Nome do Projeto
Segurança pública e o sistema territorial do tráfico de drogas: Nós, Tessituras e Redes no estado do Rio Grande do Sul.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
26/05/2023 - 11/12/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O tráfico de drogas se estrutura tendo como um dos seus pilares a formação de um sistema territorial logístico multiescalar e, nesse contexto, o estado do Rio Grande do Sul ganha destaque no século XXI tendo em vista o crescimento dessa atividade por meio da ação de grupos organizados. Frente a isso, elencamos como objetivo analisar a formação do sistema territorial do tráfico de drogas no Rio Grande do Sul, buscando entender a sua estrutura reticular, seus nós e tessituras. Igualmente, o projeto objetiva desenvolver tecnologias no âmbito da segurança pública voltados a compreender este fenômeno, contribuindo para estruturar políticas públicas voltadas a mitigar os impactos desta atividade no estado. Como aporte metodológico, a pesquisa divide-se em etapas, sendo elas: 1. Uma revisão bibliográfica; 2. Levantamento de dados estatísticos a partir de órgãos oficiais; 3. Levantamento de dados hemerográficos (na escala regional e microrregional); 4. Tabulação dos dados no programa Microsoft Excel e mapeamento dos mesmos; 5. cruzamento dos dados, objetivando compreender como estrutura-se o sistema territorial do tráfico de drogas no estado, seus principais agentes, os nós principais que articulam o sistema e as tessituras do sistema na escala Nacional, Regional e Local. Como possíveis resultados, espera-se construir uma base teórica e técnica sobre o tráfico de drogas no Rio Grande do Sul, bem como entender os impactos que esta prática espacial vem ocasionando no estado. Além disso, o projeto poderá contribuir no desenvolvimento de tecnologias voltadas à segurança pública, a qual apresenta-se como uma das áreas estratégicas do Ministro de Estado da Ciência,Tecnologia, Inovações e Comunicações, conforme disposto na Portaria MCTIC nº 1.122, art. 3º, inciso IV.

Objetivo Geral

O objetivo geral do presente projeto é analisar a formação do sistema territorial do tráfico de drogas no Rio Grande do Sul, buscando entender a sua estrutura reticular, seus nós e tessituras. Igualmente, o projeto objetiva desenvolver tecnologias no âmbito da segurança pública voltados a compreender este fenômeno, contribuindo para estruturar políticas públicas voltadas a mitigar os impactos desta atividade no estado.

Como objetivos específicos destacam-se os seguintes:

- Aprofundar e difundir os conhecimentos teóricos sobre geografia e tráfico de drogas, sistema territorial, segurança pública e arcabouços teórico-metodológicos destas temáticas;
- Identificar as estratégias utilizadas pelas facções criminais para estruturar o tráfico de drogas no estado do Rio Grande do Sul;
- Analisar os nós edificados pelo sistema territorial do tráfico de drogas no Rio Grande do Sul.
- Mapear as redes construídas pelas facções criminais que estruturam o tráfico de drogas no/para estado gaúcho;
- Propor, por meio do desenvolvimento de tecnologia, políticas de segurança pública voltadas a mitigar os efeitos das ações dos grupos no Rio Grande do Sul;

Justificativa

O tráfico de drogas (entendido na presente pesquisa como um fenômeno social, político, econômico e espacial) se constitui como uma atividade ilícita que vem ganhando notoriedade na sociedade brasileira no século XXI, tendo em vista os impactos ocasionados pelas ações dos múltiplos agentes envolvidos nestas práticas no cotidiano de inúmeros municípios do território nacional. Nesta conjuntura, uma série de atores/grupos tornaram-se responsáveis pela produção de dinâmicas espaciais que possibilitam, por meio de redes, a estruturação de uma logística voltada a coligar um sistema territorial complexo que perpassa desde a produção, o atacado e o varejo (P-A-V) do comércio de entorpecentes na escala local, nacional e internacional.
Diante do exposto, compreendemos na pesquisa que o sistema territorial é uma estrutura que possui como base a formação de redes, nós e tessituras produzidas pelos grupos que organizam estas atividades. Logo, o tráfico de drogas tem como premissa uma lógica de domínio espacial (manifestada de forma material e simbólica), produzindo disputas territoriais que podem ser visualizadas de forma costumeira na sociedade.
No caso em tela, destaca-se que o estado do Rio Grande do Sul historicamente apresenta-se como um recorte de pequena relevância para os agentes que articulam o tráfico a nível nacional e internacional. Mesmo com este distanciamento, o estado, desde a década de 1990, vivencia um crescimento das atividades relacionadas ao tráfico de drogas, principalmente derivada de grupos regionais que passam a influenciar de forma direta as dinâmicas urbanas de municípios do estado. Com essa premissa, podemos observar que nos últimos anos existe um processo de organização de grupos regionais que objetivam dominar o atacado e o varejo do tráfico de entorpecentes no estado, expandindo-se não somente no interior de suas áreas originais, mas também para cidades de menor porte.
Logo, o comércio de ilícitos possui (re)configurações constantes no Rio Grande do Sul, as quais podem ser observadas nos indicadores criminais do estado. Assim, compreender o sistema territorial que esta atividade produz torna-se uma necessidade não somente acadêmica, mas também de segurança pública no âmbito geral. Igualmente, cabe ressaltar que analisar o sistema territorial do tráfico de drogas, com suas múltiplas interseções, possibilita pensar em políticas públicas voltadas a mitigar os efeitos destas atividades no estado.
Por fim, cabe ainda justificar que pensar o sistema territorial como abordagem teórica/metodológica voltada a analisar o tráfico de drogas apresenta-se como uma importante ferramenta voltada a produção de tecnologias para a segurança pública, enquadrando-se na Área de Tecnologias Estratégicas da Portaria MCTIC nº 1.122 (art. 3º, inciso IV).

