Nome do Projeto
Capacitação em Atenção Primária sobre manejo e controle da Dor crônica e Síndromes Dolorosas.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
29/12/2023 - 30/06/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O projeto terá como principal objetivo realizar a qualificaçãode 1000 profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde, na modalidade aperfeiçoamento, a fim de aportar mais conhecimento, habilidades e atitudesem cuidado interdisciplinar para cuidar de pessoas que apresentam Dor Crônica (DC)ou Síndromes Dolorosas que causam sofrimento de ordem física, emocional, social e espiritual. Neste contexto,existe a necessidade de aprimorar e qualificar as estratégias para o reconhecimento, avaliação e tratamento (farmacológico e não farmacológico)para indivíduos que sofrem de DCou Síndromes Dolorosas. O curso ocorrerá com atividades à distância e presenciais, com uma duração de 9 (nove) meses contando com uma carga horária de 180 horas.

Objetivo Geral

Formar profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde (APS) para identificar, manejar e controlar a Dor e Síndromes Dolorosas que acometem usuários atendidos na APS.

Justificativa

Dor é uma experiência sensitiva e emocional desagradável associada ou que lembra a sensação causada por uma lesão tecidual real ou potencial(1). O conceito da dor é construído por cada indivíduo, influenciado por fatores biopsicossociais e com base em experiências dolorosas. Quanto à duração, pode ser classificada em aguda e crônica, sendo a DC aquela que persiste após três meses além do tempo habitual de cura de uma lesão, ou que está associada a processos patológicos crônicos, que causam dor contínua ou recorrente(2). A sintomatologia da dor (aguda ou crônica) deve ser acolhida e valorizada pelos profissionais de saúde em geral, independentemente da capacidade do indivíduo de se comunicar verbalmente,e em diferentes cenários assistenciais. Grande parte dos usuários que apresentam dor crônica, em geral, procuram atendimento e atenção na APS, incluindo dor leve, moderada e intensa de diversas causas e temporalidade, que podem ocasionar impacto e redução progressiva nas atividades de vida diária, limitação dos contatos sociais, influenciando negativamente naqualidade de vida (3). A DC mal manejada resulta em prejuízos para saúde, para o sistema de saúde em termos de alta utilização de serviços de saúde e elevados custos de tratamento, e para sociedade como um todo, pois resulta em incapacidade temporária ou permanente e alto índice de absenteísmos (4, 5). No Brasil, os dados disponíveis sobre a prevalência de dor crônica mostram que até 45% da população sofre com dor crônica, sendo predominante em mulheres e na região lombar (6).
Apesar do crescente reconhecimento da DC como uma crise de saúde pública, há ainda uma grande variabilidade no seu manejo e os profissionais de saúde, especialmente os da atenção primária, ainda carecem de educação e treinamentosobre sua abordagem eficaz (7, 8). Isso repercute no aumento das pessoas em uso contínuo de serviços de saúde e por consequência o aumento da necessidade de cuidados multiprofissionais. Tendo em vista que a APS deve ser preferencialmente a porta de entrada do sistema de saúde, de modo a responder a maior parte das necessidades de saúde de forma sistêmica, é impossível desconsiderar o aumento dessas doenças e a necessidade de um olhar ampliado sobre a DC em conformidade com evidências e os indicadores que temos. Por ser a DC um fenômeno biopsicossocial e não puramente biológico, os profissionais de saúde na APS devem estar aptos a considerar uma abordagem multidisciplinar e colaborativa para o gerenciamento tratamento da dor crônica (5).
O programa educacional proposto, além de valorizar os aspectos contextuais regionais, deverá ser capaz de empoderar os profissionais de saúde a desenvolver o conhecimento e as habilidades para trabalhar em equipes interdisciplinares para lidar com pacientes com condições complexas de dor. Os profissionais de saúde trabalharão em comunidades de prática para desenvolver planos de avaliação e tratamento, com base em formulações diagnósticas e terapêuticas abrangentes.

Metodologia

A Educação a distância é a modalidade educacional na qual alunos e professores estão separados, física ou temporalmente e, por isso, faz-se necessária a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação. As metodologias de aprendizagem a distância têm apresentado bons resultados no que se refere aos benefícios que essa metodologia apresenta, como: maior autonomia ao estudante; dinamismo nos conteúdos oferecidos; flexibilização de horários, conteúdo multimídia, inovação etc.

