Nome do Projeto
ENRAIZAMENTO DE ESTACAS HEBÁCEAS DE TRÊS CULTIVARES DE PESSEGUEIRO (Prunus persica. L. Batsch) EM DIFERENTES DOSES DE AIB NAS CONDIÇÕES DE CASA DE VEGETAÇÃO
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2023 - 31/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Com objetivo de garantir a disponibilidade de mudas sadias, desenvolvidas, promissoras de qualidade a baixo custo de produção, que garanta a sustentabilidade da atividade dos viveiristas e agricultores a partir do enraizamento de estacas herbáceas, nas condições controladas de estufa em Pelotas, condições essas exigidas para a implantação de viveiros para questões comercias e de cultivos. Portanto, através do método espera-se encontrar a cultivar que responde melhor ao enraizamento em uma das diferentes concentrações de AIB em analise que poderá garantir uma rápida produção de mudas de qualidade.

Objetivo Geral

Avaliar o enraizamento de estacas herbáceas de três cultivares de pessegueiro (Prunus persica. L. Batsch) em diferentes doses de AIB nas condições de casa de vegetação.

Justificativa

Muitos estudos vêm sido desenvolvidos em áreas similares ao tema em analise, uma pequena parte enfatizam as potencialidades do enraizamento no pessegueiro, o que torna dependente o uso da enxertia como método mais conhecido pelos viveiristas para a produção de mudas por conta de sua eficácia, embora sua complexidade, custos de produção a voltados assim como a incompatibilidade de porta-enxerto a copa na maior das vezes, o que pode tornara atividade insustentável.

Metodologia

O experimento será conduzido em em casa de vegetação localizado nas dependências do Departamento de fruticultura da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (UFPel)- Câmpus Universitário de Pelotas no município do Capão do Leão, RS (31º48'S, 52º30'O e altitude de 60 m), no período compreedido de novembro de 2022 a dezembro de 2023. O clima da região é do tipo Cfa, temperado úmido com verões quentes, conforme aclassificação de Köppen e Geiger (1928). Os dados locais das temperaturas médias mínimas, máximas,somatório da precipitação pluviométrica e umidade relativa referentes aos dois anos serão obtidos junto à EstaçãoAgroclimatológica de Pelotas/RS.
O material vegetativo propagativo a utilizar será proveniente de plantas matrizes do viveiro comercial Frutplan Mudas Ltda, localizado na Colônia Ramos, 3º Distrito de Pelotas,RS. Serao selecionadas estacas herbáceas de três cultivares de pessegueiro BRS Facínio, BRS Granada e BRS Jaspe, classificados respectivamente como pessêgo de mesa e indústrial ou de dupla finalidade, a colheita das estacas será feita nos ramos secundários com comprimento médio de 15 cm e diâmetro médio de 9 mm com três gemas, contendo duas lesões em lados opostos a gema da base e duas folhas na extremidade superior, cortadas pela metade. Após o preparo, os segmentos serão tratados com ácido indolbutírico (AIB), nas concentração de 0, 1000, 2.000, e 4.000 mg L-1, sendo colocados para enraizarem caixas de cultivo contendo substrato comercial Carolina Soil® e areia grossa na proporção de 2:1 V/V, sob irrigação intermitente por microaspersão. Após o plantio, as estacas serão regadas com uma solução fungicida de Captan 500PM(3gL-1deágua), sendo este mesmo tratamento, posteriormente, repetidos manualmente na forma de pulverização.
Durante a condução do experimento, sempre que necessário, serão retiradas as invasoras, folhas caídas e estacas mortas.

Indicadores, Metas e Resultados

• Identificar cultivar que responda até 80% de eficácia a estaquia nas diferentes doses de AIB.
• Obtenção de mudas provenientes da estaquia de qualidade desenvolvidas, com sistema radicular robusto com o mínimo de 90 cm de comprimento de 8 mm de diâmetro.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LOLA LITO RAÚL
MARCELO BARBOSA MALGARIM1

Página gerada em 18/04/2024 02:12:51 (consulta levou 0.473246s)