Nome do Projeto
Potencial de propagação, cultivo e extração de óleos essenciais de genótipos de mirtileiros cultivados na região de Pelotas - RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2023 - 31/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Com este trabalho objetiva-se avaliar o potencial de propagação vegetativa, o desenvolvimento e a extração óleos essenciais das plantas. Os experimentos serão conduzidos nos anos de 2021, 2022 e 2023 no município de Pelotas, RS. O primeiro experimento consistirá em avaliar a propagação por estaquia. O delineamento experimental será realizado segundo um arranjo fatorial 13 x 2 (genótipos BB3, BB4, BB6, PW1, PW2, PW5, G7, G8, G8, G10, Bluebelle, Bluegem e Powderblue e a ausência e presença de AIB na concentração de 2000 mL-1), em blocos inteiramente casualizados, com quatro repetições e oito estacas por parcela. Totalizando 26 tratamentos. As variáveis analisadas serão: porcentagem de estacas enraizadas, número médio de raízes por estaca, comprimento da maior raiz, número de brotações, número e comprimento da maior brotação. No segundo experimento serão analisados o crescimento inicial e o desenvolvimento das plantas provenientes das estacas enraizadas no primeiro experimento; produção, fenologia e qualidade dos frutos. Serão avaliadas porcentagem de sobrevivência, número, espessura e altura dos ramos principais, (cm), área (cm2) e volume (cm3) da parte aérea, início da brotação, época de floração, produção por planta, massa média e tamanho dos frutos, pH, sólidos solúveis, acidez titulável, relação SS/AT e firmeza. Para as análises físico-químicas dos frutos, serão realizadas quatro repetições para cada variável, sendo a unidade experimental composta por 10 frutos. O delineamento experimental será realizado em blocos inteiramente casualizados, utilizando o fatorial 13 x 2 (genótipos citados anteriormente x dois sistemas de cultivo, com e sem solo), totalizando 26 tratamentos. Cada tratamento será composto por quatro repetições de cinco plantas. E, por fim, com o terceiro experimento, tem-se por finalidade extrair o óleo essencial de ramos, folhas e sementes provenientes dos genótipos. Será realizado o processo de maceração com nitrogênio líquido. Após o material será submetido a um processo de hidrodestilação e em seguida o óleo será encapsulado. Posteriormente será avaliado o rendimento de extração, eficiência de encapsulação, estabilidade térmica, dissolução, atividade antioxidante, compostos fenólicos totais e atividade antimicrobiana. Os dados serão submetidos à análise da variância pelo teste F e, quando significativos, submetidos à comparação entre médias, pelo teste de Tukey. Espera-se obter mudas de qualidade, assim como parâmetros satisfatórios de crescimento inicial e desenvolvimento das plantas bem como a extração de óleo de suas estruturas.

Objetivo Geral

Avaliar o potencial de enraizamento de genótipos de mirtileiro utilizando estacas semilenhosas com e sem a aplicação do ácido indolbutírico (AIB).

Justificativa

Necessidade de informações sobre o tema proposto.

Metodologia

O experimento será conduzido em estufa agrícola, localizada no terceiro distrito de Pelotas, RS, a 31º 33’ 4,13” S, 52º 23’ 54,13” W e 120 m de altitude, em novembro de 2021, 2022 e 2023. Serão utilizadas estacas semilenhosas, oriundas dos genótipos de mirtileiro BB3, BB4, BB6, PW1, PW2, PW5, G7, G8, G9 e G10 com 13 anos de idade selecionados por seleção massal em estudo anterior e suas plantas mães, Bluebelle, Bluegem e Powderblue com 18 anos, respectivamente.
Os ramos serão coletados na segunda quinzena de novembro, no período da manhã e acondicionados em baldes com água para evitar a desidratação, posteriormente serão segmentados em estacas contendo quatro gemas, descartando-se apenas a parte apical dos mesmos, deixando-se na extremidade superior duas folhas inteiras.
Com o auxílio de um canivete, será feita uma lesão superficial na base das estacas, tendo-se o cuidado para não danificar a gema localizada nesta porção. Posteriormente, as bases das mesmas ficarão imersas por 10 segundos em solução de AIB, na concentração de 2.000 mg.L-1 e, como testemunha serão utilizadas estacas sem tratamento com AIB. Após serão colocadas para enraizar em bancada de concreto com profundidade de 12 cm, preenchidas com uma camada de areia grossa, coberta na mesma proporção, por uma camada de vermiculita de granulometria média.
O AIB será dissolvido em álcool etílico, na proporção de 40%, e o restante do volume completado com água destilada. Após o plantio, no final do dia, as estacas serão regadas com uma solução fungicida Captan 500 PM (3 g.L-1 de água), sendo esse mesmo tratamento, repetido quinzenalmente na forma de pulverização. Em dias de aplicação do fungicida, o sistema de irrigação ficará suspenso no período da noite.
O material propagativo será mantido em ambiente protegido, sob sistema automático de irrigação intermitente por microaspersão, com o intuito de manter a umidade relativa próxima a 90%, evitando a desidratação das estacas. O que significa que será regulado conforme o clima do dia. O pH da água utilizada para irrigação será corrigido para aproximadamente 5,0 com Quimifol P 30®, conforme recomendação de Freire (2004) e Campos et al. (2005).
Após 90 dias, serão avaliadas as seguintes variáveis: porcentagem de estacas enraizadas, número médio de raízes por estaca, comprimento da maior raiz, número de brotações e comprimento da maior brotação.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicar o genótipo de mirtileiro que apresenta maior potencial de enraizamento com a utilização do ácido indolbutírico.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA RADMANN BERGMANN
MARCELO BARBOSA MALGARIM1

Página gerada em 18/04/2024 00:37:29 (consulta levou 0.148279s)