Nome da Disciplina
RAÇA E GÊNERO NAS CIÊNCIAS SOCIAIS
CÓDIGO
06560089
Carga Horária
60 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Ementa: A disciplina discute as diferentes concepções de raça, gênero, construída pelo pensamento social brasileiro e mundial, a partir do final do século XIX até a contemporaneidade. A proposta é discutir as transformações dos conceitos raça e gênero a partir das construções das identidades nacionais, das lutas pela igualdade racial e dos movimentos feministas. Além disso, também trabalha a reatualização desses conceitos com a formação de uma sociedade de consumo de massas e a globalização, principalmente, através das teorias pós-colonialistas, multiculturalistas e teoria queer.

Objetivos

Objetivo Geral:

Objetivo(s) geral(ais):
Discutir e os conceitos raça e gênero enquanto construções epistemológicas e históricas

 

Objetivos Específicos:

Objetivo(s) específico(s):
- Analisar a relação entre raça e construção da identidade nacional;
- A transformação do conceito a partir das lutas pela igualdade racial;
- Novas configurações do conceito a partir da globalização;
- Apresentar o conceito de gênero e suas vinculações com a teoria feminista;
- Conceber as diversas abordagens de gênero: essencialista, construcionista e as abordagens contemporâneas como a dos estudos queer;
- Refletir sobre as intersecções entre as categorias de raça, gênero e sexualidade.

Conteúdo Programático

Programa: 1. A Construção do conceito raça/ identidade no brasileira
1.1. O racialismo brasileiro no século XIX e a identidade nacional
1.2. O Brasil mestiço/ construção da ideia da democracia racial
1.3. O Brasil sincrético de Florestan Fernandes;
1.4. Desenvolvimentismo do ISEB e as elites negras de Guerreiro Ramos;
1.5 Racismo à brasileira e Democracia racial (ideologia e discriminação);
2. Discussão raça no mundo
2.1 Raça e etnia Levy-Strauss ,
2.2. Fanon e o processo de descolonização africana
2.3. O pós-colonialismo, o multiculturalismo e as ações afirmativas
3. Discussão dos conceitos de sexo, gênero e sexualidade
3.1. As concepções de gênero: o essencialismo e o construcionismo
3.2. Gênero como categoria útil de análise histórica de Joan Scott
3.3. Judith Butler e a ressignificação do conceito de gênero
4. Interseccionalidades
4.1. A operacionalização das categorias de gênero e raça com Avtar Brah
4.2. O "desejo" colonial brasileiro: a construção socio-histórica da ideia de mulata sensual
4.3. A figura da "baiana" e a identidade nacional.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • AZEVEDO, Thales. Os brasileiros; estudos de caráter nacional. Salvador: Centro Ed. e Didatico da Universidade Federal da Bahia., 1981. 59 p. BALIEIRO, Fernando de Figueiredo. Carmen Miranda entre os desejos de duas nações: cultu ra de massas, performatividade e cumplicidade subversiva em sua trajetória. Tese de Doutorado do Programa de Pós Graduação em Sociologia, UFSCar, São Carlos, 2014. BAIRROS, Luiza. “Orfeu e Poder: uma perspectiva afro-americana sobre a política racial no Brasil”, in: Estudos Afro-asiáticos, n º 17,1996. BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1998, 2007. 399 p. BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
  • BRAH, Avtar. Diferença, Diversidade, Diferenciação. In: Cadernos Pagu. Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero Pagu, n. 26. p. 329-376, 2006. Endereço eletrônico: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-83332006000100014&script=sci_abstract&tlng=pt
  • CORRÊA, Mariza. O sexo da dominação. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, v. 54, 1999, p. 43-53. Endereço eletrônico: http://novosestudos.org.br/v1/files/uploads/contents/88/20080627_bourdieu_e_o_sexo.pdf ______. Sobre a Invenção da Mulata. cadernos pagu, n. 6-7, p. 35-50, 1996. Endereço eletrônico: http://nacaomestica.org/invencao_da_mulata.pdf ______. A babá de Freud e outras babás. cadernos pagu, n. 29, jul./dez. 2007, p. 61-90. Endereço eletrônico: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n29/a04n29.pdf FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Ática, 1978. FRY, Peter. “O que a Cinderela Negra tem a dizer sobre a „política racial” no Brasil”, in: Revista USP, n º 28. Endereço Eletrônico: http://www.usp.br/revistausp/28/09-fry.pdf FREYRE, Gilberto FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da família patriarcal. 51.ed. Rio de Janeiro: Jose Olympio, 1998. 569 p. formação da família brasileira sob o regime da família patriarcal. 51.ed. Rio de Janeiro: Jose Olympio, 1998. 569 p. HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014. 58 p.
  • GUIMARAES, Antonio Sergio Alfredo. Classes, raças e democracia. São Paulo: Fundacao de Apoio a Universidade de Sao Paulo ; Ed. 34, 2002. 231 p. MOUTINHO, Laura; CARRARA, Sérgio; AGUIÃO, Silvia. Sexualidade e comportamento sexual no Brasil: dados e pesquisas . Rio de Janeiro: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos: Instituto de Medicina Social, 2005. 115 p. ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. 148 p. PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. História, São Paulo, volume 24, número 1.2005, p. 77-98. Endereço eletrônico: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-90742005000100004&script=sci_abstract&tlng=pt PIERSON, Donald. Estudos de ecologia humana: leituras de sociologia e antropologia social. São Paulo: Martins, 1948. PISCITELLI, Adriana. Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade e Cultura, Goiânia: UFG, v. 11, n. 2, p. 263-274, 2008. RAMOS, Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Andes, 1957. 216 p. SCHWARCZ, Lília M..Espetáculo da miscigenação. In: Estudos Avançados, 8, 1994 SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. In: Revista Educação e Realidade. Porto Alegre, jul/dez 1990, vol.16, p. 5-22.

