Nome do Projeto
Alternativas sustentáveis para materiais de difícil reciclagem
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/09/2023 - 31/08/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Educação
Linha de Extensão
Educação Ambiental
Resumo
As esponjas de limpeza sintéticas estão presentes no dia a dia da grande maioria dos domicílios brasileiros. Essas esponjas são utilizadas para várias tarefas de limpeza, especialmente da louça doméstica. No entanto, devido a sua praticidade, essas esponjas podem ser usadas, também, na limpeza de materiais de laboratório, como as vidrarias utilizadas em experimentos. Elas são tipicamente constituídas de materiais porosos, como espuma de poliuretano e fibras de nylon, e são projetadas para serem eficazes na remoção de sujeira, manchas e resíduos em diferentes superfícies. Esses materiais são derivados do petróleo e não são biodegradáveis. Portanto, quando descartadas inadequadamente, podem levar décadas ou até séculos para se decompor no meio ambiente. A maioria das esponjas sintéticas acaba sendo descartada no lixo comum, o que significa que elas acabam em aterros sanitários. Nessas condições, sua decomposição é lenta e contribui para o acúmulo de resíduos sólidos na natureza. Mais, com o uso contínuo, as esponjas sintéticas podem se desgastar e liberar pequenas partículas de plástico, conhecidas como microplásticos, durante a limpeza. Esses microplásticos podem poluir a água e os ecossistemas, representando uma ameaça à vida aquática, além de entrar na cadeia alimentar, trazendo consequências em escala global. Para minimizar o impacto ambiental das esponjas sintéticas, algumas medidas podem ser adotadas: o uso de esponjas mais sustentáveis, feitas de materiais naturais e biodegradáveis, como celulose, algodão orgânico ou fibra vegetal, é recomendado. Na impossibilidade do uso de materiais biodegradáveis, a reciclagem adequada de esponjas sintéticas é uma alternativa atraente e promissora. Existem algumas empresas e organizações que oferecem programas de reciclagem específicos para esse tipo de material, como a Terracycle (https://www.terracycle.com/pt-BR). Esta empresa têm mais de 20 anos de experiência na remoção e reciclagem desses materiais e possui um programa específico para reciclagem de esponjas sintéticas. No Brasil, a Terracycle conta com mais de 190 pontos de coleta, porém, menos de 10 destes pontos estão localizados no Rio Grande do Sul. Pelotas, que possui mais de 300 mil habitantes, não possui nenhum ponto de coleta de esponjas sintéticas vinculados ao Terracycle. Neste contexto, a Universidade Federal de Pelotas, com toda sua importância e impacto nas ações sócio-ambientais da região sul do estado, pode se tornar uma referência como um ponto de coleta para esponjas sintéticas e outros materiais recicláveis, como recargas de canetas para quadro branco, ambos produtos recolhidos pela Terracycle, que assume todos os custos de transporte da origem ao destino final. Sendo assim, este projeto visa viabilizar locais de coleta de esponjas sintéticas e materiais de escritório dentro da UFPel, se responsabilizar pelo recolhimento dos mesmos e remetê-los ao destino final, a Terracycle.

Objetivo Geral

O objetivo deste projeto é mobilizar a academia e a sociedade quanto aos resíduos de difícil reciclagem gerados diariamente nos domicílios e instituições brasileiras e que estão diretamente relacionados com casos de contaminação do meio ambiente. A presente proposta visa estabelecer protocolos específicos de coleta, recolhimento e destino para esponjas sintéticas e materiais de escrita (como recargas de canetas para quadro branco, canetas, lápis, etc) produzidos pela UFPel e pela comunidade Pelotense, tornando a UFPel um centro de referência para coleta destes resíduos no sul do estado do Rio Grande do Sul.

Justificativa

Diariamente, milhares de esponjas sintéticas são consumidas e descartadas de modo inadequado, gerando um alto impacto negativo no meio ambiente, especialmente quanto a contaminação do solo e água. O mesmo vale para a quantidade enorme de materiais de escritório que podem ser considerados de difícil reciclagem. Existem empresas como a Terracycle (https://www.terracycle.com/pt-BR) que recolhem estes resíduos, assumindo todos os custos de transporte da origem até o destino final, onde ocorre a reciclagem destes materiais. A UFPel, com toda sua importância para região sul do Rio Grande do Sul, pode se tornar uma referência como centro de coleta destes resíduos, motivando e mobilizando toda comunidade acadêmica e civil para minimizar os efeitos causados pela presença desses materiais no meio ambiente.

Metodologia

Inicialmente serão estabelecidos locais dentro da UFPel para coleta de esponjas sintéticas e materiais de escritório. Assim como, será estabelecida uma comissão que será responsável pelo recolhimento e destinação dos resíduos coletados. Esta comissão será responsável, também, pelo estabelecimento de protocolos de recolhimento e verificação dos materiais descartados. Após recolhidos, as esponjas sintéticas e os materiais de escritório serão encaminhados pelos correios (visto que não representam nenhum risco para a sociedade durante o transporte, como recomenda a própria empresa Terracycle). A empresa Terracycle é a responsável pelo custo do envio dos materiais pelo correio, de acordo com seus Programas de Reciclagem Gratuitos.

Indicadores, Metas e Resultados

- Diminuir o volume de esponjas sintéticas e materiais de escritório que são destinados à aterros sanitários;
- Mobilizar o meio acadêmico e civil para o descarte correto destes materiais;
- Tornar a UFPel um centro de referência na coleta de esponjas sintéticas;
- Diminuir o impacto ambiental causado por esses resíduos;
- Conscientizar a sociedade sobre a importância da reciclagem e o uso de materiais alternativos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA PEREIRA FREIRE
BRUNA ADRIANE FARY2
DIOGO LA ROSA NOVO2
TAINARA VAHL
WILIAM BOSCHETTI3

Página gerada em 13/04/2024 09:50:36 (consulta levou 0.200297s)