dos resultados.


Indicadores de resultados ao final do projeto:
- divulgação dos resultados da pesquisa em periódicos especializados, na forma de artigos;
- divulgação dos resultados da pesquisa em congressos e seminários na área de leitura e/ou linguística aplicada, na forma de comunicação oral, pôsteres etc.


Resultados esperados:

Os resultados desta pesquisa deverão repercutir de dois modos:
a) auxiliando na identificação dos fatores que influenciam na aquisição do léxico bilíngue, em específico na compreensão e criação de neologismos e expressões idiomáticas em língua adicional(LA), a fim de, com base nesses dados, avançar na busca por uma prática de ensino-aprendizagem de vocabulário mais eficaz.
b) Possibilitando o debate sobre a natureza dos processos de aquisição do léxico bilíngue, em especial no que diz respeito às relações de inferência/interferência entre a L1 e LA(s) dos aprendizes (Corder, 1982; Ringborn, 2007).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA BALDO18
LUENE DA SILVA RODEGHIERO
LUIS EDUARDO DOS SANTOS CELENTE

Página gerada em 22/04/2024 20:18:52 (consulta levou 0.151412s)