Nome da Disciplina
ARQUITETURA DE MUSEUS
CÓDIGO
14120002
Carga Horária
30 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
2
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CRÉDITOS
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Introdução à história da Arquitetura. O edifício museu e suas características físicas e espaciais. A inserção de equipamentos culturais no contexto urbano da cidade contemporânea.

Objetivos

Objetivo Geral:

Ao final do curso o aluno deverá ser capaz de identificar as características da arquitetura do renascimento ao neoclassicismo; as principais características espaciais dos museus e de sua inserção na cidade contemporânea.

Conteúdo Programático

Unidade 1 – Introdução à história da Arquitetura.
1.1 Do renascimento ao neoclassicismo.
1.2 A arquitetura moderna: século XIX e XX.

Unidade 2 – A arquitetura de museus.
2.1 A definição de tipologia: Durand e Guadet e os tratados de arquitetura do século XIX.
2.2 Características físicas e ambientais do edifício museu.

Unidade 3 – O museu na cidade contemporânea.
3.1 A reciclagem de edifícios e a renovação urbana.
3.2 Museus do Brasil.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ALBERNAZ, Maria Paula; LIMA, Cecília Modesto. Dicionário Ilustrado de Arquitetura – v. I, II. São Paulo: ProEditores, 1997.
  • BICCA, Briane Elisabeth Panitz; BICCA, Paulo Renato Silveira (orgs.). Arquitetura na formação do Brasil. 2 ed. Brasília: UNESCO, IPHAN, 2008.
  • BRUAND, Yves. Arquitetura contemporânea no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1981.
  • FERRAZ, João Grinspum (coord.). Museu do Pão: caminho dos moinhos. Ilópolis: Associação dos Amigos dos Moinhos do Vale do Taquari, 2008.
  • HUGHES, Philip. Diseño de exposiciones. Barcelona: Promopress, 2010.
  • LITTLEFIELD, David. Manual do Arquiteto: planejamento, dimensionamento e projeto. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.
  • MATTHEWS, Geoffrey. Museus, galerias de arte e espaços para exposições temporárias. In: LITTLEFIELD; 2011 (p. 399-404).
  • PEVSNER, Nikolaus. Historia de las tipologias arquitectonicas. 2 ed. Barcelona: Gustavo Gili, 1979.
  • SEGRE, Roberto. Museus brasileiros. Rio de Janeiro: Viana & Mosley, 2010.
  • SUMMERSON, John. A linguagem clássica da arquitetura. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
  • TELLES, Augusto Carlos da Silva. Atlas dos monumentos históricos e artísticos do Brasil. 3 ed. Brasília, DF: IPHAN / Programa Monumenta, 2008.
  • VAINER, André; FERRAZ, Marcelo. Cidadela da liberdade: Lina Bo Bardi e o Sesc Pompéia. São Paulo: Edições Sesc SP, 2013.

Bibliografia Complementar:

  • BOYLAN, Patrick J. (coord.). Como gerir um museu: manual prático. Paris: ICOM/UNESCO, 2004.
  • BRASIL – Lei nº 7.287, de 18 de dezembro de 1984. Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Museólogo.
  • BRASIL – Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências.
  • CHAGAS, Mário de Souza; NASCIMENTO JUNIOR, José do (orgs.). Subsídios para a criação de museus municipais. Rio de Janeiro: Ministério da Cultura / Instituto Brasileiro de Museus e Centros Culturais / Departamento de Processos Museais, 2009.
  • FIGUEROLA, Valentina. Herança restaurada: respeito pela arquitetura original e implantação de nova infra-estrutura norteia a conversão do Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega no Museu Afro Brasil. In: Revista AU Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, n. 136, p. 42-49, jul. 2005.
  • FISCHMANN, Daniel Pitta. O projeto de museus no movimento moderno: principais estratégias nas décadas 1930-60. 2003. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura / PROPAR. Faculdade de Arquitetura. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.
  • FRAGA, Carlos André Soares. Museus, pavilhões e memoriais: a arquitetura de Oscar Niemeyer para exposições. 2006. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura / PROPAR. Faculdade de Arquitetura. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.
  • JODIDIO, Philip. Museums. Colônia (República da Alemanha): Taschen, 2011. (Série ArchitectureNow!).
  • KIEFER, Flávio. MAM Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro MASP Museu de Arte de São Paulo: paradigmas brasileiros na arquitetura de museus. 1998. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura / PROPAR. Faculdade de Arquitetura. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1998.
  • PACHALSKI, Glauco Assumpção. Museu do Pão: arquitetura, cultura e lugar. 2012. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.
  • POULOT, Dominique. Museu e museologia. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.
  • SEGAWA, Hugo. Arquiteturas no Brasil 1900-1990. São Paulo: Editora da USP, 1997.
  • SEGAWA, Hugo (et alli). O conjunto KKKK. São Paulo: Takano Editora, 2002.
  • SERAPIÃO, Fernando. Anexos semelhantes têm materialidade e uso diversos: projeto dá início a rota turística e cultural da serra. In: Revista Projeto Design, São Paulo, n. 337, p. 42-51, mar. 2008.
  • ZEIN, Ruth Verde. Fábrica da Pompéia, para ver e aprender. In: ZEIN, Ruth Verde. O lugar da crítica: ensaios oportunos de arquitetura. Porto Alegre: Faculdades Integradas Ritter dos Reis, 2001. (p. 139-148).
  • YU, Jasmin. Museum display design. Hong Kong: Design Media, 2012.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2019 / 2 35 13 Museologia (Bacharelado)
Horários
ManhãTardeNoite
QUA10:00 - 10:50
10:50 - 11:40
RICARDO LUIS SAMPAIO PINTADO
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
ARQUITETURA DE MUSEUS Museologia (Bacharelado)

Página gerada em 16/09/2019 01:31:06 (atualização a cada 15 minutos)