Metodologia

Articulando-se ao objetivo geral, a metodologia do projeto se divide em cinco etapas que compreendem:

1. Uma revisão bibliográfica acerca do tráfico de drogas, segurança pública, sistema territorial, facções criminais e arcabouços teórico-metodológicos destas temáticas.

2. Levantamento de dados estatísticos a partir de órgãos oficiais, sendo os principais:

- Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul;
- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas;
- Polícia Rodoviária Federal;
- Polícia Federal;
- Estrutura viária Nacional Transportes.

2.1 Os dados selecionados nos órgãos citados referem-se às seguintes categorias:

- Estrutura populacional do Rio Grande do Sul;
- Dados socioeconômicos do Rio Grande do Sul;
- Densidade demográfica total por município Rio Grande do Sul;
- Apreensão total de Drogas no Rio Grande do Sul por município;
- Apreensão de drogas nas rodovias Federais do estado;
- Homicídios dolosos no Rio Grande do Sul (geral e municipal).

3. Levantamento de dados hemerográficos (na escala regional e microrregional) que envolvem o tráfico de drogas e a ação dos grupos no Rio Grande do Sul.

3.1: os dados hemerográficos referem-se às seguintes categorias:

- Tráfico de drogas
- Facções
- Execução.

4. Tabulação dos dados no programa Microsoft Excel e espacialização dos mesmos através do Software QGIS.

5. Após o levantamento dos dados estatísticos (quantitativos e qualitativos) será realizado o cruzamento dos mesmos, objetivando compreender como estrutura-se o sistema territorial do tráfico de drogas no estado, seus principais agentes, os nós principais que articulam o sistema e as tessituras do sistema na escala Nacional, Regional e Local.

Indicadores, Metas e Resultados

Como possíveis resultados, espera-se construir uma base teórica e técnica sobre o tráfico de drogas, suas redes, nós e tessituras no Rio Grande do Sul, bem como entender os impactos que esta prática espacial vem ocasionando no estado. Além disso, o projeto poderá contribuir no desenvolvimento de tecnologias voltadas à segurança pública, a qual apresenta-se como uma das áreas estratégicas do Ministro de Estado da Ciência,Tecnologia, Inovações e Comunicações, conforme disposto na Portaria MCTIC nº 1.122, art. 3º, inciso IV. Ademais, também objetiva-se consolidar não só parcerias de pesquisa do grupo GEOTER/CNPQ, mas também com outras Instituições de Ensino Superior e grupos de pesquisa. Esse projeto também contribui para a consolidação das linhas de Pesquisa Análise Territorial do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPel, a partir do incentivo na formação de outros projetos de pesquisas e produção de artigos científicos que versem sobre esta temática. Como metas, para a divulgação dos resultados da pesquisa, pretendemos investir na participação de eventos nacionais e internacionais, em publicações em periódicos qualificados, organização de um ebook e de um livro impresso.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
IURI DE ALMEIDA COSTA
JOSUÉ KUHN VOLZ
ROBINSON SANTOS PINHEIRO1
RYAN MENDES DOS SANTOS
SAMUEL DE JESUS CABRAL
SIDNEY GONÇALVES VIEIRA1
THALES ROBERTO BARBOSA RODRIGUES
TIARAJU SALINI DUARTE2

Página gerada em 05/03/2024 08:33:56 (consulta levou 0.161110s)