Nome do Projeto
INVESTIGANDO O CAMPO DO SABER “MICOLOGIA” NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA REGIÃO SUL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
30/01/2023 - 30/06/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Os fungos são organismos com características morfológicas e funcionais únicas, os quais são encontrados em diversos nichos ecológicos. Esses seres vivos influenciam nossas vidas diariamente, tendo alguns deles, por exemplo, utilização na culinária e na indústria farmacêutica e biotecnológica. Outros, apresentam propriedades tóxicas, apodrecem os alimentos e podem ser agentes causadores de doenças. Apesar das inúmeras funções exercidas pelos fungos, os fatores de importância médica são aqueles que apresentam maior evidência, podendo ser um dos responsáveis pela visão negativa que a sociedade tem sobre esses seres. Tal concepção também está muito presente na Educação Básica, visto que alguns professores e alunos apresentam concepções de que os fungos são seres ruins ou nojentos. Há um número significativo de docentes que trabalham o conteúdo de fungos, direcionando seus planejamentos apenas para aqueles que causam doenças, negligenciando outras abordagens sobre o tema. Isso pode estar relacionado, dentre outros fatores, com a maneira como o campo do conhecimento da Micologia tem sido trabalhado na formação de futuros professores de Ciências e Biologia. Além disso, a forma como estes conteúdos têm sido abordados no Ensino Superior podem estar colaborando e tendo reflexos sobre como os fungos estão sendo trabalhados na Educação Básica. Desse modo, investir na qualificação mais aprofundada dos conceitos micológicos, durante a formação dos futuros professores de Biologia, constitui-se em um dos fatores fundamentais na preparação docente e talvez em uma das alternativas para minimizar as problemáticas encontradas. Diante disso, a pesquisa se propõe investigar como os conceitos de Micologia têm sido trabalhados nos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas presentes na região Sul do estado do Rio Grande do Sul. Para isso, estão sendo analisados os Projetos Pedagógicos de Curso (PPC), a fim de identificar quais abordagens e aspectos sobre os fungos costumam ser escolhidos para compor os conteúdos programáticos das disciplinas dos cursos de Licenciatura. Além disso, após a análise dos PPCs serão escolhidos, para entrevista, os docentes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pelotas que trabalham os fungos em suas disciplinas, com o intuito de compreender o perfil profissional desses professores e investigar como eles realizam a transposição didática dos conceitos de Micologia, bem como preparam os acadêmicos que serão futuros professores na Educação Básica.

Objetivo Geral

Compreender como os conteúdos do campo de conhecimento da Micologia estão sendo abordados nas Instituições de Ensino Superior da região Sul do estado do Rio Grande do Sul que ofertam o curso de Ciências Biológicas Licenciatura e seus reflexos sobre a formação dos futuros professores de Ciências e Biologia.

Justificativa

A realização deste trabalho, que dará origem ao Trabalho de Conclusão de Curso, foi impulsionado, a partir da percepção e apreço da pesquisadora sobre o Reino Fungi. Seu encantamento sobre o reino começou durante o estágio no Laboratório de Biologia, Ecologia e Aplicação de Fungos do Departamento de Microbiologia e Parasitologia do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Pelotas. Lá, os estagiários, em conjunto com o orientador, estudam, pesquisam e discutem sobre diversos assuntos que envolvem o campo do conhecimento da Micologia, entre eles, a preocupação com a forma como se ensina o assunto. Ainda, a participação como membro da Liga Acadêmica de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco instigou-me, cada vez mais, a ter curiosidade e a questionar como os conhecimentos sobre os fungos têm sido trabalhados nos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas, sabendo que alguns deles, inclusive, têm sido negligenciados durante a formação do futuro professor de Ciências e Biologia. Logo, ao perceber as lacunas durante a formação de professores, ao compreender a importância de abordagem do assunto na Educação Básica, bem como a necessidade de superação da visão negativa sobre o tema, despertou-me o interesse em pesquisar sobre o assunto.

