Nome do Projeto
“Manifestações Populares Tradicionais Não-Hegemônicas do e no Rio Grande do Sul: segunda fase de estudos”
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2023 - 31/07/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
O projeto de pesquisa “Manifestações Populares Tradicionais Não-Hegemônicas do e no Rio Grande do Sul: segunda fase de estudos” é um desdobramento da pesquisa “Folguedos e danças folclóricas marginais do e no Rio Grande do Sul”, iniciado em 2014, cuja a primeira etapa foi finalizada em 2020. A presente investigação encontra-se vinculada ao Núcleo de Folclore e Culturas Populares - NUFOLK da UFPel, este fundado em 2010 no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas. O estudo nessa segunda fase procura investigar noções epistemológicas e processos artísticos e educativos em torno dos campos abarcados pelas artes e culturas populares no contexto atual do estado, de modo a problematizar conceitos como Tradição, Memória, Cultura Popular, Folclore, bem como seus possíveis atravessamentos. Também é interesse do projeto propor e analisar Práticas Experimentais e Metodologias Criativas em Artes e Culturas Populares, articulando-se através de perspectivas que protagonizem o papel do corpo, da dança, do folclore no cenário contemporâneo. O presente projeto comporta uma investigação científica cujo interesse é mapear, registrar, aprofundar e difundir as expressões populares de folguedos e danças do Rio Grande do Sul que escapam à cultura hegemônica, mas que se constituem como espaços e linguagens tradicionais representativos da cultura popular do Estado do Rio Grande do Sul. A ação visa realizar um diagnóstico de coletivos culturais tradicionais não hegemônicos do RS e se dará por meio de pesquisa bibliográfica, documental e de campo.

Objetivo Geral

O presente projeto comporta uma investigação científica cujo interesse é mapear, registrar, aprofundar e difundir as expressões populares de folguedos e danças do Rio Grande do Sul que escapam à cultura hegemônica, mas que se constituem como espaços e linguagens tradicionais representativos da cultura popular do Estado do Rio Grabde do Sul.
A ação visa realizar um diagnóstico de coletivos culturais tradicionais não hegemônicos do RS e se dará por meio de pesquisa bibliográfica, documental e de campo.

Justificativa

O projeto de pesquisa “Manifestações Populares Tradicionais Não-Hegemônicas do e no Rio Grande do Sul: segunda fase de estudos” é um desdobramento da pesquisa “Folguedos e danças folclóricas marginais do e no Rio Grande do Sul”, iniciado em 2014, cuja a primeira etapa foi finalizada em 2020.
A presente investigação encontra-se vinculada ao Núcleo de Folclore e Culturas Populares - NUFOLK da UFPel, este fundado em 2010 no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas. O estudo nessa segunda fase procura investigar noções epistemológicas e processos artísticos e educativos em torno dos campos abarcados pelas artes e culturas populares no contexto atual do estado, de modo a problematizar conceitos como Tradição, Memória, Cultura Popular, Folclore, bem como seus possíveis atravessamentos. Também é interesse do projeto propor e analisar Práticas Experimentais e Metodologias Criativas em Artes e Culturas Populares, articulando-se através de perspectivas que protagonizem o papel do corpo, da dança, do folclore no cenário contemporâneo.
Tal qual já se observou na primeira fase do estudo (2014-2020):

as culturas regionais têm por característica, entre outras coisas, serem fortes e tradicionais. No Rio Grande do Sul, como em outros estados do Brasil, não é diferente, e isso se percebe em praticamente tudo que se faz. Culinária, trajes típicos, músicas entre outros, são elementos da cultura que fazem parte do dia-a-dia deste povo. A manifestação cultural de um povo é a forma de expressar a sua identidade cultural, e ao afirmarmos isto, devemos levar em consideração que podem fazer parte da cultura de uma região, diversas manifestações que influenciadas pelo seu contexto podem variar consideravelmente. Porém ainda assim, contribuem na composição geral da cultura desta região. O que temos notado no caso do Rio Grande do Sul, que o que se entende como cultura gaúcha, não compreende de certa forma a população rio-grandense em geral. A cultura dominante do estado, que legitima e representa boa parte do povo do estado, e que é difundida não só nacionalmente, mas internacionalmente, tem deixado de lado grande parte do que é produzido culturalmente por diversos povos do estado (FOLCLORE DE MARGEM, 2020).

Nesse sentido, acreditamos que a realização do presente projeto de pesquisa se justifica, entre outros aspectos, pela:

- necessidade da continuidade da primeira fase do projeto intitulado “Folguedos e Danças Folclóricas Marginais do e no Rio Grande do Sul” (2014-2020)
- relevância e originalidade do tema proposto para os estudos de artes populares no Brasil;
- aprofundamento e ampliação do mapeamento das manifestações populares não hegemônicas no estado do Rio Grande do Sul iniciada na primeira fase do estudo, no qual já foram mapeadas 22 manifestações populares;
- necessidade de ampliação e complexificação sobre a compreensão em torno das manifestações populares que escapam da cultura dominante;
- necessidade de investigação e registro de produções no campo das artes populares no Rio Grande do Sul;
- envolvimento direto com a temática como professor, artista e pesquisador;
- criação de espaço de debate para a difusão de saberes-fazeres oriundos das poéticas populares;
- pouca produção científica a respeito, em comparação com outras áreas do campo artístico;
- possibilidade de valorização do trabalho de coletivos de artes populares do estado.

