Nome da Disciplina
PAINÉIS DE MADEIRA RECONSTITUÍDA
CÓDIGO
15000042
Carga Horária
90 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
6
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
3
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
3
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
6
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Laminação: Introdução; Armazenamento de toras; Descascamento, conversão e aquecimento das toras; Processos de obtenção de lâminas; Equipamentos para laminação; Transporte de lâminas e uso de guilhotinas; Secagem de lâminas; Classificação; Compensados: Introdução; Junção de lâminas; Preparação e aplicação de adesivo; Montagem dos compensados; Acabamento dos painéis; Painéis de Madeira Aglomerada: Introdução; Processo de produção de painéis de madeira aglomerada: matéria-prima; geração de partículas de madeira; Secagem e classificação; Aplicação de adesivo e aditivos químicos; Formação do colchão; Prensagem e acabamento dos Painéis; Classificação; Normas e controle de qualidade; Aspectos econômicos das indústrias de painéis aglomerados. Painéis de Fibras de Madeira: Introdução; Processo de produção de painéis de fibras: matéria-prima; Métodos de desfibramento da madeira; Processos de formação dos painéis isolantes, duras e MDF; Classificação; Propriedades dos painéis isolantes, duras e MDF; Painéis Minerais: Introdução; Processo de produção de painéis minerais: matéria-prima; Geração de partículas de madeira; Mistura dos componentes dos painéis; Formação do colchão; Prensagem e acabamento dos painéis; Classificação; Normas e controle de qualidade; Novos materiais: compósitos polímero-madeira ou materiais lignocelulósicos; Introdução; Matéria-prima; Geração de Partículas; Secagem e classificação; Combinação do polímero, matérias lignocelulósicos e demais aditivos químicos; Métodos de Prensagem e acabamento dos compósitos; Classificação; Normas e controle de qualidade. Aspectos econômicos das indústrias de painéis de madeira reconstituída.

Objetivos

Objetivo Geral:

Objetivo(s) geral(ais):
Capacitar o discente sobre o conhecimento de métodos e técnicas aplicadas às indústrias para produção de painéis de madeira reconstituída em termos de aproveitamento integral da matéria-prima e uso racional da floresta, além de elevar o valor agregado do produto final.
Objetivo(s) específico(s):
- Introduzir tecnologias para produção de painéis de madeira compensada, aglomerada, painéis de fibras, minerais e compósitos;
- Determinar as influências de fatores inerentes às matérias-primas e variáveis de processo sobre as propriedades dos painéis e as diversas formas de aplicações do produto;
- Avaliar a qualidade dos painéis de madeira reconstituída por meio de normas e controle de qualidade;
- Avaliar os aspectos econômicos das indústrias de painéis de madeira
reconstituída.

 

Objetivos Específicos:

- Introduzir tecnologias para produção de painéis de madeira compensada, aglomerada, painéis de fibras, minerais e compósitos;
- Determinar as influências de fatores inerentes às matérias-primas e variáveis de processo sobre as propriedades dos painéis e as diversas formas de aplicações do produto;
- Avaliar a qualidade dos painéis de madeira reconstituída por meio de normas e controle de qualidade;
- Avaliar os aspectos econômicos das indústrias de painéis de madeira reconstituída.

Conteúdo Programático

1. Laminação: Introdução;
1.1. Armazenamento de toras;
1.2. Descascamento, conversão e aquecimento das toras;
1.3. Processos de obtenção de lâminas;
1.4. Equipamentos para laminação;
1.5. Transporte de lâminas e uso de guilhotinas;
1.6. Secagem de lâminas;
1.7. Classificação;
2. Compensados: Introdução;
2.1. Junção de lâminas;
2.2. Preparação e aplicação de adesivo;
2.3. Montagem dos compensados;
2.4. Prensagem e acabamento dos painéis;
2.5. Classificação;
2.6. Normas e controle de qualidade;
3. Painéis de Madeira Aglomerada: Introdução;
3.1 Processo de produção de painéis de madeira aglomerada: matéria-prima;
3.2 geração de partículas de madeira;
3.3 Secagem e classificação;
3.4 Aplicação de adesivo e aditivos químicos;
3.5 Formação do colchão;
3.6 Prensagem e acabamento dos Painéis;
3.7 Classificação;
3.8 Normas e controle de qualidade;
4. Painéis de Fibras de Madeira: Introdução;
4.1 Processo de produção de painéis de fibras: matéria-prima;
4.2 Métodos de desfibramento da madeira;
4.3 Processos de formação dos painéis isolantes, duras e MDF;
4.4 Classificação;
4.5 Propriedades dos painéis isolantes, duras e MDF;
4.6 Normas e controle de qualidade;
5. Painéis Minerais: Introdução;
5.1 Processo de produção de painéis minerais: matéria-prima;
5.2 Geração de partículas de madeira;
5.3 Mistura dos componentes dos painéis;
5.4 Formação do colchão;
5.5 Prensagem e acabamento dos painéis;
5.6 Classificação;
5.7 Propriedades dos painéis de minerais;
5.8 Normas e controle de qualidade;
5.9 Aspectos econômicos das indústrias de painéis de madeira reconstituída.
6. Novos materiais: compósitos polímero-madeira ou à base de materiais lignocelulósicos: Introdução;
6.1 Matéria-prima (Materiais lignocelulósicos);
6.2 Geração de Partículas;
6.3 Secagem e classificação;
6.4 Mistura do polímero, matérias lignocelulósicos e demais aditivos químicos;
6.5 Métodos de Prensagem e acabamento dos compósitos;
6.6 Classificação;
6.7. Normas e controle de qualidade.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • 1. IWAKIRI, S. 2005. Painéis de madeira reconstituída. Curitiba. FUPEF. 254p.
  • 2. NOCK, P. H.; RICHTER, H. G. Adesão e Adesivos – Adesivos e sua aplicação na indústria madeireira. Tópicos de Tecnologia da Madeira – Curso de Pós-Graduação em EngenhariaFlorestal. Curitiba: UFPR, 1978. 93p.
  • 3. HASELEIN, C.R.; PAULESKI, D.T. Caderno didático da disciplina de tecnologia da madeira II – Parte I. Santa Maria: CCR/UFSM, 2003. 82p.