Metodologia

Esta pesquisa apresenta uma abordagem metodológica qualitativa, a qual seus estudos são ricos em dados descritivos, apresentando um plano aberto e flexível, salientando a realidade de forma complexa e contextualizada (LÜDKE; ANDRÉ, 2018). Bogdan e Biklen (1982), destacam que essa abordagem metodológica é descritiva e utiliza como sua fonte direta de dados seu ambiente natural, sendo o pesquisador o instrumento-chave. Os pesquisadores qualitativos estão preocupados com o processo e não, simplesmente, com os resultados e o produto. Além disso, eles tendem a analisar seus dados indutivamente e o significado é a preocupação essencial na abordagem qualitativa (BOGDAN & BIKLEN, 1982).
Esta será uma pesquisa do tipo exploratório-descritiva, com análise documental e pesquisa de campo. A pesquisa exploratório-descritiva busca proporcionar maior familiaridade com o problema através de levantamento bibliográfico e pesquisa de campo, estabelecendo relações entre as variáveis (RODRIGUES, 2007; GIL, 2010). Além disso, a pesquisa documental “busca identificar informações factuais nos documentos a partir de questões e hipóteses de interesse” (CAULLEY apud LÜDKE; ANDRÉ, 1986, p. 38).

Sujeitos da Pesquisa
Os sujeitos da pesquisa serão docentes do curso de Ciências Biológicas Licenciatura da Universidade Federal de Pelotas que trabalham os conceitos de Micologia em suas disciplinas obrigatórias. As disciplinas selecionadas para o estudo serão: Diversidade e Evolução das Plantas sem Semente; Microbiologia; Imunologia Básica; Microbiologia do Ambiente; Epidemiologia e Saúde Pública.

Para a seleção das Instituições de Ensino Superior (IES), que farão parte da pesquisa, foi utilizado como critério a participação nas últimas edições do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Logo, as IES selecionadas foram aquelas que participaram do Enade de 2017 e continuam com os cursos ativos atualmente, sendo elas: Universidade Federal de Pelotas; Universidade Federal do Rio Grande; Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense; Faculdade Anhanguera Pelotas. No entanto, é importante salientar que a Faculdade Anhanguera Pelotas apesar de constar no Enade de 2017, será excluída da análise desta pesquisa, tendo em vista que o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas desta Instituição não está mais em vigor desde 2017, quando teve a formatura de sua última turma.

Instrumentos de Coleta de dados
Como instrumentos de coleta de dados serão, em um primeiro momento da pesquisa, analisados os Projetos Pedagógicos de Curso (PPCs) de Instituições de Ensino Superior (IES) localizadas na região Sul do estado do Rio Grande do Sul. Para análise dos PPCs será levado em consideração as versões em vigor no momento atual, bem como as ementas, os conteúdos programáticos das disciplinas obrigatórias que trabalham com os conceitos de Micologia, assim como o referencial teórico. O objetivo desta análise será identificar quais os assuntos do campo de conhecimento da Micologia costumam ser escolhidos para compor os conteúdos programáticos das disciplinas dos cursos de Licenciatura.
Além disso, após a análise dos PPCs serão escolhidos, de forma intencional, para entrevista os docentes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da UFPel que ministram disciplinas obrigatórias sobre o tema. O motivo da escolha de tais docentes e Instituição é por tratar-se da IES onde a autora deste Trabalho de Conclusão de Curso está finalizando seu curso de licenciatura. A entrevista terá como intuito aprofundar os dados encontrados através da análise dos PPCs, compreender o perfil profissional desses professores e investigar como eles realizam a transposição didática dos conceitos de Micologia para os licenciandos que serão futuros professores na Educação Básica. Todas as entrevistas serão acompanhadas do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), mediante assinatura dos sujeitos envolvidos. Ao final, haverá a transcrição das mesmas e ocorrerá a análise dos dados por meio de Análise de Conteúdo.