Metodologia

Para a realização deste estudo, será utilizado como método uma pesquisa bibliográfica e documental articulada com uma pesquisa etnográfica (pesquisa de campo). No que diz respeito à interpretação do fenômenos culturais, Geertz acredita que se esta visa construir uma leitura do que acontece, então, “divorciá-la do que acontece – do que, nessa ocasião ou naquele lugar, pessoas específicas dizem, o que elas fazem, o que é feito a elas, a partir de todo o vasto negócio do mundo –, seria divorciá-la das suas aplicações e torná-la vazia” (1989, p.28).
Entendendo que, como já mencionado, este trabalho se propõe a articular as danças e os folguedos sob um ponto de vista da cultura popular tradicional e tendo como pano de fundo os estudos do folclore e das artes populares, apoiamo-nos no que preconiza a Carta do Folclore Brasileiro no que diz respeito à pesquisa, a qual recomenda que: “como metodologia de pesquisa, atuação participativa, integrando pesquisador e pesquisado em todas as etapas de apreensão compreensão e devolução dos resultados da pesquisa à comunidade”.
O nosso percurso metodológico envolverá as seguintes estratégias:
- encontros semanais de planejamento;
- leitura de material bibliográfico sobre a temática do projeto;
- fichamento de textos e síntese de materiais;
- análise de documentos;
- preparação dos instrumentos para a coleta de dados;
- organização da atividade etnográfica de campo;
- realização de missão de pesquisa (viagem in loco);
- registro de manifestações mapeadas;
- tabulação, sistematização e organização dos dados coletados;
- produção de relatórios de pesquisa (parcial e final);
- avaliação das atividades de pesquisa realizadas;
- produção científica (resumos, artigos e e-book/livro digital);
- difusão das ações do projeto através de redes sociais e veículos de comunicação;
- submissão da produção científica para eventos e periódicos.

A ordem das etapas não é estática ou imexível, podendo ser adaptada conforme o interesse e necessidade do projeto e de seus participantes. A partir do percurso que for estabelecido durante o trajeto da pesquisa, a metodologia poderá ser alterada ou ampliada.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores
Produção Científica Indexada (a)
Produção Científica Não Indexada (b)
Produção de um livro digital (c)

Metas
(a) Produção Científica Indexada – produção e submissão de 02 artigos científicos em periódicos de extratos superiores
(b) Produção Científica Não Indexada – produção e apresentação de 04 resumos em eventos científicos
(c) Produção de um livro digital a ser disponibilizado gratuitamente no repositório institucional e plataformas de difusão do projeto.

Resultados Esperados

- Geração de produção científica qualificada, por meio escrita de artigos, para publicação em periódicos indexados;
- Geração de produção científica, por meio de resumos, com apresentação em eventos científicos;
- Organização de um livro digital.

Considera-se que os resultados obtidos a partir do desenvolvimento desta pesquisa terão impacto local, estadual e nacional. Impacto local, na medida em que envolve a participação de bolsistas e pesquisadores de uma universidade pública localizada na cidade de Pelotas - RS, o que mobilizará diferentes agentes. Isso significa que será proporcionado a este público o contato e o estudo de diferentes manifestações de arte e culturas populares.
Impacto estadual, na medida em que a investigação envolve profissionais, acadêmicos da Universidade Federal de Pelotas e agentes culturais das comunidades tradicionais investigadas, uma vez que, através da realização de ações de pesquisa e difusão de culturas populares, o estudo chegará a comunidades culturais em diferentes localidades do Rio Grande do Sul. Assim, os colaboradores envolvidos trazem ao projeto uma visão mais ampliada sobre a prática de/sobre arte popular no contexto do estado.
E por fim, o impacto nacional a partir da produção de artigos, resumos e livro digital que podem circular contribuindo significativamente, para o enriquecimento e aprofundamento das pesquisas acerca do tema em questão, bem como divulgação das manifestações populares tradicionais não hegemônicas no Rio Grande do Sul, o que poderá ampliar a compreensão sobre o que as pessoas tem sobre o estado.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CARMEN ANITA HOFFMANN1
LARISSA PATRON CHAVES SPIEKER1
MAYSON GONCALVES BRUM
Marco Aurelio da Cruz Souza4
NATHANAEL PERES MARTINS
REBECA DA CUNHA RECUERO1
Thiago Silva de Amorim Jesus4

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
FAPERGS / Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado Rio Grande do SulR$ 28.000,00Coordenador

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339030 - Material de ConsumoR$ 400,00
339014 - Diária Pessoa CivilR$ 2.250,00
449052 - Equipamentos e Material PermanenteR$ 18.010,00
339039 - Outros Serviços de Terceiro - Pessoa JurídicaR$ 7.340,00

Página gerada em 13/07/2024 12:38:07 (consulta levou 0.180412s)