Bibliografia Complementar:

  • BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: Louro, Guacira Lopes. O corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. DA MATTA, Roberto. “Digressão: a fabula das três raças, ou o problema do racismo à brasileira”, in Relativizando, uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Rocco, 1990. GILROY, Paul. Entre campos. São Paulo: Annablume, 2007. HARRIS, Marvin. “O Padrão brasileiro”, in: Padrão Racial nas Américas. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 1967. MOUTINHO, Laura. Razão, “cor” e desejo. São Paulo: Editora Unesp, 2004. PIERSON, Donald. “O cenário” e “Composição racial das classes na sociedade baiana”, in: Brancos e Pretos na Bahia. São Paulo: Editora Nacional, 1971. RODRIGUES, Raymundo Nina. Os Africanos no Brasil. Rio Janeiro: Centro Eldestein de Pesquisa, 2010. SALIH, Sara. Judith Butler e a teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012. SCHWARCZ, Lília M..O Espetáculo das Raças. São Paulo: Cia das Letras,2004. ROMERO, Silvio. Obra filosófica. Rio de Janeiro: Jose Olympio, 1969. 713 p. YOUNG, Robert. Desejo Colonial: Hibridismo em Teoria, Cultura e Raça. São Paulo: Perspectiva, 2005.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2019 / 2 51 36 Ciências Sociais (Bacharelado - Noturno)
Ciências Sociais (Licenciatura - Noturno)
Todos Os Cursos
Horários
ManhãTardeNoite
QUA13:30 - 14:20
14:20 - 15:10
15:10 - 16:00
16:00 - 16:50
ROSANGELA MARIONE SCHULZ
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
RAÇA E GÊNERO NAS CIÊNCIAS SOCIAIS Ciências Sociais (Bacharelado - Noturno)
RAÇA E GÊNERO NAS CIÊNCIAS SOCIAIS Ciências Sociais (Licenciatura - Noturno)

Página gerada em 19/11/2019 08:41:15 (consulta levou 0.171856s)