3.5 Análise dos dados
A análise dos dados será realizada através de análise de conteúdo que busca compreender a ligação profunda entre caracteres expressos por diferentes sujeitos (BARDIN, 2011). Consideramos a análise de conteúdo como aquela que tem o propósito de identificar causas e/ou consequências de um determinado evento, categorizando os dados levantados para encontrar similitudes e formular respostas plausíveis e orientadas, exclusivamente, pelos dados da pesquisa (MALHEIROS, 2011).

3.6 Aspectos éticos
Nesta pesquisa serão respeitados os preceitos éticos da Resolução n° 466 de 12 de dezembro de 2012, do Conselho Nacional de Saúde, que trata dos aspectos éticos que envolvem os seres humanos, com o objetivo de assegurar os direitos e deveres dos participantes da pesquisa, comunidade científica e o Estado (BRASIL, 2012). Para a realização desta pesquisa, será apresentado aos participantes um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, com o objetivo de apresentar a pesquisa, explicando os riscos e benefícios na participação da pesquisa. Ressalta-se que os participantes podem recusar-se a participar da pesquisa ou desistir a qualquer momento, sem prejuízo algum. A Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012, prevê que toda pesquisa com seres humanos envolve risco de diferentes tipos. Sendo assim, para que sejam respeitadas as definições da Resolução 466/12, devem ser evitados danos de qualquer espécie, envolvendo aspectos físicos e psicológicos (BRASIL, 2012). Quanto aos riscos da pesquisa para os participantes, estes serão mínimos e podem estar relacionados ao desconforto emocional quanto ao conteúdo abordado na entrevista. Para minimizar os riscos, será assegurado ao participante o direito de interromper a entrevista em qualquer momento, ainda remarcar ou cancelar se assim desejar. Os benefícios diretos da pesquisa para os participantes incluem a reflexão sobre como o conhecimento da Micologia vem sendo abordado nas Instituições de Ensino Superior públicas e privadas da região sul do estado do Rio Grande do Sul, assim como sobre o papel dos docentes que trabalham os conceitos deste campo do saber em cursos que formam futuros professores de Ciências Biológicas. Após a apresentação do TCLE, caso o participante tenha interesse em participar da pesquisa, o TCLE será assinado, em duas vias, pela pesquisadora e acadêmica, assim como pelo participante da pesquisa. Após assinado, uma via ficará de posse do participante da pesquisa e outra da pesquisadora deste estudo. Para garantir o anonimato dos participantes, serão utilizados os seguintes códigos: Primeiro será descrita a letra “P”, a qual corresponde a palavra “Professor” e em seguida da letra, irá a ordem que a entrevista foi realizada utilizando os números cardinais (01, 02, 03 ...). Sendo assim, cada professor será denominado, por exemplo, da seguinte forma: P01. Os dados correspondentes a esta pesquisa serão armazenados pela autora deste estudo pelo período de cinco anos, após, os dados digitais serão deletados e os físicos incinerados. Esta pesquisa será submetida à apreciação ética pelo Comitê de Ética e Pesquisa, iniciando a sua coleta de dados somente após a aprovação e emissão de parecer consubstanciado.



Indicadores, Metas e Resultados

Durante e após a realização desta pesquisa estima-se, pelo menos:
a) o aprofundamento de conhecimentos teóricos sobre a formação de professores de Ciências e Biologia, sobre o campo do conhecimento da Micologia e seus reflexos no Ensino Superior e Educação Básica.

b) ampliação da compreensão quanto a forma como o Reino Fungi é abordado em Instituições de Ensino Superior na região Sul do estado do Rio Grande do Sul;

c) Identificação dos possíveis reflexos da formação inicial de professores na atuação dos docentes de Ciências e Biologia na Educação Básica.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FRANCELE DE ABREU CARLAN4
LAURA ECHER BARBIERI

Página gerada em 25/06/2024 16:42:16 (consulta levou 0.434685s)