Bibliografia Complementar:

  • 1. ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Painéis de madeira compensada: determinação do condicionamento de corpos-de-prova para ensaios. Rio de Janeiro, 1986. (Norma Brasileira NBR-9489)
  • 2. ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Painéis de madeira compensada: determinação da massa específica. Rio de Janeiro, 1986. (Norma Brasileira NBR-9485).
  • 3. ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Painéis de madeira compensada: determinação da recuperação em espessura e inchamento mais recuperação em espessura. Rio de Janeiro, 1986. (Norma Brasileira NBR-9535)
  • 4. ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Painéis de madeira compensada: determinação da absorção de água. Rio de Janeiro, 1986. (Norma Brasileira NBR-9486)
  • 5. AMERICAN NATIONAL STANDARDS INSTITUTE. ANSI A208.2: Medium density fiberboard (MDF) for interior application. Composite Panel Association. Gaithersburg, USA, 2002.
  • 6. AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. Testing veneer, plywood and other glued veneer constructions. ASTM D- 805. Philadelphia, 1982.
  • 7. AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS. ASTM D 1037: Evaluating properties of wood-based fiber and particle panel materials. Philadelphia, USA, 1999.
  • 8. BALDWIN, R.F. Plywood manufacturing practices. San Francisco: Miller Freeman, 1981. 326 p.
  • 9. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 15316: Chapas de fibra de média densidade – parte 1: Terminologia. Rio de Janeiro, 2006.
  • 10. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. EN 310: Wood- based panels - Determination of modulus of elasticity in bending and of bending strength. Brussel, Belgium,1993.
  • 11. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. EN 317: Particleboards and Fiberboards - Determination of swelling in thickness after immersion in water. Brussel, Belgium,1993.
  • 12. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. EN 319: Particleboards and Fiberboards - Determination of tensile strength perpendicular to the plane of the board. Brussel, Belgium,1993.
  • 13. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. EN 323: Wood- based panels - Determination of density. Brussel, Belgium, 1993.
  • 14. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. EN 622: Fiberboards – Specifications – Part 5: Requirements for dry process boards (MDF). Brussel, Belgium, 2006.
  • 15. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. Particleboards – Specifications. EN 312: 2003.
  • 16. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. Plywood – Determination of shear bonding strength. EN 314 – 2: 1993.
  • 17. FERREIRA, E. S. Propriedades físico-mecânicas de painéis de fibras de média densidade (MDF) produzidos com resinas convencionais e modificadas com tanino de acácia negra. Curitiba: UFPR, 2010. 212f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal do Paraná, 2010.
  • 18. FERREIRA, E. S. Utilização dos polifenóis da casca de pinus para produção de adesivos para compensados. Seropédica: UFRRJ, 2004. 79f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2004.
  • 19. MARRA, A.A. Technology of wood bonding. New York: Van Nostrand Reihold, 1992. 453p.
  • 20. MALONEY, T. M. 1977. Modern Particleboard Bc. Dry - Process Fiberboard Manufacturing. Miller Freeman.
  • 21. MOLESMI, A. A. 1974. Particleboard Vol. 1, Materials, Carbondale, Illinois: Southern Illinois University Press.
  • 22. SELLERS JÚNIOR, T. Plywood and adhesive technology. New York: Marcel Dekker, Inc. 1985. 661 p.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
M1 2019 / 2 15 10 Engenharia Industrial Madeireira (Bacharelado)
Horários
ManhãTardeNoite
QUA08:50 - 09:40
10:00 - 10:50
10:50 - 11:40
SEX08:50 - 09:40
10:00 - 10:50
10:50 - 11:40
ERIKA DA SILVA FERREIRA
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
PAINÉIS DE MADEIRA RECONSTITUÍDA Engenharia Industrial Madeireira (Bacharelado)

Página gerada em 14/11/2019 07:23:03 (consulta levou 0.177713s)