Nome do Projeto
Pomerano como língua-ponte: proposta de revisão e ampliação de dicionário bilíngue português-pomerano/pomerano-português
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
16/03/2023 - 16/03/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
Este Projeto objetiva a revisão e a ampliação de material lexicográfico bilíngue pomerano-português (Schneider, 2019) como ferramenta de ação linguística para o resgate e o aparelhamento da língua pomerana na região da Serra dos Tapes, sul do estado do Rio Grande do Sul. Insere-se como parte da formação em Licenciatura em Letras - Português e Alemão da UFPel com o objetivo de capacitar os futuros professores, discentes do curso, para a atuação junto às comunidades de falantes da língua pomerana da região, mas, também, visa à aproximação das comunidades do entorno da cidade de Pelotas para a formação em Língua Alemã na Universidade. Por meio de atividades a serem desenvolvidas junto às comunidades de falantes da língua pomerana, bem como pela promoção de atividades na Universidade, será realizado levantamento de materiais escritos e orais, aplicação de entrevistas e questionários estruturados, que servirão ao levantamento e/ou ajuste das lexias já presentes no dicionário em referência para a produção de material devidamente ajustado à língua pomerana falada e escrita na região da Serra dos Tapes com a inclusão de mais uma língua - a Língua Alemã. A proposta do novo material lexicográfico entende a língua como ponte para a aprendizagem de alemão padrão e formação continuada, portanto, como uma ação de política linguística.

Objetivo Geral

Revisar e ampliar material lexicográfico bilingue pomerano-portugues/português-pomerano já existente com a inserção da língua alemã, visando o resgate e a promoção da língua e da cultura pomerana da região da Serra dos Tapes como parte de ação de política linguística. Por meio do levantamento e confirmação das lexicas registradas no material lexicográfico preexistente, a pesquisa objetiva realizar uma revisão criteriosa e a ampliação por meio de inclusão de variantes regionais, além de incluir a língua alemã, resgatando o conceito de língua-ponte como facilitador da aprendizagem de línguas estrangeiras e como elo para a aproximação das comunidades à formação em Licenciatura em Letras Português e Alemão da UFPel e capacitação do corpo discente, futuros professores das redes pública e privada de ensino da região sul do RS.

Justificativa

A cidade de Pelotas insere-se na região da Serra dos Tapes, que historicamente abriga grande contingente de descendentes de famílias de imigrantes provenientes da região da antiga Pomerânia (atual norte da Alemanha e Polônia), que vieram para o Brasil já no século XIX. Estabelecidos principalmente nos estados do Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Rondônia e Santa Catarina, estas comunidades de imigrantes se organizaram por meio da língua e da cultura que trouxeram de seus locais de origem e, assim, mantiveram-se unidos. Tendo sido criado em 2009 com o intuito de contemplar uma demanda da região, o Curso de Licenciatura em Letras - Português e Alemão da UFPel forma professores de Língua Alemã e Língua Portuguesa, capacitados ao trabalho junto às escolas da rede pública e privada de ensino. Como forma de aproximação às comunidades locais e destas com a Universidade, a inserção do corpo docente e discente em pesquisas com a Língua Pomerana justifica-se como ferramenta de capacitação continuada para futura atuação junto às comunidades de falantes, ao mesmo tempo que se pretende acolher estudantes das instituições de ensino das cidades do entorno para a graduação na UFPel.

Metodologia

Por meio de pesquisas de campo com aplicação de questionários e entrevistas semiestruturadas, recolhimento de registros orais e escritos das comunidades de falantes da língua pomerana nas cidades da região da Serra dos Tapes, pretende-se levantar material lexicográfico para a revisão e a ampliação das macro e microestruturas do Dicionário Escolar Conciso Pomerano-Português/Português-Pomerano da professora Aloi Schneider (2019). Esta revisão-ampliação entende a necessidade de consulta às comunidades de falantes da região como forma de validação das lexias já registradas, mas também de inclusão de novas lexias como formas variantes, tanto em seus registros escritos como na oralidade. A inserção da língua alemã como terceira língua de registro deverá se dar pela participação de pesquisadores discentes bolsistas do Curso de Letras - Português e Alemão da UFPel como forma de aparelhamento linguístico e capacitação adicional em suas formações como futuros professores nas escolas da região.

Indicadores, Metas e Resultados

Para capacitação da docente coordenadora e de bolsistas do projeto, estão previstos períodos de estudos e pesquisas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, orientadas pelo Prof. Dr. Cléo Altenhofen, coordenador do Projeto ALMA (Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata), na Universidade de Greifswald na Alemanha, localizada na região da antiga Pomerânia e que concentra estudos e pesquisas sobre o Niederdeutsch (baixo-alemão), visita de estudos aos estados de Santa Catarina, Espírito Santo e Rondônia, junto a comunidades de falantes e pesquisadores da língua pomerana, visitas a museus e centros culturais promotores da cultura pomerana. Para levantamento de dados para a pesquisa estão previstas visitas às comunidades falantes de pomerano da região da Serra dos Tapes e períodos de estudos e pesquisa com orientação da Profa. Aloi Schneider, na cidade de São Lourenço. Espera-se com esta pesquisa gerar material lexicográfico atualizado, que será usado para o ensino-aprendizagem da língua pomerana, do alemão e/ou do portugues, em uma proposta de aprendizagem dialógica, buscando, assim, a aproximação das comunidades de falantes da língua pomerana da Universidade, de seus cursos, pesquisas e ações extensionistas e de docentes e discentes da UFPel às comunidades de falantes, incentivando o uso da língua e a manutenção dos costumes e tradições como prática integrativa para a aprendizagem de outras línguas estrangeiras e como política linguística para o reconhecimento crescente de línguas minoritárias como línguas brasileiras.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
Aloi Schneider
BERNARDO KOLLING LIMBERGER4
CAROLINE DORST NACHTIGALL
Cléo Vilson Altenhofen
DANIELE EBEL
GISLEIA SIMONE DEVANTIER BLANK
JOAO VITOR VIEIRA NORNBERG
LUCAS LOFF MACHADO4
LUCIANE LEIPNITZ20
RIAM FAGUNDES DE AVILA

Página gerada em 23/02/2024 07:55:02 (consulta levou 0.152917s)