Nome do Projeto
Formação, capacitação e qualificação básica para atuação junto aos cuidados e Bem-Estar de animais pertencentes a fauna silvestre brasileira e exóticos sob guarda do NURFS-CETAS/UFPEL
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
31/08/2015 - 30/12/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Zoologia
Resumo
Ao explicar como a acumulação primitiva se estabeleceu como condição prévia para surgimento do capitalismo, Marx (2001) descortinou para a sociedade de sua época o que considera o “pecado original” da economia: um processo contínuo de enriquecimento de uma minoria à custa da expropriação de bens e direitos básicos de uma maioria que, não tendo mais o que vender, vende o próprio corpo, vende seu suor. Décadas depois, esse quadro não desapareceu e, pelo contrário, se intensificou representado hoje por um mercado sem fronteiras, com maior exploração e concentração de renda nas mãos de poucos. É o capitalismo globalizado. Para Antunes (2005), esse sistema metabólico social do capital necessita cada vez mais de trabalho parcial, não estável, o “part-time” terceirizado; uma nova morfologia do trabalho em que homens e mulheres, terceirizados, exercem trabalhos temporários e informais. Ao migrar de um modelo fordista/taylorista, onde a lógica era “um trabalhador para uma tarefa”, para o atual modelo de acumulação onde se prega a flexibilidade e adaptabilidade (um trabalhador para várias tarefas, o mais rápido possível), o capitalismo fragmentou e tornou o trabalho mais efêmero, com destaque para o trabalho subcontratado, parcial e temporário. Com a reforma do aparelho de Estado, regulamentada e executada no Brasil a partir do governo de Fernando Henrique Cardoso, essa lógica produtiva do capital foi transferida para todos os âmbitos da esfera social (FERREIRA et al., 2006). Nesse sentido são cobrados no âmbito público e privado eficiência, eficácia, celeridade, entre outras respostas imediatas. A eficiência no trabalho é a base para o sucesso de todas as organizações. Baseado neste pressuposto, o presente trabalho busca mostrar a necessidade da formação e da permanente atualização profissional dos envolvidos nos cuidados e Bem-estar a animais pertencentes a fauna silvestre brasileira e exóticos, pois o mercado atual exige profissionais capacitados, comprometidos e tecnificados, que sejam capazes de se adaptar rapidamente à mudanças, avançando sempre no conhecimento, buscando alcançar um nível de excelência profissional, com o objetivo principal de somar energias dentro da organização, com o intuito de potencializar as oportunidades e pontos fortes, e minimizar os impactos das ameaças e fragilidades da entidade. Ao contrário da realidade de antigamente, quando havia muitos profissionais para poucas vagas, hoje o mercado de trabalho não está tendo muitas vagas, e as que existem exigem profissionais preparados perante as exigências do mercado laboral. O profissional que não tem uma qualificação demora mais para realizar as suas tarefas e isso leva tempo, dinheiro sem considerar os danos colaterais que isso pode causar em se tratando de cuidados e Bem-estar de animais silvestre ou mesmo em extinção. Esse é uns dos motivos que leva a tanta exigência. Foi o tempo que até para ser auxiliar de serviços gerais ou tratadores, precisava ter só Ensino Fundamental, hoje é necessário ter o Ensino Médio e, no caso dos profissionais de Nível Superior a formação específica para essa modalidade de atuação. Em plena ascensão no mundo empresarial, o Gerenciamento de Projetos exige cada vez mais profissionais qualificados, detalhistas e observadores para levantamento, controle e análise de informações e dados manipulados ao longo das fases do ciclo de vida de um projeto ou de um investimento. Gerenciar projetos não é uma tarefa simples, a mesma apresenta-se complexa e muitas vezes árdua. Exige do profissional a capacidade de discernimento e aplicação das nove áreas de conhecimento (gerenciamento de integração, gerenciamento do escopo, gerenciamento de tempo, gerenciamento de custo, gerenciamento da qualidade, gerenciamento de recursos humanos, gerenciamento de comunicações, gerenciamento de riscos e gerenciamento de aquisições) conforme Project Management Institute – PMI, escritas de forma clara e objetiva no PMBOK Guide – Guia Oficial do Conjunto de Conhecimentos do Gerenciamento de Projetos, que se entendidas e bem aplicadas se tornam práticas decisivas para o sucesso de um projeto (VARGAS, 2012). A falta de qualificação é oriunda de uma série de fatores, dentre eles, a pressa da Geração Y em querer conseguir entrar no mercado e conquistar cargos cada vez mais elevados e, na maioria das vezes, sem possuir credencial para isso, muitos apenas concluem a faculdade, sem possuírem cursos de qualificação, experiência profissional sólida, cursos de idiomas, enfim; querem tudo para hoje e não fazem por onde. Por outro lado, a formação acadêmica generalista, com grades curriculares engessadas e padronizadas, não oportuniza itinerários de formação específica como a qualificação para os cuidados, Bem-estar, manejo, Clínica Veterinária, Destinação e outras ações referentes a guarda e manutenção de animais silvestres em cativeiro. Frente aos recursos utilizados para se desenvolver projetos, as pessoas são e continuarão sendo o elo central dos projetos, pois são elas que consolidam os resultados, através da realização das atividades por elas mesmas desenvolvidas. Contudo, torna-se necessário qualifica-las e sempre estar motivando-as para assegurar que sempre estarão comprometidas, visto que os problemas dos projetos só podem ser resolvidos por pessoas. Sendo assim a formação dos profissionais que atuarão nos cuidados e Bem-estar dos animais pertencentes a fauna silvestre brasileira e/ou exóticos passa peça sua qualificação específica (BRASIL, 1996) que está prevista nas suas respectivas diretrizes curriculares, a saber: Ciências Biológicas - 1. PERFIL DOS FORMANDOS, c) consciente da necessidade de atuar com qualidade e responsabilidade em prol da conservação e manejo da biodiversidade, políticas de saúde, meio ambiente, biotecnologia, bioprospecção, biossegurança, na gestão ambiental, tanto nos aspectos técnicos-científicos, quanto na formulação de políticas, e de se tornar agente transformador da realidade presente, na busca de melhoria da qualidade de vida (BRASIL, CNE/CES, 2001,; BRASIL/CNE/CES, 2002); Medicina Veterinária - Art. 3º O Curso de Graduação em Medicina Veterinária tem como perfil do formando egresso/profissional o Médico Veterinário, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, apto a compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidades, com relação às atividades inerentes ao exercício profissional, no âmbito de seus campos específicos de atuação em saúde animal e clínica veterinária; saneamento ambiental e medicina veterinária preventiva, saúde pública e inspeção e tecnologia de produtos de origem animal; zootecnia, produção e reprodução animal e ecologia e proteção ao meio ambiente. Ter conhecimento dos fatos sociais, culturais e políticos da economia e da administração agropecuária e agroindustrial. Capacidade de raciocínio lógico, de observação, de interpretação e de análise de dados e informações, bem como dos conhecimentos essenciais de Medicina Veterinária, para identificação e resolução de problemas (BRASIL/CNE/CES, 2003). Zootecnia - § 1º O projeto pedagógico do curso, observando tanto o aspecto do progresso social quanto da competência científica e tecnológica, permitirá ao profissional a atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade. § 3º O curso deverá estabelecer ações pedagógicas com base no desenvolvimento de condutas e de atitudes com responsabilidade técnica e social, tendo como princípios: a) o respeito à fauna e à flora. (BRASIL/CES/CNE, 2006) Nessa perspectiva de atuação o NURFS e o CETAS/IB/UFPEL desde sua criação têm por finalidade a formação de recursos humanos para atuação junto aos animais pertencentes a fauna silvestre brasileira e exóticos, na graduação e na pós-graduação, assim como na extensão e pesquisa buscando o seu Bem-estar. No presente contexto é proposta a execução das atividades em proposição como continuidade ao projeto “Ensino direcionado a qualificação específica na graduação e pós-graduação de recursos humanos para atuação no manejo e cuidados à saúde e bem estar de animais pertencentes à fauna silvestre brasileira silvestre brasileira e/ou exóticos.”

