Nome do Projeto
Inovação e Sustentabilidade Aplicadas ao Manejo de Doenças de Plantas
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
08/05/2023 - 07/05/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Epidemias de doenças de plantas têm sido uma limitação na produção de diferentes cultivos de importância econômica para a região sul do Brasil. O manejo destas doenças exige múltiplas medidas fitossanitárias integradas. O presente projeto objetiva inicialmente a realização do diagnóstico das principais doenças de plantas que incidem em cultivos na região sul do Brasil. Posteriormente, o projeto também objetiva o desenvolvimento e a implementação de medidas inovadoras de manejo biológico, químico e cultural de doenças de plantas visando à redução do uso de pesticidas e o aumento da produtividade.

Objetivo Geral

Identificar as principais epidemias na região sul do Brasil e promover inovação e sustentabilidade no manejo das doenças de plantas.

Justificativa

Muitas epidemias ocorrem em cultivos na região sul do Brasil, porém há uma falta de estudos contínuos que mensurem estas epidemias ao longo do tempo e espaço sob um conceito de sistema agrícola. Em consequência disto, embora existam algumas medidas de manejo de doenças de plantas, a agricultura brasileira tem uma carência de estratégias de manejo com medidas sustentáveis visando à redução de pesticidas a campo.

Metodologia

O projeto é dividido em quatro módulos:

Módulo 1: Identificação e caracterização de epidemias
Uma rede de contato com cooperativas e outros órgão de extensão dos Estados do Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC) e Paraná (PR) será estabelecida visando obter informações da ocorrência de epidemias nos principais cultivos do estado. Visitas a campo serão realizadas para coleta de amostras e entendimento do sistema de cultivo visando uma identificação assertiva dos agentes causais e caracterização das epidemias. O diagnóstico das doenças será realizado em laboratório por meio de métodos biológicos e moleculares.

Módulo 2: Manejo Biológico
Micro-organismos serão isolados e submetidos a ensaios “in vitro” em laboratório e casa-de-vegetação visando à seleção de potenciais agentes de biocontrole de doenças de plantas. Os agentes de biocontrole identificados serão avaliados em casa-de-vegetação e a campo de forma solo ou em combinação com outras medidas de manejo das doenças de plantas, incluindo o controle químico.
Bioensaios em placas de petri serão realizados em laboratório e os micro-organismos selecionados em laboratório serão utilizados para ensaios em cada de vegetação para avaliar a eficiência no controle de doenças de plantas.
Os ensaios de casa de vegetação serão conduzidos no Departamento de Fitossanidade da FAEM/UFPEL, Campus Capão do Leão, RS. O delineamento dos ensaios será em blocos ao acaso, com quatro repetições, sendo que uma repetição corresponde a uma planta. A avaliação dos ensaios serão através da quantificação da intensidade da doença (Incidência e/ou severidade).
Os ensaios a campo serão conduzidos no Centro Agropecuário da Palma no município de Capão do Leão, Estado do RS. O delineamento estatístico adotado será o de blocos ao acaso com quatro repetições. Cada parcela terá a dimensão de 15 m2, medindo 3 metros de largura e 5 metros de comprimento. A avaliação dos ensaios serão através da quantificação da intensidade da doença (Incidência e/ou severidade).

Módulo 3: Manejo Químico
Pesticidas registrados no MAPA serão avaliados quanto ao controle de doenças de plantas em ensaios de casa-de-vegetação e a campo. Diferentes dosagens, número e épocas de aplicação dos pesticidas serão avaliadas no manejo de doenças de plantas.
Os ensaios de casa-de-vegetação e campo serão conduzidos no Departamento de Fitossanidade e no Centro Agropecuário da Palma da FAEM/UFPEL, Campus Capão do Leão, RS, respectivamente. A metodologia para estes ensaios serão as mesma utilizadas para os ensaios correspondentes ao módulo 2 deste projeto.
Em adicional, o monitoramento de patógenos resistentes a pesticidas será realizado na região sul do Brasil. O monitoramento ajudará a explicar os resultados dos ensaios em casa-de-vegetação e campo.

Módulo 4: Manejo Cultural
Medidas culturais serão avaliadas quanto ao controle de doenças de plantas em ensaios de casa-de-vegetação e a campo. Diferentes dosagens, número e épocas de aplicação dos pesticidas serão avaliadas no manejo de doenças de plantas.
Os ensaios de casa-de-vegetação e campo serão conduzidos no Departamento de Fitossanidade e no Centro Agropecuário da Palma da FAEM/UFPEL, Campus Capão do Leão, RS, respectivamente. A metodologia para estes ensaios serão as mesma utilizadas para os ensaios correspondentes ao módulo 2 deste projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

O projeto vem agregar inovação e formação de recursos humanos ao Curso de Agronomia e ao Programa de Pós-graduação em Fitossanidade da FAEM/UFPEL e está alinhado com as necessidades atuais da agricultura brasileira na área da Fitopatologia.

Indicadores:
O número de fitopatógenos identificados como agentes causais de doenças/epidemias será o indicador para a caracterização das epidemias no módulo 1.
A eficiência de uma variabilidade de tratamentos (micro-organismos e/ou pesticidas registrados e/ou tratos culturais) no controle da doença por meio de ensaios em laboratório, casa-de-vegetação e campo, será o indicador de desempenho a serem mensurados, tanto no módulo 2 como nos módulos 3 e 4.

Outros indicadores:
Número de TCCs, dissertação ou teses concluídas e relacionadas ao projeto; número de trabalhos científicos apresentados em eventos nacionais ou internacionais; número de artigos e resumos publicados em eventos e/ou revistas científicas;

Metas:
A meta do módulo 1 deste projeto é gerar um maior conhecimento sobre a identidade e diversidade de fitopatógenos que afetam os cultivos agrícolas na região sul do Brasil. O módulo 2 deste projeto tem como meta a descoberta de potenciais micro-organismos ativos para a formulação de bioprodutos de alta eficiência, inovadores e sustentáveis. Já a meta no módulo 3 é identificação da melhor dose, uma redução e as melhores épocas das aplicações de pesticidas com eficiência de manejo das doenças de plantas. No módulo 4 a meta será a identificação de medidas culturais eficientes no manejo de doenças de plantas.

Resultados esperados:
Com a conclusão do projeto espera se obter um mapeamento das principais epidemias de doenças de plantas no sul do Brasil, a proposta de novos agentes de controle biológicos a doenças de plantas e estratégias de manejo químico e cultural visando à racionalização do uso de pesticidas. E ainda, este projeto também vai contribuir com formação de recurso humanos a partir do envolvimento de graduandos do curso de Agronomia e Pós-graduandos do curso de Fitossanidade da FAEM/UFPEL.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DANIEL BERNARDI5
EUGENIA JACIRA BOLACEL BRAGA10
GUSTAVO MAIA SOUZA5
Helena Chaves Tasca
JERONIMO VIEIRA DE ARAUJO FILHO1
JULIO CESAR BARBOSA4
LEANDRO JOSE DALLAGNOL2
Maria Cristina Canale
Paulo Roberto Mendes Gimenez
SABRINA DE OLIVEIRA MARTINS
Silvana Ohse

Recursos Arrecadados

FonteValorAdministrador
Prestação de Serviços DiversosR$ 500.000,00Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339039 - Outros Serviços de Terceiro - Pessoa JurídicaR$ 500.000,00

Página gerada em 17/04/2024 22:20:32 (consulta levou 0.181065s)