Nome do Projeto
Projeto de Permanência e Qualidade Acadêmica do Curso de Conservação e Restauração
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
01/06/2023 - 31/05/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Resumo
A busca do enfrentamento à evasão e ao abandono do Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPEL orienta o presente projeto. Serão desenvolvidas ações específicas em parceria com o Grupo PET Conservação e Restauro cujo foco é a permanência dos discentes no curso. Dentre outras ações, propomos que alunos veteranos tornem-se padrinhos de alunos ingressantes durante o primeiro semestre de suas vidas acadêmicas. Deste modo, pretende-se não somente acolher aos ingressantes, mas facilitar a obtenção de informações junto à instituição e melhorar a interlocução entre discentes e docentes, de modo a auxiliar os estudantes a compreenderem o ambiente acadêmico e conhecerem o curso de Conservação e Restauração e as potencialidades da profissão.

Objetivo Geral

Propor uma estratégia de enfrentamento à evasão e ao abandono do Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais da UFPel a partir de ações de integração, acolhimento e comunicação com os discentes.

Justificativa

Fenômeno extremamente complexo, a evasão afeta significativamente as IES e gera importantes prejuízos na perspectiva humana, social e econômica. O Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPEL, criado em 2008 a partir das políticas públicas do REUNI, não está livre dessa adversidade, especialmente ao considerarmos o cenário pandêmico experimentado atualmente. Observou-se que tanto os níveis de abandono como de evasão cresceram nos últimos anos. É possível que o consequente afastamento do convívio social promovido pelo ensino remoto, tenha sido um dos fatores que contribuíram para o desestímulo em se manter estudando, promovendo crescimento das taxas de abandono e/ou evasão.
Várias razões podem contribuir para a evasão, as causas mais comuns incluem: dificuldades financeiras; problemas pessoais, como problemas de saúde, familiares ou emocionais; falta de interesse, quando o discente percebe que o curso escolhido não é adequado para seus interesses e habilidades, ou que não estão obtendo os resultados esperados.
Outro fator impactante é a chegada aos bancos universitários com uma bagagem e uma formação na educação básica precária, onde os desafios podem desencorajá-los de prosseguir. Este, no entanto, é um problema estrutural que exige ações que extrapolam a instituição em si. Porém, outros fatores passíveis de ação direta da universidade podem e devem ser levados a cabo no enfrentamento do problema da evasão e do abandono.
No caso do Curso de Conservação e Restauração da UFPel, há que se considerar algumas particularidades. O fato de ser um curso noturno, uma das premissas do REUNI, em que parte de seu alunado se constitui de trabalhadores é uma delas. O cansaço em razão da jornada de trabalho no período diurno colabora para que o discente enfrente dificuldades para acompanhar as disciplinas e concluir as tarefas, gerando desmotivação para manter-se estudando.Por outro lado, a significativa parcela de alunos ingressantes em idade acima da faixa dos 20-25 anos, igualmente pode ser considerada uma característica peculiar. Muitas vezes essas pessoas estão afastadas do ambiente de ensino há vários anos, até mesmo décadas, e o ritmo e as exigências de um curso de graduação podem parecer excessivos e gerar desmotivação.
Por outro lado, acredita-se que nos semestres iniciais do curso as dificuldades se acentuam, tendo como agravante o desconhecimento por parte dos ingressantes da própria instituição ao qual está se inserindo e da dinâmica de um curso superior, onde a autonomia e a pró-atividade são desejáveis. Some-se a isso o desconhecimento e os desafios de aprendizagem do percurso acadêmico escolhido, dentre outros fatores já apontados anteriormente.
Entretanto, acredita-se que ações básicas, como a qualificação do diálogo entre discentes e docentes, o acolhimento dos ingressantes, o compartilhamento de informações, podem contribuir com a mitigação do problema da evasão e do abandono. Essa é a perspectiva que enseja o projeto aqui proposto cujo público alvo são os alunos do Curso de Conservação e Restauração.

Metodologia

Em razão da diversidade de ações possíveis de serem implantadas, a metodologia será definida em cada ação específica.

Indicadores, Metas e Resultados

1. Reduzir entre 5 e 10%, em dois anos, os níveis de evasão e abandono no curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPEL;
2. Proporcionar o acolhimento dos novos discentes no período compreendido pelo projeto, indiferentemente da forma de ingresso - SISU, PAVE, reopção, portador de diploma, dentre outros;
3. Proporcionar o acompanhamento sistemático dos alunos ingressantes;
4. Promover uma melhor integração dos alunos à vida acadêmica e às estruturas da UFPel;
5. Facilitar o conhecimento e o acesso à informações relativas aos projetos em andamento dos docentes visando a identificação com temas de interesse;
6. Fortalecer a relação entre discentes ingressantes, veteranos e docentes por meio do diálogo e do compartilhamento de informações.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALBA INÊZ MACIEL
ANDREA LACERDA BACHETTINI1
ANDRÉ ALEXANDRE GASPERI
ANNELISE COSTA MONTONE2
ANTONIA JERONIMO ROCHA DA SILVA
CLARA RIBEIRO DO VALE TEIXEIRA
DANIELE BALTZ DA FONSECA1
DEBORA DA SILVA OLIVEIRA
FILIPE CASTRO ALVES WESSELY
INGRID LAPUENTE CAVALHEIRO
JULIA SILVEIRA LESSA
JULLIEINNY MACHADO SEDREZ
KAREN VELLEDA CALDAS47
MARI TEREZINHA VAHL MATTIES
MIRELLA MORAES DE BORBA
ROBERTO HEIDEN
VITORIA DE OLIVEIRA SOARES

Página gerada em 29/02/2024 11:30:23 (consulta levou 0.219196s)