Objetivo Geral

Formar, capacitar e qualificar recursos humanos para atuação junto as demandas decorrentes dos processos de recepção, identificação, tratamento, manutenção, manejo, clínica, cirurgia, necropsia e destinação de animais exóticos e pertencentes a fauna silvestre brasileira sob os cuidados do NURFS-CETAS/UFPEL.

Justificativa

O caráter permanente desse projeto pode ser justificado em virtude das considerações a seguir:
- Reestruturação curricular e abertura de novas atividades complementares e curriculares obrigatórias para a integralização curricular nos Cursos de Ciências Biológicas bacharelado e licenciatura, Zootecnia, Gestão Ambiental, Engenharia Sanitária e Ambiental, Medicina Veterinária, entre outros. A título de exemplo o Curso de Medicina Veterinária atendendo suas metas e ações pedagógicas, segue estruturando sua linha de formação específica voltada a atenção aos animais silvestres, estando o NURFS-CETAS/UFPEL inserido neste contexto como área determinada para a execução de várias ações formativas no ensino de Graduação e Pós-Graduação. De modo similar os Cursos de Ciências Biológicas - Bel. e Lic., de Zootecnia e outros, necessitam de espaços para a formação prática dos seus egressos no que se refere ao manejo, reconhecimento, cuidados, educação ambiental e atenção a fauna silvestre brasileira e animais exóticos e, de modo similar, ao que ocorre com o Curso de Medicina Veterinária, o NURFS-CETAS é o cenário necessário para atender esta demanda;
- Ampliação da área de ensino, pesquisa, extensão e de estágios curriculares obrigatórios ou facultativos para os Cursos de Graduação e Pós-Graduação da UFPEL – O NURFS-CETAS-UFPEL tem servido a distintas áreas do conhecimento científico atendendo demandas específicas voltadas a Gestão Ambiental, Direito Ambiental, Engenharia Sanitária e Ambiental, Madeireira, Zootecnia e outras áreas. Neste sentido são oferecidos estágios supervisionados em parceria com os respectivos cursos de Graduação e Unidades as que estão vinculados favorecendo a interdisciplinaridade e, simultaneamente, ampliando e disponibilizando os conhecimentos adquiridos nestas interconexões, enriquecendo os saberes e favorecendo a melhoria das condições de trabalho e preservação da fauna silvestre brasileira;
- Carência de recursos humanos nas áreas de Medicina Veterinária e Ciências Biológicas para o atendimento as questões relacionadas com o manejo, clínica, reabilitação e destinação de animais silvestres. Os currículos dos Cursos de Ciências Biológicas e Medicina Veterinária no seu componente obrigatório, dentro das respectivas competências profissionais necessitam manter os espaços específicos para a formação destes recursos humanos nessa área, pois, em ambos os casos, estão mais voltadas as questões de animais domésticos ou para a área humana devido a inexistência de outras infraestruturas que não as do NURFS-CETAS. Por outro lado, mesmo com a flexibilização curricular, os espaços disponíveis, as grades de horário engessadas e as peculiaridades desta área (animais silvestres) não favorecem a oferta de disciplinas optativas aos acadêmicos destes cursos, restando a hipótese da realização de atividades complementares e/ou estágios curriculares. Neste contexto a UFPEL estará inserida na formação de recursos humanos para atender a crescente e irreversível demanda de preocupação pública com o Bem-estar animal que, não deriva somente da solidariedade de socorrer um animal em sofrimento, mas, também da consciência de que nosso meio ambiente vem gradativamente perdendo suas características de sustentabilidade;

- Necessidade de recursos humanos para o atendimento especializado exercido por Biólogos e Médicos Veterinários nas atividades exercidas pelo NURFS - CETAS/UFPEL. O projeto prevê que na qualificação dos discentes, simultaneamente serão prestados serviços para a manutenção das próprias atividades do NURFS-CETAS/UFPEL e também na prestação de serviços a comunidade em geral. Ao mesmo tempo em que os profissionais que atuam no NURFS-CETAS/UFPEL estarão exercendo atividades de prestação de serviços a comunidade, os discentes dos Cursos de Medicina Veterinária e Ciências Biológicas da UFPEL e outros Cursos abrangidos, sob sua orientação e/ou supervisão direta, estarão auxiliando no desenvolvimento das atividades desempenhadas nestes Órgãos. Entre as atividades que serão realizadas podem ser citadas a manutenção e manejo, clínica, cirurgia, tratamento, reabilitação, necropsia e destinação dos animais silvestres. Este FAZER apropria-se do EXERCER qualificando no serviço mediante experiências concretas de vivência no processo ensino-aprendizagem;