Cursos EAD em larga escala se projetam para permitir interações mais flexíveis, utilizando-se das ferramentas virtuais sob a lógica do compartilhamento aberto de recursos. Com isso, entregam conteúdo para alunos que precisam somente de uma conexão à Internet e ao computador. (VIVIAN; FALKNER; FALKNER, 2014

A metodologia do cursoprevê atingir profissionais de várias regiões do país e dos mais variados locais de atuação na APS. Os conteúdos disponibilizados na plataforma online serão abrangentes e focados nas necessidades vividas no território e cuidados aos usuários, com ampla literatura e material para os estudos.Também serão ofertados, através dos fóruns, um espaço para discussão de casos clínicos e vídeos disparadores que apontem estratégias interdisciplinares de cuidadobaseado em conhecimento científico e boas práticas, com vistas ao desenvolvimento de habilidades para alívio da Dor Total e do sofrimento.
Em relação as metas 2 e 3, será realizado um diagnóstico situacional e pré-teste aos participantes do curso, com vistas a conhecer a realidade do local de atuação profissional e o conhecimento prévio sobre diagnóstico e manejo da DC e principais Síndromes Dolorosas. Está previsto também alocar tutores presencias nas cinco regiões do país que possam ao longo do curso monitorar a evolução e crescimento potencial dos profissionais em campo prático, realizando inclusive oficinas e seminários presenciais. Ao final da formação será realizado novo diagnóstico situacional e nova avaliação de conhecimentos relacionados ao tema.

Plataforma e número de vagas: Curso de Aperfeiçoamento sobre manejo e controle da Dor e Síndromes Dolorosas para profissionais da Atenção Primária à Saúde, estará ancorado na Plataforma UNASUS e terá uma oferta inicial de 1000 (mil) vagas para qualificação de profissionais de nível superior que atuam no SUS junto as Equipes da APS.

Carga Horária: O curso terá duração de 9 (nove) meses e será autoinstrucional contando com uma carga horária de 180 horas. Esta carga horária representa o tempo que aluno deverá se dedicar para realizar as atividades teóricas, estudo individual, leituras adicionais, realização de tarefas e avaliação. O Curso estará dividido em módulos.

Público-alvo: Este curso será destinado aos profissionais de nível superior vinculados as Equipes de APS, e potenciais multiplicadores da metodologia apresentada, reconhecendo as particularidades de cada região.

Material Didático: vídeo aulas, animações, casos clínicos, leituras complementares. Serão organizados conteúdos utilizando variadas ferramentas e repositório atualizado de artigos e literatura em geral sobre os temas abordados)


Controle de frequência: Receberá certificação o aluno que obtiver uma frequência de, no mínimo, de 75% durante o período do curso

Avaliação: Participação nos fóruns de debate; interação na discussão dos temas; interação no processo de ensino-aprendizagem; apresentação de uma ação interventiva.

Indicadores, Metas e Resultados

X. Resultados Esperados e indicadores
Após a conclusão do curso, o aluno demonstrará as seguintes habilidades, conhecimentos e atitudes:
- Melhorar o cuidado de pessoas que apresentam Dor Crônica e Síndromes Dolorosas em geral na APS
- Minimizar o sofrimento humano diante da Dor Total (física, emocional, social e espiritual)
- Abordagem interdisciplinar do usuário e família;
- Ampliar o olhar e potencializar a aplicabilidade de terapias complementares para manejo da dor física em contexto multimodal;
- Promoção e melhora da qualidade de vida;
- Compartilhamento de experiências e boas práticas na APS;
- Ser capaz de refletir criticamente sobre a própria prática de tratamento da dor usando uma estrutura teórica biopsicossocial;
- Demonstrar uma mudança da abordagem exclusivamente biomédica para a abordagem biopsicossocial no tratamento da dor; e
- Reconhecer o papel de outros profissionais de saúde no planejamento terapêutico e valorizar o trabalho em equipe.

Esses indicadores poderão ser mensuráveis através da diminuição da taxa de mortalidade por doenças crônicas; pela redução dos fatores de risco que possam predispor à estas doenças e seus agravos; pelo aumento de recursos humanos, físicos e financeiros nas equipes de APS e uma maior cobertura para atender as necessidades de saúde da população que sofre com dores crônicas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDER OSORIO
Amirah Adnan Salman
Bárbara Cury Soubhia Salman
Cássia Adriana Dalbosco
ELAINE THUME2
ELAINE TOMASI2
JORGE FERNANDO DE ABREU FERREIRA
JULIETA MARIA CARRICONDE FRIPP1
JULIETA MARIA CARRICONDE FRIPP1
LUCIANO AVILA DOS SANTOS2
LUIZ AUGUSTO FACCHINI2
MARALISE MASTRANTONIO LUDTKE
Manuela Samir Maciel Salman
SIMONE DA FONSECA SANGHI
Samir Salman

Recursos Arrecadados

FonteValorAdministrador
Ministério da SaúdeR$ 3.000.000,00Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339039 - Outros Serviços de Terceiro - Pessoa JurídicaR$ 3.000.000,00

Página gerada em 22/04/2024 16:23:22 (consulta levou 0.293164s)