Nome do Projeto
BIOESTIMULANTES E POLINIZAÇÃO MANUAL NA PRODUÇÃO DE OLIVEIRAS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2023 - 31/12/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
A oliveira é conhecida por sua bienalidade, ou seja, leva dois anos para completar o ciclo reprodutivo. Outra característica desta espécie é a polinização anemófila ou “cruzada”. Sabe-se que as espécies que possuem essa condição de fertilização contêm carga excelente de flores, porém índices baixos de fixação de frutos. Assim, o objetivo do trabalho é avaliar o índice de fixação de frutos e consequentemente a produção, a partir de aplicações de diferentes bioestimulantes Physiocrop full (PF) e Radicel (R), na dosagem de 150mL para cada 100 litros de água). Serão realizados sete tratamentos: T1- testemunha (sem aplicação); T2 - três aplicações de (P.F.) na pré-florada, na antese e 15 dias após a segunda; T3 - duas aplicações de P.F (na pré-florada e antese); T4 - uma aplicação de P.F. na antese; T5 - três aplicações de R. na pré-florada, na antese e 15 dias após a segunda; T6 - duas aplicações (uma na pré-florada e a outra na antese) e T7 - uma aplicação de R na antese. As variáveis avaliadas serão: produção por planta (Kg planta-1), massa média dos frutos (g), produtividade (Kgha-1), rendimento de azeite (%), e fertilidade do pólen (%).

Objetivo Geral

O objetivo geral do projeto de pesquisa é aumentar a produtividade do olival a partir do uso de tecnologias como bioestimulantes comerciais que melhoram a fixação de frutos e concomitante a isso, testar novas técnicas de polinização artificial para variedades que não se auto-polinizem.

Justificativa

Partindo do princípio que a oliveira possui no seu genótipo esta característica de baixa fertilidade do grão de pólen, é de grande relevância, justamente por se tratar de um fator determinante na produtividade e na alternância de produção. Desta forma existe a possibilidade de reduzir a alternância e contribuir para o desenvolvimento da Olivicultura.

Metodologia

O experimento será realizado na propriedade Rigo Vinhedos e Olivais, no interior do município de Dom Pedrito-RS, onde as condições topográficas da área são de exposição solar nordeste-sudoeste. A latitude 31°08’46,71”S, longitude 54°11’53,80”O e a altitude é de 378m, e segundo Koppen o clima pode ser classificado como um Cfa.
Num primeiro momento será realizada a escolha da área, onde a estratégia a ser adotada é deixar uma fila de bordadura de plantas para que não haja influência das demais áreas, e de maneira periférica no quadro também pela mesma justificativa.
A variedade a ser utilizada no experimento será a Koroneiki, o olival foi implantado no ano de 2010, num sistema de condução policônico com três pernadas principais, em espaçamento de cinco por sete metros. O solo é classificado como argissolo, possui uma profundidade média com drenagem alta para média da região, mas baixa drenagem quando comparado com um latossolo.
O projeto será conduzido em dois anos agrícolas, entre os meses de agosto de 2023 até fim de Março de 2024, onde serão avaliados sete tratamentos com dois bioestimulantes, em três épocas diferentes respectivamente (Pré-florada, Antese e 15 dias após a antese). No T1 teremos a testemunha sem aplicação de bioestimulante. Já no T2, receberá três aplicações do bioestimulante de nome comercial (Physiocroop full) (P.F.), sendo a primeira aplicação realiza pré florada no dia 14/09, a segunda no início da floração na data de 29/09 e a terceira na plena floração 14/10 (15 dias após a segunda). No T3 serão feitas duas aplicações do bioestimulante (P.F.), sendo a primeira pré-florada 29/09 e a segunda na antese, dia 14/10. O T4 será o último tratamento com o primeiro Bioestimulante com apenas uma aplicação do (P.F.) no início da floração (29/09). Por sua vez o T5, receberá três aplicações do bioestimulante de nome comercial (Radicel) (R.), sendo a primeira aplicação realiza pré florada no dia 14/09, a segunda no início da floração na data de 29/09 e a terceira na plena floração 14/10 (15 dias após a segunda). No T6 serão feitas duas aplicações do bioestimulante (R.), sendo a primeira na pré-floração 29/09 e a segunda na antese, dia 14/10. O T7 será o último tratamento com o segundo bioestimulante de apenas uma aplicação do (R.) no início da floração (29/09) A dosagem a ser utilizada em ambos bioestimulantes é de 150ml de produto comercial para cada 100l de calda.
O delineamento utilizado será em blocos inteiramente casualizado, contando com cinco repetições de duas plantas, totalizando uma unidade amostral de 70 plantas.
As aplicações ocorrerão com o auxílio de um pulverizador costal, necessitando 0,650 litros de calda em média para recobrimento de cada área experimental, utilizando um volume de 8,6 litros de calda na aplicação do dia 14/09, 26 litros na segunda aplicação do dia 29/09 e 17,2 litros na terceira aplicação do dia 14/10.
Antes da instalação do experimento realizaremos uma análise de solo, então será procedida uma correção de solo com calcário. Os demais macronutrientes também poderão ser corrigidos, destes apenas o nitrogênio poderá ser colocado na adubação de manutenção posteriormente à fixação de frutos. Alguns micros serão corrigidos com aplicações foliares, dentre eles o boro e o zinco que são de suma importância nesse momento inicial. E também cogita-se avaliar aplicações de boro via solo por se tratar de um nutriente com baixa mobilidade no floema.
Serão feitas análises para verificar qual tratamento obteve melhor ação sobre a produtividade do olival, e se o custo benefício deste bioestimulante é significativo para a agricultura. Para analisarmos a fertilidade do grão de pólen, o método a ser escolhido será o de germinação in vitro, que de certa forma (subestima alguns grãos que iriam germinar), mas por outro lado, é o método mais assertivo em relação ao colorimetria e o in vivo. Posteriormente a isso analisaremos a massa de frutos e de cada 100 frutos de olivas a cada repetição, também será mensurado a massa total por unidade experimental para vincular ao trabalho da produção final de cada tratamento. E por fim realizaremos análise de rendimento de azeite de cada tratamento.

Indicadores, Metas e Resultados

A indicação de melhor dose para aplicação de bioestimulante na cultura da oliveira.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
MARCELO BARBOSA MALGARIM1

Página gerada em 18/04/2024 01:45:52 (consulta levou 1.722685s)