- Preparação de infraestruturas, recursos humanos1 e demais aspectos concernentes a oferta de curso, disciplinas, estágios que visem a formação, reciclagem e aperfeiçoamento de recursos humanos para atuar na área de cuidados a animais silvestres. As experiências vividas no processo de ensino-aprendizagem proposto permitirão a qualificação dos recursos humanos e de infraestruturas em geral para a oferta sistemática de novas oportunidades de formação regular e continuada não só para os acadêmicos dos cursos implicados, mas, também para a comunidade em geral sob a forma de práticas de ensino e extensão universitária.
- Relevância do assunto e disponibilidade dos benefícios técnicos de todas as Unidades de apoio ao NURFS-CETAS/UFPEL. Faz-se impar ressaltar que os recursos técnicos existentes no NURFS-CETAS e nas Unidades de Apoio as atividades destes dois Órgãos, incluindo o Hospital de Clínicas Veterinárias e laboratórios da Faculdade de Medicina Veterinária e do Instituto de Biologia, permitem a oferta desta modalidade de ensino. O custeio destas ações não terá acréscimos ao já previsto no projeto orçamentário do NURFS-CETAS/UFPEL (ver corpo do projeto), permitindo, deste modo, a disseminação deste saber de forma racionalizada, com bônus na formação discente da UFPEL e atendimento às necessidades regionais na área de influência da UFPEL.

*Observação: Anualmente, através de Edital Público, serão ofertadas as vagas para atividades complementares aos acadêmicos regularmente matriculados nos Cursos de Ciências Biológicas, Medicina Veterinária, Gestão Ambiental, Engenharia Sanitária Ambiental, Zootecnia e demais cursos interessados da UFPEL e também de órgãos conveniados ou de Programas do NURFS-CETAS/UFPEL.

Metodologia

Anualmente, o NURFS - CETAS/UFPEL oferecerá através de edital a oferta de estágios para a formação de recursos humanos na área de manejo, Bem-estar, reabilitação, clínica, necropsia e/ou destinação de animais silvestres pertencentes a fauna silvestre brasileira e/ou para estudantes dos cursos de Medicina Veterinária, Ciências Biológicas, Zootecnia, Meio Ambiente, Engenharia sanitária e Ambiental, Design Gráfico, Direito, entre outros, da UFPEL. Estes estágios terão prazo de duração anual, sendo orientados por profissionais Médicos Veterinários, Biólogos e de outras áreas que atuam direta ou indiretamente no NURFS-CETAS/UFPEL.
A modalidade de seleção estará prevista no edital que será publicado sempre no início das atividades do Núcleo e Centro que poderão coincidir com o calendário escolar da UFPEL, mas, terão duração anual, pois, estes Órgãos funcionam o ano todos, de forma ininterrupta, em horários de expediente regular da UFPEL. Aos estagiários serão exigidas frequência e bom desempenho escolar, enquanto, membros da equipe de discentes em formação no NURFS-CETAS/UFPEL.
O processo de ensino aprendizagem será exercido através de aulas expositivas, seminários e atividades práticas, em um mínimo de doze (12) e máximo de vinte (20) horas semanais que o estagiário deverá desempenhar sob supervisão do profissional da área competente, ficando o controle da frequência sob responsabilidade do supervisor que verificará os registros realizados pelo estagiário diariamente.
Os estagiários além de receber instruções e formação para as atividades inerentes ao seu futuro exercício profissional, poderão, quando autorizados pela administração do NURFS e CETAS/UFPEL elaborar documentos técnicos e publicações para divulgar as atividades realizadas com a finalidade de construir seu currículo pessoal. Em tal situação, ou similares, o produto gerado deverá ser identificado como realizado nas dependências do NURFS-CETAS/UFPEL sob orientação e supervisão de profissional destes órgãos.
Anualmente, será enviado a Pró-Reitoria de Graduação relatório anual para o devido controle e manutenção do projeto que deverá ter um caráter permanente, embora seja renovado anualmente em função das normas vigentes na UFPEL. No relatório, seguindo o modelo padrão Institucional, serão prestadas as devidas informações sobre as atividades desenvolvidas, os produtos gerados, as horas dedicadas às atividades pelos estagiários em formação e outros dados que subsidiem a avaliação das ações do presente projeto. Conjunto ao Relatório Anual será encaminhado o pedido de prorrogação do projeto de ensino para garantir seu caráter permanente.

Resultados Esperados

Espera-se oportunizar o maior número de vagas disponíveis por área de atuação do NURFS-CETAS/UFPEL (atender a maior parte da demanda existente) e que ao final do ano letivo os estagiários sejam capazes de atuar como mão de obra qualificada para as ações de Bem-estar, manejo, recepção, destinação e similares no que se refere a fauna silvestre brasileira e/ou animais exóticos.
Outra meta a ser atingida é continuidade desse processo de ensino e de aprendizagem através da sua multiplicação pelos estagiários formados. Dessa forma espera-se uma maior divulgação dos conhecimentos adquiridos a colegas discentes e profissionais da área e, dessa forma, despertar outros candidatos a essa formação e mesmo dar continuidade a mesma.
Ao final do ano letivo também é esperado que os acadêmicos tenham contribuído de forma significativa com o andamento das ações do NURFS-CETAS/UFPEL e possam aportar novas ideias que qualifiquem/requalifiquem as ações desenvolvidas pelo NURFS-CETAS/UFPEL visando a melhoria das ações relacionadas ao Bem-estar dos animais sob guarda do NURFS-CETAS/UFPEL e Instituições similares.

Indicadores, Metas e Resultados

O projeto vinha sendo executado desde 2008 sob título “Ensino direcionado a qualificação específica na graduação e pós-graduação de recursos humanos para atuação no manejo e cuidados a saúde e Bem-estar de animais pertencentes à fauna silvestre brasileira silvestre brasileira e/ou exóticos”. Nesse período foram formados recursos humanos que atualmente encontram-se na Pós-Graduação Strictu sensus em diversas IFES do Brasil, ou mesmo, já concluíram mestrados e doutorados. Nessa trajetória além da formação aos acadêmicos da graduação, os próprios membros da equipe do NURFS-CE¨TAS/UFPEL passaram por essa formação, seguiram na pós-graduação e, atualmente, são multiplicadores junto ao esses Órgãos e em outras Unidades como servidores do quadro de Carreira de Técnicos Administrativos. Esses registros revelam o sucesso obtido nas ações realizadas reforçando a necessidade de sua continuidade, assim como: (1) a obrigatoriedade prevista nos Projetos Pedagógicos, mais especificamente, nas grades curriculares dos cursos de Graduação e Pós-Graduação em consideração e (2) na formação acadêmica diversificada por ser um itinerário alternativo a ser percorrido na construção curricular.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE SILVEIRA BECKER831/08/201530/12/2016
ALICE TEIXEIRA MEIRELLES LEITE4
ALINE AZEVEDO VAN GROL804/04/201631/08/2016
ANA LUISA SCHIFINO VALENTE431/08/201530/12/2016
ANA PAULA NEUSCHRANK ALBANO631/08/201530/12/2016
BIANCA SANTANA DA SILVA1204/04/201629/12/2016
CRISTIANO SILVA DA ROSA431/08/201530/12/2016
DANIEL AZEVEDO VASCONCELLOS831/08/201530/12/2016
EDUARDA ARANHA DA COSTA808/08/201629/12/2016
ERICA PANTOJO PEREIRA408/08/201628/12/2016
FERNANDA ROCHEDO TAGES204/04/201628/12/2016
GREICI MAIA BEHLING631/08/201530/12/2016
JOANNA VARGAS ZILLIG ECHENIQUE831/08/201530/12/2016
JÚLIA MARTINS RODRIGUES604/04/201630/06/2016
LARISSA CALO ZITELLI204/04/201628/12/2016
LUCAS SCHNEIDER LOPES204/04/201631/05/2016
LUIS AUGUSTO XAVIER CRUZ131/08/201530/12/2016
LUIZ FERNANDO MINELLO431/08/201530/12/2016
LUIZ PAIVA CARAPETO431/08/201530/12/2016
MARCELO RICARDO NUNES LEMES1604/04/201628/12/2016
MARCO ANTONIO AFONSO COIMBRA831/08/201530/12/2016
MARIANA ACCORSI TELES1204/04/201628/12/2016
MARIANA FISCHER BORGES831/08/201530/12/2016
MARIO RENATO CARDOSO AMARAL431/08/201530/12/2016
MAUREN ALANA DE CASTRO1004/04/201629/12/2016
MILENA CLEFF DE OLIVEIRA601/08/201628/12/2016
MONIQUE ALVES DUARTE831/08/201530/12/2016
PAULO MOTA BANDARRA831/08/201530/12/2016
RENATA DO PRÁ ALANO1208/08/201629/12/2016
RENATO GERUNTHO SALABERRY1004/04/201629/12/2016
RICARDO RIBEIRO CROCHEMORE DA SILVA1604/04/201628/12/2016
RODRIGO KEGLES BRAUNER431/08/201530/12/2016
THAÍS PEREIRA904/04/201631/08/2016
UILA SILVEIRA DE MEDEIROS1004/04/201629/07/2016
VALÉRIA DEFAVARI MORETTI2031/08/201502/09/2016
ÂNGELA LEITZKE CABANA431/08/201530/12/2016

Página gerada em 18/07/2019 14:30:26 (consulta levou 1.513547s)